Volume 1

Capítulo 17: Atacados

Argh!

A voz duma Goblin ecoava dentro da caverna — Fule, a filha de Elvan, balançava desesperadamente sua picareta — querendo encontrar uma Pedra da Mudança: aquela que permitia a evolução de monstros.

No entanto, a tal pedra, não foi achada através de uma escavação aleatória. Ela estava num lugar específico; guardada no que parecia ser um pequeno santuário.

“Pensando bem, é bastante estranho haver uma única sala ali... E se, na verdade, houver algum tipo de ruína antiga, e aquela sala fosse apenas uma pequena parte dela?”

Com isso em mente, decidi voltar e inspecionar novamente a sala de pedra. No entanto, não consegui encontrar nada: nenhum artefato ou escrita.

Bem, não era como se eu fosse conseguir ler algo antigo de qualquer maneira — a única coisa que me restava fazer era continuar minerando.

Senti que Fule estava olhando para mim toda vez que eu escavava. Depois ela parou para limpar o suor da testa.

— Como... consegue minerar tão rápido? Você é humano, senhor Hiel?

— Sim, sou humano… um bem inferior também.

Hmm... Mas você pode usar magia. Isso não parece nada humano.

— Sabe, há momentos em que eu concordo com você…

Sem contar que 3㎡ de pedras sempre caíam a cada balanço vindo da minha picareta — isto não era algo que qualquer pudesse fazer.

Fule parecia estar entediada com um trabalho tão simples e por isso continuou a me fazer perguntas.

— Você não tem um pai, senhor Hiel?

— Eu? Er... eu tive um.

— Ele deve ter sido uma pessoa incrível.

— Podemos dizer que sim. Meu pai tinha a crista de "Governante Supremo". Isso lhe permitia elevar seu poder e suas habilidades, ah, não só dele, mas de seus soldados também. E por isso ele nunca perdeu uma guerra.

Não era só ele — meus irmãos também tinham cristas que eram consideradas impressionantes — por isso eu me sentia um fracasso perto deles.

— Hein… isso parece loucura. — Fule disse seriamente.

Ela provavelmente estava pensando que meu pai era muito forte. Entretanto, se compararmos nossas magias, eu já havia superado-o.

E, em primeiro lugar, Fule tinha esta mentalidade por causa de seu próprio pai, Elvan — ele era bastante forte — se tivéssemos que lutar com espadas, eu perderia facilmente. Na real, mesmo que fossem dez homens contra ele, ainda perderíam.

— Fule. Você está tentando se tornar mais forte que seu pai?

Hã? N-não…

De repente ela ficou quieta e voltou a balançar sua picareta. Ela era tão fácil de ler…

No entanto, querer superar seu pai, era realmente suficiente para criar tal obsessão em ficar mais forte?

No meu caso, apesar do meu pai e irmãos serem brilhantes, eu não queria ser melhor que eles — só gostaria de ser como todos os outros para não ser motivo de piadas.

Entretanto, com o meu atual corpo, eles poderiam olhar para mim como se eu fosse um monstro; na pior das hipóteses, poderia estar preso em algum lugar sendo considerado uma pessoa perigosa.

Felizmente, eu pretendia que esta ilha fosse meu lugar de descanso final, portanto nada disso aconteceria.

E assim continuei a mineração por algum tempo, quando de repente ouvi o eco das pedras se desmoronando atrás de mim — me virei, vi que Fule parecia muito surpresa. Aparentemente, ela havia cavado até achar uma grande área aberta.

Yey! Aposto que há algo aqui dentro!

Fule pegou sua tocha de Pedra Brilhante e entrou na área. Logo eu a segui e fui para dentro — o lugar tinha pelo menos dez vezes o tamanho da sala de pedra que eu havia descoberto — havia uma fila de estátuas gigantes.

Senti imediatamente uma sensação de pavor, e então percebi a  circulação de mana dentro das estátuas.

A detecção de mana: era uma habilidade automática que aqueles com grande poder adquiriam — e reagiu as estátuas.

— Espere, Fule!

Hã?

Eu rapidamente lancei — Escuto — ao nosso redor; tal magia era capaz de proteger pessoas de todos os tipos de ataque mágico ou não mágico.

Entretanto, não bloqueava tudo e não durava para sempre; muito dela dependia da força dos ataques.

No momento em que o escudo apareceu, as estátuas gigantes começaram a lançar chamas abrasadoras.

Fule ficou tão surpresa que caiu no chão. No entanto, por mais que as chamas se acendessem ao nosso redor, elas não penetravam o magia de proteção.

— Você está bem!?

— S-sim… Isso não é nada! — Fule respondeu como se estivesse tentando se convencer.

No entanto, suas pernas estavam tremendo. Bem, eu também fiquei assustado —  estávamos cercados por estátuas humanóides gigantes.

“Essas coisas… são Golens?”

Era muito provável que fossem.

“Mas, o Golem que criei não podia usar magia...”

Além disso, algumas das estatuas vestiam armadura — essas haviam começado a se mover em nossa direção, enquanto brandiam suas espadas.

Eu tinha certeza de que minha magia de proteção poderia bloquear alguns ataques, porém, se prolongasse muito, estaríamos em apuros.

Com isso em mente, usei magia de vento — Tempestade — na área ao nosso redor. Os Golens foram lançados ao ar e esmagados contra as paredes de mármore; no processo, foram despedaçados.

— O-o que eram aquelas coisas?

— Acho que são Golens. Você consegue se levantar? — Ofereci uma mão a Fule e a ajudei a se levantar.

— O-obrigada, senhor Hiel… — Ela falou e fez uma reverência. Mas, parecia bastante frustrada.

Pude ver também que ela mordia o lábio; provavelmente porque não tinha sido capaz de fazer nada.

— S-sinto muito. Eu não deveria ter corrido na frente.

— Tudo bem, eu também fui descuidado…

Ela realmente não era a culpada. Quem teria imaginado que Bonecos tão perigosos se escondiam aqui no subsolo?

Eu deveria ter tido mais cuidado, era muito perigoso deixar qualquer um minerar livremente aqui embaixo — caso houvesse outros lugares como este, quem sabe o que aconteceria.

Logo me virei e disse ao Shell para alertar aos outros que parassem de cavar — havia ensinado a ele uma série de sinais: quando se esticava formando um “X”, significava que você deveria parar de cavar — o Slime logo se foi.

Agora, eu tinha que investigar este lugar: olhei à minha volta.

Mas, pelo que pude ver, não havia nada nesta vasta sala de mármore a não ser os restos dos Golens: decidi inspecionar seus restos mortais. Havia cerca de uma dúzia no total e, cada um deles, tinha um Coração de Pedra.

— Senhor Hiel! Essa pedra é dourada! É uma Pedra da Mudança? — Perguntou Fule enquanto me trazia uma rocha brilhante e dourada.

A pedra dourada que havia encontrado no altar, era a Pedra da Mudança; eu havia contado a Fule sobre isso. E essa parecia semelhante.

Hmm... Vamos ver.

Pedi ao Conselheiro que nos explicasse.

〘Pedra de FeitiçariaMagia pode ser Vinculada a Ela. Pode também ser usada na Criação de Boneco.

“Se isso estava dentro dos Golens, explica como conseguiram usar magia… Alguém deve ter os criado.”

Er... Não é.

Ah… — Os ombros de Fule caíram.

Entretanto, no instante seguinte, ficou pálida.

— A-AAAaahhhhhh!!! — Ela gritou de repente. Logo me virei para ver o que era.

— O que fo—AAahhhhhhh!….. Ah, é o Mappa.

O que vimos foi o velho barbudo com apenas um pano na cintura.

No entanto, isso não nada incomum. Mappa tinha a tendência de vagar pelos túneis sem nenhuma fonte de luz; assim, não havia fim para os gritos de susto dos Goblins.

“Há quanto tempo ele tá aqui...?”

Independentemente disso, agora, o velho de saia, carregava alegremente uma espada prateada de 3 metros de comprimento de um dos Golens, como se ela não pesasse nada.


Recomendações:

A Vingança do Curandeiro: É uma Web Novel Japonesa de Fantasia e Vingança. Para quem curte O Retorno do Herói, deve gostar dela também.

O Lixo da Família do Conde: É uma Web Novel Coreana de Fantasia e Aventura. Para quem curte Ponto de Vista do Leitor Onisciente, deve gostar dela também.



Comentários