WCC – Capítulo 20 – Virando a Maré



“Yuusuke, quanto você sabe sobre Gazetta?” (Violet)

“Eu só sei o nome.” (Yuusuke)

“Entendo, eu mesma não sei muito também.” (Violet)

“Que diabos!?” (Yuusuke)

Depois de receber a promessa de proteção dos artless do Rei Esvobus, Violet repentinamente se lembrou sobre Shinra, que estava no conteúdo das histórias que Yuusuke havia contado. Isso pode se tornar uma referência que será útil no futuro.

“Eu não sei os detalhes, tudo que eu sei é a informação fornecida por Zeshald. O rei daquele país é um artless.” (Violet)

“Isso significa que é um país formado pelos artless?” (Yuusuke)

Violet, que não sabia realmente a resposta, olhou em direção de Kreivol. “Então, que cê quer saber?” no que Kreivol começou a trocar olhares, enquanto parecia relutante em compartilhar sua informação sobre o país de Gazetta.

A maioria das bordas de Gazetta são próximas de Nossentes, e a maioria de sua terra é composta por adversas montanhas. Próximo das bordas de Blue Garden, há uma cidade estilo capital, apesar de não haver nada de especial sobre esta cidade, ela recebeu uma impressão devido como a cidade era governada por pessoas ordinárias.

Apesar de sua capital imperial ser localizada em algum lugar dentro das vastas cordilheiras onde o rei artless reina. Devido às adversas montanhas de Gazetta, elas servem como um campo de treinamento natural para guerreiros, então um grande número de “Guerreiros Artless” foram criados lá.

“Apesar que, Blue Garden e Nossentes sabem das presenças desses Guerreiros Artless, eles sempre desviaram seus olhos deles.” (Kreivol)

Ele começou a falar levemente, ‘E na verdade, enquanto comparando os [Artless] com os usuários de artes divinas, parece que eles tem uma constituição básica corporal melhor excelente força de vida quando os estudiosos estavam pesquisando neles’, falou Kreivol enquanto tentava esconder sua voz.

Esses eram os conteúdos de resultados de pesquisas que não foram soltos para o público geral. É conhecido apenas para um punhado dos oficiais e estudiosos que são parte da defesa nacional. Uma ideia apareceu na cabeça de Yuusuke enquanto ele estava ouvindo a história. Pela experiência dele, não uma mas duas, Sun e Tia Bahana passavam a impressão que “elas parecem magras mas elas têm a força”.

“É um fato que não se pode sentir o poder das artes divinas dos [Artless], será difícil até para os usuários de artes de vento achá-los se eles fossem apagar os sinais de seus movimentos.” (Kreivol)

Para um ataque frontal, o ataque baseado em usuários de artes divinas será vantajoso, mas há limites enquanto correndo contra um usuário de arco.

As presenças desses [Guerreiros Artless] eram conhecidas como boatos entre os soldados. Tais conversas de um guerreiro livre de artes divinas, que derrotou os soldados, não podiam ser faladas alto. Como dito, claro que deve ser sabido que um nível de [guerreiro normal] causou este incidente para que seja vantajoso para o povo. (NT: Esse final ficou confuso, eu sei… mas não faço ideia de como melhorar)

“Hmm, eu me pergunto, os [Artless] são na verdade uma variação da classe de guerreiro…? Assumindo isso ~~” (Yuusuke)

“O que você quer dizer com isso?” (Violet)

No que Violet inclinou sua cabeça, tendo um ponto de interrogação acima de sua cabeça, Yuusuke começou a falar sobre sua ideia que ele teve.

  • Os [Artless] dentro do domínio de Fonclanc serão apontados como os limpadores de Sanc Adiet.
  • Os [Artless] serão responsáveis pela limpeza de cada um dos distritos da cidade.
  • Os [Artless] não serão forçados à fazer a limpeza.
  • A remuneração da limpeza será fundada pelo palácio.

“Limpadores… então nós colocaremos os [Artless] na cidade?” (Violet)

“Hmm, então na forma de uma contratação do palácio, para evitar marginalidade.” (Kreivol)

Começando agora, a limpeza da cidade é feita por trabalhadores de alguns dias todo mês. Ao usar artes de vento, alguém pode facilmente assoprar longe o lixo, e ao usar artes d’água, alguém pode enxaguar o pavimento de pedra. Contudo, o lixo que foi soprado para os becos da cidade e as pedras pavimentadas lavadas não são realmente limpadas propriamente, no que deixam a estrada desigual.

Apesar dos distritos de nobre e de classe média parecerem lindos, se alguém fosse ir pelos fundos ~~. Por Yuusuke ter andado pela cidade pelos últimos dias, Yuusuke notou este problema.

“Sim, eu entendo que haverão pessoas do distrito nobre que desaprovarão este arranjo se nós aplicarmos ele imediatamente por lá, então nós devemos testar isso com o distrito da plebe primeiro.” (Yuusuke)

Para cada um dos distritos, nós dividiremos ele em partições e teremos um soldado supervisor que será responsável pela supervisão da limpeza daquela área. Yuusuke criará e providenciará as ferramentas para a limpeza. Para o pagamento e compensação, não há atualmente uma verba estimada para isso ainda, então isso será determinado através de uma consulta com a pessoa encarregada pela contabilidade.

“… Eu consigo ver o foco disso, mas nós conseguiremos os resultados que queremos?” (Kreivol)

Há uma questão se haverá ou não descontentamento pelos [Artless]. Em primeiro lugar, isto não é uma coisa compulsória, então o grau de participação esperado dos [Artless] pode ser zero. Contra as preocupações de Kreivol, Yuusuke disse, “primeiro, nós precisamos criar um ambiente para explicar como isto funciona para eles”.

“O capitão da corps do deus do fogo Kreivol, não esteve andando pelas ruas mais baixas da cidade recentemente, certo? Eu não sei se você sabe disso ou não, mas você é uma figura bem famosa entre os [Artless].” (Yuusuke)

Os [Artless] que se reúnem ao redor da periferia da cidade tem seu ganha pão por serem contratados como carregadores de bagagem ou servos instantâneos. Ao serem contratados como cuidadores de vagões/carruagens, o trabalho deles esteve sendo sinceramente apreciado pela primeira vez, mas o nível de reconhecimento só é estabelecido na consciência dos residentes da cidade e mercadores. (NT: Servos instantâneos… nome escroto, mas a ideia é realmente alguém vai aparecer na hora para te ajudar com qualquer coisa…)

Um grande exemplo é Isotta, ela esteve junta com os [Artless], que estavam ficando na periferia de Sanc Adiet por um longo tempo enquanto observava o desenvolvimento da cidade. Não só isso, as crianças do distrito comum tem muitas experiências brincando com as crianças [Artless] na área.

Depois de crescerem, enquanto haviam pessoas que começavam a discriminar os [Artless], também haviam aqueles adultos que ainda tinham um relacionamento de amigos com eles.

“Aqueles que nasceram e cresceram nos distritos de classe média e nobre não teriam descido para o distrito da plebe para brincar, então eu acredito que eles não devam ser tão compreensíveis.” (Yuusuke)

Yuusuke, que estava imerso em pensamentos, imaginou e apontou, porque a fé nos 4 grandes deuses esteve convencendo e implantando a diferença entre as crianças de “nascimento humilde”.

“Eu não sei muitos detalhes sobre isto, mas pelas doutrinas da fé nos 4 grandes deuses, eu imagino se tem qualquer coisa relacionada com a interação com os [Artless]?” (Kreivol)

“Hm? Parando para pensar nisso, para repentinamente chegar nisso… você sabe de algo, Kreivol?” (Yuusuke)

“Há um ditado em uma passagem, [Aqueles que não receberam as bênçãos de deus devem ser exilados da terra dele]…” (Kreivol) (NT: Sim, a passagem na crença dos 4 deuses fala de um deus só… quem precisa de lógica?)

Onde fica a [terra dele]? No que não havia mais nada que mostrasse isto, logo a questão se tornou apenas uma piada. Mas devido à este ditado, eles usaram isso como uma doutrina para o país como uma desculpa para exilar os [Artless], apesar que a existência de racismo extremo não seja encontrada.

“Bem, isso dever estar tudo bem, certo? Apesar disto ser meio fora do tópico, eu sei de um culto que acredita na doutrina de matar pessoas.” (Kreivol)

Se uma pessoa opuser isto usando de base as doutrinas da fé, se tornaria um problema difícil, mas devido ao otimismo de Yuusuke, ele acreditou que não haveria um problema. Na vida cotidiana, a existência de [Artless] já se tornou comumente conhecida como um “ser vivo acostumado” devido à natureza humana.

Depois de alguns dias, uma ordenação de proteção para os [Artless] foi promulgada, no que eles virarão os limpadores da cidade.

***

Pouco antes da promulgação da ordenação de proteção em Sanc Adiet~~

-Primeira capital de Blue Garden, a cidade cume de Cofta-

Da cidade, alguém podia subir um pouco nas montanhas onde o templo de Shalnar é localizado. Zeshald estava lembrando de seu passado quando ele pisou na cidade de Cofta, recordando que havia de pouca à nenhuma mudança na cidade. Ele estava aqui para uma audiência com a sacerdotisa d’água e rainha, Risha, que estava programada para amanhã. (NT: O nome completo dela é Rishause… mas povo gosta de ter intimidade com ela)

Se ele pudesse criar um bom relacionamento com a rainha, e virar um confidente enquanto estiver nisso, sua posição dentro de Blue Garden aumentará grandemente.

Diferente dos [Artless] em Paula, os que você via na cidade de Cofta estavam vestindo roupas e sapatos arrumados. Todos eles estavam andando pelas ruas sem seus donos, presos à eles estavam os braceletes de escravos, eles estavam todos saudáveis e brilhantes.

Eles são os escravos que eram propriedade do templo, os direitos de propriedade do templo são propriedade da rainha, então eles estão sob o patrocínio como os escravos da rainha, logo eles viviam pacificamente dentro da cidade. Originalmente, o bracelete que eles adornam em seus corpos significava as algemas dos escravos, mas aqui ele se tornou um escudo para protegê-los.

“Para ter uma diferença tão enorme assim entre o reino da rainha e do comandante supremo dentro do mesmo país…” (Zeshald)

Ouvindo dos estudantes de quem eu estava encarregado de guiar em artes divinas, eles haviam vivido por algum tempo em Paula e sempre voltavam para suas casas para visitar seus pais em Cofta, ouvindo sobre a situação ali, eu fiquei bem espantado.

Como um peixe num aquário, Zeshald estava sendo encarado pelos habitantes da cidade enquanto ele estava explorando a cidade, devido à ele ser o instrutor de artes divinas de Paula, ele podia sentir que a atmosfera de impressão ao redor dele não era muito acalmante.

“Fuee… a audiência de amanhã, eu preciso obter sucesso nela.” (Zeshald)

***

No dia Seguinte~~

-O Templo Ancião de Shalnar localizado nas Montanhas Bouzas-

Entrando pela entrada no primeiro andar, ele foi cumprimentado por um largo e espaçoso corredor interior, a sala dos guardas do templo e as salas de convidados, no santuário interno eram os dormitórios dos crentes.

Depois de passar pelas salas de convidados, havia a cozinha e o refeitório, seguido por uma área para se lavar, poço e um longo corredor médio onde os alojamentos para os servos e soldados do templo eram localizados. Esse corredor estava alinhado com um quarto nos dois lados. Ele foi aparentemente construído de um jeito que os soldados do templo pudessem se enfileirar dentro do corredor.

Na parte mais profunda do templo era o escritório e quarto privado do cônsul, e uma escadaria levando para o segundo andar, e logo antes das escadas era outra sala de guarda dos soldados do templo. O segundo andar é onde o quarto, arquivos, sala de jantar e sala de audiência da sacerdotisa d’água e rainha são localizados.

Incidentalmente, do outro lado da parede da parte mais profunda do primeiro andar era um banho purificante para o uso da rainha e é diretamente conectado ao segundo andar.

Zeshald imediatamente se curvou e se ajoelhou no momento que ele passou pela sala de audiência, no que Rainha Risha estava sentada no trono.

“Bom dia, você é a bela e nobre rainha Rishause. Obrigado por permitir esta audiência com você, eu sou abençoado pela sua graça~” (Zeshald)

“Chega de bajulação e cumprimentos formais, Instrutor de Artes Divinas Zeshald, o que lhe traz aqui hoje?” (Risha)

Uma voz dignificada interrompeu o discurso de Zeshald no meio, no que ela interrompeu ele perguntando pelo que ele veio incomodar ela. Zeshald estava surpreso pela imagem da Rainha que ele tinha em mente.
Contudo, devido aos muitos anos de experiências dele, a intuição dele dizia que havia mais sobre Risha do que parece. A imagem de [atuação] flutuou na mente dele.

“No que eu me juntei à Blue Garden, eu vim para cumprimentar Vossa Majestade, a Rainha.” (Zeshald)

“Oh, entendo. Mas, já se faz 1 mês e 10 dias desde que você desertou para meu país.” (Risha)

Em termos simples, a rainha estava inferindo, para que a hipocrisia já que já se passou um longo tempo desde a deserção dele, e entendendo isso, suas aias estavam todas rindo no fundo. (NT: Nunca achei que teria uma chance para usar essa palavra…)

“Isso é duro. Contudo, era porque eu estava sendo monitorado por muitos olhos e até agora eu não tive a oportunidade para vir e lhe cumprimentar.” (Zeshald)

“Isso não são ordens minhas, e o que a oportunidade de me encontrar tem a ver com… esses olhos monitoradores?” (Risha)

No que ela levantou e inclinou sua cabeça, seu longo cabelo de cor d’água balançou casualmente no que ele alcançou até a altura dos joelhos dela. Sendo um exilado de um país inimigo, é natural colocar olhos observadores ao redor dele dentro da cidade, mas isso não é uma razão para não aplicar uma audiência com a Rainha, é uma questão de não fazer e não ser capaz de fazer.

Risha sentiu que Zeshald não estava aqui simplesmente com a intenção de só um simples cumprimento, então ela começou a inquirir ele.

“Eu queria evitar de trazer os excelentes oficiais dos Escritórios do Líder Supremo Izapnar.” (Zeshald)

“…?” (Risha)

“Eu queria encontrar Vossa Majestade, a rainha, pessoalmente, como… o Instrutor de Artes Divinas original de Fonclanc.” (Zeshald)

O clima começou a ficar instável na sala de audiência. As aias mutuamente piscaram uma para a outra para mostrar o gesto de vigilância, no que elas estavam tentando chamar os soldados do templo. Risha parou elas e deu um gesto para esvaziar a sala para poder falar com Zeshald sozinha.

“Então, o que você quis dizer com isso?” (Risha)
“Vossa Majestade, você está entrelaçada com tristeza pelo estado atual do país.” (Zeshald)

Estando dessatisfeita sem ser capaz de fazer qualquer coisa sobre as políticas do Líder Supremo Izapnar, devido ao fato do poder verdadeiro ser detido por aquele homem. Zeshald apontou isso, apesar da linhagem real e autoridade ser ela, estar frustrada não levará a lugar nenhum, o único jeito de responder é se tornando uma dama profana com controle.

“Espere, Masha. … Certamente, é como você disse, eu não acho que as políticas dele são as melhores. Mas…” (Risha) (NT: Ela é uma aia muito importante.)

Apesar dela não ser a favor do jeito atual do país ser governado por Izapnar, isso não significa que ela é a favor do sistema que Fonclanc está atualmente usando, no que ela claramente disse para ele. Risha, que tinha herdado o ideal do falecido pai dela, só tinha a chance de praticar isso através do seu pequeno domínio de governo da cidade de Cofta.

“Contudo, se o estado atual das coisas fossem continuar, vossa graça eventualmente também será privada da autoridade de governar a cidade de Cofta.” (Zeshald)

“SEU HOMEM RUDE! SUAS PALAVRAS IMPENSADAS PARA SUA MAJESTADE SÃO IMPERDOÁVEIS!” (Masha)

A aia que estava sendo chamada mais cedo, Masha, estava soltando fumaça de raiva e começou a formar artes divinas estilo orvalho em suas mãos. Mas nada aconteceu, ela piscou em direção da aia que tinha o mesmo rosto e estava de pé do lado oposto. Contudo, isso acabou tão repentinamente quanto começou.

“Hey, Sasha! Vamos detonar este velho homem rude que é um tolo completo ao esquecimento!” (Masha)

“Sem sentido. Vossa Majestade falou para esperar. Nós devemos discernir o que ele ainda tem para dizer.” (Sasha)

No que ela respondeu à sua irmã mais velha emocional Masha, Sasha retornou sua emoção por simplesmente aumentar sua saída de poder divino. A propósito, as artes d’água de Masha é um tipo defensivo onde ela usa “Parede d’Água”, enquanto Sasha é um tipo de ataque onde ela usa “Coluna d’Água”.

De qualquer jeito, não havia muita água na redondeza e então o efeito da arte d’água não será devastador, e não havia um sopro de Izapnar nelas, no que Risha pessoalmente apontou elas como suas confiáveis aias, parece que elas já foram amigas.

“As duas, se acalmem. Zeshald-san, qual é o propósito da sua vinda aqui?” (Risha)

“Uma amizade entre ambos países, se eu tiver que dizer.” (Zeshald)

“… Você quer que eu ataque e traia Izapnar?” (Risha)

“Se possível, eu gostaria que isso acabasse sem confusão.” (Zeshald)

Depois da questão de afirmação da rainha, Risha suspirou e balançou sua cabeça. Se apenas algo assim fosse possível, ela murmurou dentro de sua mente.

Primeiro de tudo, se nós fossemos perder a liderança de Izapnar agora, o país cairá em caos. E se isso acontecer, Fonclanc poderia facilmente entrar marchando com seu exército e Blue Garden seria completamente destruído. Rei Esvobus é esse tipo de homem. (NT: Deixando claro que isso é tudo ideia da Risha, não do Zeshald… apesar que deve ser meio óbvio)

“Eu não estou tentando ter esperança pela destruição de nem Fonclanc ou Blue Garden.” (Zeshald)

“Mas, você está tentando destruir aquele homem Izapnar e isso será a situação resultante.” (Risha)

“Hohoho, com todo devido respeito, Vossa Majestade, a rainha, tem subestimado o tremendo apoio da sua autoridade e de seu povo.” (Zeshald)

“Eu não tenho mais o poder para mover o país.” (Risha)

(Atualmente toda a autoridade militar foi pega por Izapnar, não importa quanto apoio público eu ganhe, no fim eu só sou uma rainha ilustrativa.)

No que suas 2 aias começaram a se preocuparem por ela, por fora você podia ver quão próximo o relacionamento dessas 3 pessoas é.

“Para que a rainha mova o país, primeiro nós precisaríamos de talentos humanos.” (Zeshald)

“O que você quer dizer?” (Risha)

Depois de receber a confiança da rainha, Zeshald começou a explicar seus planos.


Tradução: Thyros



Fontes
Cores