WCC – Capítulo 57 – O Nó e Muitos Problemas



“Eru~, se você vai voltar para o canto do sensei, leve isto junto.” (Bahana)

“Ng…” (Elfiona)

Esticando ambas as mãos, Eru (Elfiona) recebeu uma cesta cheia com vegetais, tote tote, no que a garota de cabelo verde andou junto. Bahana sorriu no que parecia que a versão criança de Sun havia voltado no que ela viu pequena garota indo de volta.

Apenas mais cedo nesta semana, Yuusuke trouxe uma poção junto com Rasanasha e a criança assassina Eru. Como uma forma de proteção contra a desmantelada operação especial, Yuusuke trouxe ela para a custódia de Zeshald. (NT: Eu não vou ficar escrevendo “Eru (Elfiona)” toda hora, mas imagine que deveria)

Eru passa seu tempo na casa de Zeshald com quase nenhuma emoção, muito parecido com uma adulta. Depois de lavar e guardar os vegetais que ela trouxe de volta, ela fez chá com o método ensinado para ela por Belushya.

De tempo em tempo, haviam cochichos sobre as duas parecendo uma mãe e filha, e as vezes irmãs. Parte disso era talvez devido à simpatia entre elas como caras assassinas. Apesar dela ter sido treinada para usar gestos e expressões faciais adoráveis, Eru tinha uma atmosfera de algum modo esquisita, e seus olhos brilhavam cheios de curiosidade.

Incidentalmente, as roupas que Eru estava vestindo eram as de Sun que foram passadas por Bahana. (NT: Aquela coisa de passar sua roupa pequena para outra pessoa)

Sentando no sofá no salão e bebendo chá, Zeshald esteve ficando de olho nas 2 enquanto pensava sobre a poção especial que estava guardada na prateleira do quarto dele e lembrando sobre o evento que havia ocorrido no outro dia.

Ao usar a poção e a cura de Zeshald, o tumor que minava o corpo de Rasanasha havia desaparecido completamente.

Tendo sido libertada da doença que lhe incomodava a vida inteira, Rasanasha estava embasbacada pelo resultado, e estava grata à Yuusuke e Zeshald do fundo de seu coração. E uma das doenças incuráveis no momento em Kaltsio foi destruída.

“Com isto, muitas pessoas seriam salvas mas será isso bom…” (Zeshald)

O método de purificação do remédio que Nossentes tinha um monopólio está agora sob posse de Gazzeta. Quantos mercados ele passa para ser circulado para médicos de países diferentes, os materiais para a poção e o processo de fazer a droga de apoio como alguém esperaria, não aparecem no mercado. (NT: Ideia é que tem um monopólio e pouco disso vai para fora… pelo que entendi)

“Rude.” (Belushya) (NT: Eu não faço ideia de quem está conversando, sério)

“Humm” (Zeshald)

“……” (Elfiona)

Depois de receber chagashi, os 3 estavam quietamente tomando seu chá, por volta desta hora, a sentença de Rasanasha seria realizada na praça de julgamento. (NT: Chagashi é um bolo japonês que comem com chá)

“Eventualmente, Yuusuke seguirá para Gazzeta, ou… Bem, no fim, seria bom se ele estiver bem.” (Zeshald)

***

É realmente raro sob o reino do Rei Esvobus, o envergonhamento público de uma princesa cantora, Rasanasha estava de pé ao lado de Yuusuke no palco de sentença, enquanto olhava para baixo timidamente. Sua boca estava amordaçada com um pedaço de pano.

“Bem, vamos começar… sim?” (Yuusuke)

“Sim…” (Tico)

Os soldados encarregados de Rasanasha seguiram para a mesa de sentença. Talvez era o carisma de uma princesa cantora, no que o tratamento para uma pecadora parecia ser cortês. Depois de confirmar o estado das algemas e que as preparações estavam todas prontas, Yuusuke que era o encarregado da execução foi dito para descer do palco sentenciante, logo as acusações para a punição foram lidas alto.

A bunda dela protuberando no que ela ficou de quatro, no que a saia de Rasanasha foi pega nas mãos de Yuusuke naquela hora~~

“Oy, o que foi!” (Bino)

“Eu não consigo ver.” (Pedro)

Paredes de luz apareceram ao redor do palco sentenciante. Uma parede estilo domo fechou o palco, no que os pequenos grãos de luz dançantes desapareceram e uma parede de pedra tomou seu lugar. Era óbvio de quem isto era trabalho. A praça inteira foi cheia com vozes de insatisfação misturadas com um barulho de confusão. Contudo, as vozes imediatamente dissiparam.

Bachin

“Kyaaan!” (Rasanasha)

E esse foi o som e voz que ecoaram do outro lado da parede, ela agita as imaginações deles no que eles não conseguiam ver. Incapazes de ver a bela aparência de Rasanasha estando numa lama, os observadores acreditavam na figura pervertida que estava no palco dando gritos involuntários com sua amável voz no que eles ouviam isso atentamente. (NT: Não sei de onde veio a lama, mas era disso pra pior…)

As vozes de descontentamento que se tornaram graduais, em uma engolida se dissiparam.

Normalmente, toda vez que há uma sentença deste tipo, haveria uma gala de escárnio e piadas, ao invés disso haviam gritos de “fiquem quietos!” e encaradas ao redor, as pessoas que tinham se reunido com o propósito de ver, vieram a abaixar o tom para poder ouvir os barulhos emanando da situação estranha. Era verdadeiramente uma vista para se ver.

A voz e os sons ecoaram vividamente dentro das paredes, as paredes pareciam bem finas, haviam aquelas que tentaram abrir um buraco. No que Yuusuke não proibiu ninguém de fazer isso, os soldados que estavam no local toleraram isso, as paredes foram na verdade criadas para serem tão duras quanto as paredes anti-artes divinas feitas durante o incidente na fortaleza Gear Hawk.

Até os elites de Blue Garden com artes de vento de alto poder só conseguiam fazer arranhões na superfície e até os ataques deles quicavam na robusta parede fina, então o que poderia o público geral da cidade, que usam artes de terra, fazer nela.

Apesar de Sorzak ter pensado em perfurar por ela, ele estava em dúvida, e logo desistiu da ideia de fazer isso.

No fim, a punição foi completamente selada visualmente, então Yuusuke tomou vantagem do fato que haviam sons e vozes, e logo “a punição foi executada”. Uma trapaça como um jeito fraudulento de fazer coisas, em primeiro lugar não havia muito contato entre uma princesa cantora e o público geral, nem ela era emocionalmente presa àqueles em poder o suficiente para afetar a dignidade do país. (NT: Ela é um meio termo, então ninguém deveria ligar, mas queriam ver… algo assim?)

A exibição foi quase como um evento de tempo específico, as paredes desceram na mesma hora que a punição foi feita, o estado fraco e restringido de Rasanasha que estava respirando pesadamente, parecia como “A Princesa Cantora está envolta em sedutividade”, para o público geral, isto era uma visão rara que não apareceria na vida inteira deles, logo os observadores estavam geralmente satisfeitos.

Depois do evento na praça, os jovens homens seguiram para o bordel um após o outro.

Se a surra na bunda ocorreu ou não, somente os 2 sabiam.

“Bem, como esperado de uma princesa cantora, todos parecem ter sentido isso.” (Yuusuke)

“Isto é embaraçoso.” (Rasanasha)

Dentro da carruagem que estava se retirando da praça de julgamento, Yuusuke estava admirando a atuação séria de Rasanasha. Especificamente agindo como sofrendo e buscando ar, era como se fosse real. Para dizer a verdade não tinha uma mordaça na boca dela.

“Parece que eu fui levado à fazer algo pervertido.” (Yuusuke)

“Ara, eu não pareço ligar…” (Rasanasha)

Ele entendeu que era uma piada, mas o jeito que a Princesa Cantora olhou para ele o deixou sem escolha senão fingir sua risada no que ele continuava a coçar sua cabeça.

***

No caminho ao palácio para relatar a punição, Yuusuke foi de volta para sua casa para buscar Sun e Razsha em sua carruagem. Sun estava seguindo lá para se encontrar com Violet, enquanto Razsha estará indo ao quarto de Yuusuke para ajudar a ajeitar os químicos da droga.

“Eu, eu vou ao palácio? De qualquer jeito, eu estou permitida a entrar?” (Razsha)

“Claro, certo? Yuusuke-san.” (Sun)

“Yup.” (Yuusuke)

Razsha uma vez havia se engajado em atividades que diretamente fizeram mal à Fonclanc, no que esta era a primeira vez se tratando de tal assunto, foi determinado que considerando a situação em que ela estava, ela não tinha escolha senão obedecer as ordens da corps de deus especial.

Até lá, o plano dela era ficar escondida em Fonclanc baseado nas circunstâncias, logo sua eliminação foi deixada para a discrição do tão chamado alvo, Capitão do Deus da Escuridão.

Apesar de Yuusuke ter ‘deixe isso comigo’, ele não podia soltar ela oficialmente. Logo o dever de punição foi confiado à Yuusuke. Apesar de na superfície isso servir como uma representação de ajeitar relações, a ex-operadora que perdeu seu país natal e se tornou uma prisioneira de guerra não deve ter caído sob a consideração de direitos humanos.

Resumindo, para ser dada à Yuusuke como uma escrava, para assar, ser comida, ou qualquer coisa que ele queira que ela seja, “deixada sob a discrição dele”. Razsha estava vestindo um bracelete preto como um testamento de ser uma escrava de Yuusuke. “Uma propriedade de Yuusuke”, isto era para sua própria segurança. (NT: Eu ia usar “devorar”, mas vai todos os sentidos)

Como foi descoberto que Razsha tinha um inesperado conhecimento de remédios, Yuusuke expressou interesse em levar ela de volta para sua mansão como uma assistente farmacêutica. No que esta ideia traria contribuições para Fonclanc, logo pelo bem das aparências, eles concordaram em exonerar ela.

“Hey, você realmente bateu na bunda dela?” (Violet)

“Bater, é…?” (Hivodir)

“… você apanhou?” (Andrey)

“Se vocês entendem, não perguntem.” (Yuusuke)

Num certo quarto dentro do palácio, a corps do Deus da Escuridão, Violet, os 3 embaixadores e Hivodir com seu grupo de soldados estavam tendo uma reunião, era uma modesta festa de retorno para aqueles que estavam envolvidos no tumulto desta vez.

Todos foram servidos com um prato feito da carne da coxa de um pássaro, uma produção de Rufk. Logo no outro dia, quando Yuusuke foi para deixar a poção de cura para Rasanasha e Eu lá, Bahana havia dado para ele alguma carne de coxa de alta qualidade. Foi entendido que no momento que ela fosse amaciada antes de cozinhas, a carne estaria macia e deliciosamente popular.

Cada indivíduo estava se deliciando na comida e intoxicado pelo saquê enquanto conversavam junto, quando um Kreivol de cara preocupada chamou por Yuusuke.

“As poções de cura, como eu pensei, sem os adjuvantes não podem ser feitas, podem?” (Kreivol)

“Como alguém esperaria, aquele adjuvante parecia especial, para achar uma droga substituta para ele pode ser difícil.” (Yuusuke)

Visto na tela de customização, o remédio adjuvante parecia ser feito de valioso metal pesado, que era o mesmo usado para criar a larga espada de platina de Shinra e a relíquia sagrada falsa. Incidentalmente, através do ‘experimento Fonke’, a poção de recuperação que foi feita através da análise de artes d’água eram quase tão efetivas quanto, logo elas estavam sendo produzidas em massa.

“Além do mais, pensar sobre o efeito disso se nós fossemos vender isto no mercado aberto, imitações do item poderia ser um problema.” (Kreivol)

“Ah~, itens são só itens.” (Yuusuke)

No que poções de recuperação tinham efeitos similares à cura de artes d’água, se tornou um item padrão para os soldados. Se eles fossem vender isso no mercado para aventureiros e aqueles que estavam na ocupação de extermínio de feras mágicas, é esperado que isso traga uma quantia decente de retorno.

Especialmente, devido à falta de usuários de artes d’água e comércio com Blue Garden, isto se tornará provavelmente popular.

“Mas, itens úteis como poções de recuperação em primeiro lugar são altamente valiosas, para dizer isso é…” (Yuusuke)

“… Gazzeta, Shinra, é?” (Kreivol)

As valiosas técnicas de purificação que Nossentes tinham estavam atualmente detidas por Gazzeta, o método de purificação dos adjuvantes de cura também estão lá.

“Inevitavelmente, chegará à um trato.” (Kreivol)

“Será mesmo.” (Yuusuke)

Como o exército de Gazzeta é um sistema de guerreiros do tipo físico, eles provavelmente querem conseguir todas as poções de recuperação que eles precisam, no que Yuusuke concordou.

“Hey vocês, parem de falar com uma cara séria, é um lugar de celebração!” (Razsha)

“Yuusuke, isto é doce?” (Violet)

“Cada cesta deve ter uma disso.” (Yuusuke) (NT: É uma festa, as pessoas estão loucas)

“Princesa-sama, por favor para de brandir a carne de coxa com ambas as mãos, é desgracioso.” (Kreivol) (NT: Essas são as horas que me arrependo de tentar identificar quem fala o que)

Depois de uma longa conversa com expressão séria, Yuusuke e Kreivol foram atacados por Violet e Razsha. Por algumas razões, as duas pareciam ter se dado bem.

Quando ela foi trazida primeiro para a mansão de Yuusuke, Razsha estava em baixos espíritos, enquanto imaginava “eu serei capaz de ter paz de mente nesta situação sem esperanças?” e tendo um senso de cautelosidade, mas depois de ver Sun, que era uma Artless vivendo no distrito nobre como uma residente normal, sua percepção mudou.

Talvez ela possa ser forçada a dormir com ele, no que ela recebeu seu próprio quarto, mas depois de falar com Sun sobre o atual estado das coisas com Yuusuke, ela re-reconheceu e veio à resolução de “confiar nele”. Dali em diante, a forma original de uma garota clara e animada podia ser vista em seu rosto.

Até mostrando um lado mimado, o que surpreendeu Yuusuke.

“Hey, Rasa, então o que você vai fazer de agora em diante?” (Razsha)

Razsha chamou pela mesa próxima onde Rasanasha estava cercada por um grupo de machos. Depois da punição, seu trabalho como “Princesa Cantora” não podia mais continuar, apesar de ainda ter uma demanda por canções na cidade, logo sendo uma cantora premium seria mais do que o suficiente. (NT: Males é macho, mas fica tão… escroto falar assim… mas para manter o mais fiel possível, com o menor número de alterações, tenho que manter…)

Mas, por acaso, se ela fosse voltar aos negócios, entre ouvir um playboy de cabelo verde que usa artes de vento e um cavalheiro de cabelos amarelos vestindo roupas de moda antiga, Rasanasha. (NT: Isso ficou assim, o próximo parágrafo é quase a mesma coisa, mas parece ser o de verdade… eu ia deletar, mas mantive com a explicação, sei lá…)

Contudo, sendo pedida por um playboy de cabelo verde que usa artes de vento e observada por um cavalheiro de cabelo amarelo vestindo roupas de moda antiga, Rasanasha estava levemente envergonhada em admitir que ela estava tomando esta chance e largando seu emprego. Finalmente ela reuniu a coragem e disse isso.

Como a doença que havia aflito ela sua vida inteira foi curada, Rasanasha queria jurar fidelidade à Yuusuke.

“Eu, gostaria de dedicar minha canção ao Yuusuke.” (Rasanasha)

“Ng?” (Yuusuke)

‘Você chamou?’, Yuusuke olhou pela mesa da porta ao lado. Depois de algum tempo~~

Eheheheheheheheh~~!” (Todos)

Algo como um coral, começou a ressoar no local da festa da Corps do Deus da Escuridão e o embaixador.

“O que, o que?” (Yuusuke)

Todos ergueram uma voz de surpresa, Yuusuke era a única pessoa que não entendeu o significado do que Rasanasha disse, e estava inquieto com o que estava acontecendo.

A canção, também conhecida como “canção da dedicação”, num sentido para dar tudo incluindo sua vida, para o outro lado, neste caso, Rasanasha havia se declarado para virar a concubina de Yuusuke. Se Yuusuke havia aceitado ou não é outra coisa, mas.

“Aquela, aquela… cantora princesa derrubou a bomba.” (Fonke)

“Fazendo o que ela quer, wow!” (Sorzak)

Yuusuke começou a respeitar a seriedade de Fonke.

***

“Yuusuke-san, eu poderia ter um pouco do seu tempo?” (Sun)

“Eh? Eh?” (Yuusuke)

Depois disso, Yuusuke foi visto sendo arrastado para algum lugar pela garota mais quieta no local.


Tradução: Thyros



Fontes
Cores