WCC – Capítulo 66 – Sombra de Desastre



Quinto dia do mês de fogo de Fyolnar.

Nos andares superiores do palácio de Volance, a risada alegre de Violet podia ser ouvida na manhã.

“Bwahahahahaha” (Violet)

“Sun…” (Yuusuke)

“M~me desculpe.” (Sun)

Yuusuke teve um sangramento nasal e desmaiou devido à sedução de Sun, que foi então descoberto por Violet. Atualmente ele havia virado motivo de chacota devido à esse evento.

No que o festival de dança e férias acabaram, Sun e Yuusuke haviam chego de volta em sua mansão em Sanc Adiet ontem de noite e haviam reassumido seus deveres de corps hoje.

Mais cedo esta manhã, no que eles estavam relatando para o palácio para trabalho, eles foram enchidos por Violet que queria ouvir a história sobre o que aconteceu durante o duelo. No que era o dia para distribuir o próximo conjunto de anéis de artes divinas, como Sun era quem observou o duelo do assento especial, Yuusuke pediu para ela explicar para Violet e foi para as salas de descanso das corps do palácio para entregar os anéis ele sozinho.

Quando ele viu Hivodir dando uma folga na sala de descanso, ele imaginou sobre a reação de Violet ao ouvir sobre o festival de dança, pela hora que ele havia retornado, a história havia progredido para os eventos que haviam acontecido no templo do deus maligno.

“Mas, en~tendo. Não era porque Yuusuke era tapado no fim das contas.” (Violet)

Entendendo o sentido por trás dos eventos, Violet esfregou sua barriga. (NT: De tanto rir)

“Ao invés disso, e quanto o tópico anterior?” (Violet)

Por ora, Yuusuke tentou colocar o esforço para mudar o tópico. No que era para a pesquisa da fera modificada, a proposta de Yuusuke era ir numa viagem para achar informação sobre a organização de pesquisas na ex-Nossentes e Gazzeta.

“Ah~ para isso… eu tenho que consultar com meu pai primeiro, logo isso terá que esperar até amanhã.” (Violet)

“Okay, por favor vá em frente com isso.” (Yuusuke)

“Como esperado. O que Gazzeta fará de agora em diante, ainda não é claro… não subestime aquele homem.” (Violet)

A proposta de Yuusuke para ir diretamente até Gazzeta fez Violet franzir, parece que a proposta dele estava de acordo com a decisão de Rei Esvobus para tirar informação de Gazzeta. ~~ O esforço de Yuusuke havia aparentemente pagado. (NT: Eu juro que traduzi direito, é uma zona mesmo…)

***

A torre Central, Patrucia Nost~~

“Inquéritos de Blue Garden?” (Shinra)

A carta foi enviada no nome de Rainha Risha, dentro da carta, ela queria perseguir os crimes feitos pelo ex-oficial supremo num pretexto de pesquisa de feras mágicas dentro da organização de pesquisa da ex-Nossentes, para descobrir se algo assim havia existido. (NT: Ela está culpando Izapnar e tentando investigar, pronto.)

Shinra presumiu que a carta de Blue Garden foi na verdade pedida pelo lado de Fonclanc no que ele se baseou nos incidentes recentes que haviam ocorrido próximo das bordas de Trent Rietta e Fonclanc, logo Ayuukas acenou concordando com a teoria dele. E parece que ele estava certo.

No fim, a viagem de Yuusuke para Gazzeta estava sendo engavetada e a família real de Fonclanc adotou o plano de tentar contactar Gazzeta através da Rainha Risha.

A razão, para apostar no relacionamento pessoal próximo que Rainha Risha e Rei Shinra haviam compartilhado.

“Se eles estão procurando por informação sobre a fera modificada, por favor não use este tipo de tática…” (Shinra)

“É possível ser ensinado para outros pesquisadores?” (Ayuukas)

“Não, as informações estavam sendo contidas. Contudo, parece ter causado uma agitação ao invés disso.” (Shinra)

“Hoho, esta criança Shin também está ficando preocupada sobre isso.” (Ayuukas)

A vidente da vila Ayuukas atingiu Shinra pelo movimento ruim que ele fez, expondo seus atos imaturos e tirando sarro dele estando como ele era durante seus dias jovens, sendo referido como uma criança, Shinra fez um rosto desagradado.

“… de qualquer jeito, quanto tempo você estará ficando aqui, obaa-san. Retorne rápido para a vila.” (Shinra) (NT: Eu não vou usar “velhota”, e acho que seria isso que ele disse para ela, que é tipo “vovó”)

“Minha casa é aqui.” (Ayuukas)

À muito tempo atrás, esta vidente da vila esteve vivendo em Patrucia Nost, no que ela disse isso ela mexeu suas mãos no ar e saiu para uma caminhada no jardim ao céu. Vendo ela partir, Shinra imaginou sobre quantos anos se passaram para esta obaa-san que trata todas as pessoas ao redor dela como crianças.

“De frente pode parecer assim, mas parece ser um pouco mais convencimento é necessário…” (Shinra)

Shinra estava suspirando no que ele escrevia uma carta de resposta.

***

“Risha-sama, nós recebemos uma carta do Rei de Gazzeta…” (Masha)

“Carta?” (Rishause)

Rishause recebeu a resposta de Gazzeta ao inquérito se tratando da instituição de pesquisa da antiga Nossentes. O conteúdo na carta podia ser resumido “nós temos alguma informação, mas preferimos não espalhar ela”.

Ao invés de uma carta formal, ela foi entregue na forma de uma carta pessoal do Rei Shinra, no que parece que o inquérito sendo feito por Risha desta vez foi um pedido pelo Rei Esvobus foi descoberto.

“…? Eu imagino o que isto significa.” (Rishause)

Uma mensagem misteriosa estava afixada no canto da carta, “para preparar para o retorno do apocalipse”.

O conteúdo da carta foi imediatamente reportado para Fonclanc, os burocratas do palácio de Volance perceberam que Shinra sabia sobre as feras modificadas mas estava decidindo manter aquela informação para si mesmo, no que eles imaginaram se Gazzeta estava planejando essas feras modificadas como armas ou não? Esta era a questão nas mentes de um grande número de pessoas.

Mas, o que eles devem fazer sobre as hostilidades de Gazzeta, logo algumas opiniões divergentes ocorreram.

“Como eu disse, nós devemos organizar uma força punitiva! Antes que seja tarde demais, nós devemos atingir Gazzeta antes deles construírem seu exército!” (Afonso)

“Não seria o melhor agravá-los, Gazzeta passou por grandes distâncias e dor para adquirir aquele país, eles não gostariam de ver guerra e invasão diante de seus próprios olhos.” (Fernando)

“É. Os artless estavam apenas reclamando sua terra, por que você gostaria que nós enviássemos nosso povo de artes divinas para ir por todo esse problema. Quando nós já colocamos todos nossos esforços em melhorar este país.” (Ivan)

“Isso é muita folga!” (Lázaro) (NT: Ele está dizendo que é muita folga, mas não era tão direto… foda-se.)

A facção de guerra quer a subjugação de Gazzeta no que eles acreditam que a mensagem misteriosa era uma notícia em avanço de um ataque nas nações de artes divinas. A destruição de Nossentes era um desastre para a sociedade de usuários de artes divinas, e eles estavam sugerindo que essas feras modificadas possam causar outro desastre imenso.

Apesar da facção pacifista concordar na interpretação de “desastre”, eles acreditam que Gazzeta está avisando eles através de sua “resposta”, de agora em diante antecipar as vítimas dessas feras modificadas.

Sem dúvida esses pesquisadores de artes divinas criaram as feras modificadas para que elas possam ser uma ameaça aos usuários de artes divinas. Anteriormente, os sabotadores de Blue Garden soltaram a fera protótipo em ranchos que pertenciam à Fonclanc, e a ironia que os eventos pareciam ter servido como um aviso.

Dentre a facção de guerra, haviam extremistas que acreditam que esses artless bárbaros são sem nenhuma criação e então eles não podiam possivelmente demonstrar tais ações humanas. Enquanto a facção pacifista acredita que eles subestimaram e criticaram Gazzeta.

Contudo, os artless não tendo cultura e reconhecendo que eles sabem que há uma falta de cultura nos artless, os discípulos de Zeshald haviam apontado e criticado.

No que o debate das mensagens misteriosas segue forte dentre os burocratas, Zeshald havia conseguido o conteúdo da mensagem pela rede de inteligência de Reifold e parece que ele tinha uma interpretação diferente.

“Rei Shinra… ele parece saber até que um monte sobre o Deus Maligno de desastre.” (Zeshald)

Em algum lugar em Gazzeta, dentro da vila do Clã Branco, havia uma consolidação de registros de 3000 anos de história sobre o deus maligno.

Uma vez, Shinra havia mencionado para Yuusuke diante das paredes de Paula, a opinião de Gazzeta sobre o Deus Maligno era que ele “preparava para a recorrência do desastre”, logo Zeshald estava imaginando o que ele quis dizer. A história de Kaltsio era similar à situação atual?

“A recorrência do desastre” que alguém normalmente apontar e pensar sendo o deus maligno, ou talvez isso indicava a fera modificada. O primeiro era um motivo sugerido para despertar Yuusuke como o deus maligno, logo ainda mais alguém deve evitar deixar Yuusuke ir para Gazzeta.

O último, durante o reinado do deus maligno anterior que havia descendido, implica as existências de tais feras modificadas.

“O clã branco, a era da prosperidade Artless, que tipo de mundo era esse…?” (Zeshald)

***

Nono dia do mês de fogo de Fyolnar.

“Como eu pensei, seria difícil.” (Razsha)

“Un… eu acredito que as circunstâncias parecem estar bem, mas é por que nós estamos faltando algo?” (Yuusuke)

Na instalação de cultivo criada, localizada no porão da mansão de Yuusuke, Razsha estava atualmente no meio de avançar a cultivação do musgo solar e parecia que ela havia alcançado o limite para o passo atual.

“A árvore onde o musgo cresce é a chave, eu precisarei viajar para Trent Rietta.” (Razsha)

“… nós poderíamos arranjar uma desculpa para ir numa viagem?” (Yuusuke)

“Surpresa!” (Razsha)

“Haha bem, vamos apenas pedir para Violet.” (Yuusuke)

Yuusuke e Razsha estavam sendo completamente francos entre si, era apenas o estilo de boa deles.

No que era hora para ele seguir para a loja de Sorzak, apesar de Razsha dever ter consideração sobre a aparência de Yuusuke e se tornar mais humilde quando ela fala com ele toda vez que eles estão fora da mansão, contudo, não parece ter um espaço entre o interior e exterior das palavras dela, no que ela sentia que Yuusuke lembrava ela de sua querida família.

Para Yuusuke, Sun e Violet são de uma importância diferente de Razsha.

***

Nos mares de árvores de Trent Rietta. Onde as vinhas espreitadoras e vegetação prosperam, uma pedra branca se destaca. Em um olhar, ela parece uma pedra normal nos mares de árvore, e desta pedra que está se destacando um usuário de arte divina armado cuja sombra podia ser vista numa posição defensiva.

“Logo deve ser a hora para mudar o turno.” (José)

“Ahh, finalmente eu posso comer alguma comida decente.” (João)

“Eu atualmente não consigo me segurar mais… eu comeria qualquer coisa, até a carne deles…” (Jairo)

“Esse tipo de coisa poderia ter algum para você sabe, se acostume.” (Juca)

Uma caverna natural que foi transformada numa instalação de pesquisa subterrânea com algum trabalho. Neste lugar coisas vivas estavam sendo desenvolvidas para virarem armas, atualmente um tipo especial de droga está sendo pesquisado.

No começo, era uma instalação para testar clinicamente novas drogas no corpo humano, inintencionalmente eles começaram a usar as feras capturadas para os testes e ver se eles eram capazes de refinar um novo tipo de droga, durante esses experimentos, essas drogas foram administradas às feras mágicas, logo dotando elas com algumas habilidades únicas.

Os pesquisadores que descobriram isto, mais ou menos continuaram seus experimentos e pesquisaram nisso. Eles trabalharam numa forma simples de hipnotizar a fera, permitindo eles darem para ela comandos simples. Mas no que estava fora do escopo de pesquisa da instalação, eles tinham que fundar esta pesquisa de seus próprios bolsos para poderem continuar.

Houve um período de tempo onde eles estavam precisando de dinheiro para poder continuar patrocinando sua pesquisa, logo eles aproximaram um mercador ilegal para vender seus produtos, e eles venderam o modelo de fera soldado secretamente para o país vizinho.

Devido à destruição do país original deles, durante a hora de escapar, eles reuniram todo maquinário, fundos e dados de pesquisa que eles conseguiam pegar e foram em confinamento, eles então começaram sua pesquisa de todo dia com o foco de completar os “soldados de fera mágica”.

Sem um lugar para retornar já que sua terra natal foi destruída e a pesquisa inumana que eles haviam feito, eles mesmos perceberam que eles não poderiam ser reconhecidos. Nesse caso, para eles poderem sobreviver, eles haviam decidido garantir um lugar e comida para eles mesmos.

Poderosos soldados de fera mágica, pesquisa e desenvolvimento de feras mágicas, essas pessoas que perderam seu país decidiram apostar em sua fé no “projeto”.

Sendo libertados da tradição e formalidades de relatar ao Conselho Divino, para poderem adquirir mais fundos, eles haviam seguido o conselho do mercador ilegal para ir sob um novo líder, logo removendo qualquer ética restante que eles tinham, e se imergiram em sua pesquisa.

***

Numa cela resistente que rivaliza a sala da instalação de pesquisa das feras mágicas, no canto onde os olhos podiam distinguir, um gemido e murmuro de um membro encarregado do arranjo das drogas foi estava sendo chamado por seu colega.

“Oy, vamos arrumar alguma comida.” (Tião)

“Isto é… ah… eu irei imediatamente… o espécime experimental… seu cérebro está degenerando…” (Teco) (NT: Sem ideia para nomes hoje)

Este pesquisador era encarregado com o trabalho de pesquisar o motivo de haver uma anormalidade com feras modificadas criadas selvagemente. (NT: Sem ser em cativeiro)

20 dias antes, nos relatos programados, em um certo ninho que estava no alcance, algo havia atacado as feras modificadas, durante esse momento, o ninho foi ateado fogo, mas por alguma razão elas não se moveram para fora de lá.

Como um último recurso, eles haviam enviado uma ordem às feras modificadas usando uma “flauta mágica” para atacar o grupo de aventureiros que havia ateado fogo no ninho, mas eles tiveram as mesas viradas contra eles quando o grupo havia usado um usuário de arco que revidou a desordem de obstrução de artes divinas.

Logo nesses incontáveis dias, ele esteve madrugando e respondendo num tom de murmuro, vendo isso, seu colega desistiu e seguiu sozinho para o refeitório. Ainda mexendo com as drogas modificadas para usar na fera mágica, ele não notou a porta se fechando atrás dele.

“Ah.” (Teco)

Para adquirir um contêiner de tal má qualidade mesmo quando haviam fundos de pesquisa o suficiente, o contêiner caiu e se espalhou na cama. Por sorte, ele foi capaz de juntar o suficiente do conteúdo da droga líquida para evitar de ter que refazer ela. Contudo, essa foi a única coisa sortuda que ocorreu.

“Enquanto ainda tiver isto, usar água para diluir a solução não causará problemas”, lentamente perdendo sua capacidade para pensar adequadamente, este pesquisador acenou sua cabeça para se afirmar, usando um pano ele curvou e secou a droga líquida.

“… u… uh…… fu… fueee” (Teco)

Sendo envenenado pela droga, ele começou a ter poderosas ilusões, trazendo ele num estado de excitação, que fez seu stress acumulado ser liberado. Incapaz de controlar suas emoções contidas, ele abriu um lado da gaveta da escrivaninha.

“uuuh… abra! Abra! uu… eu não consigo mais aguentar isto! o!” (Teco)

Sua visão embaçada caiu nas muitas gaiolas onde as feras selvagens capturadas estavam contidas.

“Libe… rar…” (Teco)


Tradução: Thyros



Fontes
Cores