Setes Japonesa

Tradução: Batata Yacon

Revisão: Delongas


Volume 9

Capítulo 13: Princesa da Coroa


O castelo real de Lorphys tinha construção firme.

A cidade em sua volta era organizada para eficiência. Se quiser colocar de outro modo, dava uma impressão bastante simples.

E dentro daquele castelo simples, apenas o salão de audiências era extravagante. Era só que, parecia que uma porção dos ornamentos foram adornados à força.

O carpete vermelho se estendia, e no mais alto ponto da sala sentava-se a princesa em uma larga cadeira. Ao lado dela sentava-se seu parceiro de noivado, o Príncipe de Selva.

A Princesa 【Annerinne Lorphys】 tinha seus cabelos semipresos. Mas seus cabelos longos eram seu orgulho. Ele estava amarrado na ponta, e quando ela se sentava, o colocaria sobre seus ombros.

Seus cabelos violetas começavam a ficar pálidos a cerca de um terço da ponta.

Um vestido branco, e talvez para o propósito de descansar seus cabelos sobre, um manto vermelho pendurava-se em volta de seus ombros.

Sua pele estava pálida, e tinha uma expressão bondosa. Seus olhos levemente caídos continham pupilas verdes.

Mas seu rosto parecia um pouco perturbado.

Ela dava alguns olhares fugazes para as reações do noivo que estava ao seu lado... 【Dario Selva】. Talvez seu noivo sorridente não estivesse muito entretido, já que seu sorriso estava rígido.

Seus cabelos brancos, e confortáveis roupas brancas faziam sua pele bronzeada parecer proeminente demais. Seus olhos vermelhos nos olhavam.

Ao lado da Princesa Real... alguns degraus abaixo, sentado na posição mais próxima ao casal, o primeiro ministro, 【Lombolt】 pigarreou e prosseguiu com as conversas.

— Pois bem, seu pedido é para serem deixados independentes. Isso é correto?

O antigo Sumo Sacerdote Gastone-san negou. As cabeças de ambos os homens pareciam solitárias, então talvez um tipo de simpatia houvesse sido erigida. O tom de voz de Lombolt-san era bondoso.

(Lombolt-san parece ter seus problemas.)

Apesar de não ter cabelos em sua cabeça, seus olhos eram afiados. Seu corpo era magro o bastante para fazer as pessoas observando se sentirem preocupadas. Esse era Lombolt-san.

— Não. Não nossa própria independência, nós desejamos retomar nosso país. A razão de termos aberto esse encontro em Lorphys é apenas para proclamar que não lançaremos nenhum ataque do nosso lado.

Em volta, estavam nobres e Cavaleiros, o bastante para fazer o salão de audiências parecer apertado.

De dentro da Joia, ouvi uma voz rude:

Era o Sétimo:

『... É mais pobre que minha mansão.』

O Terceiro falou:

『Bem, mesmo comparado ao que o Quarto tinha na época dele, eles têm menos mão-de-obra. Não se pode evitar.』

Confirmando os rostos em volta, o Quinto:

『A escala deles é muito pequena, e não podem reunir tropas... se não tiverem os números, então precisam elevar a qualidade. Entendo, eles parecem estar empregando algum esforço nisso, mas... por que apenas esse cômodo parece tão estranho? Os outros eram agradáveis e simples.』

O Quarto falou:

『É meio de mal gosto. Até do meu ponto de vista, isso é de mal gosto.』

O Sexto parecia estar olhando para o Dario.

『... Poderiam ser as preferências do Príncipe chamado Dario? Em volta de seus braços e pescoço, ele tinha uma quantidade excessiva de ornamentos. Mesmo ele não parecendo um arrivista ou nada assim.』

Selva era um país com uma quantidade considerável de história. Eles não eram novos ricos, mas eu também não podia dizer que eles tinham um gosto particularmente bom.

(Isso é o caráter nacional deles? Nesse caso, foi arranjado para combinar com Selva.)

Lombolt-san se dirigiu ao Gastone-san.

— Entendo; então estão almejando uma retomada. E para isso, buscam nossa assistência.

A pessoa a falar nessa hora foi a Thelma-san.

— Não, nós nos moveremos por conta própria. Vejamos. Após a reclamação, certamente haverá momentos que buscaremos sua assistência.

Aura-san ficou quieta. Ambas, ela e Thelma-san, estavam trajando os vestidos que a Mônica havia preparado, e os olhos dos homens em volta se reunia sobre elas.

Dario sussurrou algo quietamente para a Princesa Annerinne.

Após observar essa ação, eu olhei em volta. Eu não deixei escapar o fato de a Alette-san e os outros Cavaleiros estarem fazendo algumas expressões de desagrado.

E a Princesa Real Annerinne abriu sua boca:

— Mas estou certa que se mover individualmente se provará difícil. O que você diz de tomar estada em Lorphys? Acredito que haja algumas coisas que podemos fazer por sua causa.

Thelma-san falou:

— Não, o sentimento é o bastante. Enquanto Zayin está trazendo tantos problemas para Lorphys, nós sabemos muito bem o quanto nos será dado.

O que desejávamos aqui era um acordo de não pôr as mãos um no outro. E meu objetivo pessoal era de ver a Princesa.

Ao meu lado, Novem estava olhando de modo inexpressivo para a Princesa. Agora não era a hora de sorrir, mas ela estava fazendo uma expressão bastante séria... ao invés disso, parecia como se ela estivesse verificando algo.

No meu outro lado estava a Miranda.

Miranda lançava seus olhos para o Dario.

E a Princesa Annerinne...

— Se vier para o nosso lado, tenho certeza que negociações serão possíveis. Nós terminamos os preparos para entregar-lhes nosso mithril. Vocês não podem nos emprestar sua força para evitar essa guerra?

A respeito dessa persuasão, a Thelma-san:

— Eu aprecio a proposta. Mas essa guerra já passou do ponto de evasão. Exércitos em ambos os lados já estão se reunindo na fronteira. Parece que pequenos conflitos já irromperam. E Zayin não irá recuar até o resultado que desejam estar diante de seus olhos.

Zayin não queria mithril desde o começo. O que eles queriam era um pretexto para atacar. Fora só que o mithril aparecera mais ou menos na hora certa.

Quando a Thelma-san estava prestes a persuadir a Princesa Annerinne novamente, seu noivo realizou sua ação. Ele se levantou, e bateu suas palmas.

Após todos os olhos se concentrarem nele, ele abriu sua boca:

— Não, isso é realmente maravilhoso. Uma Donzela Sagrada realizando um levante por sua terra natal... não, ex-Donzela Sagrada, não era? Eu acho isso belo. Mas ao invés de olhar apenas para si próprios, eu desejo que olhem para o atual estado de Lorphys. Não querendo ser mau, mas foram vocês que causaram sua atual discórdia. Não é apenas racional que nos ofereçam seu auxílio.

Era uma opinião com fundamento, mas eu sabia.

Selva estava se movendo nos bastidores, e estavam realizando preparações progressivamente.

Reunindo a informação reunida pelo negociante de informações Rauno-san, e a conclusão em que chegamos... ouvindo sua hipótese, havia alguns lugares em que eu podia aquiescer.

(Selva está com pressa.)

A razão de sua pressa era que eles se avizinhavam com as duas donzelas da grande guerra... o país compartilhava fronteiras com ambas essas mulheres de guerra.

Para se opor a elas, poder nacional era uma necessidade, e eles também precisavam de cooperação com outros países. Rauno-san havia hipotetizado que não era Lorphys, mas Zayin que estava ajudando eles.

(Bem, não posso realmente dizer onde está o verdadeiro objetivo deles, mas seja desgastar, ou tomar, não havia dúvida de que um resultado saboroso aguardava por Zayin e Selva.)

E atualmente, a posição de Lorphys era a de presa.

Aura-san abriu sua boca. Ela parecia ter tido o bastante da atmosfera aqui.

— ... Nós estamos dizendo que resolveremos o problema por conta própria. E nossa proposta é exatamente como vocês ouviram. Isso não seria mais benéfico para o seu lado?

Nossa proposta.

Era entrar em ação nas partes do território de Zayin que uma vez pertenceram a Lorphys. Até agora, havíamos capturado uma fortaleza em decadência, e iríamos nos dirigir como uma força independente dali.

Era um saco, então eu realmente não queria fazer isso, mas se não fôssemos ficar do lado de Lorphys, não havia outra escolha além de escolher uma rota dessas.

Digo, a atual Lorphys estava perto de se mover com cada palavra do noivo Dario. Estava se movendo à vontade de Selva ainda mais descaradamente.

(Se nos uníssemos a esse lado, ou iríamos ser confinados, ou assassinados... que saco.)

Um dos nobres enfileirados levantou sua voz.

— Vossa Alteza. Se eles fizerem seu levante nas regiões remotas, Zayin não terá escolha além de dirigir algumas tropas para lá. Significando que isso cortará seu destacamento nas linhas de frente.  Não seria melhor aceitar essa proposta?

Os outros nobres também.

— Atualmente, desgastar as forças inimigas é vital. Da perspectiva de Zayin, não há como eles poderem ignorar a posição dessas antigas Donzelas Sagradas. Ainda mais, acredito que está tudo bem nós mesmos oferecermos um pouco de suporte. Bens, assim como soldados e fundos. Quanto mais eles tiverem, melhor para nós.

Ele falou para nos apoiar, mas estava nos vendo como uma distração para o inimigo. A decisão correta se quisesse proteger sua terra natal.

Nisso, a Princesa Annerinne.

— Mesmo antes da guerra começar, vocês já estão pensando em lutar... é o papel do governo procurar por meios de evitar isso não importando o quê.

(Ela tem um bom ponto. Mas o erro que está cometendo é...)

O Sexto expressou meus pensamentos em palavras.

『Ingênua. Isso não é antes da guerra começar. Ela já começou há tempo. Talvez essa garota se tornasse uma boa rainha se não enfiasse a boca em tempos de paz.』

O Terceiro também:

『A aparência dela é boa; perfeita para uma decoração. Bem, o problema é como ela é cega para o amor, talvez?』

Certo, talvez ela houvesse se apaixonado pelo Príncipe de Selva, mas ela estava aos caprichos dele.

A parte horrível era como ela tomava as palavras do Dario acima das de seus próprios vassalos. Vários problemas internos haviam surgido, e as questões domésticas de Lorphys estavam uma bagunça.

(Ela muda imediatamente sua posição com a opinião de seu noivo, então não podemos realmente confiar nela.)

A razão de os ancestrais proclamarem a Princesa Annerinne como terrível, era por termos descoberto tal informação. Suas palavras não tinham credibilidade nenhuma. Era por isso que não podíamos confiar nelas.

Havia muitos fatores inseguros em tê-la como nossa aliada. Então nos distanciamos um pouco.

Alette-san ofereceu sua opinião para a Princesa Annerinne.

— Vossa Alteza, não seria estranho se Zayin se movesse a qualquer momento agora. Evitar já é impossível. Lhe imploro, pelo bem de ambas as causas, use esta reunião para...

E mais uma vez, uma opinião foi cortada.

Dario apontou para mim.

— Você obteve permissão de ficar neste salão por estar prestes a ser a próxima vice-capitã dos Cavaleiros, mas parece que você não é de tal calibre. Negociações devem ser tidas até podermos obter o melhor resultado possível para o povo. E você possui buracos por olhos? Um mero aventureiro... além do mais, um aventureiro sem nome, e um Cavaleiro capitão temporário? Você seriamente acredita que alguém que nunca comandou soldados possa derrubar uma fortaleza? Então deixe-nos aproveitar o momento para dizer... você é incompetente.

Ouvindo essas palavras, o Terceiro sacudiu com risadas.

『V-verdade. O Lyle... não experimentou uma guerra real ainda. Isso daí não é um engano.』

Eu era da mesma opinião.

E eu via que os Cavaleiros e nobres no salão de audiências segurando sua raiva. Mesmo assim, Dario continuou a falar:

— Pelo que ouvi, você não reuniu mais que cem aventureiros. Você vai ao menos chegar nessa sua fortaleza?

Alette-san prosseguiu em meu favor.

— ... Mesmo em Beim, o Lyle dono é um excelente aventureiro. Eu garanto isso. Acredito que ele tenha destacáveis prospectos futuros.

Dario desdenhou.

— Quão longe de acertar você pode estar? É por isso que a brigada de Cavaleiros de Lorphys não presta. Cavaleiros fingindo ser aventureiros, e trabalhando por...

Ao lado de Dario, a Princesa Annerinne falou:

— Me desculpo profundamente, Dario-sama. Mas Alette fez essa declaração com o bem estar do país em mente. Por favor, permita.

O Quarto:

『Bem, ela é jovem. Por volta da mesma idade que o Lyle? O amor engana seu julgamento. É uma falha fatal neste momento, sabe.』

Dentro do salão, os nobres em volta e Cavaleiros começaram a realizar onde estavam em relação ao Dario. Nós estávamos sendo deixados completamente para trás.

Eu me contive em oferecer um sorriso amargo, e busquei permissão para minha próxima fala:

— Peço perdão. Está bem se eu me pronunciar?

Quando as coisas se acalmaram, Lombolt-san olhou para mim, e permitiu:

— ... Somos nós que deveríamos estar nos desculpando. Por favor, prossiga.

Não para o Dario, eu falei enquanto olhava para a Princesa Annerinne.

— Pois bem, desde que sejamos capazes de pôr nossas mãos em uma fortaleza, o problema deixaria de existir?

Talvez irritado por ser ignorado, Dario enfiou sua boca pelos cantos.

— Você vai tomar uma? Alguém ignorante às guerras realmente sabe como matracar.

Dario estava no meio de seus vinte. Mas até onde eu havia pesquisado, não havia registro nenhum de ele ter pisado em um campo de batalha. Eu olhei para a Princesa Annerinne, e tentei de novo:

— Pois bem, sobre a fortaleza... Se pusermos nossas mãos no Forte Noinyl, todos os problemas entre nós estarão resolvidos?

Bem, isso realmente não resolveria nada.

Mas ainda irritado, pensando que nós não podíamos fazer isso, Dario falou:

— Apenas tente. Perca e retorne se quiser, mas por favor certifique-se de não ter essa sua Donzela Sagrada roubada enquanto o fazem!

O Quinto soltou sua voz:

『É porque é mais conveniente para ele se estivermos fora do quadro. Ainda mais, talvez seja melhor para ele se formos esmagados e desaparecermos completamente.』

E a princesa também:

— Sim. Se puderem realizar isso, nós nos sentiremos mais seguros em deixar a Donzela Sagrada em suas mãos.

Internamente:

(Já tratando ela como a Donzela Sagrada. Além do mais, agindo como se estivessem em posição superior. Não é como se estivéssemos dependendo deles... mas é conveniente para dizer o mínimo.)

Quando me curvei, senti uma reação das minhas Skills.

Havia uma presença se aproximando apressadamente da câmara de audiências.

O Terceiro me chamou. Eu sentia alguma travessura em sua voz.

『Lyle, que tal você...』

Ouvindo ele, eu ponderei sobre o quão vergonhoso seria se eu falhasse, enquanto realizava um gesto grandioso.

— Muito bem. Então eu, Lyle Walt, tomarei controle de uma fortaleza. O quê? É um assunto simples. Vejamos... sim, pronto acabou.

Quando estalei meus dedos, alguns olhares de ridicularização repousaram sobre mim. A Princesa Annerinne foi pega de surpresa. Olhando para mim, o Dario:

— Você perdeu a cabeça?

Disse isso, com um sorriso indecente em seu rosto. A Novem ao meu lado abriu sua boca:

— Lyle-sama, você está brincando demais.

E a Miranda também:

— Seria melhor se ele sempre fosse assim.

Ambas estavam levemente surpresas. Mas nenhuma me desprezou.

E as portas do salão irromperam com ímpeto.

Aquele que a abriu era um Cavaleiro que parecia ser um mensageiro. Talvez ele houvesse corrido até aqui, já que estava sem fôlego. Após respirar fundo uma única vez, ele falou:

— Mensagem recebida! O Forte Noinyl foi...

As reações em volta foram bastante interessantes. Olhos arregalados, muitos deles olhando entre o meu rosto e o do mensageiro.

Na minha cabeça, eu...

(Graças aos céus eu estava certo... Fui poupado do embaraço.)

Fui tomado pelo alívio.

— ... Forte Noinyl foi tomado por um grupo se chamando de Cavaleiros Sagrados!

Dentro do alvoroço subsequente, eu falei para a Princesa:

— Fico feliz por ter resolvido nossos assuntos. Estaremos partindo para a fortaleza. Não se preocupe, nós atrairemos o inimigo para longe de vocês. Isso deve se provar pelo menos levemente vantajoso para Lorphys. Ah, e não precisamos de reforços nenhuns. Tenho certeza que vocês têm dificuldades como as coisas já estão. Essa chance que criamos para vocês... por favor usem bem.

Quando reuni todos os meus membros para deixar a câmara, uma voz me chamou de trás. Era o Dario.

— E-espera! Você entendo que você acabou de fazer!? Com isso, Lorphys e Zayin perderam todas as chances de evitar essa guerra! Isso é tudo responsabilidade sua!

De dentro da Joia, ouvi a voz do Terceiro se divertindo:

『Culpa do Lyle? Ahahaha! Não, não... isso é seu problema com Zayin, e você por acaso só facilitou um pouco que ele se posicionasse, então ele fez. E ele te deu aviso prévio, então isso não faz ele o correto? Que cruel. Mesmo com aviso prévio.』

(Aviso prévio, não é? Bem, eu disse a ele antes da informação chegar aqui, mas que crueldade.)

O Terceiro parecia estar se divertindo, sabendo que chegaria a isso. Ele realmente era um conspirador.

Eu sabia que havia preparado forças o bastante para a tomada. Mas nunca pensei que o mensageiro viria naquele exato momento.

Me virei, e ofereci minha resposta.

— Oh, está colocando a culpa em mim? Mas que perturbador... veja, eu não tenho privilégios ou obrigação nenhuma a Lorphys. Questiono se há uma necessidade de eu assumir responsabilidade. Pois bem, as coisas ficarão ocupadas a partir daqui, então estarei me retirando.

Enquanto deixava o salão, vi a Alette-san levantar seu polegar em uma posição que o Dario não podia ver.

Ela estava consideravelmente contente.

Mas as coisas realmente ficariam ocupadas.

— E agora, para o próximo movimento.

Eu me apressei para o próximo movimento.


Ei, se estiverem gostando do projeto e desejarem ajudar um pouco, vocês podem fazer isso acessando o link abaixo, solucionando o Captcha e aguardando dez segundos para ir à página de agradecimentos.

Podem acessar por aqui.

Ou Aqui.



Comentários