ZTJ – Capítulo 170 – Todo O Mundo Espera por Essa Batalha



CAPÍTULO ANTERIOR                                                                                                      PRÓXIMO CAPÍTULO


Ao atingir a névoa, o Daoista Ji parou. Uma das pernas de Yu Ren era um pouco coxa, mas se não fosse por estar escalando uma montanha, ele raramente usava uma bengala. Ele apoiou de forma um tanto estranha a bengala abaixo da axila esquerda e gesticulou suas mãos em pergunta ao seu mestre: “O Grande Exame não está para acabar? Eu me pergunto, como o Irmão Júnior está indo agora?”

Daoista Ji mostrava em sua tez uma expressão de elegância e imparcialidade. Sua aparência permanecera a mesma desde vários anos atrás, sem qualquer sinal de velhice. Ao ver a fraca preocupação no rosto de Yu Ren, ele sorriu e esfregou-o na cabeça, porém, nada disse.

Yu Ren gesticulou, “Mestre, quando iremos à capital?”

Daoista Ji respondeu: “Quando precisarmos retornar à capital, nós naturalmente retornaremos.”

Yu Ren não percebeu que Daoista Ji usou a palavra “retorno”.

Este lugar era a cordilheira mais remota e selvagem no Continente Oriental. Os monstros corriam soltos e era desprovido de civilização humana. Este lugar era ainda mais desolado do que a enorme montanha atrás da Vila Xining, e a névoa era tão espessa e pesada que era impossível saber o que se encontrava dentro, produzindo assim um sentimento de distanciamento do mundo humano. Como as pessoas que Mo Yu enviara encontrariam esse mestre e discípulo?

A frequência em que esses fragmentos sonoros que se faziam escutar no nevoeiro aumentou, e movimentos estranhos poderiam ser vagamente vistos. Logo depois, dez poderosos Qis apareceram, provavelmente pertencentes a monstros extremamente poderosos.

Daoista Ji não estava disposto a encontrar essas criaturas feias e desagradáveis. Franzindo o cenho, disse: “Abra caminho.”

Yu Ren obedientemente deu um passo à frente e bradou em direção a névoa grossa no final do caminho.

Faltava-lhe metade da língua, então ele não podia falar como uma pessoa normal, todavia, isso não significava que não conseguisse fazer barulho. Um estridente rugido brotou de seus lábios.

Parecia um uivo, mas era, na verdade, uma palavra, um monossílabo contendo uma quantidade ilimitada de informações. Era também precisamente o tipo de palavra que Chen Changsheng costumava comunicar com o Dragão Negro na caverna subterrânea: a linguagem draconiana.

O audível uivo de Yu Ren ressou pelo ar e desapareceu na névoa, não causando nenhuma ondulação ou turbulência. No entanto, imediatamente depois, a pressão de esmagamento que continha dentro do uivo espalhou-se pela névoa a todos os cantos da cordilheira. Aqueles monstros escondidos no fundo da névoa rugiram de medo e desconforto, mostrando expressões de sua servidão e pedidos de perdão. Com barulhos esmagadores, eles desapareceram tão rapidamente quanto puderam, e a névoa voltou à serenidade.

Em um lugar ainda mais distante de uma capital, havia um deserto branco. No centro desse deserto havia uma cidade feita de pedra. As muralhas da cidade cobriam um raio de várias dúzias de li sendo uma cena demasiado magnífica.

Milhões de pessoas se ajoelhavam no deserto afastado da cidade de pedra — seus joelhos e testas produziam um fraco aroma de coisa queimada depois de tocar na areia branca que havia sido queimada pelo calor de nove sóis por um longo tempo. Entretanto, nenhuma dor pôde ser vista em seus rostos, apenas paz absoluta. Eles também não proferiam sons, restando apenas um silêncio absoluto. Era como um mar sereno e aterrorizante, um mar de pessoas.

Na parte frontal desse mar de pessoa havia uma plataforma alta feita de madeira, e havia inúmeras folhas verdes que cresciam ao longo da borda da plataforma de madeira, apresentando um forte contraste com a paisagem ardente e monótona do deserto.

No centro da plataforma de madeira estava escrita a palavra “Retidão(正)”, um símbolo denso com o cheiro de religião. À medida que os milhões de adoradores oravam silenciosamente, da palavra “Retidão” emanava uma fraca Luz Sagrada.

Um homem de meia idade estava em frente a este símbolo religioso, observando silenciosamente as milhões de pessoas ajoelhadas à sua frente. De suas roupas, podia-se ver que ele provavelmente era monge dessa religião. O homem de meia idade tinha fracas marcas rugosas nos cantos dos olhos, mas não prejudicavam sua aparência perfeita. Os olhos dele eram os mais encantadores de todos. Aqueles olhos tranquilos e claros de sua ilimitada compaixão e amor, pois pareciam capazes de ver lugares incomparavelmente distantes, capazes de ver absolutamente tudo.

Ele levantou o cajado em sua mão, encarando este perigoso mundo com um sorriso.

Os milhões se levantaram do deserto branco e gritaram em uníssono: “Nada importa, a não ser sua terra natal!”

……

……

Era no início da primavera na capital, então ainda estava muito frio. No início da primavera, a Cidade de Xuelao era coberta de um frio ainda mais severo, levando os gritos e os lamentos das nevascas que uivavam pelas ruas da cidade como tempestades de areia, tornando impossível a abertura dos olhos.

Os demônios adoravam a escuridão, amavam a tranquilidade, amavam sangue e a  matança, a última parte chave do sua existência. Como resultado, nas casas dos artistas-demônio e nas habitações secretas dos clãs principescos, sempre se poderia encontrar pinturas coloridas ou linhas estranhas e tortuosas. No entanto, a sombra que dominava toda a Cidade de Xuelao era cinza, uma cor que trazia uma sensação de paz, uma quase dormente. As pessoas que caminhavam dentro desta cidade também gostavam de usar vestes pretas, por isso era difícil distinguir um a outro à distância.

Um demônio vestido com um manto preto atravessava a tempestade de neve. O manto preto que ele usava era normal e um tanto antigo, sua borda inferior já estava desgastada, mas pelo menos era um manto preto diferente do resto.

O manto preto tremeluzia à deriva da nevasca. Mesmo que alguém o olhasse, ainda assim seria muito difícil acompanhá-lo. Finalmente, a figura saiu da Cidade de Xuelao e permaneceu em uma geleira ao sul da cidade.

Uma rajada de vento frio ergueu um canto do capuz, revelando o perfil de um demônio. Um rosto tão pálido que aparentava não ter visto sequer a luz solar há muitos anos, como se tivesse acabado de ser atingido por uma doença grave, como se fosse desprovido de calor ou mesmo de vida; assim carregava uma aura mortífera severa.

O demônio olhou para o sul, na direção da capital humana. Depois de um longo período de silêncio, o canto dos lábios desse demônio recuou e uma voz fria com um deleite que pende ao mal contido falou: “Finalmente, você não pode mais continuar ignorando sua existência.”

Depois que Luoluo se mudou para o Palácio Li, o Jardim das Cem Ervas tornou-se deserto. Os jovens da Academia Ortodoxa já haviam participado do Grande Exame, então também não havia ninguém lá para ver o novo portão entre eles sendo aberto.

A Cabra Preta saiu do portão e foi ao lago. Ainda havia neve no lago e a grama estava amarela. Era um tanto duvidoso — achou estranho a grama estar com tal sabor sendo que o jovem havia alimentado-a há meio ano com ela.

A Imperatriz Divina também havia vindo à Academia Ortodoxa.

Esta foi a primeira vez em dez anos em que ela veio à Academia Ortodoxa.

Mais cedo no Jardim das Cem Ervas, ela lembrou do massacre que o Imperador Taizong havia infligido ao clã Imperial. Agora, enquanto estava na Academia Ortodoxa, lembrou do massacre que ela havia infligido à facção conservadora da ortodoxia.

Depois que o Imperador Taizong retornou ao céu, ela matou muitas pessoas, enquanto que muitos se opuseram a ela. Desde o momento em que começou a lidar com memoriais no lugar do imperador, essas pessoas começaram a se opor a ela, até dez anos atrás quando o imperador sofria de agonia em seu leito de morte. Essas pessoas não se importavam e só pensavam em se opor a ela.

Aqueles que ousaram se opor a ela foram, por fim, eliminados por sua pessoa. Ela matou por vários séculos, até seu término há dez anos atrás, quando a Academia Ortodoxa finalmente não mais se opôs a ela.

Ela sabia que suas mãos estavam encharcadas de sangue, porém, não se importava. Tal se deu apenas depois de ver a Academia Ortodoxa não mais arruinada depois de tantos anos, e pensou, muito naturalmente, naqueles dias de matança constante.

Esse tipo de reminiscência não a tornaria infeliz, mas também não lhe traria alegria.

Tal se sucedeu especialmente porque ela admirava muitas dessas pessoas que havia matado. Essas pessoas tinham sido corajosas, honestas, competentes, notáveis, excepcionais, persistentes, nobres. Ela havia dado a essas pessoas diversas chances, porém, as mesmas nunca lhe deram sequer uma, assim forçando-a a matá-las.

Essas pessoas queriam provar ao mundo que ela era uma dominadora cruel.

A Imperatriz Divina olhou na direção do Palácio Li, pensando no que aconteceu antes. Ela sentiu um pouco de frio, um frio em seu coração.

Um pouco de frio trazido por uma chuva de outono.

O Papa inesperadamente atuou.

Ela acreditava que a jornada de Chen Changsheng chegaria ao fim, mas agora entendeu que não era esse o caso. Assim, queria perguntar a essas pessoas, até aonde vocês querem ir? Querem me forçar a trazer morte novamente?

……

……

Os proeminentes personagens tinham suas considerações, e os menores não tinham necessidade de considerar tais considerações. Chen Changsheng não se importava com quantas pessoas estavam prestando atenção ao Grande Exame, prestando atenção nele. Assim como havia dito uma vez a Luoluo, só se importaria se conseguisse obter o primeiro lugar da primeira bandeira no Grande Exame, e se poderia entrar no Pavilhão Lingyan.

Antes disso, mesmo uma invasão de demônios seria uma preocupação insignificante, e muito menos qualquer outra coisa. Assim, ele passou por grandes dores para se preparar para esta batalha final, silenciosa e atentamente​ ouvindo as táticas que Tang Trigésimo Sexto preparou para ele.

Tang Trigésimo Sexto olhou para ele com um nível de seriedade sem precedentes e disse: “Primeiro tentem comovê-lo usando de emoção, então tente convencê-lo com razão e, apenas como último recurso, tente suprimi-lo com poder, sendo apenas no final que você deverá lutar. Três frases, três métodos e a ordem da execução das mesmas é importantíssimo. Espero que possam ser úteis. Claro, se esse pobre estudioso permanecer implacável, eu ainda o aconselho a considerar qual método de desistência é mais glorioso.”

Ao lado, Luoluo sussurrou: “Professor, tente subornar-lo.”

Tang Trigésimo Sexto zombou: “Este é o Gou Hanshi sobre o qual estamos falando, um estudioso que se considera um nobre virtuoso. Como ele poderia ser subornado? Ele não é um sujeito empobrecido que nunca viu dinheiro em sua vida como Zhexiu.”

Zhexiu estava na maca ao lado do álamo branco. O seu sangramento estava gradualmente parando e sua energia recuperava-se pouco a pouco, mas quando ouviu as palavras de Tang Trigésimo Sexto, permaneceu inexpressivo e silencioso.

Luoluo se aproximou da orelha de Chen Changsheng e sussurrou algumas palavras. Chen Changsheng ficou um pouco chocado e não quis aceitar, mas não conseguiu impedi-la de empurrar o item para ele.

Tang Trigésimo Sexto viu o item que Luoluo tinha colocado em seu peito, e os cantos de seus lábios se contraíram. Ele então procurou em si mesmo e percebeu que não conseguia encontrar um nível similar de objeto. Depois de pensar sobre isso, ele tirou a espada de Wenshui do cinto e entregou-a.

“Eu tenho a minha própria espada, para que eu preciso da sua?” Chen Changsheng perguntou, intrigado.

Tang Trigésimo Sexto olhou nos olhos dele e disse: “Esta é a espada do clã do meu clã Tang, assim como a espada relíquia do Salão da Disciplina sendo usada por Qi Jian. Embora não seja adequada para entrar no Liga das Armas Lendárias isso não significa que seja fraca. Basta carregá-la com você e poderá bloquear um ataque num momento crucial. Mesmo que você não a use, ela não é muito pesada, então como ela poderia te atrapalhar?”

Chen Changsheng entendeu seu significado e foi difícil recusar essa intenção, então, depois de algum tempo pensando, ele aceitou.

“Isso é razoável.” Luoluo tinha sido lembrada por Tang Trigésimo Sexto e, sem hesitação, tirou o Chicote da Chuva Caente da cintura e colocou-o nas mãos de Chen Changsheng.

Xuanyuan Po usou suas mãos largas e grossas para procurar em todo o seu corpo, mas não conseguiu encontrar nada de bom, nem mesmo um talismã para lhe desejar sorte. Ele se sentiu um tanto triste sem ter nada a oferecer.

Chen Changsheng bateu na parte superior do seu braço e sorriu. “Você faz o jantar esta noite.”

Xuanyuan Po deu uma risada saudável e disse: “Se você ganhar, adicionarei especialmente duas colheres de sal.”

Chen Changsheng considerou esta proposição. Se ele realmente conseguisse o primeiro lugar da primeira bandeira no Grande Exame, comer um pouco de sal e óleo por uma refeição e beber dois ou três copos de vinho parecia bastante inofensivo.

Ele se preparou para deixar a borda da floresta quando, de repente, se lembrou de algo. Ele voltou seu olhar para a maca e disse a Zhexiu: “Independentemente de ganhar ou perder, vou fazer o meu melhor para lhe dar aquele item.”

Zhexiu disse sem expressão: “Você deve vencer.”

……

……

Chen Changsheng entrou no Salão da Limpeza de Poeira.

Gou Hanshi já estava lá, calmamente parado. As roupas que ele usava estavam perdendo cor do número de vezes que tinham sido lavadas, e era difícil dizer se sua espada era rara ou não, assim como a própria pessoa.


Se você gosta do nosso trabalho, da novel e quer nos ajudar,
Não esqueça de Avaliar Ze Tian Ji na Central Novel e deixar seus comentários.
Isso é de extrema importância para nós. Muito obrigado!
dragão


Tradutor: Vaan   |   Revisor: Enxarcado   |   QC:Asura


CAPÍTULO ANTERIOR                                                                                                      PRÓXIMO CAPÍTULO


 


Fontes
Cores