O Rei Preguiçoso Japonesa

Tradução: Thyros

Revisão: Gambetti


Volume 1

Capítulo 1: Acedia

Parte 1: Ah, isto é um Saco

Ah, isto é um saco.

Me desculpo pela pergunta repentina, mas você sabe sobre o conceito de reencarnação em outro mundo? Porque nunca ouvi disso até ter reencarnado, e não acho que seu uso era tão comum assim no meu antigo mundo, mas seu significado é como soa: ser reencarnado em outro mundo. Na maioria dos casos, a pessoa afetada retém o conhecimento de sua vida passada, e recebe algum tipo de poder especial ou alguma coisa.

Realmente não entendo isso, mas você começa um novo jogo com nova força. E não é como se eu fosse forte na minha vida anterior nem nada. Ah. Ha. Ha.

Por exemplo, nasci num planeta chamado Terra, num país chamado Japão, num lugar chamado Tóquio. Bem, duvido que você esteja interessado, então irei pular essa parte. De qualquer jeito, este mundo tem algumas pessoas assim distribuídas aqui e ali, e até que algumas delas possuem alguns ofícios importantes. Como Herói, aventureiro, santo, inventor, nobre ou coisas desse tipo. Pelo visto, essas pessoas frequentemente seguem esse padrão. Imagino como lidam com trabalhos tão pé-no-saco. Eles são assim como pedras normais no acostamento, e realmente não ligo, mas não posso deixar de ficar impressionado pela motivação deles.

Se você se perguntar o porquê de eu estar dizendo essas coisas…

***

O que?... Por que estou gastando energia movendo minha boca para dizer essas coisas sem sentido?

— A Maou¹ lhe deu uma ordem direta. Por favor vá e escreva um relatório decente!

Alto.

Incapaz de escapar a voz irritante no meu ouvido enfiei o cotovelo na cama, e me virei. Aquela reclamando na minha orelha era uma mulher cujas roupas eram todas feitas com preto como a cor base. A disposição dela era fria como a de uma boneca. Não há dúvida que ela é bem uma beldade.

Que inútil.

Enfio meu cotovelo no travesseiro para me erguer, e olho para a mulher com suas sobrancelhas cerradas para mim — a alguma coisa alguma coisa membro da brigada de cavaleiros da Maou, Rei da Destruição², Kanon, eu acho.

— E… que que foi mesmo?

— Um relatório! Sou eu quem devia ficar brava aqui, certo!? Mesmo quando nós fomos despachados ao mesmo tempo para todos os Lordes demônios, por que é que sou a única que ainda não consegue voltar…

Ah, coitadinha…

— Por favor pare de ficar zoando! Escreva. Seu. Maldito. Relatório!

Não entendo o que ela está tentando dizer. Por que tenho que fazer algo assim? Ah, meu braço está cansado.Mais uma vez caio no travesseiro. Gastei um pouco de energia numa coisa inútil.

Ela violentamente sacode meus ombros. Sua voz estridente é irritante demais. Levanto apenas minha cabeça, e olho para a mulher que devia ser enviado pela Maou. Pelo amor de Cristo, se você tem o tempo para fazer isto, vá fazer seu trabalho. Seu trabalho.

Oy, você. Vá escrever o relatório.

— O qu… o que!? P-por que eu tenho… em primeiro lugar, o que devo escrever…

— Deixo isso com você. Estou ocupado.

Peguei a coberta, mas a mulher segurou meu braço no que eu retorci meu braço nela. Droga, isso é um saco. Depois que disse esse tanto, ainda planeja me irritar? Estou cansado, sonolento e não ligo para isso. E espera, que tipo de relatório é esse que ela não para de falar?

— Em primeiro lugar, não foi você que disse isso!? Que escrever era um saco então você só iria falar e eu escreveria tudo!?

— Falar ficou cansativo... apenas escreve o que você quiser.”

Joguei a caixa quadrada que caiu do colchão. É meu selo oficial. Parece que tenho que carimbá-lo nos relatórios. É um saco ter que levantar para achar ele, então sempre o mantenho sob as cobertas. Não importa se ela escrever o que falo ou relatar o que quer que queira, posso ver que o conteúdo será ficção, então não tem sentido.

A mulher freneticamente mexe seu braço para pegá-lo, antes de encarar com uma expressão vazia.

— Então... até mais.

— O que!? Esper… de novo, isto é… levante!

Desta vez apenas ignoro sua voz  gritando e puxo as cobertas por cima da minha cabeça. Em alguns segundos, minha consciência vaga embora e a som dela falando vai sumindo lentamente. Minha mente escapou meu corpo. Umm, acho que tinha algo que eu devia dizer. O que era mesmo? Ah… meu nome. Sou conhecido como… Lazy Sloghterdolls³. Esqueci seja lá qual era meu nome no Japão faz muito tempo. Numa certa época, na Terra, eu era um Assalariado que dedicou suas horas para uma companhia, e agora, sou apenas um pobre Lorde Demônio ordinário que servia uma tal de Maou.


Parte 2: Eu sou um Pacifista

Deixe-me ser um pouco honesto aqui. Quando percebi que havia reencarnado neste mundo, meu primeiro pensamento era que isto era um saco. Isso foi tudo. Mas neste momento, acho que ao invés de ser um Assalariado na Terra, minha vida atual é muito mais fácil.

Isto deve ser porque fui um bom menino. É. Deve ter sido isso. Se não fosse o caso, então eu teria sido forçado à trabalhar pelas próximas décadas. Assim como os trabalhadores que existem por toda parte. Bem, provavelmente acharia isso um saco, e me mataria ao longo do caminho.

Em comparação, esta vida de outro mundo é extremamente fácil. Explicar com muitos detalhers é um saco, então irei apenas pular eles, mas do momento em que nasci neste mundo, não trabalhei por um único segundo da minha vida. Ainda assim, consegui obter uma vida bem confortável. É preguiça sem fim. Não há maior prazer do que isto. Ou no mínimo, para alguém que respeita os pobres, estou satisfeito com esta vida.

— Desempregado!? Sem experiência de trabalho!? Como você pode ser que um dos braços e pernas do Maou, se está apenas vagabundeando por aí!? Você só não quer trabalhar, não é?!

Neste momento, a única dor de cabeça que tenho é esta mulher que o Maou enviou. Não sei o nome dela. Uma beldade que adora gritar comigo. Se você está se perguntando suas características, acho que é isso aí. Ela só está um pouco mais alto que o resto do povo. Para mim, ouvir esses gritos é uma bela irritação. Para alguém calmo como eu, nós realmente não combinamos. Aposto que o Maou tentou enviar quem quer que fosse me irritar mais como uma forma de assédio.

— Qual era o problema mesmo?

Quando você compara o resto dos reencarnados neste mundo comigo, que nasceu como um demônio pobretão, acho que a única graça salvadora é que neste mundo era muito fácil de se viver. O valor de uma vida é só um pouquinho baixo, mas se você tentar um pouco, você pode aproveitar uma vida ociosa. E mesmo não tente, ainda é possível viver bem. Me sinto como um idiota por ter trabalhado pra caralho no Japão. Só posso dizer isso em retrospectiva, mas queria ter reencarnado mais cedo.

— É um Herói! Um Herói está atacando! Vê, agora é finalmente a hora para você levantar! Por favor saia da cama logo!”
— Eu sou um pacifista...

Não consigo entender porque ela é tão enérgica. A menina ergue ambos seus braços acima de sua cabeça, e faz um pedido enquanto me olha com olhos frios. Troca, troca. Por favor me dê uma mais decente. Iria adorar ter alguém que não me acordasse toda vez que eu estivesse quieto dormindo. Ela continua me acordando em horariaos irregulares, então sempre estou com falta de sono.

Está tudo bem se ela tem motivação, mas gostaria que pensasse em todas as pessoas que são diferentes. Quando você está com tanto pique, acaba gastando seu tempo inutilmente fazendo hora extra. Ah, acabei de lembrar de um superior que trabalhava na minha divisão. Apesar de que esqueci o nome dele.

— Pacifista!? Esse Lorde Demônio é um Pacifista!? Vermes finalmente chegaram no seu cérebro podre!? Esta é uma ordem direta! Ordem direta do Grande Maou! Você entende o significado disso? Ele pessoalmente lhe despachou, e isso devia ser uma honra…”

Eu entendo. Honra. Mas não consigo derrotar este sentimento sonolento.

— Troca. Troca. Vá trazer o atendente preguiçoso que eu tinha antes.

Eh? Troca?

— Sim. Troca. Você barulhenta. Odeio isso.

— O queeeeeeeeee?

A menina arregalou seus olhos num gesto exagerado. É possivel ver as veias saltando da testa dela.

A pessoa na minha frente é um demônio. Também sou um, assim como o Maou. No entanto mesmo que você os categorize sob um nome, há vários tipos, e ainda somos divididos por atributo. Isso significa, esqueço o número, mas é aquilo… você sabe, a coisa que aperece em nas religião da Terra, lenda, mangá ou qualquer coisa. Você provavelmente ouviu falar disso. Hm… certo, Ira, ou Decadência ou coisas assim… aquele coiso com sete ou oito coisas. Soa realmente pomposo.

— Meu predecessor se aposentou! Ele disse algo sobre Preguiça ser algo lamentável de se ver! Entende o que isso significa!? Olhando para você, um Lorde Demônio, ele ficou cansado do próprio atributo! Ei!

— Entendo.

— Entendo!? Sua impressão é "entendo"!? Uma palavra? Apenas uma palavra!? Ah, dane-se tudo. Pro inferno com este homem!

Era um tópico que eu não tinha nenhum interesse.Em primeiro lugar, não me lembro do rosto do outro cara. Apenas que tudo era bem mais quieto do que é agora.

Eu sou um demônio. Meu atributo é Preguiça. Depravação e resignação, fuga e decadência, suspensão e estagnação, inércia e desânimo. Um Lorde Demônio que governa esse tipo de coisa.

Debaixo das cobertas, dou uma espiada na subordinada do Maou.

— E você acha que é o suficiente… para fazer alguém como eu agir?

Ku… este homem está…

Não quero me gabar, mas sou um homem que consegue dormir por quanto tempo eu quiser. Isto não é só porque sou um demônio. Era assim antes de ser reencarnado também. Para poder viver, fui forçado a trabalhar, mas nos meus dias de folga, dormia o tempo todo. Por causa disso, não tenho memória de quando, onde ou como morri. Acho que isso me faz mais sortudo do que todos aqueles reencarnados que foram atingidos por um caminhão ou esfaqueados por algum assassino.

Bem, agora, eu não me importo nem um pouco.

A menina ainda está gritando tentando dar ordens. Ser um Lorde Demônio é como ser um senhor feudal, então acho que não é algo fácil.

— Vá relatar o que vou dizer para Kanon.

Com esta uma frase, a menina ficou quieta. Depois de tudo, acho que ela ainda é uma profissional, já que foi pessoalmente enviada por esse Maou. Então isso é o esperado. Dito isso, finalmente me determinei à retornar ao mundo dos sonhos mais uma vez, e de novo, a menina tenta arrancar minha coberta.

— Espera... espera um maldito segundo!! Você não disse nada ainda, por que está indo dormindo de novo!?
— Adivinhe...

Se eu ficar sério, não tem como um demônio deste nível ser capaz de ficar no caminho do meu sono.
Sinto o futon, meus braços e meu cabelo sendo puxados, no que deixo minha mente cair no abismo. Caio nas profundezas daquelas trevas pacíficas.


Parte 3: Não é como se eu fosse um NEET nem Nada

Não quero me gabar, mas não é como se a única coisa que eu fizesse é dormir. Quando fico com fome, como, e quando é hora para limpar, de fato saio da cama. Certo, só não trabalho. Não é como se eu fosse um NEET nem nada.

— Você realmente é o pior... Isso é o que sociedade chama de NEET.

— Eu estou com rendimento de capital.

— Não, não é como se você estivesse vivendo deste jeito de graça nem nada, certo!?

Não, para mim, isso meio que parece grátis. Não estou muito preocupado sobre isso, mas se possível,  prefiro minha cama sendo macia. E então, quando vem para limpar, de fato saio dela. Para uma mudar de ambiente,  já pensei em mudar meu quarto vez ou outra, mas não quero andar no corredor, então a ideia foi rejeitada. Não estou assim tão desesperado por uma cama fofinha. A maior razão pela qual estou grato por ter renascido como um demônio, é que, não importa o quanto durma, nunca fico com dor de cabeça.

Dou uma grande espreguiçada depois de levantar da cama e me sento numa cadeira resistente feita de madeira. É minha favorita. Aparentemente tem uma grande história por trás dela, e é bem valiosa, mas não sei muito disso. Quando me reclino e deixo ela balança para frente e para trás, é como se eu fosse um bebê sendo ninado para dormir num berço. Isso me deixa feliz.

— Ei, enrole aquilo envolta de mim.

— Sim. Como você deseja, meu senhor.

A empregada que veio limpar tem um sorriso claro em seu rosto enquanto traz a coberta para cá. É isso. É assim que você devia estar tratando a existência chamada de Lorde Demônio. Não é qualquer um que consegue esse título. Tenho meus próprios vassalos, e alguma terra. Isso é tudo foi dado pelo Maou, mas não tô nem ai pra isso. O que é essencial é que as pessoas que ele me concedeu todas cuidam bem de mim.

Não quero me gabar, mas não consigo limpar, cozinhar ou lavar roupa. A única coisa que faço é dormir.

Agradeço, depois dela enrolá-lo ao redor da cadeira. E no que eu estava relaxando desse jeito, a subordinada do Maou me mandou voando. Ela investiu na cadeira com uma quantia incrível de poder. Flutuei no ar por um tempo antes de cair de cabeça na parede.

Que poder. Toda vez que ela me acerta,  começo a me lembrar da minha vida passada como um humano, e confirmo o fato que este é, de fato, outro mundo.

É só minha imaginação, ou a forma com que ela me trata está ficando pior e pior?

— Ah… meu senhor!? Está tudo bem!?

Sim.

— Pare de ficar de brincadeira!

A menina bate o pé em frustração. Com apenas essa ação, o chão que supostamente está protegido com uma barreira da mais alta classe começa a ranger. A expressão dela é como a de um demônio.

Hm, quando foi que ela chegou aqui mesmo?

A empregada me ergue pelas axilas, e me coloca de volta na cadeira e enfia o dedo na seguidora do Maou.

Já que ela é minha súdita, obviamente, também é um demônio. Não sei o atributo dela. E, acrescentando, também não sei o nome dela. Sou horrível em lembrar nomes das pessoas. Na maioria das vezes, apenas não tenho qualquer interesse.

— Aquela que deveria parar é você, Lize Bloodcross! Mesmo que seja uma supervisora enviada diretamente pela Kanon-sama, sua atitude diante do nosso Lorde Demônio vai além do que poderia ser chamado de rude!

Entendo. Então o nome dessa menina é Lize. Falando nisso, tenho a impressão que ela se apresentou quando tinha acabado de chegar aqui.

— Que diabos você está falando!? É porque serem assim, que aquele Lorde Demônio ali nunca tem quaisquer intenções de trabalhar!

Nem eu podia ficar quieto depois de uma afirmação dessas.

— Não, mesmo que eles não estivessem aqui, eu nunca teria intenção de trabalhar, sabe.

— Como esperado do Lazy-sama!

A empregada está me olhando com olhos brilhantes de admiração. Imagino se ele percebeu que eu não sei o nome dela. E me pergunto que parte de mim ela está admirando. Bem, tudo isso não importa.

Com sentimentos de resignação, eu fecho meus olhos.

— Espere… não durma! Você não acabou de acordar!?

— Lize, o Lorde Demônio está dormindo! Por favor fique quieta!

Haaaaa!? Por que todos vocês são tão moles com este Lorde Demônio!? E espera, como essa coisa virou um de qualquer forma!? Tudo que ele faz é dormir!

Ah, ela é barulhenta. Isso é um saco. Há uma abundância de demônios, mas poucos Lordes Demônio. O método para determinar quem é um é simples.

Classe: Lorde Demônio

Aqueles que tem isso são considerados Lorde Demônio. Classes são um conceito que não existia no meu antigo mundo, mas para dizer simplesmente, é como sua ocupação. Subindo de Classes, humanos são capazes de acessar vários superpoderes incompreensíveis… várias formas de algo chamado Skill. Não sei os detalhes, e não entendo em que sistema funcionam e não se existe um sistema, para começo de convessa. O que importa é que por xeretar na sua classe, você pode conseguir usar alguns poderes convenientes, e isso é tudo. Mesmo sem qualquer esforço.

Ainda mais, reencarnados geralmente acabam com algumas especiais. Como Herói, Salvador ou Sábio. No meu caso, eu nasci com Demônio como minha Classe. Depois de alguns anos vivendo uma vida depravada, ela virou Lorde Demônio antes que eu tivesse notado. Ter trocas é aparentemente algo que acontece o tempo todo. Tenho a impressão que tinha algum critério sobre quem iria avançar, mas realmente não me lembro.

De qualquer jeito, no fim, me tornei um Lorde Demônio sem colocar quaisquer esforço e do nada fui capaz de usar alguns poderes livremente. Nesse sentido, dar uma resposta para a pergunta dessa menina seria fácil. Me tornei um por não fazer nada além de dormir. Foi sem querer. Isso é tudo que eu posso dizer, e não tenho quaisquer respostas além disso. Mas será um saco, então não falarei.

— Lorde Demônio Lazy Slotherdolls! Como um membro da Ordem do Preto pessoal do Maou, comando você em nome de Kanon! Lidere sua Legião, e siga para a Prisão de Chamas. Traga ruína ao Lorde Demônio que foi contra nós, Granzer Esther!

— Não quero.

Por que? Por qual razão eu iria até algum lugar aleatório por algum cara que não conheço?

— Huh? Você planeja recusar uma ordem direta sob o nome do Maou? Você verdadeiramente entende o significado de tal ato?

— …

Não ligo para isso, então ia responder: "nem ideia". Contudo, senti que isso deixaria as coisas complicadas, então fiquei quieto. É um problema de personalidade. Não acho que alguma vez conseguirei vir à um entendimento com esta mulher. Odeio coisas sem sentido, e odeio coisas problemáticas ainda mais. O que amo é dormir e tempo livre, não ligo para mais nada.

Chamo pela empregada nos observando e digo uma única palavra.

— Euvo.

— Entendido...

A empregada curva a cabeça de forma respeitosa. Com passos silenciosos, ela saiu da sala. Finalmente fechei meus olhos mais uma vez, somente para sentir minha cabeça ser batida de novo. Foi uma demonstração incrível de força. Minha cadeira favorita foi esmagada em pedaços abaixo de mim e trincas se espalharam pelo chão quando cai.

Os braços da menina eram finos. Quase tão grossos quanto os de um fracote como eu. No entanto este é um mundo de fantasia, então, aparentemente, aparência e poder são desproporcionais. Ela respira pesadamente enquanto levanto olhos. Dou uma olhada nela, e como minha cadeira foi esmagada, deito no chão onde estava.

Não posso voltar para a cama ainda. Ela tem que airar. E subir na cama é um saco. A mulher me encarou com uma expressão embasbacada no que eu me larguei no chão.

— O-o que!? V… você é… r-ruim assim!? Q-que tal você tentar dizer algo ao menos?

Ela é uma mulher muito problemática. Especialmente a parte onde inmediatamente recorre para violência. Deixe-me adicionar que é uma seguidora direta de Kanon, então é muito mais forte que um demônio normal. Existem vários ranques entre os Demônios, e para chegar até Lorde, há várias posições. Dentre isso, a posição que logo abaixo de um Lorde Demônio… acho que ela tem tanto poder quanto um General. Não há duvidas de que este é um mundo de fantasia, mas, por conta da separação por ranque, acredito que não há quase nenhuma uma diferença entre este mundo e aquele lá. Bem, acho que o habilidade dela merece isso, mas… continua um saco.

— Eu sou contra violência.

Ela segurou minha gola e balançou para frente e para trás. Ali está a forma de uma pequena mulher ameaçando um homem muito maior. Mas no fim, com algo assim, interromper meu sono é... impossível.

— O que? Vai fechar seus olhos numa situação dessa!? Impossível, irracional, que diabos há com esse Lorde Demônio!?

Meu rosto começou a ser estapeado, e levei alguns golpes em umas áreas que doiam. Ela usa um gancho no meu queixo para me colocar no ar, e continua com um belo combo de chutes. Seus movimentos fluídos em bem polidos, me dando a ideia que esta mulher é bem acostumada a espancar humanos.

Esta aqui… mesmo depois de mudar de emprego, não está mostrando qualquer perdão. As ondas de choque emanando de cada golpe rasgam a coberta e penas voam por todo lugar como se fosse um exibição.

Vou enviar a nota para aquele Kanon… claro, não serei eu que a enviarei.

Mas no fim, tentando interromper meu sono só com isso é… impossível. Não é como se eu fosse forte contra dor ou qualquer coisa. Simplesmente não estou levando dano algum. Uma diferença entre aqui e Japão é que algumas coisas daquele mundo foram colocadas sob algo chamado HP, siquinifica que, enquanto isso não cair, meu corpo não receberá quaisquer feridas, e não sentirei dor alguma. Chutes normais e skills iriam derrubar meu HP, mas existe um status chamado Vitalidade… quanto maior o seu é, menor é o dano. O mundo inteiro é construído de parâmetros e, usando eles, você pode fazer uma clara comparação calculistica. É bem cansativo

E apesar de tudo, ser um Lorde Demônio faz minha Vitalidade ser estupidamente alta. Toda vez que a mulher me acerta, minha ela entra no caminho, e meu corpo está levando menos dano do que se eu fosse ser espancado por um bebê.

Isto está me deixando com sono. Mas ela com certeza é irritante. Qual será o atributo dela? Minha curiosidade foi um pouco atiçada.

— Ei, você. Qual o seu…

E ali, soltei um suspiro profundo. Caí no chão, e rolei para o lado e desviei o olhar.

— Não. Pare. No. Meio. Da. Frase!!!!

Realmente uma mulher barulhenta. Não tenho tanto interesse assim em você, sabe. Abri minha boca porque senti vontade, mas no meio do caminho, percebi que não me importo. A sola do pé dela desceu no indefeso eu numerosas vezes. Minha cabeça está sendo chutada por aí como uma bola de futebol, e finalmente, ela pressiona sua espada contra meu rosto.

Vira esse negócio para lá. Não que eu esteja com vontade de dizer isso, mas… Alguns minutos mais tarde, depois de se esfalfar, tudo que sobrou era a subordinada do Maou que usou toda sua energia, e a minha pessoa, que não levou dano algum.

Hahhah… este homem… tinha ouvido sobre isso, mas… e-ele é difícil…

Claro. Já que minha Vitalidade é alta, posso dormir sem ligar para meu ambiente. Temperaturas altas, baixa, veneno e até paralisia. Todos os outros problemas de status, assim como as status anormais não funcionam contra mim. Não é como se eu tivesse nascido desse jeito, é uma Skill possuida por aqueles com a Classe Lorde Demônio. Mas os explicar os detalhes é um saco de explicar, então não vou falar.

A mulher abriu sua mão, e encarou sua própria palma em espanto.

— Então este é… o Lorde Demônio da  Acedia…

Observe de perto, e testemunhe. Agora se ajoelhe perante ao meu poder. E, se não for pedir demais, por favor fique quieta. Lhe asseguro que este é o caminho que fará todo mundo feliz.


Parte 4: Preguiça e Depravação

Mesmo que não deseje pelo meus status, enquanto eu for um Lorde, eu tenho meus próprios subordinados… meus vassalos. Sou o inimigo natural da humanidade e, em um país ou outro, alguns seguidores do deus alguma coisa me veem como seu nêmesis. Devo adicionar que poucos outros demônios e Lordes Demônio estão atrás de mim por razões egoístas também. Para resumir, tenho montes de inimigos. Mesmo que não tendo feito nada.

É tudo o efeito ondular do sensacional Kanon declarando dominação mundial, dominação celestial, dominação infernal ou algum outro objetivo desnecessariamente grandioso. Se eu não tivesse quaisquer homens, do jeito que não gosto de lutar, provavelmente estaria morto.
Todo trimestre, alguém com a Classe Herói ou Salvador tenta um ataque, e, uma ou duas vezes por ano, soldados celestiais vem para me assassinar. Uma vez ou duas por mês, sou arrastado para alguma guerra acontecendo no Inferno. É um saco. Eu nunca luto, então sou visto como um dos Lordes Demônio mais moderados. Acho que esse mundo está no seu fim.

A seguidora do Maou, que parece se chamar Lize, tem seus braços cruzados enquanto me encara com uma expressão desagradável.

— Lorde Demônio, Lazy Slotherdolls. Pelas suas conquistas na Prisão de Chamas na guerra contra o Lorde Demônio Granzer Esther, sob o nome do Maou Kanon, você foi promovido para o Terceiro Ranque, e foi recompensado a poderosa Lâmina Demôniaca Celeste.

— Entendo.

Isso não é algo que me importa. Ela relutantemente entrega a espada e eu a jogo para o lado sem nem olhar. Não preciso de uma espada. No entanto não é como se quisesse um Escudo ou algo assim, e claro, não quero nenhuma medalha. Não ligo para status também. Tudo que quero é tempo livre para descansar.

AAAAAAAH, o que você está fazendo com a espada que Kanon-sama enviou pessoalmente!?

Em um piscar de olhos, Lize pega a espada e a abraça com força se fosse um artefato precioso enquanto me encara. Nem sei a diferença entre uma Lâmina Demôniaca e uma normal e mal saio da cama, então nunca vou ter oportunidades para usá-la. Até uma faca de cozinha teria sido mais útil. Bem, também não a usaria, mas…

— Eu não posso aceitar isto... Porquê diabos você está recebendo uma promoção! Você nem fez nada!

— Nem ideia.

Isso é algo que você devia perguntar para sua mestra. Aposto que seria um uso muito melhor do seu tempo. Apenas encontrar o olhar dela ficou cansativo, então caio de cara na cama. Lize destruiu de forma esplêndida a outra, então essa é novinha em folha. No começo, busquei pela minha antiga, porém isso não realmente me incomoda mais. Tudo que preciso é de sono.

Nem sei a razão da minha promoção e não sabia meu ranque anterior em primeiro lugar. Não faço ideia se Ranque Três é alto ou não. Tudo isso não importa. Contudo , talvez porquê estavesse insatisfeita com minha atitude, Lize começou a bater o pé. Não sei só quanto tempo se passou desde que chegou aqui, mas minha impressão dela como uma beldade foi esmagada até não sobrar nem um traço. Acho que é verdade que você pode se cansar de beleza. A única coisa vejo agora é o lado irritante dela, e também estou me acostumando com esse.

— Não pense que não sei! Aquele liderando seu exército foi Deije, o Usurpador! Ele estava conduzindo um ataque com o exército do Granzer!

— Entendo.

Quem diabos é Deije, o Usurpador? Bem, isso não importa. Não estou tão interessado. Lize solta um suspiro enquanto olhava para minha cara. Assim como eu estava me acostumando com ela, acho que ela também estava ficando acostumada comigo. Esse é o poder da adaptação humana.

— Foi uma estratégia esplendida. Aacho que os boatos que o exército do Lazy, o Depravado, era o mais forte, eram verdade. Eles esmagaram as forças de Ganzer como se fossem crianças… consigo ver porquê Kanon-sama está permitindo seu atual comportamento.”

— Entendo.

— Você sequer está me ouvindo?

— Entendo.

Viro meu corpo mais uma vez e seguro o travesseiro de corpo que tinha a minha altura. Eu amo dormir, mas também amo rolar por aí depois de acordar. As sobrancelhas de Lize subiram depois dela coloca o travesseiro longe. Não tinha o que fazer, então abracei a coberta no lugar.

— De qualquer jeito, só fui enviada para lhe observar pelo Maou, mas deixe-me dar um conselho. Como um Lorde Demônio, você deve presentear alguma coisa para Deije por seus serviços distintos.

— Isso mesmo… quem é Deije mesmo?

? Poderia ser que você não se lembra nem dos membros da sua própria Legião?

Esse é o tipo de coisa que a Preguiça é. E não tenho qualquer interesse no demônio conhecido como Deije. É um pouco problemático, então… apontei para a espada que Lize estava segurando tão preciosamente.

— Darei essa espada para ele.

— Hah? Você está falando sério? Não importa quão distinto ele seja, você vai dar a Lâmina Demôniaca concedidapelo Maou para um Demônio qualquer?

— Não preciso disso. Se fosse alguma roupa de cama, então talvez eu considerasse.

Um colchão novo, ou talvez um travesseiro, ou até um substituto pela cadeira que foi brutalmente destruída. Kanon é até generoso, então aposto que ele irá preparar algo legal.

— Bens divinos… tesouros dos deuses… mesmo que seja um Lorde Demônio, acha mesmo que um Demônio como você poderia usá-los?

Era a primeira vez que eu vi Lize me olhanda como se estivesse vendo um monstro. É, sem dúvida, um mal entendido, mas corrigir ela seria um saco.

— Isso mesmo.

— Entendo… então você não é só algum vagabundo qualquer…

Vagabundo… esta menina diz algumas coisas interessantes. Bem, ela pode dizer o que quiser.  Não tenho nem um interesse pelas palavras dela.

Me viro mais um vez. A coberta é quente, e pesada, passando uma sensação de segurança. Tendo realizado tudo que eu quis fazer, bocejei profundamente e fechei os olhos.

Ah, pera ai, chefe Lazy.

Que pessoa barulhenta. É sempre assim. Toda vez que eu tento dormir, todo mundo me atrapalha. Não ligo, vou dormir de qualquer jeito.

— Ei, Lorde Demônio. Esse é o Dezy.

Como falei antes, quem diabos é esse?

Eu rolo meus ombros, e me esforço para erguer minhas pesadas pálpebras. Na minha frente estava um único homem. Ele era um largo e musculoso, seu rosto sem barba era como uma máscara lisa e, além disso, possuía um largo par de chifres curvados. Entretanto sua característica mais proeminente eram seus braços, três de cada lado, num total de seis. E na cabeça um total de seis olhos brilhantes. Na boca repugnantemente distorcida dele, havia duas longas presas.

— Quem diabos é você?

— Você é o mesmo de sempre, Chefe Lazy… eu sou Dezy Breindark. Estou encarregado da terceira brigada da sua Legião.

— Entendo…

O demônio masculino que se proclamou ser Dezy tinha um tom distante que não combinava com sua aparência. Então este é o cara que Lize estava falando sobre… entendo… É. Não ligo.

— E eu te conheço?

— Claro, chefe. Foi você que me colocou para cuidar da terceira brigada em primeiro lugar.

— Entendo...

Estou um pouco curioso sobre quantas brigadas tenho, mas, de qualquer jeito, ele parece ser uma pessoa bem importante. Meus instintos estão me dizendo que o Demônio chamado Dezy possuía um pouco de poder.

— Aquele que ignorou a oposição da garota Midia, e me apontou como líder da terceira brigada foi você, chefe. Mas acho que você nunca muda.

Quem é essa Midia? Olhei na direção de Lize, porém, ela não parecia estar confusa sobre isso, acho que essa menina é alguém bem conhecida no meu exército. Bem, não que isso importe. Nomes, existências, poderes e todo o resto. Nada disso importa. Apenas façam o que quiserem.

Esfreguei minha cabeça no travesseiro enquanto eu falava para o Dezy.

— Euvo.

— Sim, é uma honra responder as expectativas do Chefe.

Dezy se abaixa. Vendo isso, Lize inclina sua cabeça.

— O que exatamente esse "Euvo" deveria significar?...

"Eu" deixarei isto para "vo"cê. "Eu" estou satisfeito com "vo"sso trabalho.

É uma frase que diz os dois ao mesmo tempo. Especificamente agradecer ou ordenar pessoas acabou sendo um saco, foi essa a ideia. Dizendo isso o tempo todo, uma hora eles vão interpretar como quiserem, então é bem conveniente. Mas responder seria um saco, então apenas a ignorarei.

— E, de novo, por que está aqui?

Ah, isso pode ser presuntuoso, mas queria saber se o chefe decidiu ou não me dar uma recompensa. O que você acha?

Não acho nada. Nunca liguei para isso. Tudo que é importa para mim é a buscar por um sono mais confortável que o anterior. Olhei para Dezy com olhos frios. Claro, era um saco, então não falei minha opinião.

— Irei lhe dar aquela espada.

Nas minhas palavras, Dezy deu uma olhada na espada que Lize estava carregando. Seus olhos brilharam vermelhos como uma besta carnívora que acabou de avistar sua presa. Ele lambeu seus lábios antes de virar os olhos de volta para mim.

— É uma honra grande demais para mim, chefe. Mas pensei que seria outro item… isso não quer dizer que eu não quero a espada nem nada. Como você pode ver, tenho seis braços aqui, então…

— Dezy, seu cretino! Sendo apenas um Demônio qualquer, você planeja dizer que a espada que o Maou enviou não é o suficiente!?

Ergo minha mão para parar Lize, que ficou furiosa. O travesseiro de corpo que ela está segurando começou a rasgar, parece que vai estourar a qualquer momento, então eu apreciaria se ela parasse. É barulhento. É um saco. Ela não pode fechar a boca por um segundo? Só quero dormir aqui.

Parece que o atributo dele é Ganância. É natural para ele querer mais. Dezy com a Ganância e eu com a Preguiça nunca teremos um conflito de interesse. Recuperei meu travesseiro de Lize e o coloquei sob minha cabeça. Viro meus olhos para os padrões contorcidos no teto enquanto respondo.

— Peça o que quizer.
— Sim, então seria possível para eu ter outro dos Bonecos especiais do chefe?”\

Isso está um pouco fora das minhas expectativas. Se fosse algo que eu tivesse em mãos, não teria problema, mas fazer um boneco novo iria ser um pouco trabalhoso.

— Isso parece um saco.

— Eu lhe imploro, pode ser do tipo mais básico, então…

Essa ganância podre. Parece que esse cara não irá embora a não ser que eu faça algo para responder aos desejos dele ou o mate. Imagino qual daria mais trabalho, acabar com ele ou fazer um boneco. Já faz um temo, mas parece ser verdade que ele fez um bom serviço. Se ambas opções levarem a mesma quantia de esforço, então acho que lhe darei um boneco.

Olhei pela sala e peguei o castiçal da cabeceira mais perto. Ele tinha um design parecido com o de um esqueleto. Isto é um saco, então vamos terminar logo isso. O joguei para o Dezy de uma vez. Ele aceitou sorrindo de orelha a orelha e checou o objeto com suas seis mãos.

— Chefe, esse aqui não tem uma alma.

É porque eu não dei uma.

— Seria melhor se tivesse?

— Você gosta mesmo de brincar... Um boneco sem alma é apenas um item. O que estou pedindo é por um dos seus Bonecos de Massacre.

— Entendo.

Acho que vou ter que colocar algum esforço, se não ele não vai embora. Não tem o que fazer. Vamos apenas acabar logo com isso. Bocejei enquanto apontava meu dedo para o esqueleto sem alma.

Eu usei uma skill.

E com isso, uma presença começou a emanar do boneco. Um dos meus poderes de Lorde Demônio era habilidade de conceder vida para bonecos. É uma das skills que me especializei. É assim que ganhei os Bonecos de Massacre como título.

— 'Tá feliz agora?

— Sim, estou muito feliz por ganhar isso. Você poderia também conceder um nome para ele?

Dar um nome é uma importante cerimônia para um Demônio. O nome é cravado no corpo, e não é um exagero dizer que o nome dá caminhos para novos poderes. Mas por que é que eu tenho que fazer algo assim?

— Se você conseguir mais algumas conquistas, eu considerarei esse pedido.

Ki ki ki, entendido. Farei meu melhor para não bater as botas lá fora.

Ele ri numa voz rangida, antes se virar. Acho que é o esperado de um Demônio governando pela Ganância, mas eu realmente não me importo. Com uma expressão séria, ele toma a espada das mãos de Lize, que apenas observou a troca como um espantalho.

— Ok, então, chefe. Pedirei por outra audiência quando eu conseguir alguns méritos.

Depois de uma única, profunda reverência, ele deixou o quarto. Não, você não tem que vir de novo. Eu lhe darei o que você quiser. Você não tem nem que me pedir. Eu deixarei isso para você. E então, só me deixa quieto. Depravação e Preguiça. Essas são as únicas razões pela minha existência, e são tudo que eu desejo.


Notas:

1 – Maou significa Rei/Rainha Demônio, apesar das traduções sempre falarem como rei…

2 – Rei da Destruição é um título, mas é uma mulher.

3 – Bonecos de Massacre, mantive em inglês porque como sobrenome fica melhor e faz mais sentido.

4 – Uma frase usada em certos clubes para trocar por outra mulher .

5 – Economia, basicamente é viver de aluguel ou herança ou algo assim. O termo literalmente traduzia como rendimento não merecido, porque não vem de seu trabalho.

6 – Senhor no sentido de senhor feudal.

7 – Lize Cruz de Sangue.

8 – Roupa de Cama tem uma pronuncia parecida com “Armamentos Divinos” no japonês.

9 – No original, era Yoha, em inglês ficou Iyo, e eu fiz meu melhor deixando Euvo.



Comentários