WCC – Capítulo 64 – O Festival de Dança (Parte 1)



“Nós finalmente chegamos. Como eu pensei, isto foi mais rápido do que usar uma carruagem dos cavaleiros.” (Yuusuke)

“Para ser capaz de viajar rápido assim sem uma carruagem. Isso é uma coisa incrível!” (Sun)

Eles só tomaram um pequeno descanso durante sua viagem e foram capazes de chegar na vila no começo da tarde. A viagem levou cerca de cinco horas, e repetir a mesma tarefa por tanto tempo assim não era nada para um ex-viciado em MMO como Yuusuke.

“Yuusuke-san, eu pensei que você voltaria em breve.” (Bahana)

“Estou de volta, Bahana-san.” (Yuusuke)

“Hey~” (Bahana)

Quando ela ouviu que Sun foi apontada como uma atendente especial para a Corps do Deus da Escuridão, Bahana gentilmente acariciou o cabelo da garota, pedindo para ela mostrar seu uniforme da próxima vez que ela voltar para casa.

Porque eles não usaram uma carruagem para ir até a vila, no começo somente as pessoas que estavam próximas do portão da vila haviam notado eles. Contudo, pela hora que eles chegaram na casa de Zeshald, a notícia havia se espalhado minunciosamente por toda vila e todos haviam se reunido para cumprimentá-los.

“Parece que a vila ficou maior.” (Yuusuke)

“Eu também consigo ver alguns prédios novos.” (Sun)

“Hehe, todo mundo está vindo para esta vila por causa de vocês. Nós até tivemos famílias inteiras se mudando para cá das outras vilas.” (Bahana)

Vila Rufk estava sendo tratada excepcionalmente bem devido aos serviços governamentais de Yuusuke, além disso, Zeshald também vivia ali. O fato que essas duas pessoas que fizeram um serviço exemplar para o Reino de Fonclanc viviam aqui, fez o nome da vila ressoar pelo país.

Além disso Sun, uma garota que nasceu nesta vila, foi apontada para ser uma atendente pessoal para a famosa Corps do Deus da Escuridão. Este evento havia atraído ainda mais atenção dos países vizinhos.

“Bem, isto não criou quaisquer problemas até agora, eu acho que é uma coisa boa que as coisas ficaram mais agitadas por aqui.” (Bahana)

“Isso é verdade.” (Yuusuke)

Olhando para os prédios novos que foram erguidos em um local onde havia anteriormente sido uma parte da floresta, Yuusuke entendeu que este lugar também tinha lentamente começado a mudar. Ele ficou reminiscente sobre um campo vazio em que ele costumava brincar quando criança e como aquele campo se foi completamente pela hora que ele entrou no fundamental 2. (NT: Eu odeio traduzir anos escolares…)

Era muito mais difícil notar isso numa cidade grande, mas aqui era fácil ver que mais pessoas significava desenvolvimento, o que subsequentemente atraía ainda mais pessoas. Ele pensou que quando ele retornasse para a vila depois de outro meio ano, ao invés de trazer presentes para todos na vila, ele compraria apenas uma garrafa de álcool para as pessoas que eram mais próximas dele.

“O crescimento da vila significa um enfraquecimento dos laços entre todos, eh?” (Yuusuke)

“Yuusuke-san?” (Sun)

Sun inclinou sua cabeça, intrigada pelo que Yuusuke havia dito silenciosamente. O capitão dela respondeu com um sorriso despreocupado e se virou em direção da casa de Zeshald.

***

“Cheguei, sensei.” (Sun)

“Oh, a quanto tempo.” (Zeshald)

“Mhm, feliz em te ver de novo.” (Yuusuke)

“… bem vindos de volta.” (Belushya)

“Bem vindos…” (Elfiona)

Zeshald parecia saudável como sempre quando ele emergiu do batente junto com Belushya e Elfiona, a primeira vestida no uniforme de empregada dela, enquanto a última estava vestindo um simples vestido de vila. Elfiona parecia completamente diferente de antes e podia facilmente passar como uma criança tímida de sua idade.

Com o dia do festival aí, a vila estava fervilhando com todo mundo preparando para a ocasião. Entre eles haviam até alguns homens bravos que abertamente declararam que eles iriam atrás de Belushya durante o festival. Além do mais, eles não eram os aldeões mas os cavaleiros que estavam estacionados aqui para proteger isso.

“Falando sobre isso, muita coisa aconteceu durante o festival da colheita.” (Zeshald)

“Ata! Com certeza foi uma noite agitada.” (Bahana)

“… É.” (Yuusuke)

Yuusuke lembrou que Sun foi atacada por Thalys, que deveria ser o amigo de infância dela, enquanto Yuusuke, no meio tempo, foi atacado por um enxame de garotas da vila. Essas memórias deixaram ele se sentindo de algum modo miserável.

“Você está preparado para proteger Sun desta vez?” (Zeshald)

Estando diante de um Zeshald rindo, Yuusuke se sentiu tenso como se ele estivesse diante do pai de Sun.

***

Em seguida, a noite havia vindo num sopro. Yuusuke estava falando com Zeshald sobre o incidente da fera maligna e pedindo pela opinião dele.

“Hmm, as feras malignas que você descreveu e o homem, que tentou vender as feras malignas para Blue Garden, parecem estar relacionados. Isso não parece estranho para você?” (Zeshald)

“Não há uma possibilidade de vários grupos estarem envolvidos na procriação de feras malignas?” (Yuusuke)

“Ou possivelmente há um único grupo principal que controla vários outros menores?” (Zeshald)

“Ah! Eu entendo, poderia o grupo estar testando vários métodos para vender suas feras?” (Yuusuke)

Se o jeito de criar as feras malignas que o grupo de Yuusuke viu na floresta era praticado por um tempo, seria natural para os relatórios de dano e pessoas desaparecidas começarem a aparecer muito mais cedo. Como os relatórios de dano haviam começado apenas um pouco antes, isto não parecia provável.

“Ainda, isso não parece ser natural.” (Zeshald)

Zeshald apontou para uma possibilidade ainda mais perturbadora – as feras podem não ter sido criadas para vender, elas podem ter sido criadas como parte de um experimento. O ninho pode ter sido colocado para criar dano o suficiente para arranjar um grupo de investigação que podia ser usado para testar as capacidades de batalha dessas feras.

“Hmm, não importa como nós coloquemos isso, esta situação…” (Yuusuke)

Yuusuke estava lembrando sentir emoções similares num jogo que ele havia jogado antes.

“…” (Elfiona)

“Qual o problema?” (Belushya)

Belushya notou que Elfiona parecia querer dizer algo e chamou por ela. A garota se lembrou que ela havia ouvido alguns pesquisadores falando sobre tais feras malignas durante seu treinamento como uma criança assassina na instituição.

“Então Nossentes está envolvido nisto no fim das contas.” (Yuusuke)

“É um país antigo. Não é surpreendente que eles tenham um monte de coisas acontecendo.” (Zeshald)

Repentinamente Yuusuke queria tentar perguntar para Gazzeta se eles tinham qualquer informação sobre um grupo de pesquisa assim existindo na ex-Nossentes. Zeshald concordou com a proposta na base que Gazzeta pode providenciar a informação pedida como um meio de atrair a atenção do Deus Maligno – uma figura em que eles tem grande interesse.

“Eu tentarei falar disto com Violet depois do feriado.” (Yuusuke)

“Isso mesmo, vamos evitar tomar conclusões sem reunir informação o suficiente primeiro.” (Zeshald)

Com isto, Zeshald terminou a discussão sobre as feras malignas.

“Nós conversamos por um longo tempo, eu acho que é melhor nós irmos descansar hoje.” (Zeshald)

“É.” (Yuusuke)

Na noite de amanhã o festival começará e a dança começará no dia seguinte. Era uma boa ideia ir dormir mais cedo esta hoje.

***

“Bom, eu irei de algum modo chegar à tempo para o festival de dança.” (Celso)

Vigésimo dia do mês do vento de Zalnar, o dia antes do festival da dança. Um jovem homem estava na rodovia de Fonclanc, indo sentido norte em direção da vila Rufk.

“Mas não está aquela garota vivendo em Sanc Adiet agora. Se ela não voltar para casa para o festival, nossa viagem terá sido perdida.” (Fausto)

“Não se preocupe. Zeshald-sensei também está na vila. Não há como ela perder uma oportunidade dessas e ficar na capital.” (Celso)

O jovem homem insistiu que ela não era o tipo de garota que esqueceria das pessoas que cuidaram dela na vila assim que ela havia crescido acostumada com a vida na cidade. Seu companheiro levemente mais velho acenou em resposta.

“É mesmo? Como esperado de um amigo de infância. Você realmente conhece ela bem.” (Fausto)

Ele ainda tinha uma aparência de um jovem homem, mas a calma que ele sentiu em seu comportamento mostrava que ele era um homem no auge de sua vida. A dupla tinha cabelo branco, denotando eles sendo Artless. Sob suas capas simples, eles estavam vestindo armadura branca e um capacete.

“Eu irei lhe encontrar em breve, Sun.” (Thalys) (NT: Adianta manter o nome-zoera?)

***

Os guardas da vila também estavam ajudando com os preparativos para o festival de dança. Eles estavam movendo mesas e cadeiras para a praça principal da vila e para as outras áreas abertas. Todo lugar na praça principal, pessoas que haviam decidido para quem confessar podiam ser vistas mostrando seu amor à suas contra-partes.

Aqueles que já haviam decidido seus parceiros podiam ser vistos andando por aí enquanto seguravam suas mãos como que para dizer “nós somos um casal”. Ocasionalmente, uma pessoa escolhendo um de vários parceiros tentando confessar para ele ou ela também podia ser visto.

Era esse tipo de evento onde alguém podia inesperadamente achar um parceiro ou podia inesperadamente permanecer sozinho. Também haviam homens que tentavam seduzir múltiplas mulheres ao propor simultaneamente para duas ou três garotas – esses tipos de caras estavam fazendo isso para ganhar atenção, como atores no palco.

[“Claro que eu quero um amante, mas eu não posso apenas escolher um.”] O festival de dança era uma festividade especialmente importante para esses tipos de homens e mulheres.

“Phew, com isto as decorações estão prontas.” (Bahana)

“Bom trabalho.” (Augusto)

Bahana, que estava encarregada de supervisionar as decorações da praça principal, respirou um suspiro de alívio. Ela agora se divertia conversando com duas outras pessoas enquanto supervisionava os preparativos finais de vários outros lugares.

“Você estará encarregada da carne desta vez de novo, tia Bahana?” (Augusto)

“Não~ eu estarei encarregada de entregar o álcool desta vez.” (Bahana)

Ela tomou o trabalho de distribuir o álcool para as mesas que estavam espalhadas por toda a vila para que ela pudesse bisbilhotar as conversas dos amantes e dar algumas dicas. As responsabilidades dela também incluía escoltar qualquer problema em potencial. O raciocínio de Bahana era que o festival de dança deste ano seria muito maior que o normal.

Este ano, a população da vila disparou, isto incluía alguns dos cavaleiros que estavam estacionados na vila, e haviam se aproximado dos aldeões. Além disso, vários dos cavaleiros estavam até almejando Belushya.

“Hmm. Mas Belushya reverencia Zeshald, não?” (Augusto)

“Ahahaha. Ela reverencia, com certeza. Será um festival de derrota para eles.” (Bahana)

Bahana riu e continuou, no que ela avistou uma pequena figura inquietamente andando entre um maço de flores que estavam decorando um canto da praça.

“Em dois ou três anos, Elfiona também será de idade adequada. Eu estou esperando ansioso por isso.” (Bahana?)

Elfiona, que estava sendo olhada de maneira morna pelos outros adultos, repentinamente congelou, encarando num beco que era tão pequeno que ele mal podia ser chamado disso.

“Há algo errado, Elfi?” (Bahana)

Notando o comportamento inusual da garota, Bahana chamou por ela. Elfiona continuou encarando o beco e só disse uma única palavra no que ela apontou seu dedo em direção dele.

“Soldados, dois deles.” (Elfiona) (NT: Isso não me parece 1 palavra)

Um som de movimento podia ser ouvido da direção que a garota estava apontando. Repentinamente, uma voz rabugenta, que estava aproximando elas, podia ser ouvida.

“Eu não achei que haveriam soldados ao redor. É uma coisa boa que este lugar não mudou.” (Thalys)

“É porque esta vila também passou por muita coisa, contudo algumas brechas ainda permanecem.” (Fausto)

Thalys emergiu na praça da vila depois de evadir a rede defensiva de cavaleiros, protegendo a vila, ao usar os pequenos becos entre os prédios. Ele frequentemente usou esses becos desde que ele era uma criança. Depois de um minuto, outro Artless alto havia emergido atrás dele.

Enquanto todos estavam de pé embasbacados, Thalys notou Sun e, com uma expressão animada, havia corrido até ela.

“Sun! Para ver você logo após retornar. Deve ser o destino para nós f-” (Thalys)

No que ele abriu seus braços largamente para abraçar a garota, Bahana repentinamente ficou no caminho dele.

“Elfi, chame o sensei e todo o resto. Vá depressa!” (Bahana)

“Nhn.” (Elfiona)

Bahana urgiu a garotinha enquanto suas costas estavam viradas para Sun. Elfiona deu uma afirmação rápida e correu em direção da casa de Zeshald. Como esperado, sendo treinada para ser uma assassina desde uma idade muito jovem, suas capacidades físicas não eram só para se mostrar – ela correu por uma multidão de pessoas como se ela estivesse correndo por um campo vazio.

“Bahana-san, por favor fique de fora.” (Thalys)

“Você, qual a razão pela qual você voltou aqui?” (Bahana)

“Para cumprimentar Sun, claro.” (Thalys)

“Maaah?” (Bahana) (NT: Eu gosto de lembrar as pessoas que isso é meu “mah que caralhos?”, uso toda vez que em inglês está “wha” – as vezes tem gente que não leu outras traduções minhas e… enfim, tá aí)

Ao partir para Gazzeta, Thalys gastou seu tempo treinando para virar um soldado. Ele havia aprendido várias coisas sobre o mundo, encontrou várias pessoas, e com isso ele conseguiu se tornar um pouco mais maduro. Naturalmente, ele conseguiu subjugar seu hábito de ir atrás de todas mulheres.

No começo ele continuou seduzindo mulheres mesmo depois de sua deserção para Gazzeta, mas gradualmente ele superou seu impulso e começou a pensar seriamente sobre escolher sua parceira para vida toda. Foi então que ele notou que Sun tinha tudo que ele visualizava em sua imagem de uma mulher ideal.

“Então, você estava buscando pelo festival de dança para que você pudesse sequestrar ela?” (Bahana)

“Eu estava com pressa para que eu pudesse chegar na vila em tempo para o festival de dança.” (Thalys)

Ouvindo os dois conversarem, aldeões começaram a fofocar alto. Cavaleiros também podiam ser vistos correndo até a praça principal. Enquanto Bahana estava falando com o jovem homem, que era aparentemente desta vila, o outro Artless estava cautelosamente inspecionando seus arredores.

“Sun, vamos para Gazzeta juntos.” (Thalys)

“Eu não quero.” (Sun)

A resposta de Sun foi instantânea. Contudo, isso estava dentro das expectativas de Thalys. Sem recuar, ele começou a tentar persuadir Sun, contando para ela sobre a maravilhosa vida em Gazzeta – um país governado pelos Artless. O soldado artless de pé com seus braços cruzados atrás de seu parceiro silenciosamente acenou para tudo que ele disse.

“Sun!” (Yuusuke)

“Ohoho, pequeno Thalys e um soldado artless.” (Zeshald)

Naquela hora Elfiona retornou com Belushya, Yuusuke e Zeshald atrás dela. A multidão havia se partido na entrada do jovem Herói de Fonclanc e o velho, de aparência frágil, antigo Instrutor Real de Artes Divinas, e haviam permitido que eles passassem livremente até o centro da praça.

“Yuusuke-san! Sensei!” (Sun)

Sun correu até o lado de Yuusuke e se escondeu atrás do uniforme preto do capitão da Corps do Deus da Escuridão, assim como ela se escondia atrás das costas de Zeshald algum tempo atrás. O rosto de Thalys tremeu quando ele viu Sun se comportando assim e ele se virou para Yuusuke enquanto mantinha sua atitude dignificada.

***

“Hmm, isso não parece outro plano do Rei Shinra.” (Zeshald)

“Desta vez eu havia retornado por minha própria decisão, sensei.” (Thalys)

Yuusuke havia conseguido entender a situação por Bahana e o jeito que Thalys agiu. Seu retorno para Fonclanc e até trazer um soldado do Clã Branco com ele parecia ter sido feito por um capricho de amor jovial.

A promessa propaganda de uma vida fácil para um Artless em Gazzeta estava bem dentro das expectativas de Zeshald, então ele tinha apenas a resposta certa para o cara.

“Apesar de toda energia que você coloca na persuasão, a resposta de Sun não foi clara o suficiente para você?” (Zeshald)

“Eu entendo as razões.” (Thalys)

[Não é melhor só desistir?] Intimidado por esta implicação, escondida nas palavras de Zeshald, o recém chegado subitamente se virou para Yuusuke e apontou para ele, direcionando a culpa para o jovem de cabelo preto.

“Eu ouvi isso no caminho para cá. Você havia arrastado Sun numa batalha perigosa, não arrastou?” (Thalys)

“Eh? Não, isso é…” (Yuusuke)

“Já que você fez Sun se juntar ao exército, ela eventualmente sujará suas mãos de sangue. Eu nunca teria feito ela fazer algo assim.” (Thalys)

“Era algo que eu tive que fazer…” (Yuusuke)

Interrompendo a tentativa de Yuusuke de explicar as circunstâncias sobre Sun virar uma atendente especial da Corps do Deus da Escuridão, Thalys desafiou o Herói de Fonclanc para um duelo.

“Vamos resolver a questão de quem é mais apto a ficar com Sun com isto. Eu serei aquele que protegerá ela!” (Thalys)

A multidão havia explodido com animação. Thalys, que havia se tornado um soldado de Gazzeta, havia desafiado o capitão da Corps do Deus da Escuridão com Sun como um prêmio. O festival de dança era a hora apropriada para tais conflitos, logo a multidão estava esperando ansiosos para se entreterem.

“Você era esse tipo de homem?” (Thalys)

“Eee, eh…” (Yuusuke)

“Que decepção, eu esperava ver o verdadeiro poder de Yuusuke com meus próprios olhos.” (Bahana)

“Não você também, tia Bahana.” (Yuusuke)

Quando Bahana viu Thalys primeiro, Bahana esteve muito cautelosa dele, mas vendo quanto o tempo que ele passou em Gazzeta o havia mudado e como ele havia retornado apenas por causa de Sun, ela não podia deixar de ela mesma admirar levemente ele.

Parecia que Bahana tendia a curtir esses tipos de situações.

(Bem, mesmo que Thalys vencesse, Sun ainda escolheria Yuusuke no fim.)

Se preparando para o duelo deles amanhã, uma parte da já decorada praça da vila estava atualmente sendo remodelada para ser adequada para uma luta.

“Belushya, você pode ter as poções de cura preparadas para amanhã.” (Zeshald)

“… Sim.” (Belushya)

Amanhã era o dia do festival de dança. Zeshald decidiu que como parecia não ter implicações políticas no desafio, ele iria permanecer um espectador da luta entre os dois jovens homens. Por ora ele estava ocupado preparando os suprimentos de cura e sua casa para curar os dois que provavelmente se machucarão amanhã.

“Com certeza é bacana ser jovem.” (Zeshald)


Tradução: Thyros



Fontes
Cores