Dominação Ancestral Brasileira

Autor(a): Mateus Lopes Jardim

Revisão: BcZeulli


Volume 1 – Arco 2

Capítulo 144: Vencendo como combinado(1)

— Extraiu... Não, na verdade...

Kether e Chokmah agem como se algo impossível tivesse acontecido.

— Não foi uma extração e sim um auxílio. Ele usou das minhas propriedades para chegar a conclusão.

A coroa se acalma, mas ainda está atônita.

— Não é para isso que cada um de vocês servem, para poder auxiliar ele com suas propriedades específicas?

— Naturalmente, mas Mythro é um caso à parte. Kether só tinha que ser libertado no décimo reino, não no primeiro. Malkuth tinha que vir primeiro, para dar a ele “reino”, e então Yesod com fundamento, e assim até Kether, que é o topo da Sefirot. Mas o poder Lorniano dele era muito maior que o Caennmico, e Malkuth por ser algo contrário a Kether, instigaria um crescimento muito maior no sangue e alma arfoziana do que a NOVA, e continuaria crescendo até que tudo que é NOVA nele se despedaçasse e matasse ele por falta de equilíbrio. Kether decidiu intervir, se selando infinitamente para poder harmonizar seu crescimento. A resistência corporal que ele tinha antes de ter você Ammit, é exatamente essa.

!!!

— Então foi Kether...

Gornn agora entende porque parecia que seus poderes eram conflitantes e não conseguiam ser usados de maneira completa e harmônica, havia mais Yin do que Yang! Sempre houve mais Yin do que Yang em Mythro, mas no seu nascimento diversos fatores deixaram seu crescimento Yin muito mais latente, como por exemplo, o próprio abismo que era o exato local onde a Raiz Moribunda estava enterrada.

— Para conseguir usar as propriedades de uma forma segura, devem haver dois. Eu sou o primeiro do pilar da misericórdia e Binah é a primeira do pilar da Severidade, um restringe o outro, e ao mesmo tempo, torna possível a coexistência cósmica. Então para poder usar parte de mim sem que haja retaliação...

— Será que ela conseguiu?

— Quem conseguiu o que Kether?

— Aquela menina NOVA. Mythro ficou sabendo dela e você despertou, então... Ela deve ter feito o que os Ravonianos, Polorighs, Zotnianos e os outros três fizeram... Ela é a sétima, não. Em sua época... Ela foi a primeira.

Olhos se arregalam, e sobrancelhas saltam. A linha de raciocínio de Kether não podia ser mais clara.

A vó de Mythro tornou os NOVA em “Sui Generis”!

— Tch, tch, não é à toa, não é à toa... As grandes majestades que se sacrificaram pela sua descendência eram todas próximas a ela. Ela deve ter feito algo depois que entrei em hibernação.

— Como eu não fiquei sabendo disso?

— Eu sou o topo das emanações, vocês são subservientes à mim, não o contrário. Se existe algo que eu não queira que saibam, vocês não saberão. Além do mais, nem eu me lembrava. O sacrifício feito até hoje foi de seres que estavam prestes a se tornarem Senhores de Deuses, e desistiram da verdadeira eternidade para trazer majestade a sua descendência. Aquela mulher já era uma Quasi-Progenitora quando se sacrificou. Ela se tornou uma Sui Generis com a mais alta Sefirá.

Kether ri histericamente na área Jing.

— Quando eu sai do Torá para acompanhar a dualidade desse moleque, pensei que ele ia explodir, pois minha cosmicidade jamais conseguiria ser colocada em um vaso tão fraco e minúsculo, mas na verdade, este é o melhor vaso para mim! Ótimo, removerei um selo, e vamos ver como você responde...

Ammit tenta impedir Kether, mas Chokmah aparece em sua frente. Tudo que está vivo em Mythro treme, desde Mer até Caos.

**

O pequeno NOVA estava consolidando a cultivação de maneira rápida e firme. O próximo cristal já estava se formando. Ele possuía um cristal naturalmente feito por ele, e um que foi criado pela sua doação de cultivação a Núbia, Suife e Grásio.

De repente da sua alma, uma energia não conhecida antes por ele começa a vazar. Ela começa devagar como um pequeno furo em uma barragem, mas depois é como se algo simplesmente tivesse cortado a barragem ao meio, causando sua destruição completa.

Uma dor igual a de ter seu corpo transformado por Ammit começa a se alastrar, não, ainda maior! Por estar conectado aos seus, a dor se transfere e começa a atacar os outros cinco. Yibang e Yabang possuíam uma ascendência grandiosa, mas eles eram jovens e jamais se machucaram. A dor é tão repentina que faz suas plumas caírem ao chão como se elas tivessem desistido de pertencer ao seu corpo.

Sangue espirra de todos pelas narinas, orelhas e boca. Mythro por já ter passado por algo assim antes, consegue agir rápido e retrai as linhas cármicas. Mas diferente do que ele pensa, eles tentam segurar as linhas para não deixar ele sozinho.

— Tolos, Kether enlouqueceu!

O Qi de fogo acumulado se solidifica e se estabelece na cultivação, um novo cristal é criado e ajuda com a dor. Não foi somente para Mythro que um cristal foi criado, e sim para todos com exceção de Yibang e Yabang que não tivera suas cultivações dadas a eles pelo pequeno NOVA, mas, ainda assim seus Asteroides são Ars! O mais alto nível de asteroide de uma raça divina.

Os reis e anciões olham para seus asteroides de olhos vidrados. O que eram aqueles?

Os “Escorpião Ardente” criado nas formações se viram e encaram a cena. Todos se juntam em um e correm para a formação de Mythro. Ele pula na formação e começa a se desintegrar, transferindo sua energia para o pequeno NOVA.

Palavras ecoam na cabeça de Mythro.

“Aquele que herdou a vontade dela... é digno de minha ajuda...”

A extrema dor cai novamente, mas ainda é algo no nível da dor da fusão com Ammit.

“Vontade? Louvor da Vontade?”

O Leão Rubro agarra uma de suas pernas, suas poderosas garras fincando em sua própria pele.

Chokmah se coloca em uma pose e uma esfera cercada com a imagem do universo, seus planetas, estrelas e matéria-escura o rodeia por completo, até que sua silhueta seja engolida pela imagem.

As árvores que foram criadas para a Major de Fogo e Espada sob o Sol não se mantém e caem. Uma semente sobra delas e voa até a árvore do pequeno NOVA.

Uma transformação ocorre, e a duas mudas começam a crescer perto da árvore principal. O tronco de todas as árvores se torna dourado, e suas folhas e raízes azuis como sangue arfoziano.

Indo contra o senso de dor inimaginável que percorre em sua alma, o corpo de Mythro expande e fios rúnicos começam a aparecer, era o poder de Ammit suprimindo que o corpo do menino rasgasse.

O Qi de fogo antes abundante para todos se foca apenas em Mythro, a pose estelar se morfa por conta própria e começa a se mover trazendo mais Qi de fogo do que quando os reis e anciões juntos a canalizavam.

A aparência do Escorpião toma o lugar do ritual, e suas garras passam pelos poderosos homens ali na pose estelar, roubando suas energias cósmicas para nutrir um único grupo!

Mais um cristal aparece para os seis, e mais um já começa a se formar para Yibang e Yabang.

A runa de fogo de Mythro brilha no seu dedo, e toma o próximo passo. Seus olhos irradiam pura energia dourada, que faz todos na região sentirem que algo sagrado estava em sua presença, algo...

— Divino... Um ser divino...

Munica Yulang sente que suas pernas desapareceram, e apenas seus olhos estam ali observando tudo. Ela sente que todo seu corpo, até seus órgãos pararam suas funções, com exceção do coração, apenas para poder não sujar a energia que acabou de emanar.

— Isso, foi para isso! A própria estrutura do Ouro Verdadeiro foi confinada nas almas dos NOVAs e pode ser usada como uma fonte renovável, vindo direto da alma. Mas essas emanações indicam que ainda há um maior caminho a ser percorrido, um novo tipo de Verdade(Verum)! De todos os Sui Generis existentes, de todos os Qis criados por seres não progenitores, este é o mais poderoso, o Qi que eu, Kether fui vaso de criação. Eu, o caminho direto pra divindade e majestade infinita, junto com o ser mais forte que existiu após os primevos, usando o seu próprio “Aurum Verum”(Ouro Verdadeiro) como essência! A essência da NOVA mais poderosa que já existiu após Xinma Zumb'la!

O Qi retrai nas órbitas do pequeno NOVA e se armazena no dourado de seus olhos, os deixando como verdadeiros faróis.

Mais um cristal é criado para Mythro e aqueles que tiveram suas citações doadas por ele. Para Yibang e Yabang duas no total são feitas, contando com a que estava se consolidando.

Todos olham com rostos fantasmagóricos a situação, jamais imaginada nem em seus sonhos mais loucos.

A árvore se desfaz e também a imagem do Escorpião Ardente. Mythro e os seus estão em posições de cultivação, compreendendo os mistérios de sua recém ascensão. Mythro que tinha 2 cristais, agora tem 5. Núbia, Grásio e Suife tinham 1, e agora possuem 4. Yibang e Yabang possuem 4 também. Mas isso logo muda, um impacto de energia treme as linhas cármicas e três novos cristais são criados, fazendo com que os três primeiros companheiros do pequeno NOVA alcancem o quinto cristal.

As posições duram mais alguns minutos até que as linhas desaparecem e eles se levantam. A máscara de diamante cobre o menino e todo o sangue retorna para o seus respectivos corpos ao comando de Mythro.

— Pronto, venci como combinado. Nos vemos no dia do leilão.

Raico, Suta, Mirmo e Mirmo II descem da pose estelar e acompanham o pequeno NOVA saindo como se algo ordinário tivesse acontecido. Mas suas cabeças estavam criando formas de como perguntar sobre os eventos ocorridos sem serem desrespeitosos.

— Trapaça!

O filho do patriarca do clã Pira Anímica grita.

— Não seja idiota criança. Tudo o que envolveu esse ritual tinha a mais alta classe de cultivadores do oeste, se tivesse havido qualquer tipo de trapaça, não acha que saberíamos? O que nós vimos hoje foi apenas um talento... divino...

Todos ficam quietos com o que Munica diz, pois era tudo verdade... Tudo que aconteceu ali estava mais do que na cara que foi uma grande coleta de fortuna. A própria constelação se moveu para o ajudar, isso foi um reconhecimento cósmico!



Comentários