WCC – Capítulo 88 – Na Reunião de Contra-Medida



Durante esta época do ano o sol quase não subia além do horizonte. Ainda era meio dia, mas a rodovia pela floresta já estava coberta em sombras. Quando a noite chega, a estrada ficará tão escura como se fosse meia-noite.

A força especial de subjugação estava marchando em direção de uma cidade hoteleira próxima da borda de Trent Rietta. Eles estavam descansando do lado da estrada quando eles foram repentinamente atacados e aniquilados por um grupo de feras malignas. O ataque de feras malignas dentro do território de Fonclanc pegou a força completamente despercebida, e os soldados foram incapazes de ter qualquer tipo de resistência.

Os soldados dentro da força eram altamente habilidosos, mas a força foi composta com pressa e quando uma aura de obstrução de artes divinas havia atingido eles, desabilitando artes de vento do tipo de comunicação, a cadeia de comando inteira havia desmoronado e a força estava agindo vagarosamente.

Pela hora que a força havia se reorganizado, quase um terço dos soldados já haviam caído vítimas às presas das feras malignas.

Os problemas deles não acabaram ali, no que as flautas mágicas que deveriam contrariar os efeitos da aura de obstrução de artes divinas não funcionou como esperado – a aura havia enfraquecido consideravelmente, mas não se dissipou completamente. No fim, os cavaleiros da força de subjugação estavam praticamente cegos por causa da escuridão, e a aura de obstrução de artes divinas havia os forçado à recorrerem ao combate corporal.

Eventualmente, um grupo mercenário se movendo pela mesma rota havia tropeçado na força de subjugação e havia escoltado os cavaleiros sobreviventes de volta à cidade portuária.

Havia custado uma pequena fortuna reunir todos aqueles cavaleiros habilidosos. Depois de toda publicidade e propaganda, a força especial de subjugação foi forçada à retornar para casa, rabo entre as pernas, e sem ter realizado uma única parte de sua missão. A missão inteira foi um fracasso completo, e uma desgraça para Marquês Vordat.

Contudo, o Marquês não era um tipo que ficaria no chão depois de apanhar. Ele imediatamente começou a analisar a informação, procurando por algo que ele pudesse usar à seu favor e bolou outro plano.

“Então, sua alteza está clamando que Yuusuke-dono havia lhe suprido propositalmente com flautas mágicas defeituosas?” (Pablo)

“Eu ouvi esses rumores. Além do mais, eu ouvi que os soldados haviam sofrido perdas pesadas porque as flautas não foram muito efetivas.” (Tadrov)

“Ele teve que preparar um enorme pedido de flautas num tempo muito curto… talvez ele não tenha tido tempo para testar apropriadamente as flautas?” (Jacó)

“A propósito, ele esteve preocupado com outro projeto no distrito da plebe ao mesmo tempo. Ele realmente preparou dedicadamente as flautas ou…?” (Juca)

Todos os oficiais disponíveis se juntaram na reunião e estavam tentando decidir os meios para salvar a situação depois da aniquilação da força tarefa especial. A facção do Marquês fez seu melhor para comprometer a Corps do Deus da Escuridão.

Perder tantos cavaleiros habilidosos foi um golpe forte para Fonclanc, um que alguém teria que assumir a responsabilidade. Todos sabiam quem estava por trás da facção que estava abertamente culpando o capitão da Corps do Deus da Escuridão, mas devido ao status dele, ninguém ousava se opor à ele.

O Marquês estava ficando silente, seus olhos fechados e braços cruzados. Tudo estava indo de acordo com seu plano.

Nesse momento Yuusuke finalmente chegou na reunião e entrou na sala enquanto estava sendo informado brevemente pelo capitão da Corps do Deus do Fogo, Kreivol. A Princesa estava com eles e a participação dela causou um monte de gritos confusos dos nobres.

Todos sabiam que Yuusuke era o favorito da princesa. Até a família Ivor e a facção de Vordat hesitou em culpar Yuusuke diante da princesa por medo por sua reputação.

Eles olharam em direção de seu líder, e Marquês Vordat, que esteve silente desde o começo da reunião e lentamente abriu sua boca.

“Princesa, nós estamos tendo uma reunião importante agora. Kreivol-dono, eu sugiro que você ensine a princesa apropriadamente para que tais interrupções não sejam feitas.” (Vordat)

Kreivol ficou sem palavras e não conseguiu vir à uma resposta. Violet teve que tomar a iniciativa ela mesma e se adereçar à reunião.

“Yuusuke e os cavaleiros dele estão sob meu controle direto, logo é meu direto e responsabilidade estar presente nesta reunião.” (Violet)

“Desta vez não é um jogo, princesa.” (Vordat)

“O incidente da força especial de subjugação? As flautas mágicas não funcionaram como o esperado. Para mim, parece um conflito entre assuntos públicos e privados.” (Violet)

Pretendendo permanecer no salão pela reunião, Violet se sentou numa cadeira próxima de uma das paredes. Os nobres ficaram ainda mais confusos porque eles estavam acostumados com a princesa moleca e egoísta, e a pessoa diante deles agora era qualquer coisa menos a Princesa das Chamas que eles conheciam.

Vordat jogou um olhar de objeção ao Rei, mas seu apelo foi ignorado quando o Rei ergueu sua mão como que dizendo [“Deixe ela ficar.”] Marquês tomou um momento para se compor e desta vez se adereçou à pessoa em questão.

“Eu acredito que você já saiba, que sua flauta mágica não teve efeito nas feras malignas modificadas. Você não quer se explicar?” (Vordat)

Yuusuke negou na cara a acusação de que ele estava preocupado com outro trabalho e logo supriu a força com flautas de baixa qualidade.

“Não tem como as flautas serem defeituosas. Mas eu não tenho explicação pelo motivo delas terem sido inefetivas…” (Yuusuke)

Yuusuke deixou implícito os rumores sobre as feras malignas que eram imunes às flautas e havia adivinhado que a força de subjugação conseguiu tropeçar nelas. Marquês respondeu ao pressionar Yuusuke que ele está dizendo isso apenas para evitar assumir a responsabilidade pelas flautas defeituosas.

“Como você pode provar que seus bens eram tão bons quanto você diz?” (Vordat)

“Sim, eu poderia… com licença por um momento.” (Yuusuke)

Yuusuke havia reunido vários copos de porcelana da mesa de reunião e os customizou. Artes de terra comuns eram de pouco uso quando produzindo copos de porcelana e só eram úteis para decorá-los depois que eles haviam sido retirados da fornalha, ao invés disso, a arte de Yuusuke alterou a aparência deles.

Afinal, para o poder de Yuusuke era tudo muito fácil, já que seu poder era capaz de sobrescrever completamente a existência do item. Logo, depois que as partículas flutuantes de luz terem desaparecido, um conjunto de peças perfeitamente quadradas de porcelana estavam em cima da mesa.

A maioria dos nobres estavam testemunhando o poder de Yuusuke pela primeira vez, e só podiam ficar de boca aberta em espanto pelo que havia acontecido diante dos olhos deles. Até o Marquês estava levemente chocado.

“Meu poder é capaz de criar uma cópia perfeita de qualquer item. Se eu não desejo que o item difira, o item recém criado será perfeitamente idêntico ao original.” (Yuusuke)

Dizendo isso, ele juntou os cubos e os empilhou num cubo maior com uma superfície lisa e sem brechas visíveis, e era difícil dizer onde um cubo deveria acabar e outro começar.

“…”

Marquês gemeu, segurando o cubo maior. Era apenas um cubo, mas pelo jeito que ele parecia, era aparente que seria muito difícil recriá-lo, mesmo usando ferramentas da mais alta qualidade. Oficiais do palácio olharam para o cubo com olhares gananciosos, enquanto o Marquês Vordat estava brincando com ele em sua mão.

Notando os olhares deles, Vordat colocou o cubo na frente dele e animadamente esfregou suas mãos. Oficias do palácio tinham uma tendência de coletar interessantes peças de arte ou contravenções tecnológicas divertidas, e ele planejava usar ela para seus focos. Eles eram homens simples, e com um pequeno empurrão eles agiriam como ele quisesse que eles agissem.

“Por ora, eu concedo sobre a questão das flautas mágicas. Contudo, por que você escondeu os boatos sobre as feras malignas que eram imunes às flautas mágicas?” (Vordat)

“Eu não te falei sobre isso quando eu entreguei as flautas?” (Yuusuke)

“Eu estava lá na hora. Yuusuke certamente havia acentuado sobre isso várias vezes.” (Ivair)

O oficial do palácio que havia recebido as flautas nos campos de prática naquele dia notou a piscada do Marquês, mas ele não podia se fazer de tonto quando pressionado por evidência por um Capitão de Corps e sua Princesa, e admitiu a verdade. Mas ainda, naquele instante o homem tremeu por um olhar perfurante que o Marquês jogou à ele.

“Então o que você está dizendo é, você havia avisado eles sobre isso antecipadamente mas não deu conselho sobre como lidar com essas feras?” (Esvobus)

O Rei finalmente falou depois de silenciosamente ouvir por toda a reunião. Pelas palavras do Rei, os oficiais do palácio imediatamente abaixaram suas cabeças e, com um pequeno atraso, Vordat fez o mesmo.

“Vossa majestade, desta vez a força foi pega de surpresa. Certamente esta situação poderia ter sido evitada se eles tivessem sido mais cuidadosos.” (Yuusuke)

Com isto, o tópico da qualidade das flautas mágicas e a validade da informação sobre as feras mágicas foi fechado, e a reunião havia retornado ao seu tópico original de como lidar com a situação atual. Para conseguir uma visão mais precisa da situação, um dos burocratas havia proposto chamar um lidador de feras da ex-Borda de Vento, para que ele pudesse dar uma opinião de especialista nesta situação.

Esta sugestão foi aprovada quase instantaneamente e no dia seguinte um pedido foi enviado para Valerie, para entrar em contato com os ex-membros de sua organização. O Marquês não ficou triste sobre seu fracasso em culpar Yuusuke durante a reunião e começou a trabalhar em seu próximo plano.

“A reunião acaba aqui, me desculpe por chamar você aqui tão subitamente. Você cooperaria conosco durante o questionamento dos membros da Borda de Vento?” (Esvobus)

“Eu ajudarei alegremente. Afinal, eu sou conhecido de Valerie. Adeus.” (Yuusuke)

Yuusuke respondeu educadamente, mesmo depois que ele foi chamado ao palácio apenas para responder por imputações falsas e acusações ineducadas. O conde olhou para a figura sorridente de Yuusuke e então para seu grupo de seguidores, e seu rosto refletiu o desprezo que ele sentia com o Capitão da Corps do Deus da Escuridão. (NT: Acho que era para ser o Marquês, mas está escrito conde)

Todos os planos dele desmoronaram no momento que o Capitão chegou na reunião acompanhado pela Princesa. Poucos de seus seguidores haviam se oposto à participação da Princesa na reunião e acabou com o Conde sendo o culpado pelo fiasco da Força Especial de Subjugação.

(Este homem… ele definitivamente tem algum tipo de plano. Eu vou expor ele.)

Ele cometeu um erro, esperando que haveriam oficiais do palácio, além daqueles na sua facção anti-Corps do Deus da Escuridão, que não confiariam no Capitão da Corps. Seu próximo plano seria destruir a Corps do Deus da Escuridão por dentro. Contudo, ele ainda estava um pouco longe, havia muito trabalho para ele fazer. Ele havia plantado um espião próximo do Capitão e agora ele havia cuidadosamente esperado sua hora, esperando por aquele espião obter qualquer informação útil sobre a Corps do Deus da Escuridão.

Yuusuke era certamente um oponente formidável, contudo o Conde não podia esperar quaisquer resultados se ele não tomasse o caminho difícil.


Tradução: Thyros



Fontes
Cores