VOLUME 2

Capítulo 51: A minha avó quer vê-la

Acabou que os ensaios terminaram, mas Si Xia não foi capaz de completar a cena do beijo. Bem, nem todo mundo tinha o gosto estranho que Si Yehan tinha…

Depois de retornar ao dormitório, Ye Wanwan removeu a maquiagem e tomou um banho. Enquanto pensava no que poderia fazer para contornar a mesma situação amanhã, ligou o computador do quarto.

Quanto às aulas, não precisava mais se dedicar tanto aos estudos. Em vez disso, estava se preparando para comprar alguns livros e materiais online relacionados à indústria cinematográfica, como televisão, roteiro e direção. Iria tomar todas as oportunidades que tivesse de estudar sozinha. Afinal, passar no exame de entrada da universidade era só o começo, o seu objetivo final era conseguir de volta tudo que tinha sido tomado pelo seu segundo tio e Ye Yiyi.

Naquela época, tudo que fez foi reclamar com o seu pai, culpando-o por ser inútil e por ter destruído as suas chances de ficar com o Gu Yueze. Mas a verdade era que a pessoa que havia prejudicado toda a sua família sem saber era ninguém menos do que ela mesma.

Aconteceu que Ye Yiyi havia a enganado, dando um endereço de um lugar remoto enquanto usava o nome do noivo para atraí-la, e ao chegar lá, foi dado à jovem um remédio para deixá-la inconsciente.

Foi assim que o segundo tio ameaçou o seu pai para que ele passasse as ações da empresa, além de ter feito o mais velho admitir o crime de ter fraudado os fundos públicos à polícia. Se as condições não fossem cumpridas, eles iriam injetar drogas na filha, fazer vários homens estuprá-la e expor um vídeo dizendo que Ye Wanwan era uma prostituta viciada em narcóticos. Assim, ela perderia toda a reputação e dignidade.

Desde jovem, o pai sempre tinha mimado a sua filha e todos na família também a tratavam como um tesouro. Quando era mais nova, e estava estudando no exterior, ela quase foi morta em um ataque terrorista e aquilo tinha afetado demais a sua mentalidade. Os seus pais culpavam-se muito pelo que aconteceu. Depois de trazê-la de volta pra casa, eles redobraram o cuidado que tinham, como se ela fosse a maçã dos seus olhos*.

Talvez, tenha sido tamanha proteção que a tornou tão ingênua ao lidar com outros. O seu pai já a tinha avisado várias vezes para ser cuidadosa quando saía de casa sozinha, mas a garota se livrou dos seus guarda-costas e fugiu, tudo para poder passar tempo sozinha com o namorado.

Com todo o amor que sentia por Gu Yueze, como desistiria da oportunidade de ir em um encontro com ele? Sem mencionar que nunca dava ouvidos mesmo às suas ordens.

Quando o segundo tio estava ameaçando-os, os pais dela não hesitaram nem um segundo em protegê-la do mal, mesmo que tivessem que pagar o preço de abandonar toda a casa Ye para isso. E depois do que aconteceu, eles ficaram com medo da jovem descobrir e se sentir culpada, então nunca contaram a verdade a ela.

A sua estupidez continuou. Se o noivo não tivesse a chamado, ela não iria ter tomado aquela decisão séria de forma tão imprudente e causado tantas más consequências por causa do seu comportamento desobediente…

Depois que o pai perdeu o poder, ele não tardou em acabar com o noivado da sua filha com aquele homem terrível, e cortou todos os laços que tinha com a família principal na companhia.

Assim, Ye Wanwan fez de um lobo faminto* o seu verdadeiro amor, e dos seus amados, inimigos… Quando se lembrava disso, a mulher não podia deixar de sentir odio e desejar poder se estrangular até a morte por ter sido tão idiota por tanto tempo.

“Papai… mamãe… esperem por mim… irei retribuir o que fizeram a nós, um a um!”

O seu celular, inesperadamente, começou a tocar uma música. Si Yehan estava ligando. 

— Alô? — Tentou organizar o mais rápido possível a sua mente e ajustar o seu estado de espírito para que seus pensamentos sombrios não transparecessem na voz.

— Já acabou as aulas? — A voz sempre profunda e fria dele veio do outro lado da linha.

— Uhum~ acabou tudo~ E o ensaio também. Mas falando sério, o príncipe é tão feio. Durante a prática, eu quase vomitei! Tentei convencer a professora a fazer uma mudança, mas ela disse que não seria possível por ter sido um sorteio…  — Resmungando, Ye Wanwan propositalmente revelou o que estava fazendo na escola e os detalhes da peça, assim o homem não teria motivos para achar que ela estava escondendo algo dele.

O sujeito esperou com paciência enquanto ela falava. Apenas quando o silêncio reinou, que ele decidiu perguntar: — Vai estar livre neste sábado?

— Sábado? Acho que… não vou fazer nada em especial…

Os alunos eram permitidos a voltar para casa nos finais de semana. Caso Si Yehan quisesse que ela voltasse, a mulher não teria porque recusar. Ao pensar nisso, sua voz acabou soando nervosa.

Eram só dois dias, mas estava preocupada que não iria conseguir mais sair da mansão se entrasse de novo. Para ela, a sua liberdade era muito preciosa, e ainda tinha muita coisa que precisava ser feita, então se recusava a todo custo a voltar a ter a vida que tinha no passado.

— A minha avó quer vê-la. — Provavelmente, porque sentiu a agitação e a rejeição dela, a voz do indivíduo ficou um tom mais gelado.



Comentários