SRVF – Volume 5 – Capítulo 15


CAPÍTULO ANTERIOR

Hoje o Palácio estava mais movimentado que o habitual. Dizem sempre haver uma calmaria antes da tempestade, mas parecia que desta vez a tempestade chegou primeiro. Quem poderia estar no meio dessa tormenta…?

— Supatifila-san, o que exatamente está acontecendo?

Os empregados do Palácio estavam mais ocupados que o normal, além disso, era estranho o Lahsa ainda não ter aparecido portanto decidi perguntar a única mulher que continuava parada próxima a nós.

— Não posso falar os detalhes, mas digamos que uma pessoa muito importante está para chegar.

— Uma pessoa muito importante? Eu não vou contar a ninguém, então me diga.

— Perdoe-me, mas não posso fazer isso.

— Eu também estou curiosa. — Mesmo Iris queria saber o que estava acontecendo, já que fazia alguns dias que não víamos o Lahsa.

— …Se Iris-sama insiste tanto assim, acho que não tenho escolha. Eu direi a vocês.

“Por quê!? Existe tanta diferença de tratamento assim entre a Iris e eu!? E o que você quer dizer com ‘tanto assim?’ Ela só pediu uma vez!” — Eu estava muito ciente dessa diferença de tratamento, mas o que tinha feito de errado?

— O chefe da casa Dartanel e seu filho estarão vindo. Já faz um bom tempo que eles vêm fazendo uma requisição pouco razoável, mas desde que os dois decidiram vir pessoalmente, é provável que estejam planejando pressionar o assunto.

— Qual solicitação?

— Não posso dizer.

— Por favor, Supatifila-san.

— Se Iris-sama insiste tanto assim…

“Objeção! Parece que há uma questão muito mais importante a ser resolvida primeiro!”

— Eles têm apelado ao Rei para receberem o posto de Primeiro-Ministro. Deauville-sama é um homem realmente capaz, portanto o Rei acha que não há necessidade de substituí-lo, mas já que os dois estarão vindo pessoalmente, é possível que a Família Dartanel tenha encontrado uma oportunidade. Desse modo, o Príncipe Lahsa e o Príncipe Arc tiveram que ir ao local do encontro oficial.

— Por que ele não nos contou sobre isso?

— Provavelmente não queria que o senhor se envolvesse, Kururi-sama.

Se minha memória não falha, o pai de Eliza estava fazendo algo de ruim por trás dos panos. Se eles usarem isso e aplicarem também pressão econômica, poderia ser que obtivessem sucesso. Lahsa não queria nos envolver, no entanto, isso não era algo o qual pudesse ficar de fora, afinal este acontecimento seria um importante ponto de virada na história original do jogo.

“Eu também quero estar presente. Isso é algo que mudará por completo a minha vida, então preciso ao menos ver isso com meus próprios olhos.”

E assim, enquanto pensava isso, um Cavaleiro de rosto familiar entrou na sala, como se fosse o desejo dos céus que isso acontecesse. Tratava-se do primeiro cavaleiro que conheci quando fui ao alojamento deles anteriormente. 

— Kururi Helan-sama, você está sendo convocado para uma audiência. Por favor, venha comigo. 

— Eu…? 

— Sim, o senhor. 

Embora fosse um evento que mudaria a minha vida, eu não estaria relacionado diretamente com ele, então por quê? Mesmo Supatifila-san não entendia o que estava acontecendo. Tudo o que eu conseguia sentir era ansiedade, mas já que era desejo meu estar presente, decidi acompanhá-lo.

 

 

◇◇◇

 

 

O salão do Rei era o local onde as audiências oficiais foram realizadas. Não se tratava de um lugar o qual o público em geral pudesse entrar e, claro, eu nunca estive aqui antes. Após ser devidamente inspecionado para verificar se alguma arma estava comigo, fui guiado até o local sem ter conhecimento algum da razão de ter sido convocado. 

Os atores centrais já estavam presentes no salão. No trono, muito ao fundo, sentava-se o Rei, ao seu lado, estavam os dois Príncipes e o Primeiro-Ministro, Eyan Deaville. Um pouco mais distante, havia um homem e um rapaz jovem. Provavelmente se tratavam da dupla de pai e filho da casa Dartanel.

Nos dois lados da passagem para o trono, os cavaleiros se alinharam próximo àqueles dois. Até mesmo a figura enorme do líder dos cavaleiros também estava aqui. Acredito ser impossível tentar prejudicar a realeza neste local, embora não ache que alguém com essa intenção exista aqui. Mesmo se houvesse, não pude ver qualquer brecha na segurança para que pudessem fazer isso. 

Prosseguindo, fui guiado até ficar ao lado do chefe da família Dartanel. Estava realmente tudo bem eu ficar aqui? 

— Muito bem, parece que todos os envolvidos foram reunidos. Vamos dar início agora — disse o homem no trono. 

“Em outras palavras, o Rei mas… Eu conheço essa pessoa. Definitivamente. Sim, eu o conheço!!”

Não pode ser. O homem com quem deslizei pelo banheiro, discuti o quão atraente Iris era e também aquele que me revelou tudo sobre o exército da Capital. Eu jamais poderia esquecê-lo. Sim, definitivamente foi aquele homem velho com quem deslizei junto. Eu não seria capaz de esquecer aquela cabeça loira. Então o cabelo loiro do Príncipe Arc vinha de seu pai…

— Ah… — Murmurei por acidente. 

Era impressão minha ou os olhos do Rei pareciam estar me provocando?

— Primeiramente, gostaria de agradecer ao Rei por ter cedido a mim e ao meu filho algum tempo!  

O homem de bom porte físico ao meu lado, disse com um tom de voz elevado. Será que ele comandava pessoalmente os seus negócios? Como esperado de uma poderosa família mercante, sua voz era admirável. 

— Tudo bem, no entanto, meus filhos, e além disso, meu convidado ruivo não possuem muito tempo livre, portanto apresse-se e diga o que deseja. 

“Convidado ruivo? Eu acho que sou eu. Ah, isso é um alívio, eu realmente sou um convidado… mas Brau Dartanel me convocou? Por quê?” 

— Então farei exatamente isso! 

Agora que olhei de perto, o filho estúpido ao lado desse homem também era alguém que conhecia. Ele havia sido o remetende da carta que me foi enviada no outro dia. Uma pessoa que me respeitava e admirava, além disso, eu já o conhecia muito antes disso. Tratava-se do infeliz que fora espancado pela Iris no baile de máscaras. 

“Então é esse pobre coitado, hein? Não é de se espantar que o Lahsa não goste dele. Fora que este cara ainda comprou briga com o Príncipe Arc…”

Por qual razão esse importante membro da família Dartanel veio aqui? Seria pelo requerimento que a Supatifila-san tinha falado? Então eu deveria ficar do lado de Eyan Deaville a qualquer custo. Não simpatizo com ele ou qualquer coisa, no entanto, Eliza já era uma pessoa importante para mim. Lutarei o máximo que puder para protegê-la. 

— Primeiramente, aquela raposa usando uma máscara de humano ao lado de Sua Majestade. Não posso deixar de me sentir ansioso deixando a política do país para uma raposa. Há também um boato de que o país vizinho, Ammrale, está fazendo algum tipo de movimento. Portanto, Alteza, não deixe uma pessoa tão incompetente ao seu lado por tanto tempo. 

Uma súbita requisição extremamente direta. Tão direta que temia que aquilo se transformasse em uma briga. Ficou bem evidente o desgosto na face do senhor Deaville. 

— Eyan Deaville é um homem que considero digno de estar ao meu lado. Mesmo sem a sua opinião, não creio que meu julgamento esteja errado.

— Será realmente assim? O Rei é extremamente generoso e ignora os pequenos erros de seus súditos, entretanto, mesmo que seja algo pequeno para o Rei, pode não ser assim para cidadãos fracos como eu. Há muitos funcionários do governo realizando más ações, especialmente Eyan Deaville-dono. Ele é o pior de todos. 

“Como eu suspeitava, ele foi pego!” 

O pai de Eliza não mudou sua expressão, mas ele provavelmente tinha muito a pensar sobre isso. Tudo que peço é que permaneça assim. 

— Você não é uma pessoa fraca, não concorda? 

— Não, não. Neste lugar, sinto-me como uma inocente lebre cercada por animais selvagens. 

— Que seja, mas mais importante, você possui provas de que Eyan esteja fazendo más ações como diz? Não posso deixar de ver essas alegações unilaterais como um mero desejo egoísta.

— Sim… é claro que possuo — ou assim eu queria dizer — mas, como esperado do Primeiro-Ministro, ele não deixaria qualquer ponta solta. Vamos apenas dizer que seja apenas uma questão de tempo. Mais cedo ou mais tarde, obterei provas e lhe mostrarei, Alteza. 

— Entendo…. Para alguém que solicitou tanto o cargo de Primeiro-Ministro, essa foi uma reivindicação bastante impotente. 

— Temo que tenha sido mesmo. Eu não sou uma pessoa tão gananciosa, mas tenho a confiança de que poderia fazer melhor do que os outros. Se Sua Majestade me permitisse, eu faria este país prosperar, assim como fiz com meus negócios. É um apelo ao meu amor pela pátria. 

“Então, exatamente o que esses caras vieram fazer? A posição de Primeiro-Ministro deve estar bastante sólido ainda….” 

— Sua Majestade, claro que essa foi a primeira coisa a qual quis tratar, mas tenho outro assunto importante para discutir hoje. Por favor, dê-me um pouco mais de vosso tempo. 

— Eu não acho que você partirá até conseguir algum resultado, por tanto prossiga.

Ele limpou a garganta, se preparando para entrar na questão principal. 

— Peço desculpas por tê-lo convocado até aqui, Kururi Helan-dono. 

— …Eh? Eu? 

O Rei e o chefe da família Dartanel estiveram conversando até agora, mas, de repente ele se voltou para mim. Será que eu me tornaria a chave central do próximo assunto? Se assim for, eu precisaria ter cuidado com o que dissesse. 

— Sim. Estou muito grato por ter um pouco do seu tempo, próximo chefe do Território Helan. No entanto, hoje devo falar diante de Sua Majestade sobre o seu crime. 

“Se eu não ouvi errado, ele acabou de dizer crime? Meu crime? É que minhas bochechas são muito charmosas? Eu acho que minhas nádegas gelatinosas também são muito pecaminosas.” 

— Sua Majestade! Hoje, gostaria de informar a todos quão perigosa é essa pessoa chamada, Kururi Helan!

— Então é isso que está atrás. Você está falando sobre o próximo chefe do Território Helan e um convidado importante do Palácio, escolha suas palavras com sabedoria. Caso contrário, você sabe quem será o único a cometer um crime, correto? Agora fale.  

O Rei disse algo que poderia até ser considerado uma ameaça, mas apesar disso, o homem chamado Brau Dartanel e seu filho, não mostraram sinais de pânico. 

“Por que eu estava sendo almejado por eles…? Não lembro de lhes fazer qualquer mal. Quanto ao meu pai… Certamente não, certo?”

O Rei parecia estar do meu lado. O Lahsa olhou para mim de forma preocupada. Quanto ao Príncipe Arc… —  “Eu não sei o que ele está fazendo, mas será que ele iria me salvar de uma pitada? Eu não entendo muito bem os sentimentos desse cara.”

— O crime de Kururi Helan-dono, na verdade, é um crime muito primitivo, feroz e incivilizado. Meu filho foi espancado por ele no outro dia. Pelo que ouvi, foi uma luta muito unilateral… 

Ah, aquilo… Seu rosto acabou coberto de sangue, afinal. Mas não fui eu quem o bateu, sabe? Além disso, temos justiça do nosso lado.

Eu levantei minha mão, a fim de registrar a minha objeção. 

— Fale. 

— Obrigado. É verdade que o agredi. No entanto, algumas informações importantes foram omitidas. Como Fregen Dartanel-dono tentou sequestrar minha amiga, Iris Palala, tive de usar a força para impedir isso. 

— Você tem algo a dizer sobre isso? 

— Não consigo imaginar meu filho fazendo algo assim. Pode ser questionável vindo de mim, seu pai, mas meu filho é muito educado e popular entre as garotas. Todos os dias, recebo cerca de 10 propostas de casamento das mais belas mulheres do reino para meu filho. Então não consigo imaginá-lo fixado em uma mulher qualquer e tentar sequestrá-la. Além disso, pelo que ouvi, essa garota, Iris, é a filha mais velha de uma família muito pobre. Não seria mais natural pensar que ela tentou ganhar dinheiro e fama ao se aproximar do meu filho? 

— IRIS NÃO É ESSE TIPO DE GAROTA!

Acabei perdendo a calma. Se ele quisesse me acusar de algum crime, estaria tudo bem, mas não havia a necessidade de sujar a honra dela dessa forma.

— É assim mesmo? Embora seja uma plebeia, ela entrou em uma academia especial para nobres. Não posso deixar de pensar que haja segundas intenções nisso.

— Ela entrou normalmente. Havia uma oportunidade, então a Iris deu o seu melhor para conseguí-la. Será que a sua desconfiança não vem do fato de que, se Brau-dono estivesse na situação dela, agiria com segundas intenções?

— Hmph! Que impertinente!

Provoquei ele com algumas palavras e o meu olhar. Se eu não fizesse isso, senti que acabaria explodindo de raiva, mas agora precisava aguentar isso. Se não mantivesse a calma, ele iria pensar que eu era alguém que pudesse levar pelo nariz.

— Meu filho teve dois dentes incisivos e as maçãs do rosto quebradas. Aqui, possuo o relatório oficial do médico.

Mostrando ao Rei, seu filho também mostrou os dentes com um sorriso. Seus dois dentes da frente foram substituídos por dentes de ouro… O chute da Iris foi tão forte?

— O Fregen foi o primeiro a me bater. 

— Onde está a evidência? Pelo que posso ver, não há sinal de qualquer ferimento em Kururi Helan-dono. Se dois jovens lutarem de maneira justa, certamente o resultado não sairia unilateral. Meu filho não revidou enquanto era violentamente agredido. Além disso, houveram testemunhas também. Se for necessário, devo chamá-las?

— Você tem testemunhas bastante convenientes. — O Rei falou por mim.

Ele provavelmente guardava com carinho a lembrança de nós deslizando juntos no banheiro.

— Parece que Sua Majestade está dando apoio à Kururi Helan, mas saiba que esta pessoa é muito perigosa. Ele cometeu um ato sem coração de violência contra alguém que carrega o futuro da nação em seus ombros. É inevitável que algo assim possa causar a preocupação ao povo. Por favor, Alteza, dê-lhe a punição apropriada pelo ocorrido com meu filho.

O Rei ficou em silêncio por algum tempo, parecendo estar pensando em algo. Talvez sobre o meu castigo? Se assim for, isso era um mal sinal. Eu não sentia a menor culpa por minhas ações. Além disso, se eu fosse punido, seria muito difícil viver na alta sociedade.

— Sua alegação unilateral é tão forçada que não sinto vontade de acreditar nisso, apesar de que sua habilidade para forjar histórias seja louvável. Infelizmente, também não posso acreditar nessa sua testemunha conveniente.

— Entendo…

— Kururi Helan não é culpado. Não vejo nada além disso.

— Haa, se Sua Majestade diz isso, então deve ser verdade…

“Justiça existe. Neste país, neste Rei, há justiça. Tenho certeza de que viverei muito bem nessa nação.”

— Eu não queria dizer isso, mas, como chegou a esse ponto, não posso evitar. Isso pode tornar o crime de Kururi Helan-dono mais pesado, mas tenho que relatar sobre isso.

Pensei que ele tivesse aceitado a derrota, mas como se voltasse à vida, uma nova acusação contra mim foi feita. Na verdade, seu rosto dizia que era onde tudo realmente começava.

— Primeiramente, posso trazer a prova?

— Se for necessário, então que assim seja.

— Muito obrigado. Eu tenho alguém segurando-a do lado de fora do corredor. Traga isso! 

A pesada porta do salão se abriu e um homem baixo entrou com algo coberto em um pano. Depois de entregá-lo ao Brau Dartanel, o homem saiu imediatamente.

— Todos, por favor, olhem para isto.

A coisa que ele tirou de dentro do tecido era uma espada. 

“Isso é…”

— É uma espada. Cavalheiros, por favor, não sejam tão cautelosos. Eu sou inábil em manuseá-la, de qualquer forma. Antes de tudo, quero que todos olhem para essa espada. É uma espada famosa e muito rara.

Eles foram muito cautelosos. Um dos cavaleiros também desembainhou a espada, mas foi impedido pelo Rei.

— O que há de mais nisso? Certamente, é uma espada muito bem feita pela aparência.

— Primeiramente, você reconhece essa espada, Kururi Helan-dono?

“Mais do que reconhecê-la…”

— Fui eu que a forjei.

— Sim, exatamente. Você é uma pessoa extremamente habilidosa. Pelo que ouvi, recentemente foi aceito como um dos Dez Excelentes Ferreiros.

— E daí?

— Esta espada, você se lembra de dar a alguém?

— Para outro membro das Dez Excelências, o Zeni Geba. Foi uma espada que fiz usando a técnica que ele me ensinou. Para mostrar minha gratidão, a dei a ele.

— É o suficiente. Não foi muito diferente da minha investigação. Sua Majestade, a pessoa mencionada anteriormente, Zeni Geba — Saishin Ubstol-dono — está agora na maior prisão da Capital, a Prisão de Kudan.

“Zeni Geba está na prisão!? Por quê!?”

— Saishin Ubstol. Eu já ouvi esse nome antes. Se não estou errado, ele é um homem de negócios muito habilidoso. Por que essa pessoa está na prisão? 

Então o Rei também o conhecia. Agora que pensava nisso, o Cérebro de Ferro comentou anteriormente que ele estava negociando um título de nobreza. Por que uma pessoa tão habilidosa e abençoada estaria na prisão?

— Parece que Saishin Ubstol matou um de seus discípulos. Com esta espada!

A espada que ele mostrou foi a espada mágica que eu havia forjado antes. 

“Ele matou um discípulo… Zeni Geba…”

— Essa espada, pelo que ouvi, não é uma arma comum. Há uma jóia mágica embutida e magia flui por dentro dela, usando pedras mágicas como combustível. Usar esse poder em uma espada é uma ideia bastante original. De relance, parece uma incrível descoberta, mas pelo que ouvi de Saishin Ubstol, quando balançou esta espada, ele sentiu que algo se apossou dele. Um homem abençoado por habilidade e dinheiro, de repente cortou seu precioso discípulo. Claro, ele foi acusado pelo crime, mas você não acha que a pessoa que fez essa espada também o cometeu crime? No mínimo, a manipulação de outras pessoas é um crime extremamente cruel na minha opinião. 

— Bem, esta é outra conversa sobre uma crença sem forma e supersticiosa.

Era exatamente como o Rei havia dito. Mesmo eu não entendi o que estava acontecendo. Manipular as pessoas? Minha espada fez isso? impossível. Não existia tal feitiço embutido e nem coloquei qualquer sentimento assim nela. Simplesmente não havia como. Algo assim é….

— Muitas pessoas sabem quão boa pessoa era o Saishin Ubstol-dono. Tanto que não há necessidade para testemunhas. Além disso, ele foi visto por um empregado segurando a espada ensanguentada depois de cortar seu discípulo. Mesmo ele admite isso, então não há espaço para dúvidas. Esta espada definitivamente é capaz de manipular os seus usuários. Há magia demoníaca dentro dela. Kururi Helan-dono também se destaca na magia, então não creio que seja algo impossível para ele.

— Mesmo se o acusar de forma irracional… Você está realmente dizendo que o coração de Zeni Geba — Saishin Ubstol-dono — foi manipulado?

— Exatamente. Nós não precisamos de qualquer evidência para isto já que ele mesmo fez essa declaração quando foi preso. Claro, há um registro oficial disso também.

— Isso é impossível! Não pode ser! Não tem como ser verdade! É um completo absurdo…

Não havia como uma coisa dessas acontecer. Eu estava apenas animado para forjar usando uma nova técnica. 

“Algo como manipular pessoas… Eu não sei, algo assim realmente existe? Algo assim poderia acontecer como efeito colateral? Isso não é bom… Eu estou começando a perder a confiança.”

— Kururi-dono, você acha que seja uma coincidência?

— Claro que é. Não há prova definitiva disso nem nada. Algo assim é simplesmente impossível.

— Então, irei perguntar isso a você. Quantos destas espadas você criou?

— Duas. Isso é tudo.

— E onde está a outra?

— Dei a um caçador que conheço. O nome dele é-

— É o bastante. O nome do caçador é Gardomira. Ele também está na prisão de Kudan. Sendo possuído pela espada mágica, ele cortou um de seus aliados. Embora ainda negue o seu crime, não há como algo assim ser uma coincidência quando aconteceu em tão curto período de tempo.

— Isso não pode ser…

“Até mesmo Galdomira-san? Por que ele também cortou seu aliado? Ele era uma boa pessoa! Por quê? Isso é mentira, eu só queria fazer uma boa espada. Não há como isso estar acontecendo!”

— Não podemos dizer nada a menos que olhemos as evidências. Esta conversa está temporariamente suspensa. Kururi Helan, você deve ficar de prontidão na sala de interrogatório.

Foi uma ordem dada pelo Rei que estava me apoiando até agora. Eu não tinha escolha a não ser obedecer. Nenhum dos Príncipes abriu a boca. 

“O que será que estão pensando? Eles ficaram desapontados comigo? Se então…”

Fui o primeiro a sair do salão. Esperei junto ao cavaleiro designado na sala de interrogatório. Não houve conversa, mas também não era como se eu quisesse conversar. Não me lembro de quanto tempo esperei, mas parecia que as coisas estavam progredindo.

— Kururi Helan-dono. Sua punição foi decidida. Como havia muitas evidências para o crime, você será levado para a Prisão de Kudan temporariamente. No entanto, a sua culpa não foi decidida oficialmente, por tanto, haverá necessidade de mais evidências, com julgamento oficial ocorrendo quando tudo for revelado. Até então, você será preso.

Eu não fiz nada pelo que pudesse me envergonhar, mas ainda assim, eu estaria sendo preso. Se eu continuasse acreditando… seria salvo?

“A Prisão Kudan, eh… Parece que a minha falência está mais perto do que imaginei…”

 


Tradutor: Rudeus Greyrat | Revisor: Ma-chan


Se você gostou deste capítulo, CLIQUE AQUI, solucione o Captcha e aguarde

por 5 segundos, assim estará apoiando o tradutor e a equipe de revisores!


Fontes
Cores