WCC – Capítulo 62 – O Significado Secreto Por Trás do Vento



~2ª capital de Blue Garden, a cidade fortificada de Paula ~

Na passagem subterrânea da instalação central, parlamento do conselho, Reifold estava andando levemente. Ao lado dele estava uma pessoa da trupe de mulheres que o estava guiando enquanto explicava coisas para ele.

“A atmosfera por aqui é um pouco estranha. Você não acha?” (Reifold)

“É mesmo? Não faz muito tempo desde que eu me juntei à trupe, então eu não tenho muita certeza sobre isso.” (Berenice) (NT: Agora é certeza que é uma garota!)

Reifold é bem conhecido no escalão superior do governo de Blue Garden. Dentre as trupes de elites, ele é conhecido como um “ativista de inteligência astuto”.

Por causa disso, sua guia havia se distanciado das fofocas dentro da organização, no que Reifold tinha uma relação profunda com o instrutor de artes divinas Zeshald, que uma vez havia ensinado o membro novato, Plausha.

Desta vez, Reifold havia recebido uma missão do Rei Esvobus, logo ele estava visitando a instalação através da rota normal depois de obter a permissão da Rainha Risha.

“Logo em frente.” (Plausha) (NT: Aparentemente é ela?)

“Obrigado, deste ponto em diante não teria problema para eu ficar sozinho.” (Reifold)

Dentro da instalação subterrânea, os maiores pecadores do país, também conhecidos como prisioneiros de infrações de nível estadual, estavam sendo abrigados em compartimentos de cela. (NT: Algo como aquelas prisões americanas com vidro e tal? Eu sei lá)

Seu objetivo, visitar o ex-líder supremo de Paula, Izapnar. Sua questão, para perguntar sobre uma de suas operações anteriores de provocação contra Fonclanc, sobre como eles conseguiram soltar uma fera mágica nos ranchos de Sanc Adiet.

Apesar disso não ser sabido oficialmente, foi revelado dentro do testemunho de um ex-membro de trupe de vento que as feras mágicas podiam receber ordens até um certo ponto.

“Yoz, faz um tempinho.” (Reifold)

“… você, o que você quer?” (Izapnar)

“há algo que eu gostaria de saber, sobre a criação de feras mágicas~~ ou talvez o vendedor delas? Algo por essa linha.” (Reifold)

A criação de feras mágicas. Reifold veio para interrogar Izapnar na prisão para saber sobre a possível rota para feras mágicas domesticadas. No momento que Izapnar ouviu sobre as “feras mágicas com habilidade anti-artes divinas” ele teve uma expressão chocada.

“Alterando o arranjo de fera mágica…” (Izapnar)

“Oh? Julgando por essa reação, eu posso assumir que você já sabia da existência dela?” (Reifold)

“Eu não tenho ideia de onde isso veio, mas um mercador de artes de vento estava vendendo isso. Durante aquele tempo, sua capacidade de artes divinas era baixa.” (Izapnar)

Originalmente, ele queria usar um tipo herbívoro relativamente seguro de fera divina, mas quando ele fez a transação com o mercador que comercializa feras mágicas, Izapnar ficou surpreso quando ele foi informado que as feras mágicas não eram capturadas mas criadas.

O mercador que veio vender estava dizendo que uma vez completo, isso podia eventualmente ser usado como uma arma.

“Qual é a relação e o paradeiro desse mercador?” (Reifold)

“Nem ideia. Eu fiz Volmes procurar por ele, mas quando ele entrou no território de Nossentes nó não podíamos realmente rastrear onde ele vai.” (Izapnar)

Lembrando da traição de seu confidente, Izapnar cerrou suas sobrancelhas levemente, e depois de ouvir sobre os detalhes posteriores dos rastros daquele confidente, ele mostrou uma expressão complicada enquanto mexia seu nariz.

“Haiz… aquele cara estúpido.” (Izapnar)

Depois de receber a informação necessária, Reifold se virou para a porta, Izapnar subitamente lembrou de algo e disse.

“Ah sim… aquele mercador, de tempo em tempo ele usa o sotaque de Trent Rietta. Assim como você.” (Izapnar)

“… hmmm, entendo.” (Reifold)

“Obrigado pela consulta”, no que Reifold respondeu com suas costas encarando ele no que ele deixou a cela de confinamento.

***

Enquanto Reifold seguia em direção das celas subterrâneas de Paula, enquanto isso no Palácio Volance, quarto real de Fonclanc, uma reunião com o rei estava sendo feita sobre a resposta ao inquérito que foi enviado por Trent Rietta.

Na manhã seguinte, enquanto Violet estava tendo sua refeição, Kreivol começou a informar o conteúdo do envolvimento deles e os detalhes da conferência sobre o incidente. A questão tinha apenas envolvido a Corps do Deus da Escuridão, que pode levar à algum outro evento grande, mas não havia informação o suficiente.

“Não há um jeito de criar uma conexão com um estado similar à Nossentes?” (Violet)

“Na fase atual, é impossível julgar.” (Kreivol)

Desenvolvendo a habilidade das feras mágicas ao fazer uso de grupos externos dentro dos territórios de seu próprio país? A resposta de Trent Rietta para essa pergunta era “uma organização que realiza uma atividade de pesquisas assim não existe em nosso país”, por favor tome as contra-medidas relacionadas à esta questão.

“Uma organização que usa humanos como isca para alimentar feras mágicas é perigosa, logo o governo de Trent Rietta também começará uma operação de investigação.” (Kreivol)

Em resposta ao inquérito de Fonclanc e os relatos das organizações de comércio, parece que eles estão atualmente operando em força total para entender a situação.

“Eu imagino se será sábio, qualquer dos simples mercadores da associação de troca pode acidentalmente estar envolvido nisso.” (Violet)

“Porque nós não temos a imagem completa do incidente das feras mágicas desta vez, achar pelos resultados da investigação para a escala do incidente não era claro o suficiente.” (Kreivol)

Hoje em dia é altamente improvável para alguém encontrar feras mágicas nas estradas, e devido à esta conscientização, vítimas que haviam sido relatadas estavam frequentemente sendo ignoradas, logo um novo número de verificações devia ser conduzido.

“Nós não podemos fazer nada, só esperar e ver…” (Violet)

Violet murmurou enquanto terminava seu café da manhã no que ela mastigava a carne de pássaro.

***

Por outro lado, Yuusuke estava tendo café da manhã com o grupo de Sun em sua mansão enquanto discutia sobre a lâmpada Rin e o musgo solar. Razsha, que é conhecida como escrava de Yuusuke, “escrava em nome” sob a política dele, está sentada na mesma mesa que eles.

“Para o cultivo de musgo, Rasa, você podia ajudar com isso por favor?” (Razsha)

“Ah, oh sim. Eu devo fazer ela fazer algo também.” (Yuusuke)

Rasanasha não era mais uma princesa cantora nacional oficial, no que ela havia dedicado sua canção ao Yuusuke, a família real reconheceu a transferência dela como pertence dele, logo foi estabelecido que Yuusuke como um indivíduo que é dono de uma princesa cantora.

Então para poder comprar ela, alguém precisa ir através de Yuusuke, enquanto a posição de Yuusuke é que ao menos que ela em si esteja bem com o cliente, a resposta é não, logo atualmente ela está na mesma posição que Razsha, passando seus dias vagamente com tempo livre. (NT: Ele basicamente virou um cafetão…)

Yuusuke estava pensando em tomar vantagem das conexões de Rasanasha para obter a informação dos pesquisadores que estavam cultivando o musgo. Daqui em diante, ele iria ter essas 2 pessoas, Razsha e Rasanasha, ajudando a pesquisa e desenvolvimento da lâmpada Rin.

“Então agora, vamos ir para o palácio hoje.” (Yuusuke)

“Ah, sim, eu irei me preparar imediatamente.” (Sun)

Yuusuke se levantou de seu assento, no que Sun seguiu para seu quarto para se trocar em suas roupas de atendente da Corps do Deus da Escuridão.

***

“Tenha um bom dia.” (Razsha)

“Tenha uma viagem segura.” (Criados)

Depois de ser despedido por seus criados e Razsha, Yuusuke e Sun seguiram em direção do palácio usando a carruagem da mansão. Parece que o novo protótipo da caixa de marchas foi entregue para o palácio ontem por Sorzak e foi ou trazido para seu quarto pessoal ou a sala de descanso dos soldados.

“Sun, eu confio isto à você.” (Yuusuke)

“Eu entendo. Desta vez é o membro da Corp do Deus da Terra.” (Sun)

Yuusuke confiou um anel que amplifica as artes de terra para Sun. Parece que hoje era a data marcada para distribuir o anel de artes divinas. Desde que eles haviam retornado para Nossentes, se tornou o dever de Sun entregar esses anéis de artes divinas aos membros das diferentes Corps de Deus. Por causa disto, os cochichos sobre a presença de Sun no Palácio morreram completamente.

Apesar da relação de Sun e Violet não ter mudado desde que ela se tornou uma atendente, ela ainda era contada como um membro da Corps do Deus da Escuridão, logo as pessoas estão percebendo que pode não ter sido uma mera coincidência que era um “capricho da princesa”.

“Você estará praticando com seu arco hoje?” (Yuusuke)

“Sim, eu estarei alternando com o arco que a Tia Bahana me deu e aquele que a Violet me emprestou.” (Sun)

Ela estava tentando entender e corrigir seu jeito de segurar do arco que Bahana deu para ele, um bom e efetivo método de treino era treinar sua força usando um arco comum.

“Ah~, então esse método existe. Eu devo treinar minha força física ao usar alguns métodos como… uma espada ou alguma coisa.” (Yuusuke)

“Yuusuke-san, espada é…?” (Sun)

Sun, que esteve constantemente encarando o rosto de Yuusuke mostrou um sorriso de “eu entendo” enquanto inclinava sua cabeça. Como se fosse inimaginável para ela. O capitão da Corps do Deus da Escuridão parecia ter sido esfaqueado.

“Ah, ah, me desculpe! Eu não quis dizer assim, porque Yuusuke não parece ser do tipo de sangue quente/feroz.” (Sun)

“Não, é só um problema como um homem sendo um homem…” (Yuusuke)

Olhando para o acabado, parecido com um boxeador, Yuusuke sentado no assento branco puro da carruagem, Sun estava sorrindo no que ela gentilmente segurou o braço dele enquanto se movia mais perto e murmurava nos ouvidos dele. (NT: Eu não sei de onde veio o boxeador, mas é isso…)

“Posso depender do Yuusuke-san?” (Sun)

“Sun… isto é uma sugestão da Razsha?” (Yuusuke)

Vendo Sun sendo assertiva enquanto suas bochechas estavam tingidas vermelhas de embaraçamento, Yuusuke sentiu como se ele tivesse sido repentinamente cutucado no coração.

“Eh! Nãoo, não é, é… é uma coisa diferente…” (Sun)

“Ahhh, tanto faz, Sun está agindo estranho dizendo tais coisas estranhas.” (Yuusuke)

“~uu… E~eu estou… também interessada em tais coisas.” (Sun)

“Ng? Você disse algo?” (Yuusuke)

Sentindo-se triste, Sun murmurou enquanto ela olhava para fora da janela da carruagem, no que ela inclinava sua cabeça em direção de Yuusuke e com biquinho disse, “nada”.

Yuusuke e seu grupo estava andando na carruagem pelas ruas do distrito nobre. Olhando adiante estava o palácio de Volance brilhando no que estava banhado na luz do sol.

Hoje havia começado como qualquer outro dia usual em Sanc Adiet.


Tradução: Thyros



Fontes
Cores