Livro 1 – Capitulo 2 – O Clã dos Guerreiros do Dragão (Parte 1)


CAPITULO ANTERIOR | ÍNDICE | PRÓXIMO CAPITULO

Seis meses passaram num piscar de olhos. Treinando duro e fortalecendo o corpo, foi assim que Linley passou a gentil e morna primavera, o verão escaldante e o outono frio. O álamo branco próximo à área de treinamento de Wushan espalhava folhas secas pelo chão sempre que ventava. Elas rodopiavam devagar, cobrindo todo o campo.

O céu aos poucos escurecia.

Hoje havia um número excepcional de pessoas na área de treinamento. Quase trezentas.

“O treino da noite terminou.” Hillman sorriu. “Mas antes de irem, vamos primeiro parabenizar o próximo grupo de garotos que deixarão Wushan para se alistar no exército.”

Com o fim do outono, o período do recrutamento militar se iniciava. O continente passava por uma era de guerras e todos os rapazes acreditavam que se tornar um guerreiro poderoso era um símbolo de honra. Naturalmente também havia aqueles que desejavam se tornar magos, mesmo sendo algo muito difícil. Talvez uma em cada dez mil pessoas tivesse as qualificações necessárias para se tornar um. Com chances tão pequenas, pessoas comuns sequer consideravam essa opção.

Tornar-se um guerreiro era bem mais fácil. Ao completar dezesseis anos, contanto que fossem pelo menos guerreiros do primeiro nível, eles poderiam se alistar no exército.

“Obrigado, tio Hillman!”

Cento e vinte e seis garotos, todos com dezessete anos, respeitosamente agradeceram Hillman. Esses jovens normalmente não iam aos treinos, pois já eram considerados adultos e, portanto, tinham trabalhos a fazer. Mas como todos foram treinados por Hillman desde o engatinhar, eles o consideravam como seu benevolente mestre.

Então antes de se alistarem, eles foram se despedir de Hillman.

Olhando para esse grupo de garotos de dezessete anos cheios de energia e ansiedade, Hillman tinha incontáveis sentimentos conflitantes. Isso porque ele sabia que todos estavam ansiosos para se juntar ao exército. Mas depois de dez anos de serviço militar, quantos voltariam vivos?

[Espero que pelo menos metade desses garotos consigam retornar vivos.] Hillman rezava em silêncio.

Ele então olhou para os rapazes e disse com uma voz clara: “Escutem moleques! Vocês são homens de Wushan. Os homens de Wushan devem sempre estufar seus peitos e aceitar qualquer desafio, sem medo. Entendido?”

Todos aqueles garotos então endireitaram sua postura, estufaram os peitos e com olhos cheios de uma chama ardente que ansiava pela vida militar, responderam ao mesmo tempo: “Sim, Senhor!”

“Bom!” respondeu Hillman também em postura ereta e com um olhar sério que emanava uma aura bélica.

“Amanhã vocês irão partir, portanto façam bem seus preparativos hoje à noite. Sei como todos aqui são fortes e que entrarão com facilidade para o exército! Eu, Hillman, esperarei pelos seus retornos gloriosos a Wushan!” Hillman disse em um tom reluzente.

Os olhos daqueles garotos brilharam com intensidade.

Retornar para casa com honra. Esse era o sonho de todos os jovens.

“Agora ordeno que todos voltem para suas casas e comecem seus preparativos. Dispensados!” Hillman disse com um tom gélido e feroz.

“Sim, Senhor!”

Cento e vinte e seis garotos reverenciaram em respeito e partiram, seguidos por olhares cheios de admiração de quase duzentas crianças. Amanhã eles começariam uma nova jornada.

“Faltam só dois anos. Quando atingir a idade, também vou me alistar no exército.”

“Como eu quero a vida excitante e inquieta de um soldado. Se tivesse que passar minha vida inteira em Wushan, mesmo sendo imortal, seria um desperdício.”

…..

Um grupo de garotos de treze anos conversava entre si. Eles ansiavam por uma vida excitante e cheia de energia, acumular méritos e criar uma reputação. Além de serem adorados pelas garotas e admirados por seus parentes.

Esses eram seus sonhos!

“Linley, seu pai, Lord Hogg, tem assuntos de extrema importância a tratar com você. Não fique brincando com as outras crianças e vamos para casa.” Hillman caminhou para o lado de Linley. Ele tinha muito orgulho do garoto.

Linley era muito inteligente. Sob a tutelagem de seu pai, Hogg, desde uma idade tenra ele aprendeu muitas palavras e já conseguia ler a maioria dos livros.

Aprender a ler era um luxo muito grande, visto que apenas os herdeiros de famílias nobres sabiam. O clã Baruch era muito antigo e portanto tinha muitos livros.

“Tio Hillman, eu já sabia. Meu pai me avisou três vezes. Ele nunca foi tão insistente sobre um assunto. Não vou sair pra brincar.” Linley sorriu revelando seus dentes brancos e perfeitos, exceto pelo fato de um estar faltando.

Linley já estava começando a ter dentes permanentes.

“Tá bom. Você está sem um dos dentes da frente e está deixando o vento entrar quando sorri.” Hillman gargalhava. “Agora vá para casa.”

…..

No antigo salão frontal da mansão dos Baruch, depois do jantar, Linley brincava com seu irmão.

“Irmão! Abraço! Abraço!”

Pequeno Wharton olhava para Linley com um amor puro e inocente. Seus passos desequilibrados e suas mãos gordinhas estendidas para abraçar, iam em direção a Linley que, não muito longe, esperava pacientemente que Wharton o alcançasse.

“Você consegue Wharton!” Linley o encorajava.

Wharton andava cambaleante, fazendo com que as pessoas temessem que caísse a cada passo, mas por fim conseguiu chegar aos braços de seu irmão. Sua pele suave como seda era levemente rosada. Seus grandes olhos miravam o irmão mais velho e com uma voz de bebê disse: “Irmãozão, irmãozão.”

Olhando seu irmãozinho, o coração de Linley se enchia de calor e amor.

Ele não tinha mãe ou avós, apenas seu pai e o administrador da família para cuidar dele. Linley, que amadurecera cedo, amava muito seu irmão e era superprotetor. A seu ver, tomar conta dele era o trabalho do irmão mais velho.

“Wharton, o que você aprendeu hoje?” Linley perguntou com um sorriso.

Wharton franziu de uma maneira muito fofa e depois de pensar um pouco, disse empolgado: “Hoje eu aprendi a usar panos!”

“Panos?” Linley revelou um sorriso incontrolável. “E onde você usou?”

Contando nos dedos, Wharton disse: “Primeiro eu usei o pano para limpar o chão, depois os penicos e por último eu limpei… limpei… é… eu limpei os pratos!” Dizia empolgado para Linley, enquanto esperava pelos seus elogios.

“Você limpou os penicos e depois limpou os pratos?” Os olhos de Linley ficaram enormes.

“O quê? Eu fiz errado? Eu deixei eles bem limpos.” Wharton olhava para seu irmãozão sem entender o que tinha feito de errado.

“Mestre Linley, seu pai está te procurando. Deixe-me pegar o pequeno mestre Wharton.” Um senhor de nariz vermelho caminhava em sua direção. Ele era o administrador do clã Baruch, Hiri (Xi’li). Em toda mansão, além dele, não havia uma serviçal sequer.

Linley não tinha mais tempo para conversar com Wharton, então o entregou para o vô Hiri e seguiu para o salão de convidados.

“Por que será que ele me chamou?” Embora fosse jovem, Linley sentia que dessa vez seu pai o havia chamado para falar sobre algo importante.

Ao entrar no salão, um relógio de pé maior do que Linley podia ser visto em um canto.

Esse relógio podia ser considerado um item de primeira classe que apenas famílias ricas ou nobres teriam. Nesse momento, o pai de Linley estava sentado próximo à lareira. A lenha queimava com constantes sons de estalos.

“Ahm? Por que meu pai trocou de roupa?” Linley ficou surpreso ao ver seu pai, já que dentro de casa ele usava apenas roupas simples. Agora a pouco no jantar, ele estava usando roupas normais. Mas agora, vestia um traje nobre muito bonito.

Hogg emanava uma antiga e nobre aura, do tipo que o dinheiro não podia comprar. Uma aura que apenas um clã com mais de cinco mil anos conseguiria cultivar em seus sucessores. Como um ordinário clã nobre poderia se comparar?

Após levantar, ele se virou e ao ver Linley seus olhos brilharam.

“Linley venha comigo, vamos ao Salão dos Ancestrais. Tio Hiri, você conhece os assuntos do meu clã, se quiser pode vir também.” Hogg sorriu.

“O salão dos ancestrais?” Linley ficou perplexo.

Os membros do clã Baruch usavam somente a parte da frente da mansão. As outras áreas sequer eram visitadas para limpeza, com exceção do salão dos ancestrais que era limpo uma vez ao mês.

[Mas não é o dia de oferecer sacrifícios para os nossos ancestrais. Por que estamos indo para o salão?] Linley estava cheio de perguntas.

Saindo do salão de convidados, Hogg, Linley e Tio Hiri, que ainda segurava Wharton, seguiram por um caminho de pedras azuis que levava aos fundos da mansão.

Outono intenso. Uma noite fria.

O vento gelado soprava. Linley tremia de frio, mas não reclamava porque sentia que hoje algo estava diferente. Seguindo seu pai, ele entrou no salão.

“Clack.” A porta do salão dos ancestrais fechou.

Com as velas acesas, imediatamente o lugar ficou bem iluminado. Linley pode ver na hora as várias tábulas espirituais postas na entrada do salão. Aqueles pedaços grossos de pedra continham registros que datavam das primeiras eras do clã Baruch.

Hogg ficou de pé diante das tábulas espirituais, sem dizer uma palavra.

Linley estava muito nervoso. Além do sussurro das velas, nenhum som era ouvido em todo o salão. O silêncio assustador criava em seu coração uma sensação opressora.

De repente, Hogg se virou e seus olhos focaram em Linley. Então com uma voz pesada, ele disse: “Linley, hoje muitas coisas devem ser feitas. Mas primeiro, deixe-me contar um pouco sobre a história do nosso clã.”

Linley sentia seu coração bater freneticamente.

[História do nosso clã? O que pode ser?] Linley estava ansioso para saber, mas não ousava fazer um som sequer.

Com um olhar orgulhoso em seu rosto, Hogg disse com clareza: “Linley, nosso clã Baruch existe a mais de cinco mil anos. Mesmo que fosse procurado por todo o Reino de Fenlai, não acredito que possa ser encontrado um clã tão antigo quanto o nosso.” Havia absoluto orgulho na voz de Hogg.

Antigo. Essa era uma palavra que alguns clãs nobres viam com grande importância.

“Linley, você já ouviu falar dos Quatro Guerreiros Supremos lendários do Continente Yulan?” Virando a cabeça, Hogg olhou para Linley.

Com os olhos brilhando, Linley acenou com a cabeça. “Já. De acordo com o tio Hillman, os Quatro Guerreiros Supremos lendários são: os Guerreiros do Dragão, os Guerreiros da Chama Violeta, os Guerreiros do Tigre e os Guerreiros Indestrutíveis.”

Satisfeito, Hogg assentiu com a cabeça e sorrindo ele disse: “Certo! Agora vou lhe contar uma coisa. Os Quatro Guerreiros Supremos na verdade representavam quatro antigos clãs. E o nosso clã Baruch é um desses antigos clãs que carrega o nobre sangue da linhagem dos Guerreiros do Dragão!”


Fontes
Cores