WCC – Capítulo 7 – Princesa das Chamas



“Isso é uma mentira! Não tem como o Zeshald ter nos traído!”

“É a verdade. Eu entendo seus sentimentos, mas tente se acalmar.”

Num quarto no topo do palácio Volace, o assistente próximo de Violet estava falando com uma voz firme, tentando acalmar a princesa raivosa. Violet, não tendo mais ninguém para soltar sua raiva, ansiedade e inquietação, encarou seu assistente que estava pegando uma cadeira que ela havia chutado antes.

“Foram vocês que espantaram o Zeshald! Você não está rindo silenciosamente dele!?”

“Nem um pouco.”

Apesar da princesa irritada ter evitado estouros espontâneos de artes divinas, ela espalhou as frutas e flores, servidos na mesa, no chão. As cortinas já foram rasgadas e uma parte da parede estava manchada com pedaços de talher quebrado e vinho. O quarto estava num completo caos.

“Droga! … Por quê!?”

“Princesa, por favor olhe seu linguajar.”

“Calado! Sai de mim!”

Violet, com suas costas viradas para seu assistente, apontou para a porta. Kreivol se curvou educadamente, como de costume, e silenciosamente deixou o quarto. Ele entendeu completamente o estouro de Violet. Ele também estava preocupado, pensando que o evento, que aconteceu no outro dia, pode ter sido a causa disto.

(Ainda assim, o distúrbio está se espalhando no palácio… a deserção dele para o lado oposto pode incentivar os outros à seguirem também.)

(De agora em diante ainda mais atenção deverá ser focada nas ações dos trabalhadores do palácio.)

Kreivol pensou no que ele imaginou sobre os meios para apertar seu entendimento da corps do deus de fogo que ele comandava pessoalmente.

Violet, tendo chutado a luxuosa cadeira de novo, estava esbaforida, enquanto segurava seus ombros trêmulos com as duas mãos. Seu pai, Esvobus, simplesmente espantou ela dizendo [“Nós não falaremos sobre Zeshald”] sem nem mencionar nada sobre o anúncio de Blue Garden.

O encontro acidental deles no distrito inferior no outro dia não foi um pretexto o suficiente para ele partir. Os pensamentos que as ações dela poderiam ter acionado isto, estavam rasgando o coração dela com espinhos de inquietação e arrependimento.

“Por que……”

[“Zeshald não poderia ter traído eles. Tem que ter algum tipo de explicação”], pensou Violet enquanto abaixava sua cabeça para combater a visão embaçando em seus olhos. Repentinamente, uma imagem de um homem de cabelo preto apareceu na mente dela. [“Aquele homem rude e ignorante, chamado Yuusuke, o que houve com ele?”] (NT: A visão embaçada é de lágrimas, não é uma doença nem nada)

“Ele partiu também? Ou poderia ele…”

A princesa ergueu sua cabeça e olhou para fora da janela. Uma pequena floresta podia ser levemente vista diante das planícies inacabáveis, esticando até o horizonte. (NT: Ou é diante ou é antes… malditas palavras com 523 significados…)

(Talvez eu serei capaz de descobrir algum tipo de pista se eu visitar a vila dos sem-poder onde Zeshald costumava viver.)

Os olhos de Violet brilharam com a auto-confiança de costume no que ela decidiu seu próximo objetivo.

***

Enquanto os oficiais do palácio estavam chocados pela deserção de Zeshald para Blue Garden, o povo comum aceitou isso sem muito choque ignorando isso dizendo [“é isto o que o palácio recebe por alienar seus oficiais”]. Para as pessoas melhores informadas sobre o evento dentro do palácio, era um tópico para discussões.

Um homem com um rosto animado andou através de um beco da sempre igual rua principal da sempre igual cidade. (NT: Era para ser “nunca mudando” no lugar de “sempre igual”, mas fica melhor assim…)

“Hehehe… com os governantes da cidade abalados eu posso finalmente andar pelas ruas.”

Ele gastou os últimos vários anos se escondendo nos guetos de Sanc Adiet. Apesar dele ter considerado fugir para Blue Garden, trabalho manual num país onde a posição social era decidida por suas habilidades não permitiria que ele vivesse uma vida fácil como ele desejava.

Comparado à viver num ambiente tão estrito, viver uma vida livre de um marginal social aqui parecia mais preferível para ele.

Previamente, ele sempre tinha que se preocupar sobre encontrar Zeshald enquanto andava na rua principal, mas agora que Zeshald abandonou o reino de Fonclanc pelo país vizinho de Blue Garden, não tinha mais razão para ele temer por isso.

“Eu sinto como se eu pudesse fazer qualquer coisa! Hahah, eu sinto que eu poderia destruir uma ENORME montanha num único acerto.”

Sentindo-se assim, ele se aproximou da praça principal do distrito inferior. Ele podia ver uma multidão ao redor do portão do distrito médio. Interessado em que tipo de espetáculo havia reunido pessoas aqui, ele se aproximou da multidão. (NT: Não sei se ficou claro, mas inferior está substituindo mais baixo, porque… eu não sei como não estava já usando isso – não vou substituir por preguiça)

***

“EEEEK, ME SOLTE KREIVOL!”

“Eu não posso fazer isso, Princesa. Mesmo que seja dentro do reino, ir para fora da cidade é apenas perigoso demais.”

Tendo ouvido sobre uma vila dos sem-poder onde Zeshald vivia, Violet tentou ir até a vila Rufk. Ela conseguiu viajar tão longe quanto o portão do distrito inferior antes de Kreivol ter alcançado ela. Violet, pretendendo deixar a cidade, continuou à lutar com seu assistente que estava determinado à trazer ela de volta para o palácio.

No que Kreivol pensou em evitar de envolver a guarda do palácio, ele mobilizou todos os soldados da corps de soldados de deus e fez eles descerem até a cidade sob o pretexto de uma patrulha. Burocratas do palácio, sabendo da natureza caprichosa da princesa deles, concordaram unanimemente com isto.

“Eu só vou até aquela vila sem-poder para checar um pouquinho! Como isso pode ser perigoso?”

“Se o rei disse isso, então é perigoso. Também, não há razão para você visitar a vila onde ele viveu.”

Apesar de Kreivol ter tentado sutilmente persuadir a princesa para não deixar as massas ouvirem sobre assuntos delicados, a princesa Violet, no meio de sua birra, estava completamente ignorante sobre o prestígio da família real no que ela falava sobre seu objetivo.

“Eu posso ser capaz de achar algumas pistas sobre o que aconteceu com Zeshald.”

“… … isto não é uma boa razão.”

Kreivol, começando à sentir uma dor de cabeça por toda preocupação e briga com a princesa das chamas, urgiu que Violet se comportasse mais prudentemente. No meio deste pequeno bate-boca. um dos guardas se aproximou deles e discretamente chamou pelo comandante.

“… Senhor, tem uma pessoa que diz que ele tem algo à dizer sobre a vila de que a princesa está falando…”

“Hmm?”

Kreivol virou sua cabeça em direção do soldado e viu um usuário de artes de vento de aparência esfarrapada esperando atrás do guarda enquanto abaixava sua cabeça. Notando o olhar de Kreivol, o usuário de vento forçou um sorriso. Kreivol fez uma careta, sentindo que este homem é perigoso.

“O que é? Fale.”

“H-hey, acontece que, há aldeões naquela vila que estão em contato com Blue Garden.”

Ouvindo isto, Kreivol e Violet instantaneamente se olharam.

***

Sun estava regando um pequeno campo, que ficava à uma curta distância da casa de Zeshald. No meio tempo, Yuusuke estava pescando num rio próximo.

“Mh~ Mhhhhn~~~”

Assoviando uma canção, ela estava procurando por brotos antes da hora, enquanto jogava água aqui e ali com um conveniente regador que foi produzido por Yuusuke. Sun realmente gostou desta ferramenta conveniente que produzia uma pequena chuva. Na manhã, ela também conversou sobre Yuusuke com Bahana, que estava cozinhando algum tipo de refeição.

Era o 7º dia desde que Yuusuke começou à viver na casa de Zeshald e Sun estava começando à agir mais naturalmente ao redor dele. Sun estava otimista com seu progresso, pensando que ela pode ser até capaz de lidar com seu trauma também.

Depois de colocar o regador no galpão de ferramentas, Sun estava andando na rua da vila para pegar alguma água para o jantar no que ela virou sua cabeça em direção da estrada para Sanc Adiet, onde uma nuvem de poeira na distância chamou a atenção dela. Esta nuvem de poeira estava se aproximando num ritmo lento.

“?… … Quem poderia ser…?”

***

Quatro carruagens, cheias de guardas da cidade de Sanc Adiet, estavam correndo em direção da vila, cercadas pela nuvem de poeira.

“Eu consigo ver ela! Aquela é Rufk, certo?”

“Princesa, por favor se sente. É perigoso se mover por aí num veículo correndo.” (NT: Você claramente não anda de ônibus de linha)

Soldados nas carruagens eram indivíduos bem treinados habilidosos em ou ataque ou defesa ou cura ou comunicações. As carruagens, apoiadas por usuários de água e vento, estavam indo numa velocidade de uma única pessoa andando à cavalo.

Kreivol, avisando Violet, que estava pendurada na janela de seu assento, checou os  arredores para confirmar que não havia perigo. Não tinha como ele poder trazer a princesa Violet para a vila, mas ele sabia que se ele levasse ela de volta para o palácio, ela iria imediatamente sair escondida e seguir ele.

Ele decidiu que seria mais fácil proteger a princesa se ele pudesse observar ela. Então, o normalmente teimoso Kreivol permitiu que Violet se juntasse à viagem desta vez. Nisso, a viagem deixou os guardas comuns realmente nervosos.

“Nós estamos claros, princesa? Não importa o que aconteça, você não deve se separar de mim.”

“Entendido, entendido. Você é tão preocupão.”

Violet estava animada. Como os guardas estavam indo junto com ela, ela acreditava que não haveria problema mesmo se houvessem espiões na vila Rufk. Contudo, ela sentiu algum arrependimento pelas circunstâncias que a trouxeram aqui – a reclamação do homem que aproximou Kreivol algum tempo atrás.

– Havia um colaborador espião de Blue Garden na vila Rufk –

Ele havia visto um lugar onde os sem-poder estavam trabalhando com um espião de Blue Garden quando ele havia visitado a mata, cercando a vila, alguns anos atrás junto com um usuário de artes de terra superior.

Eles foram atacados pelo espião numa tentativa de silenciar eles. O usuário de artes de terra foi morto enquanto a testemunha de algum modo conseguiu escapar viva. Ele sabia que o chefe real dos instrutores de artes divina Zeshald era a pessoa principal, apoiando o espião, mas pensando que era algum tipo de engano, ele permaneceu quieto até agora.

[“Não há dúvida que o período de tempo bate… mas aquele homem tem algo anormal em seus olhos.”]

Não havia nada de estranho em ter uma atmosfera estranha ao seu redor depois de passar um longo período de tempo sozinho e se preocupando sobre algo. Mesmo que Kreivol entendesse isso, ele já tinha um preconceito ruim sobre o homem que se aproximou dele.

Enquanto tinha pensamentos assim, o grupo na carruagem estava se aproximando da vila Rufk.

***

Yuusuke estava pescando num pequeno rio que corria através da floresta por perto. Ele estava usando uma vara de pesca, alguma linha de pesca e isca de pelúcia, que ele obteve através de customização. Um rio maior com peixes grandes era mais distante da vila e levava um dia apenas para ir e voltar a pé, então Yuusuke estava buscando por peixes pequenos, que viviam no rio menor.

Isso foi uma sugestão de Bahana, no que iria permitir que Yuusuke ganhasse alguma estamina já que, vindo de um mundo moderno, ele era bem fraco para um homem neste mundo.

“Se eu tivesse que dizer… ficou esse tanto mais fácil só por modificar isso um pouco.”

Yuusuke pensou que ele seria facilmente capaz de pegar a caça na floresta por mexer nas armadilhas um pouco. Ele estava satisfeito por uma cesta de pesca cheia, que ele conseguiu encher apenas por usar uma linha de pesca forte e transparente e uma isca de pelúcia altamente customizada.

“Isto deve ser o suficiente.”

Tendo pego dez peixes, Yuusuke estava guardando suas ferramentas e preparando para deixar o lugar de pesca no que ele repentinamente sentiu uma presença humana e virou sua cabeça em direção do recém-chegado. (NT: Dez peixes pequenos encheram a cesta… que coisa pequena)

“Hmm, você realmente parece um novato.”

“Ah, É VOCÊ!!”

Antes que ele pudesse notar, um homem de cabelo verde estava de pé atrás dele. Era o mesmo homem que chamou por Zeshald alguns dias atrás. Ele se chamou de Reifold e era provavelmente um espião de Blue Garden. Ele sugeriu que Yuusuke retornasse rapidamente para a vila.

“Parece que algo terrível está para acontecer?”

“O que é? O que VOCÊ fez?”

“Eu? Oh, eu não fiz nada?”

Reifold espalhou seus braços enquanto fazia um leve sorriso em resposta às alegações de Yuusuke.

Ele não conseguia colocar exatamente isso em palavras, mas este homem carregava um tipo de atmosfera diferente de Zeshald. Mesmo quando ele sentia que o homem não podia ser confiado, avisado sobre um evento terrível que estava para acontecer na vila, Yuusuke ficou preocupado e se apressou para retornar para a vila.

“Hey, você… não está mais aqui!”

Pela hora que ele terminou de guardar as ferramentas de pesca e o que pegou, a figura de Reifold não estava em lugar algum para ser vista.

***

Era o começo da tarde. Tendo deixado metade dos guardas da cidade na vila, uma carruagem estava se apressando de volta para Sanc Adiet. Violet e Kreivol estavam sentados um contra o outro. Uma suspeita por traição – jovem garota sem-poder – estava com eles, suas mãos restringidas com algemas. Como esperado, ela estava tremendo enquanto cobria seu corpo.

“Você esteve tremendo o tempo todo. Usuários de habilidade são tão assustadores assim?”

No que eles prenderam esta garota por ser uma serva à longo tempo na casa de Zeshald, uma jovem mulher da vila tentou seu melhor para resistir eles e fazer eles pararem de tratar esta garota com violência. Ela usou da razão que esta garota quase foi morta pelos jovens usuários de habilidade algum tempo atrás estava aterrorizada de qualquer um que manejasse artes divinas desde então.

Guardas da corps de soldados divinos não ligaram para esses protestos e pararam com seu uso violento de artes divinas apenas pelas ordens de Violet. Ela esteve escutando as histórias de Zeshald sobre as vidas das pessoas sem-poder, então ela se sentiu enojada vendo isso.

Afinal, o objetivo original de Violet era visitar esta vila para aprender sobre a vida de Zeshald e machucar desnecessariamente os aldeões não ia ajudar a causa dela.

Violet também não podia ignorar o fato que, como a aldeã resistindo disse, a garota estava tão aterrorizada que ela não conseguia nem andar ou entrar na carruagem sozinha. Também, querendo saber mais sobre Zeshald, ela sugeriu escoltar a garota até a capital ela mesma. Claro que Kreivol opôs isso dizendo –

[“Um membro da realeza andando na mesma carruagem que uma sem-poder… e uma suspeita de traição ainda!”] [“Você está vindo comigo, então está tudo bem.”]

Kreivol só podia desesperançosamente se render ao sorriso descuidado e confiante de Violet. Tendo jurado aliança ao rei Esvobus e tendo tido a princesa colocada sob seu cuidado, esta era a reação de costume dele para o tratamento frio que ele recebia da princesa.

“Você viveu junta com Zeshald, certo? Você viu qualquer pessoa suspeita ao redor dele?”

“… … Você… conheceu o professor? … …”

“Zeshald frequentemente brincou comigo no palácio quando eu era uma criança.”

Violet olhou para Sun, que ergueu sua cabeça com uma expressão de [“Eh?”] aparecendo em seu rosto, com seus olhos vermelhos brilhando com confiança e determinação.

“Por favor me conte tudo que você sabe sobre Zeshald.”

 


Tradução: Thyros



Fontes
Cores