Livro 1 – Capitulo 5 – Crescendo (Parte 2)

CAPITULO ANTERIOR | ÍNDICE| PRÓXIMO CAPITULO

O tempo voou e num piscar de olhos, o relógio do salão badalava onze vezes para dizer que já eram onze horas da manhã.

“Hogg está?” Uma voz nítida perguntou. A mansão dos Baruch não tinha guardas, logo essa pessoa já estava no quintal da propriedade.

O líder do clã franziu a testa e colocando o livro na mesa, disse: “Linley, hoje vamos encerrar por aqui.” Revelando um breve sorriso, Hogg se virou e foi em direção ao salão.

“Ah, Hogg, meu querido amigo! Outro dia mesmo, ouvi um passarinho catavento assobiar e então soube que algo de bom aconteceria. E de fato, por volta do meio dia recebi sua mensagem e, assim que a li, fiquei muito extasiado.”

“Caro Philip, fico feliz em saber que está bem. Hillman, pegue a escultura de pedra ‘Leão Feroz’. Philip, vamos esperar no salão. A escultura chegará em breve.”

Ao ouvir essas palavras, Linley sentiu uma pontada em seu coração.

“Vamos vender mais um bem da família?” Ele sabia que a escultura do ‘Leão Feroz’ era uma das favoritas de seu pai. Porém, o clã Baruch coletava impostos muito baixos do Vilarejo Wushan e sua crise econômica era muito séria.

Felizmente, por ser um clã bem antigo, ao longo dos anos havia adquirido muitos itens raros e preciosos.

Entretanto, nem mesmo uma vasta coleção era capaz de resistir a anos de leilões e vendas. A essa altura, a quantidade de itens valiosos ainda em posse do clã era muito pequena. Linley não pode deixar de olhar para o ‘relógio de pé’. “Quanto tempo vai levar até que esse relógio também seja vendido?”

Um homem de meia-idade com cabelos longos e uma aura nobre entrou no salão ao lado de Hogg. Linley imediatamente pode adivinhar que esse homem devia ser ‘Philip’.

“Oh! Essa adorável criança deve ser o seu filho, certo Hogg?” Philip sorriu calorosamente para Linley. “Linley Baruch, certo? Posso te chamar de Linley?”

“Seria uma honra, senhor.” Linley colocou sua mão direita em seu peito e respeitosamente o cumprimentou com uma reverência.

“Que criança adorável” Philip parecia muito satisfeito.

Ao seu lado, Hogg sorria. “Philip, pare de perder tempo com a criança. O ‘Leão Feroz’ que você tanto deseja, chegou.” Enquanto falava, Hillman carregava com facilidade a grande escultura para o salão.

Em uma clara demonstração de força, a escultura de quase meia tonelada não passava de um brinquedo nas mãos de Hillman.

“Sr. Hillman, sua força é admirável. Nas vinte cidades em meu controle não existe alguém tão poderoso quanto você, capitão da guarda.” Philip sorria enquanto falava, mas estava muito claro o significado por trás dessas palavras. Ele queria que Hillman trabalhasse para ele.

Hillman disse sério: “Wushan é meu lar, senhor.”

“Perdoe-me.” Philip rapidamente se desculpou.

E então virou-se e falou: “Hogg, devo dizer que embora goste muito dessa escultura, os traços do ‘Leão Feroz’ não podem ser considerados de alto nível, tampouco comparáveis aos de uma obra de arte de escultores grão-mestres.”

“Philip, se você não deseja comprá-la, então esqueça.” Hogg foi bem sucinto.

Philip não pode evitar de cerrar os olhos, mas logo deu um sorriso. “Hahaha… Hogg não fique chateado. Não estou dizendo que não desejo comprá-la, apenas dizendo a verdade. Que tal fazermos assim: eu compro essa escultura por quinhentas moedas de ouro. O que acha?”

“Quinhentas?” Hogg franziu.

O valor estava muito abaixo do que Hogg esperava, já que gostaria de pelo menos oitocentas moedas.

No continente Yulan, uma moeda de ouro era o equivalente a dez moedas de prata, que por sua vez eram o equivalente a mil moedas de cobre. Pessoas comuns conseguiam juntar de vinte a trinta moedas de ouro por ano. Até um soldado raso recebia um salário em torno de cem moedas por ano.

“Esse valor é muito baixo.” Hogg balançou a cabeça em reprovação.

“Hogg, você sabe que durante os dez mil anos do continente Yulan incontáveis esculturas foram feitas. O valor real de uma escultura varia de acordo com a qualidade de seus traços. E pelo o que vejo… bom, hehe, posso apenas dizer que gosto. Quinhentas moedas de ouro é a minha última oferta. Se não quiser aceitar, então que encerremos o assunto.”

Philip sorria e ao se virar na direção do relógio, com os olhos brilhando, disse: “Mas se desejasse vender esse relógio, estaria disposto a pagar mil moedas de ouro.”

Hogg o encarou muito sério.

“Ahem. Duas mil moedas de ouro também seria aceitável. Essa é a minha melhor oferta.” Philip rapidamente disse.

Hogg, decidido, balançou a cabeça negativamente e disse: “O relógio não está a venda. E quanto a escultura, seiscentas moedas de ouro. Pegar ou largar.”

Philip cuidadosamente estudou a expressão de Hogg por um momento e então sorriu. “Tudo bem, Hogg. Em consideração a você, seiscentas então. Administrador, traga-me seiscentas moedas de ouro.” Seu administrador, que estava ao seu lado o tempo todo, imediatamente trouxe o ouro.

Seis sacos de ouro.

“Seiscentas moedas, Hogg. Pode contar se quiser.” Philip sorriu.

Hogg segurou os sacos e pelos pesos confirmou que de fato havia seiscentas moedas de ouro, cem moedas por saco. Ele sorriu e perguntou: “Philip, por que não fica para o jantar?”

“Não posso. Ainda tenho alguns negócios a tratar em minha cidade.” Philip sorriu.

O administrador de Philip em seguida ordenou que dois guerreiros musculosos levassem a escultura. O que fizeram com dificuldade.

Depois que Philip e sua comitiva se foram, Hogg observava os seis sacos de ouro com um olhar vazio. Dessa vez ele vendeu a escultura de pedra. E na próxima? Embora ainda tivesse muitas coisas na propriedade, mais cedo ou mais tarde, eles ficariam com nada.

“Pai, eu quero ser um escultor!” Linley disse de repente.

Ele sabia muito bem que os escultores famosos do continente Yulan criavam obras que valiam dezenas de milhares de moedas de ouro, com algumas chegando a valer centenas de milhares. E além da fortuna, seus status na sociedade eram muito elevados.

“Se conseguir me tornar um mestre escultor, então… então meu pai não vai mais precisar vender os bens da família.” Era o que Linley pensava.

“Escultor?” Hogg olhou sério para Linley.

“Linley, você sabia que de centenas de milhões de pessoas na União Sagrada, pelo menos alguns milhões já estudam essa arte? E mesmo assim o número de mestres de verdade pode ser contado em apenas uma das mão. Além do mais, sem um bom professor, é impossível se tornar um grande escultor.”

“Pessoas ordinárias não conseguem entrar nesse círculo restrito de escultores. Apenas as obras de mestres possuem avaliações grandiosas, mas a grande maioria de escultores consegue apenas algumas dúzias de moedas por ano.”

Hogg falava em um tom furioso.

Linley de tão assustado, imediatamente se ajoelhou. Ele só tinha dito isso porque pensava que se tornando um escultor, a situação de sua família poderia melhorar. Não esperava que seu pai o repreendesse com tanta veemência.

“Já chega. O salão dos ancestrais está muito sujo. Depois do almoço, venha limpá-lo.” Hogg disse friamente.

“Sim, pai.” Linley assentiu com respeito.

Olhando para Linley, Hogg suspirou em seu coração. “Escultor? Ah, criança. Sabia que antigamente eu também pratiquei essa arte? Por dez anos da minha vida tentei aprender, mas infelizmente minhas esculturas não tinham valor.” Hogg, também, sonhou ingenuamente em se tornar um mestre escultor e melhorar a situação de seu clã. Mas em seu coração lamentava, pois apesar de dez anos treinando, suas esculturas não tinham valor.

Esse meio podia ser descrito como uma pirâmide, com aqueles famosos mestres escultores no topo. Eles tinham uma posição elevada na sociedade e cada obra que criavam valia centenas de milhares de moedas de ouro.

Entretanto, a avaliação do trabalho de incontáveis escultores de pouca habilidade, situados na base da pirâmide, era ridiculamente baixa. Tendo a maioria de suas obras vendidas apenas para cidadãos comuns por algumas moedas de prata, para usar como decoração em suas casas.

Contribua com a Novel Mania!
Alterar fonte
Cores