WCC – Capítulo 53 – A Efêmera Canção da Abelha (Primeira Parte)



O plano para fazer Fonclanc e Blue Garden lutarem um com o outro que o parlamento havia montado requeria a fortaleza especial deles para atacar a Corps do Deus da Escuridão e o grupo de embaixadores enquanto se disfarçavam de tropas de Gazzeta. Era uma tática bem simples para fazer dois países lutarem um com o outro.

Como o oponente é a trupe de elite de Blue Garden e a tropa de cavalaria de Gazzeta, para poder repelir-los, eles fizeram uso do melhor time de Fonclanc: a Corps do Deus da Escuridão. Não importa quanto alguém seja um veterano de muitas batalhas, não há garantia que eles iriam lutar e cruzar espadas de frente.

Logo eles decidiram fazer uso de seu espião, “Abelha” Razsha que estava atualmente viajando com o grupo da Corps do Deus da Escuridão. Apesa dela não ser habilidosa em assassinato, ela era adepta em lidar com drogas. Seria bom se a Corps do Deus da Escuridão pudesse ser usada para atrasar a hora do ataque.

Sob circunstâncias normais, eles não seriam capazes de agir, mas porque a unidade de Volmes foi destruída e aquele cara se tornou prisioneiro de guerra de Fonclanc, ninguém em Fonclanc esperaria Nossentes enviar outro esquadrão sob as circunstâncias atuais.

Deveria ser um plano onde Fonclanc e Gazzeta estariam em conflito enquanto eles teriam um pacto amigável com Fonclanc.

“Não importa o quanto aqueles bárbaros tentem acumular suas forças, não tem como eles poderem ultrapassar nossa sabedoria.” (Luigi)

A unidade especial deveria se esconder na cidade portuária primeiro, enquanto a Corps do Deus da Escuridão chegaria de Trent Rietta, logo eles tinham que preparar para acampar pela noite.

***

No lado oeste da floresta, que se estendia do norte ao sul, havia uma planície intocada e estéril sem nada nela.

“Então é a vez da Isotta de cozinhar hoje?” (Yuusuke)

“Si-im, eu estoquei temperos de Nossentes… eu farei meu melhor para fazer uma refeição gostosa.” (Isotta)

“Hoho, eu estou esperando por isso.” (Yuusuke)

“Ah~ estou faminto~” (Fonke)

Então, isso imediatamente levou a Corps do Deus da Escuridão e os embaixadores viajando junto com eles à seguirem para dentro do prédio. “De onde isso veio!” Espantadas pela situação estranha, Rasanasha e Razsha, ambas as irmãs e os cavaleiros de Nossentes que estavam seguindo eles estavam espantados e rapidamente seguiram atrás deles.

“Hey, quem diabos é Yuusuke? Eu nunca ouvi antes desse tipo de arte divina.” (Razsha)

“Eu também… não ouvi mais do que você sabe.” (Rasanasha)

As duas pessoas que estavam cochichando podiam ser vistas como irmãs que se davam bem.

***

Tarde da noite~~

Todo mundo estava dormindo bem, Yuusuke veio para o telhado (na verdade, é só o 2º andar) para dar uma respirada em ar fresco, e ele achou a figura de Razsha de pé ali. Ela parecia perdida em seus pensamentos enquanto encarava as estrelas. (NT: Quase certeza que o parênteses é coisa do autor, como se fosse o Yuusuke comentando)

Uma vista que dificilmente é vista, Razsha não notou que alguém se aproximava dela, no que ela estava perdida em seus pensamentos. Ela não tinha a oportunidade de ir para fora, para a enorme selvageria, do espaço confinado de Patrucia Nost, logo ela nunca teve a sensação de “liberdade” até agora.

Ela estava perdida em seus pensamentos que foram feitos durante a viagem, até agora. As conversas leves durante o jantar. Sem saber quando o cenário mudará, ela segurou no momento, abaixando sua guarda. Como se algo tivesse se misturado e espalhado dentro dela, mas ao mesmo tempo fica como uma oportunidade para ela polir suas habilidades.

Enraizado dentro dela estava o estilo de vida de uma espiã.

“Normalmente, o que alguém faria…” (Razsha)

“O que em particular?” (Yuusuke)

“Hm, a vida de pessoas normais~! Arghh!” (Razsha)

Respondendo uma pergunta que alguém havia feito quando ela estava falando sozinha, Razsha pulou em surpresa no que ela viu a figura de Yuusuke de pé ao lado dela.

“Ah, por quanto tempo você esteve se esgueirando atrás de mim!” (Razsha)

“Não foi realmente muito, só agora pouco. Eu apenas senti que é bizarro só te observar sem vocalizar minha opinião.” (Yuusuke)

Razsha sem saber fez um tsukkomi no que Yuusuke quietamente se aproximou dela e respondeu a pergunta dela. (NT: Eu já falei de tsukkomi aqui? É aquelas respostas que dão em pergunta idiota e tal… preguiça de explicar)

“Isso é uma skill, certo!” (Razsha)

“Yup.” (Yuusuke)

Respondendo calmamente, Yuusuke que estava de pé ao lado de Razsha estando confusa e tinha a boca totalmente aberta, estava rindo.

“Deste jeito é melhor.” (Yuusuke)

“… o que é melhor?” (Razsha)

“Ser natural, é claro.” (Yuusuke)

Razsha tinha um rosto chocado e rígido. Percebendo que ela havia esquecido sobre sua própria atuação enquanto seu alvo apontou isso para ela, ela começou a se repreender dentro de sua mente. E então, por alguma razão ou outra, sua vergonha tomou conta de seus sentimentos e seu rosto ficou quente.

“Por que…… Como.” (Razsha)

Perdendo seu controle de suas emoções, ela começou a corar sem parar. Para Razsha, esta era a primeira vez que ela encontrou uma situação dessas.

“Hahahaha finalmente eu posso ver a verdadeira você, esta é uma boa noite.” (Yuusuke)

“Hm? Eh?” (Razsha)

“Vá dormir mais cedo”, Yuusuke falou numa voz amigável para a Razsha que estava em pânico, no que sua figura desapareceu, deixando um grão de luz. Ele havia usado movimento instantâneo através de customização ao trocar uma parte do prédio. Devido ao seu alcance, é limitado, mas é verdadeiramente uma skill de teletransportação.

“O q… o que, você quer dizer…!” (Razsha)

Percebendo que sua atuação foi exposta e que ela havia mostrado sua personalidade de verdade, ela começou a se recompor da vergonha desconhecida depois de ver artes divinas absurdas.

Daqui em diante, além de fingir ser relacionada por sangue à Rasanasha, ela podia dispensar a atuação e concentrar em trabalhar junta, no que os sentimentos de Razsha ficaram leves.

***

Amanhecer, na manhã seguinte. Todos estavam sentados de frente enquanto tomavam café da manhã.

“A proporção de peito para corpo da Rasa-ane é muito fina, não é melhor para você comer um pouco mais?” (Razsha) (NT: Ane, tipo em anego, é uma forma de falar sobre irmã mais velha, como o Ani, de irmão mais velho em Aniki.)

“Se-será…?” (Rasanasha)

“O que Yuusuke-san acha sobre isso?” (Razsha)

“Não me faça esse tipo de pergunta!” (Yuusuke)

Apesar da situação ter permanecido a mesma, o clima de hoje mudou comparado com o de ontem. Ele não foi de mau a pior, mas aparentemente foi para o melhor. “Por que?”, no que uma questão direcionada e encarada em direção de um certo homem de preto de forma suspeita começou. (NT: Ele fala do clima entre eles, e depois foca para o fato de todos encararem Yuusuke. É bizarro esse parágrafo, mas é isso)

“… Capitão~” (Fonke)

“O que foi? Fonke.” (Yuusuke)

“Por alguma razão, a atmosfera ao redor da Shia-chan parece ter mudado.” (Fonke)

“É.” (Yuusuke)

Yuusuke estava silenciosamente comendo sua refeição quando Fonke trouxe a pergunta, no que Aisha começou a olhar pelo lado.

Apesar de ter sido a reclamação normal de Fonke, desta vez Aisha não estava dando bronca nele, ela parecia estar determinada em saber a verdade enquanto fingia ignorância, no que ela escutou atentivamente. Por causa disso, havia uma surpreendente mão erguida.

“Erm… Capitão.” (Isotta)

“O que foi? Isotta.” (Yuusuke)

“Ontem a noite, por um tempo curto… você não esteve no seu quarto…?” (Isotta)

Era uma vista incomum para a garota tímida de cabelo verde da Corps do Deus da Escuridão vocalizar seus pensamentos, no que Fonke tinha um rosto espantado. “Isotta falou…!” Vermeer murmurou num tom surpreso. Surpreendidos pelo pequeno surto, Yuusuke retornou ao seu clima usual preguiçoso.

“Não me diga… você esteve rastreando minha presença?” (Yuusuke)

“Eh? Eh! E-eu, não era minha intenção, Razsha também, saiu para uma caminhada… isso.” (Isotta)

Yuusuke tentou esquivar da pergunta que foi disparada imediatamente por Isotta, e então começou a investida de Fonke.

“CA-PI-TÃO.” (Fonke)

“O que foi?” (Yuusuke)

“Em outras palavras, você estava com Shia-chan noite passada?” (Fonke)

“Espere um minuto.” (Yuusuke)

Chocados… até os embaixadores e o cavaleiro acompanhando estavam todos fazendo uma comoção pela mesa do café da manhã.

“Parece que isto foi completamente revirado, como de costume”, no que a vista de Yuusuke prevendo, dissipou o ar subliminar pela mesa, enquanto tentava dar uma breve explicação da mudança de Razsha. (NT: Eu só consigo dizer que virou uma feira da fruta e Yuusuke se explicou depois disso… realmente é meio chato de entender algumas coisas, então sei lá)

“No telhado! Olhando as estrelas! Que ousado… parece que alguém não liga mais.” (Fonke)

“BARULHENTO.” (Aisha) (NT: Pode ser também “incherido”, mas acho que ela é mais sutil)

“Não interprete errado de propósito!” (Yuusuke)

Fonke levou um acerto do tsukkomi duplo de Yuusuke e Aisha. Parece que isso se tornou um dos momentos relaxantes, mesmo os normalmente estritos e formais embaixadores que estavam amarrados pela etiqueta e o normalmente rígido Cavaleiro de Nossentes começaram a amolecer.

Como o centro do tópico, Razsha em si, começou a se abrir confortavelmente para a atmosfera morna da Corps do Deus da Escuridão.

***

Depois de prosseguir tranquilamente, eles chegaram na península mais ao norte na noite do terceiro dia. Eles pararão por uma noite nas margens do lago enquanto esperam pela chegada do barco que eles pediram da cidade portuária. Como a pesca acabou, uma série de pratos de peixe foi servida na mesa de jantar, logo se tornou uma modesta festa de despedida para o cavaleiro com quem eles estavam na jornada até agora.

“Então agora, por favor tome cuidado no seu caminho de volta.” (Yuusuke)

“A situação por ali parece dura também, se cuidem.” (Irineu)

Ele estará seguindo em direção ao noroeste de Nossentes, no que ele tinha que se juntar com a força principal. E desse jeito, se tornou a manhã do 4º dia da escapada de Patrucia Nost. Vendo o cavaleiro partir na carruagem, Yuusuke e seu time embarcaram nos 3 barcos que vieram pegá-los, e eles seguiram em direção da cidade portuária do outro lado do Lago Espelho da Lua.

“Esta é a primeira vez da Razsha andando num barco?” (Yuusuke)

“Un, sim… ah, peixe! Está realmente nadando.” (Razsha)

Olhando timidamente pela borda do barco na superfície do lago, Razsha estava mostrando reações estilo de criança pelos peixes nadando por eles. Durante os mais de 10 anos de vida dela, ela não havia pisado para fora de Patrucia Nost e quase não tinha conhecimento deste mundo desconhecido. (NT: … essa forma de falar da idade me assusta, parece ser uma criança falando assim…)

Olhando para esta aparência infantil de Razsha, Yuusuke estava convencido que “esta é a aparência original dela”, enquanto Rasanasha que sabia da situação real estava com compaixão de como a situação atual era.

***

“Este lugar é… cidade portuária de Fonclanc.” (Razsha)

Olhando para cima, não era um teto de pedras, era um enorme céu que se estica inacabavelmente até para “fora da cidade”. Por um momento, Razsha ficou lá admirando o cenário.

Perplexa pela atmosfera movimentada da cidade portuária, ela teve ainda de novo perceber a enorme diferença de conhecimento do livro de informação e a realidade. De pé no local, sentindo o vento soprando, a interação das pessoas vindo e indo para cá e lá pela cidade, como se a cidade inteira fosse um enorme organismo.

O grupo havia chego na cidade portuária por volta do meio-dia, eles seguiram para o hotel em que eles haviam ficado anteriormente e relataram para Sanc Adiet sobre o recente evento que havia ocorrido em Nossentes. Até a carruagem para buscá-los chegar, eles estarão descansando na cidade portuária.

Chegando de volta à terra natal deles, os embaixadores podiam finalmente relaxar, enquanto agradeciam a Corps do Deus da Escuridão que fez bem seu papel de escolta.

“Eu acredito que é geralmente seguro quando nós chegamos aqui, apesar de ter tido aquele distúrbio que aconteceu quando nós havíamos chego aqui pela primeira vez.” (Yuusuke)

“É melhor não relaxar tanto até nós termos chego em Sanc Adiet.” (Vermeer)

“É. Isso dito, até nós chegarmos no palácio, ninguém pode vagabundear.” (Shaheed)

“Fumu… isso é verdade, é como vocês disseram.” (Yuusuke)

Yuusuke acenou para confirmar o discurso de Vermeer e Shaheed, no que ele urgiu aos embaixadores que fiquem alertas também, e eles concordaram.

“OHHH, Shirley-chan, Von-Chan ~ eu estou indo agora mesmo~~!” (Fonke)

E apenas uma pessoa, um usuário de artes de vento, parecia ter relaxado e corrido pelas ruas da cidade portuária. Yuusuke e os embaixadores fingiram que eles não viram nada. Levando isso como “ele está reunindo informação” como uma razão oficial.

***

No quarto para as irmãs, a ‘irmã mais velha’ Rasanasha olhou para fora da janela em direção da linha do horizonte da cidade no que ela vocalizou para sua ‘irmã mais nova’ Razsha.

“Shia, vamos às compras.” (Rasanasha)

“Eh? O que nós vamos comprar?” (Razsha)

“Roupas para você.” (Rasanasha)

“Ah… okay, eu acho que sim. É, vamos lá.” (Razsha)

Naquela noite, devido à confusão, Razsha veio junto com apenas as roupas que ela estava vestindo, ela não trouxe quaisquer outras roupas junto com ela. Em primeiro lugar, ela não tinha muitas possessões pessoais para começar. Ela sempre recebeu apenas os itens essenciais para a missão.

Comprando qualquer coisa que ela precisava para si mesma na cidade. Por uma razão óbvia dessas, ela não tinha experiência comprando coisas fora da missão. Mesmo que tivesse algo que ela gostasse, devido à natureza das missões para agir como “uma pessoa diferente”, ela não era permitida à ter nada.

Claro, o dinheiro que era usado para comprar itens, como drogas, eram todos emitidos pelos oficiais do departamento de contas onde eles apenas davam a quantia necessária toda vez.

“… erm, para as compras, eu não preciso pagar por quaisquer gastos, certo…?” (Razsha)

“Isto não é uma missão, é da minha bolsa pessoal.” (Rasanasha)

“Por-por favor cuide de mim…” (Razsha)

“Ufufufu, não se preocupe com isso.” (Rasanasha)

2 irmãs muito bonitas podiam ser vistas juntas, observando os estandes nas ruas principais da cidade portuária. Em qualquer caso, elas são a princesa cantora e a operadora de sedução. Ambos jovem e velho, garoto ou garota olharão para trás quando elas passavam eles.

Numa data mais tarde, quando Fonke ouviu sobre a história, “eu poderia ter carregado a bagagem delas!”, ele lamentará muito que ele tinha ido ao bar ao invés disso.

***

“~~Esta é a frente do portão oeste. Onde nós vimos as operadoras~~” (Hermes)

“~~Bem, ainda há tempo antes do contato. Se ninguém estiver cansado, nós iremos confirmar a localização do alvo~~” (Renato)


Tradução: Thyros



Fontes
Cores