Volume 1

Capítulo 17: Uma aventura na Floresta Goblin (Parte 3)

Tiana ergueu seu cajado e lançou um feitiço, e como o nome indicava, atirou vários espinhos de gelo.

Depois que o ataque furtivo foi um sucesso, Nick e Karan pularam para atacar… Ou pelo menos esse era o plano.

“Ah?” (Karan)

“…Sim, todos eles morreram” (Nick)

Os espinhos de Tiana perfuraram os crânios dos goblins.

“Hum, vamos seguir em frente?” (Nick)

Tiana, nervosa, usou novamente.

“Não é como se eu estivesse bravo… Mas parte do motivo pelo qual estamos aqui, é para testar nossa força, então deixe o próximo grupo para mim e Karan” (Nick)

“E-Entendi.” (Tiana)

Então, Tiana encontrou o próximo grupo de goblins. Eram cinco, perfeitos para a vanguarda.

“Eu irei.” (Nick)

“Tudo bem, eu vou te seguir.” (Karan)

Karan ergueu sua ‘Dragonbone Sword’, mas era muito grande, o que certamente tornaria difícil se mover na floresta por causa de todos os obstáculos em seu caminho.

Nick correu em direção ao bando de goblins, para fazer algo sobre os que escapariam, mas aconteceu algo que ele não esperava.

“AAAAAAHHHH!!!” (Karan)

Karan soltou um grito agudo enquanto derrubava os goblins, que foram cortados ao meio como se fossem gravetos.

“Uaaaaghh!!” (Goblins)

Dois caíram para este ataque, enquanto os outros três tentaram fugir.

Karan fixou os olhos neles e respirou fundo.

Três bolas de fogo dispararam da boca de Karan. Era uma técnica especial da raça dos dragões, .

Com a proteção divina do dragão de fogo, Karan pode usar .

Ela podia controlar sua respiração, então ela poderia lançar um fluxo contínuo de fogo, ou atirar bolas de fogo separadas.

“Tudo bem! Acabou!”

Os goblins foram queimados até ficarem crocantes quando as bolas de fogo de Karan os atingiram.

Nick não teve tempo para fazer nada.

“Ooh, isso foi incrível” (Tiana)

“Movimentos maravilhosos.” (Sam)

Tiana e Sam parabenizaram Karan pelo trabalho bem executado.

“Incrível.” (Nick)

“Sim! Deixe a vanguarda comigo!” (Karan)

“Isso foi fácil… Eu sou o único que não fiz nada, certo?” (Nick)

Até este ponto, Nick não fez muito e estava se sentindo muito desleixado.

Mas os outros não viam Nick da mesma maneira que ele se via.

“Eh? Temos confiado em você o tempo todo… Certo?” (Tiana)

“Sim, também me sinto mal por isso.” (Karan)

“Sim, está certo.” (Sam)

Nick inclinou a cabeça.

“Sério?” (Nick)

“Sim. Como escolher dungeons e definir objetivos… Sem você, não teríamos sido capazes de tomar decisões. E também…” (Tiana)

Enquanto Tiana falava, ela começou a contar nos dedos as coisas que Nick vinha fazendo.

 

***

 

Nick falou sobre muitas coisas no caminho para a dungeons. As características dela, geografia, quais monstros aparecem e como lidar com eles, mas também coisas mais comuns e conhecimento geral sobre a Cidade do Labirinto.

“Esse é uma túnica muito boa, Tiana.” (Nick)

“Sim. Bem, foi fornecido pela escola…” (Tiana)

“Coloque algo mais em cima para escondê-lo. Se as pessoas começarem a pensar que somos ricos, isso levará a todos os tipos de problemas.” (Nick)

“Eh?” (Tiana)

“É problemático quando quem assume o trabalho está mais bem vestido do que as pessoas que oferecem ele. Não é apenas a túnica, o mesmo vale para armas e armaduras.” (Nick)

“Ah.” (Tiana)

Tiana percebeu alguns erros em seu passado. Ela era rejeitada em todos os lugares que ia quando respondia a ofertas de emprego para feiticeiros, e sempre usava essa túnica nas entrevistas.

Ela entendeu que não era apenas porque havia muitos feiticeiros procurando trabalho, ela mesma estava afastando as pessoas.

“…E-eu terei cuidado.” (Tiana)

“Hn? Você não tem que ser tão dócil sobre isso… E Sam…” (Nick)

“O que foi, Nick?” (Sam)

“Não sei se você percebeu isso, mas… Ao usar uma batina estando sem a cruz, você está basicamente dizendo a todos que foi excomungado. Você deve usar outra coisa ou entrar em um templo de outra seita para pegar uma de suas cruzes” (Nick)

“Eeh!?” (Sam)

Ele também falou sobre o que procurar enquanto descansava em seu destino, etiqueta na cidade e o que fazer quando eles encontrassem monstros. As aventuras de “Survivors” foram construídas com base no conhecimento de Nick.

 

***

 

“…Então você não deve se preocupar tanto.” (Tiana)

Tiana disse, e Nick inclinou a cabeça ainda mais.

“… Não é tanto quanto você faz parecer. Na verdade, eu deveria estar agradecendo por me ouvirem quando falo tanto.” (Nick)

Nick estava ciente de que falava demais, seu antigo grupo garantiu que ele soubesse disso.

O seu antigo grupo tinha uma característica ruim, seus membros eram um mestre de armas, um cavaleiro de escudo, um samurai, um arqueiro e um guerreiro leve, todos de tipo ataque físico.

Com essa party, eles nunca passariam do rank B, mesmo se os membros fossem, individualmente, tão bons, ou mesmo melhores que os aventureiros de rank A. Na verdade, era de se admirar que eles tivessem chegado ao rank C sem um feiticeiro e confiando totalmente apenas na força.

Nick era o membro mais fraco dessa equipe e estava um ou dois passos atrás quando se tratava sobre ter o poder de derrubar monstros. É por isso que ele se ofereceu para cuidar de todos os tipos de tarefas, e trabalhou para preencher a lacuna deixada pela falta de um feiticeiro. As contribuições de Nick foram todas boas, mas os outros membros odiavam ouvir o que fazer, especialmente de alguém mais fraco como ele.

Para não incomodar essas pessoas, ele comprava ervas medicinais e itens mágicos, elaborava planos para explorar as dungeons e fazia todos os tipos de tarefas com antecedência. Tentou fazer com que fosse mais fácil para eles, se apenas o escutassem, mas ele ainda ouviu reclamações. Por isso era tão fácil para ele explicar as coisas às pessoas que realmente ouviam o que ele tinha a dizer. Ele também foi o guia perfeito para esta party com dois aventureiros novatos.

“E quanto a você, Karan? Tem coisas sobre as quais você sente dificuldade?” (Nick)

“E-eu?” (Karan)

Karan estava confusa.

“…Estou um pouco confusa.” (Karan)

“Sobre o que?” (Karan)

“Na minha party anterior, ninguém nunca me perguntou o que eu pensava. Eles apenas diziam que estavam contando comigo, e eu fazia o que eles pediam” (Karan)

Nick franziu a testa com a explicação de Karan.

Nick achava que Karan sabia muito pouco, considerando sua experiência. Até Sam e Tiana foram um pouco melhores.

Ela não se lembrava muito das dungeons de nível iniciante como a Floresta dos Goblins e o Portão Pegajoso, e não conseguia nem obter os materiais dos monstros após derrotá-los.

Os aventureiros normalmente não eram assim. Mesmo se eles fossem um pouco fortes, um aventureiro tinha que saber o básico ou seria uma desvantagem para o grupo mais tarde.

Por outro lado, se não iam ficar muito tempo na party, e o plano era enganá-los e matá-los, seria conveniente mantê-los na ignorância.

Nick estava enojado com o pensamento de pessoas assim, e Karan entendeu mal a sede de sangue na expressão de Nick.

“D-desculpe.” (Karan)

“Não é sua culpa…” (Nick)

“Tudo o que posso fazer… é lutar.” (Karan)

“Bem, sim. Mas, só ser capaz de lutar é ruim.” (Nick)

Karan pensou que Nick estava com raiva dela e tristemente abaixou a cabeça, mas ficou surpresa com o que ele disse a seguir.

“Então lembre-se disso. Vou te ensinar o que puder, mas não vou mimá-la.” (Nick)

“…Sério? Isso não é fácil de ensinar… ” (Karan)

“Sim, não saber poderia ser um problema. Você se lembra quando decidimos formar uma party e eu disse para você duvidar de mim?” (Nick)

“Sim.” (Karan)

“É preciso conhecimento e inteligência para duvidar, então você precisa chegar a esse nível logo. Você precisa saber quando alguém está agindo de forma estranha ou dizendo algo que não faz sentido. Isso é necessário para estar nesta party, entendeu?” (Nick)

Lágrimas começaram a brotar dos olhos de Karan, e Nick se arrependeu de ter dito isso.

“N-não, quero dizer, não precisa ser imediatamente. Não é como se a gente fosse te descartar, ou algo assim…” (Nick)

“N-não é isso.” (Karan)

Tiana encolheu os ombros para um Nick em pânico.

“Não seja tão insensível. Prepare-se, líder.” (Tiana)

“O-o quê…? De qualquer maneira, me desculpe, Karan.” (Nick)

“E-está tudo bem. Vamos continuar nossa aventura!” (Karan)

Karan gritou energicamente.

Pela primeira vez desde que deixou sua cidade natal, Karan queria se tornar uma verdadeira aventureira.

Ela não estava sendo tratada como uma cliente ou presa, e a sensação de que ela pertencia a isso enchia seu coração.



Comentários