WCC – Capítulo 40 – Chamas, Garras e uma Cidade Subterrânea



Nos lugares mais altos do Palácio de Volance, rei Esvobus estava discutindo com seus oficiais sobre a situação até agora e as medidas que eles teriam que tomar daqui em diante. A discussão acalorada estava agora indo sobre o dano à um ducado e se corps de cavaleiros do palácio deveriam ser despachados para lá para defendê-lo de outros ataques. Devida à situação interna apodrecendo, haviam vozes chamando para adiar a conferência com Blue Garden.

***

Quando o grupo de Yuusuke retornou para o palácio, a noite já estava tarde. Eles retornaram de volta para a cidade com os cavaleiros quando os reforços chegaram para substituí-los na vila. Eles estavam agora em espera, preparando para resumir seus deveres de patrulha. Quando eles chegaram na cidade, Shinra desembarcou da carruagem deles e desapareceu dentro do distrito dos artless. Parece que ele retornaria para Gazzeta amanhã, depois de passar mais um dia para observar a situação.

“Com isto, nós terminamos aqui por hoje. Bom trabalho, todo mundo.” (Yuusuke)

“Obrigado, você também, Capitão.” (Vermeer)

“Nós estaremos na sala de descanso por um tempo.” (Shaheed)

“Yaaaaawn, estou moída.” (Aisha) (NT: Yawn é tanto suspiro em inglês como uma ótima onomatopeia, estou usando como onomatopeia e… foda-se, né?)

Depois que eles disseram suas despedidas na área de carregamento de carruagem, eles se dividiram para descansar. Vermeer e Shaheed foram em direção da sala de descanso para tirarem um cochilo, Aisha retornou para seu próprio quarto. Fonke parecia ir visitar as cantoras da noite como de costume, enquanto Isotta retornou para a casa de seus pais no distrito dos artless.

“Então, estamos indo.” (Hivodir)

O casaco luxuoso de Hivodir estava aos trapos, a elegância que ele deveria dar se foi faz tempo. Rifuose, a garota criada, estava de pé próxima de Hivodir. Ela tentou se curvar educadamente, contudo ela estava tão exausta que ela mal estava de pé e havia tropeçado ao invés. Hivodir prontamente deu um ombro para a garota para impedir ela de cair.

“Eu lamento muitíssimo.” (Rifuose) (NT: Lamentar terrivelmente me soa estranho…)

Yuusuke estava surpreso em ver este lado de Hivodir, no que a garota prontamente se desculpou com uma voz fraca.

***

No dia seguinte, manhã —

Violet, dessatisfeita com a corps do deus da escuridão sendo ordenada por aí sem aviso prévio, informou Yuusuke que não tinha o que fazer, mas sua corps foi ordenada para agir como reforços na mansão de Volace no ducado. (NT: Eu não sei agora se é Volace mesmo ou Volance, pode ser outra família ou erro de digitação)

Ainda assim, sobre as ações da corps do deus maligno ao salvar a mansão Volace, outras famílias importantes que olhavam para Yuusuke com suspeitas até agora começaram a mudar suas opiniões dele.

Isso era especialmente evidente entre as famílias cujos filhos eram candidatos à noivo. Eles foram ordenados por suas famílias à agradecerem Yuusuke por elas pelo retorno seguro do candidato à noivo chefe, Hivodir.

“Há uma pessoa de Gazzeta na cidade?” (Kreivol)

“Ele é Shinra-sama, o príncipe de Gazzeta?” (Violet)

“Não, ele suposto de ser o rei deles.” (Kreivol)

“Um rei veio sozinho todo o caminho até aqui?” (Violet)

Kreivol e Violet estavam estupefatos depois de receber um relato sobre a última missão da corps do deus maligno. Violet pegou Kreivol pela bainha das roupas dele e impediu ele de correr para fora da sala.

“Espere um pouco, Kreivol.” (Violet)

“Mas agora o rei de Gazzeta está lá fora na cidade, nós não podemos deixar esta chance passar.” (Kreivol)

“Para que? Você quer criar uma desculpa para uma guerra total com Gazzeta?” (Violet)

“Ah, não… isso é…” (Kreivol)

Gaguejando, Kreivol, que foi pego pensando apenas de um possível benefício ao restringir o rei de Gazzeta, que pode ser responsável pelos ataques recentes. Se Shinra estivesse certo, ao fazer isso Kreivol estaria jogando direitinho pelos planos do terceiro grupo que Yuusuke os havia informado sobre.

“Eu quero encontrar ele também. Você acha que consegue arranjar isso, Yuusuke?” (Violet)

“De novo com suas ideais absurdas… eu acho que ele pode ainda estar no canto da Isotta.” (Yuusuke)

“Princesa… você não pode estar possivelmente pensando em… ao menos leve alguns guardas com você.” (Kreivol)

“Claro que eu estou, eu só tenho que fazer isso sem ser notada.” (Violet)

Violet lembrou do incidente do fantasma e do nível subterrâneo da cidade que foi fechado. A princesa propôs uma ideia onde ela esperaria dentro dos níveis subterrâneos do palácio enquanto Yuusuke levaria Shinra até ela ao customizar uma passagem subterrânea sob as instruções de Sorzak.

“Então, você quer que eu crie um túnel até a borda extrema da cidade?” (Yuusuke)

“Mhm, eu espero encontrar você no subsolo em breve.” (Violet)

***

Em seu caminho até o distrito dos artless, Yuusuke parou pela loja de Sorzak. Quando ele chegou na casa de Isotta, ele achou Shinra quase pronto para sair e disse para ele que a princesa Violet gostaria de encontrá-lo.

“Claro, porquê não.” (Shinra)

“Ao menos pense um pouco antes de concordar.” (Yuusuke)

Levando Shinra junto com ele, ele entrou no distrito da plebe e prosseguiu pelas ruas menos lotadas em direção do palácio no distrito da classe média que Sorzak havia os direcionado. Apesar da entrada ter sido fechada apenas três dias atrás, parecia que um novo buraco já havia sido re-aberto.

“Então, Sorzak, você continua frequentando o subterrâneo apesar dos avisos…” (Yuusuke)

“Não, não, não sou eu… ele reapareceu devido à uma rua movimentada por perto.” (Sorzak) (NT: Vibrações e tal abriram o buraco… quem mora perto de ponto de ônibus deve saber como é)

Feliz em pegar todas chances para explorar a cidade subterrânea, Sorzak respondeu com uma piada pensando que desta vez a viagem subterrânea não era relacionada à qualquer ofensa punível. Afinal, sem mencionar o uso do espaço subterrâneo, até passar a informação sobre sua existência era uma infração legal.

“… a princesa está esperando por nós no subterrâneo do palácio, correto?” (Sorzak)

“Haha, conhecendo aquela princesa, é verdadeiramente um lugar que combina com ela.” (Yuusuke)

“Hmm, falando da realeza de Fonclanc, eles com certeza são complacentes com as castas inferiores…” (Shinra)

“Não, eu acho que Violet é um caso especial?” (Sorzak…?)

“Você é bem especial você mesmo”, respondendo isso para Sorzak, Yuusuke prosseguiu pelo beco, se desculpando às cantoras noturnas que haviam tomado seus postos ali.

No começo as garotas começaram a fugir sem ligar que elas estavam peladas, contudo, quando uma delas gritou “é o capitão Yuusuke da corps do deus maligno”, elas logo colocaram seus sorrisos de negócio e prosseguiram para fazerem seus avanços. (NT: Porra, até as prostitutas chamam de deus maligno?!)

Apesar de Yuusuke ter recusado educadamente no que ele estava numa missão, elas tentaram fingir desmaiar como um último esforço para conseguirem a atenção dele. Finalmente, seguindo Sorzak, que estava carregando uma lanterna, eles alcançaram uma aberta inatural na parede e desceram para a cidade subterrânea do distrito de classe média.

“Se nós formos para cá, há um atalho até o palácio, contudo uma grande parte da estrada pelo distrito nobre estará submersa.” (Sorzak)

“Ah, está tudo bem, eu lidarei com isso de alguma forma.” (Yuusuke)

“Hmm… este é um esconderijo ideal.” (Shinra) (NT: Obrigado por falar o óbvio, que aparentemente ninguém pensou antes)

“… não desapareça da gente, okay?” (Yuusuke)

Como a pessoa tinha que entrar no distrito de classe média se quisesse entrar no subsolo, seria irracional para um artless, cujos movimentos no distrito era restrito, se esconder aqui, Contudo, como era de Shinra que nós estamos falando aqui, Yuusuke pensou que esse cara podia realmente fazer isso. (NT: Só um lembrete, tem artless indo limpar o distrito de classe média, então eles podem muito bem “sumir” durante o serviço, seu idiota)

***

Depois de seguir as direções de Sorzak por mais de uma hora, o grupo acabou diante de algo que parecia com a parede que divide os distritos.

“O subterrâneo do outro lado desta parede deve pertencer ao palácio.” (Sorzak)

“Entendo.” (Shinra)

Checando os arredores em seu menu de customização, Yuusuke confirmou que esta estrutura costumava ser a antiga parede protetiva. Ao criar uma passagem nesta parede, eles foram capazes de entrar no subsolo do palácio. Admirando o subterrâneo antigo, Sorzak divergiu sua atenção para um estranho som abafado que ressoava no labirinto.

“Este som…” (Sorzak)

“É provavelmente Violet.” (Yuusuke)

Era um ventilador elétrico, um som que era desconhecido para as pessoas de Fonclanc. Apenas o [Disco Voador] que Violet tinha podia emitir isto neste mundo. Parecia que eles estavam próximos de seu destino, então Yuusuke gritou levemente mais alto do que de costume.

“Viioooolet! Vooocêêê eeestáááá aííí?!” (Yuusuke)

“Yuusuke! Vooocêêê jááá eestáá aaaquiiii?!” (Violet)

“Sim! Eu estou próximo da área de carregamento de carruagem!” (Yuusuke)

Ecos dos gritos deles se repercutiram na área. Depois de trocar gritos mais algumas vezes, eles se encontraram no salão de entrada do antigo palácio.

Membros da corps do deus maligno, assim como Sun, armada com o arco, estavam ao lado de Kreivol e Violet. Sun trocou no uniforme de corps, que ela havia vestido mais cedo nos campos de treinamento, por algumas roupas simples, enquanto Kreivol estava encarando Shinra com olhos suspeitos.

“É um prazer lhe encontrar pela primeira vez, princesa de Fonclanc.” (Shinra)

“Me chame de Violet. Eu estou feliz que você aceitou o convite, rei de Gazzeta.” (Violet)

“É Shinra. Por quê você quis se encontrar comigo?” (Shinra)

“Não há uma razão em particular. Eu só queria lhe encontrar, já que a oportunidade se apresentou.” (Violet)

“É mesmo?” (Shinra)

(Encontro secreto informal entre rei Shinra e princisa Violet?)

Com pensamentos assim, a tensão subiu entre os espectadores, a testa de Kreivol rapidamente ganhando suas tradicionais rugas. A princesa das chamas e o lobo branco trocaram mais algumas sentenças para medirem as capacidades do outro lado.

“Então, você quer que Yuusuke se junte à você?” (Violet)

“Hmph! Deus maligno, um ser que carrega a decisão sobre os ciclos do mundo, você não acha que um ser assim está além de você?” (Shinra)

“Wa-! Wa-!” (Yuusuke) (NT: Yuusuke tentou dizer wait, que é “espere” em inglês – isso originalmente, não só tradução)

Ouvindo Shinra falar do deus maligno, Yuusuke freneticamente tentou interromper a connversa. Ele foi sortudo no que ao invés de ouvir Shinra, Violet acertou ele com o ventilador voador gritando “você é barulhento!!” (NT: Se até as putas te chamam disso, do que você tem medo?)

“Hey, não seja tão barulhento. Eu já sei que o Yuusuke é o deus maligno.” (Violet)

“Hah, como!?” (Yuusuke)

Yuusuke estava tão chocado que ele até misturou algumas palavras em inglês. Violet continuou no que o disco voador se recuperou da batida e começou a subir de novo para o topo da cabeça de Yuusuke.

“O que há com o sotaque estranho? Eu ouvi isso da Sun mais cedo.” (Violet)

“Ah! … eu lamento muito. Eu acidentalmente falei disso mais cedo.” (Sun)

“Haaah.” (Yuusuke)

Pensando em como isto podia ter acontecido, Yuusuke não podia soltar uma palavra. Ela foi certamente enganada à revelar isso, contudo isso também significava que Sun confiava em Violet o suficiente para dividir seus segredos mais íntimos.

Contudo, os membros da corps do deus maligno, que apoiaram Yuusuke por missões perigosas, também eram pessoas que mereciam ser confiadas. Enquanto isso a garota em questão, Sun, tocou as costas de Yuusuke e congelou. Violet se virou para Shinra, olhando para ele com um fogo juvenil em seus olhos, e falou para ele:

“Bem, com este sendo o caso, há ainda mais razão para impedir Yuusuke de se juntar à você.” (Violet)

“…” (Shinra)

Inusualmente para Shinra, ele não conseguia responder ao ato direto da princesa. Yuusuke sentiu a atmosfera entre os dois e estando completamente ciente do que Violet era capaz, se virou para Shinra e falou:

“Esta princesa com certeza é difícil de se lidar.” (Yuusuke)

Eh, esta coisa fofa?” (Shinra)

“Eu não sei sobre fofa, mas ela agiu assim no passado também.” (Yuusuke)

“Sua paciência com certeza é alguma coisa.” (Shinra)

Violet tentou apelar para os dois caras que estavam falando mal dela, mas, incapaz de discernir a verdade das mentiras, ela só podia rir sarcasticamente. Contudo, devido à isto, a atmosfera forçada de uma reunião informal secreta virou uma calma e relaxada em apenas um instante.

“Falando da rainha Rishause, parece que o encontro com Blue Garden será adiado.” (Violet)

Violet havia ouvido isto de manhã no que ela passou por uma discussão do pai dela, seus assistentes próximos e os burocratas quando ela estrava indo cumprimentá-lo esta manhã. Shinra estava infeliz com essa notícia. Em razão dos eventos recentes, tinha algum sentido já que meramente falar sobre o problema não era o suficiente.

Shinra explicou que se ele estivesse certo e Nossentes era de fato responsável pelas ações que escalaram o conflito entre Fonclanc e Gazzeta, ele achava que seria muito mais benéfico aprofundar o relacionamento com rainha Rishause, que detinha autoridade total dentro de seu reino, no que o povo de Blue Garden certamente estavam sendo afetados por esses eventos.

“Se Fonclanc e Blue Garden virarem aliados, isso não incomodaria Gazzeta no futuro?” (Violet)

“Isso não tem importância para nós.” (Shinra)

“Hmm, você está bem confiante de si mesmo.” (Violet)

“É porque eu já assumi que isto aconteceria.” (Shinra)

***

Antes de muito o encontro secreto informal chegou à um fim e o grupo de Violet retornou ao palácio, enquanto Yuusuke e Sorzak guiaram Shinra de volta para a cidade.

“Seus planos incluem um confronto com Fonclanc?” (Yuusuke)

“Se isso for necessário, aham.” (Shinra)

“Aliás, você falou antes que você precisa que a sociedade dos usuários de artes divinas caia antes da prosperidade da tribo branco poder ser retornada.” (Yuusuke)

“No que isto envolve toda Kaltsio, eu precisarei do poder do deus maligno para realizar isso.” (Shinra)

Yuusuke estava de novo incomodado com os pensamentos sobre quanto Shinra sabe sobre o deus maligno. Ele sentiu que ele teria que visitar a vila da tribo branco de um jeito ou de outro em algum ponto no futuro. Já pelas palavras de Shinra que ele seria uma parte essencial em seus planos, Yuusuke não tinha como confirmar ou negar o significado por trás dessas palavras.

“Você estava falando sobre a possibilidade de se tornar hostil no futuro, mas o que você faria se você fosse pego aqui?” (Yuusuke)

“Eu não sou uma parte essencial deste plano. Se eu fosse perecer aqui, Gazzeta iria apenas receber um novo rei que levaria eles para uma nova era.” (Shinra)

“Como eu digo isso… você não liga sobre outra pessoa virando rei?” (Yuusuke) (NT: Ele larga o reino por qualquer coisa, claro que não)

“Não seja tão negativo.” (Shinra)

De qualquer forma, era claro para Yuusuke que Shinra estava agindo por sua própria vontade, e na verdade, ele parecia estar facilmente lidando seu dever. O jeito de falar de Shinra sobre o revivimento do império do clã branco, isso também parecia que ele estava falando sobre algo que estava destinado à ocorrer mais cedo ou mais tarde.

Contradição entre falar que ele entendia que nada é eterno no mundo mas busca ativamente em direção da realização do desejo da tribo branca não parecia certo para Yuusuke. Yuusuke sentiu que ele queria ter uma boa conversa com Shinra, deixando países, deus maligno e outras questões de lado.

“Então, até a próxima vez que nós nos encontrarmos!” (Yuusuke)

“Uhm, até mais.” (Shinra)

Escoltado para fora do subsolo e então para o distrito dos artless, Shinra deixou Sanc Adiet sem mais quaisquer atrasos.

***

“Então, me chame de novo se você precisar de qualquer coisa.” (Sorzak)

“Mhm, obrigado.” (Yuusuke)

Tendo se separado de Sorzak no distrito de classe média, Yuusuke retornou para o palácio e seguiu em direção da sala de descanso dos cavaleiros. Violet, tendo retornado do subsolo, estava tendo uma conversa animada com os membros da corps do deus maligno e Sun. Por último, Kreivol estava em sua mesa, fazendo arranjos para aconselhar o Rei contra adiar o encontro com Blue Garden.

“Oh, você está de volta, Yuusuke.” (Violet)

“Bom trabalho, capitão. Por favor se junte à nós.” (Vermeer)

“Yuusuke-san, por favor tome isto.” (Sun & Isotta)

Sun e Isotta presentearam Yuusuke com um copo de suco lala, que era a bebida que todos estavam aproveitando. Tendo usado um omento que Yuusuke abaixou sua guarda, enquanto era aproximado pelas garotas, Fonke perguntou à Yuusuke uma certa questão.

“A propósito… ontem na cidade–” (Fonke)

Capaz, ou incapaz de ler a atmosfera, ele perguntou para Yuusuke sobre um certo rumor que ele havia ouvido na cidade.

“Eles dizem que você gosta de todos tipos de garotas, não importa se elas são usuárias de artes divinas ou artless.” (Fonke)

“Ah, algo sobre ser um herói, isso é uma opinião subjetiva…” (Yuusuke)

“Mas os boatos dizem que você teve um tempo bacana com uma garota de uma das trupes de elite de Blue Garden no dia que você conquistou a fortaleza inteira.” (Fonke)

“Espera! Foi você que começou este rumor?!” (Yuusuke)

“Eles dizem que você também se força incessantemente em suas subordinadas.” (Fonke)

“EU NÃÃÃÃOOOOOO! E DE ONDE CARALHOS O “INCESSANTEMENTE” SURGIU?!” (Yuusuke)

“O último boato é provavelmente relacionado à Isotta, porque eu ouvi ele na rua do mercado de estandes de rua.” (Fonke)

“Pessoas na cidade dizem que você estava se forçando numa Isotta assustada.” (Vermeer)

Parece que Fonke havia lembrado que Yuusuke estava na casa de Isotta, quando ele estava procurando por ele por causa das ordens de despacho emergencial. Ele parecia ter misturado isso com outros boatos e exagerou grandemente a situação. E claro, a pessoa em si não achou esta conversa engraçada.

“Capitão~, não é bom se você se forçar nas garotas~” (Fonke)

“Você deve ser gentil com as garotas.” (Vermeer)

“Hey, caras, esperem um pouco…” (Yuusuke)

Fonke e Vermeer estavam exagerando. Aisha foi ordenada pela princesa para não interferir, no que Violet em si estava apenas assistindo o bullying enquanto Shaheed estava apenas sentado silenciosamente sem dizer uma palavra durante a conversa inteira.

“Por que vocês estão falando sobre força bruta? Ele certamente estava usando sua força no começo, mas… o capitão estava tentando ser gentil!” (Isotta)

*SILÊNCIO*

A sala de descanso caiu num silêncio completo no que Isotta tentou ajudar Yuusuke ao explicar a situação, omitindo pontos chave como “ele estava carregando a bagagem” ou “isso não queria dizer que eu estava brava só porque eu estava quieta”.

“Uhm… Yuusuke, se você quer brincar por aí, há várias cantoras noturnas na cidade. É melhor não ir atrás das inexperientes.” (Fonke)

“Se você quiser, eu posso te arranjar algumas das garotas do palácio”, adicionou Violet, quase não contendo sua risada por todas essas fofocas.

“Como você é um homem, eu entendo que você está interessado em tais atos. Contudo, eu acho que você deve manter isso em moderação.” (Sun)

Apesar de Sun ter dito isso numa voz calma, seus ombros estavam tremendo.

“Vocês, DÁ PARA VOCÊS PARAREM DE TIRAR CONCLUSÕES DISTO!?” (Yuusuke)

Era um raro dia em que Yuusuke estava sendo provocado.

***

No banco de um enorme lago na parte mais do sul de Fonclanc, um grupo armado de dez homens, vestidos em uniformes de Gazzeta, estavam terminando as discussões finais sobre seu plano de invasão para a próxima vila artless.

Durante o último ataque deles, um nobre havia escapado junto com vários criados. Eles receberam um relato que o grupo de perseguição que foi atrás deles foi destruído. O relatório foi enviado pela única pessoa do grupo de perseguição que conseguiu sobreviver. Contudo o conteúdo do relatório era problemático.

“O capitão das corps do deus maligno de Fonclanc e Shinra, rei de Gazzeta, realmente uniram forças…?” (Jorisberto)

“Pense sobre isso um pouco!” (Betty)

O oficial comandante gemeu já que rei Shinra tinha que estar envolvido nisto se as ações de soldados artless estavam coordenadas com os movimentos da corps do deus maligno. Seus subordinados pareciam concordar com ele.

De acordo com os colaboradores deles em Gazzeta, os movimentos do exército que eram óbvios antes se tornaram difíceis de ler. Como tais eventos inesperados ocorreram, se tornou muito perigoso continuar agindo no território inimigo.

No que eles não podiam tomar a decisão deles na hora, eles optaram retornar temporariamente para o país deles.

“Sério, a existência da corps do deus maligno é um pé no saco…” (Jorisberto… nope)

Mesmo que eles ainda fossem novos, Volmes suspirou depois de perder três soldados úteis e mandou uma ordem de retirada.


Tradução: Thyros



Fontes
Cores