WCC – Capítulo 11 – Pavimentar o Caminho



Alguns dias depois do incidente, os aldeões celebraram calorosamente o retorno seguro dos dois jovens. Depois deste incidente, Sun ficou mais forte e começou a ser mais aberta ao redor de Yuusuke. Reifold também não apareceu diante dele desde aquela vez na beira do rio, então o jovem homem estava ocupado com sua vida na pacífica vila. (NT: Na parte da Sun, ele usa um provérbio que é ‘depois da chuva, o solo endurece’… é legal, mas melhor deixar assim)

Tendo dormido tarde, Yuusuke entrou na sala de estar assim que ele lavou seu rosto numa bacia com água, que foi colocada em seu quarto, para se acordar.

“Por que aquilo estava lá?”

“Oh, você finalmente está acordado. Você é um dorminhoco, Yuusuke.”

“Ah, bom dia Yuusuke-san. Devo lhe servir café da manhã?” (NT: Eu não aguento mais “Sr. Yuusuke”, agora é -san e o que eu quiser agora, para ficar melhor  para mim)

Por algum motivo, Violet estava sentada na mesa do café da manhã. A figura de Kreivol também podia ser vista próxima da porta da frente.

“Ainda assim, esta comida [frita] é também muito deliciosa. Você criou isso também, Yuusuke?”

“Como os ingredientes estavam ali… esse não é o ponto!”

Depois de provar a comida do palácio, Yuusuke cozinhou este prato se sentindo nostálgico por algo levemente mais elaborado para se comer. Então, ele conseguiu cozinhar algo com o peixe que ele havia deixado com Bahana antes de ter ido para a capital. Depois de adicionar farinha, ovos e óleo de cozinha, ele customizou os ingredientes em turnos, e criou um prato com um sabor grelhado esplêndido.

Diferente do parâmetro de doçura das frutas lala, além de criar farinha fina de grãos de trigo, o resto do preparo do prato podia ser feito sem depender de customização. Naquele mesmo dia a receita se espalhou entre a vila, e agora se tornou uma culinária padrão de todas as casas; com cada uma delas vindo com seus próprios sabores.

“Beeeem, está tudo bem. Se sente por ora, nós iremos falar sobre as coisas importantes depois da refeição. Sun, traga para Yuusuke algo para beber.”

“Por que você está dando ordens por aqui?”

Parecia que o dia seria difícil desde cedo de manhã. Yuusuke se sentou na mesa com sua cabeça para baixo desanimadamente. Por ora, ele encheu seu estômago com batas fritas, carne com vegetais fritos e suco de lalas espremidas. Como um fato paralelo, suco de lala podia ser fermentado em vinho de fruta.

O delicioso produto, de boa qualidade, era convenientemente chamado de [Vinha Lala], e podia ser vendido por um preço bem bacana.

***

Depois de uma pequena pausa seguindo o café da manhã, Violet começou a falar:

“Então, sobre minha razão por visitar vocês hoje.”

“Isso não é sobre as doces frutas lala, é?”

“Isso era parte do motivo”, respondendo a interrupção repentina de Yuusuke, Violet tirou uma carta selada com o selo real. Ao puxar para cima e para baixo nos cantos, ela abriu a carta e começou a lê-la.

“Por conhecimento de suas conquistas recentes, você é provido com uma oportunidade para se juntar ao serviço público em meu nome: Esvobus Volance Décimo Oitavo.”

“O que é isto?”

“Falando simplesmente, é uma carta de invocação.”

Mesmo que a carta continha um convite para servir no palácio, a mensagem também implicava que o receptor estava sendo chamado para “servir o país”. Basicamente era uma ordem para Yuusuke. Depois de beber o suco de lala espremida em um gole, Yuusuke fez uma careta enquanto sentava na cadeira de braço cruzado.

“Eu quero dizer que eu não ligo sobre isso… mas você pode me falar sobre isso em detalhes?”

“Uhm, como é você, eu não esperava que você concordasse com isto facilmente.”

Dois dias mais tarde, a invocação de Yuusuke se tornou um tópico quente entre os burocratas. Claro, a torre de vigia, que se tornou o prédio mais alto em Sanc Adiet, não foi oficialmente reconhecida pelo palácio. E ainda, haviam protestos vindo dos habitantes dos distritos de classe média e nobre que não conseguiam tolerar a existência de um prédio mais alto, chamando ele de “ultrajante”, logo sendo um problema no distrito da plebe.

A proposta deles para erguer estruturas similares em seus distritos foi negada com:

“Uma repetição do ultraje no distrito da plebe não deverá ser tolerado.”

No que a torre foi construída para a princesa Violet, e com ela se tornando uma atração turística popular que trouxe lucro, não haviam chamados para demolir a estrutura no futuro próximo. Contudo, se os habitantes dos distritos médio e nobre fossem permitidos à terem as coisas do jeito deles, isso deixaria um mau exemplo que poderia afetar o sistema de casta em que o país se baseava.

Também tinha a questão do construtor da torre ser relacionado com Zeshald, que desertou recentemente para Blue Garden, o que pesava nas mentes dos burocratas. Eles tinham medo que os instigadores, chamando pessoas para desertar para o lado de Blue Garden onde o sistema de casta foi abolido, iriam alegremente colocar esta nova informação para funcionar como propaganda deles, que eles espalhavam todo dia.

Eles pensaram que ter a fonte das preocupações deles, Yuusuke, servir o país de Fonclanc como um guarda do palácio, permitiria à eles manterem suas aparências. No que rei Esvobus decidiu alistar Yuusuke no serviço público durante o Conselho real, Violet se voluntariou para realizar o dever de passar a decisão para o recipiente.

“Importa pouco que você pode fazer roupas e preparar comida, a habilidade chave que você tem é a arte divina que você usou para construir aquela torre.

Atualmente, como uma resposta às provocações, um plano para construir uma fortaleza na borda com Blue Garden está em desenvolvimento. É esperado que você emprestará suas habilidades nessa construção. Se você obedecer os deveres de serviço público, será dada à vila Rufk um privilégio de tratamento especial.

Bem? A proposta não soa ruim, certo?” (NT: Muito texto, em vez de fazer 3 falas diferentes para ela fiz isso. Querem aspas por fala ou tá bom assim?)

No que Yuusuke estava perdido em seus pensamentos, Violet se levantou, andou para trás dele e colocou seus braços ao redor do pescoço dele.

Parecia que ela estava tentando usar seu apelo sexy como uma jovem mulher para torcer a vontade de Yuusuke, mas uma garota de catorze anos abraçando um homem em seus vinte anos parecia mais um irmão que era atazanado por sua irmã mais nova, que estava abraçando ele. Sorrindo, Sun abaixou seu olhar.

“Um guarda, eh…?”

“No que você servirá no palácio, o pagamento será bom também. Você quer prover para Sun uma vida confortável, não quer?”

“O que você quer dizer, falando coisas aleatórias assim… não é como se eu pudesse ir diariamente até lá da vila.”

“Como esperado, há uma bela distância daqui até o palácio.”

No que Yuusuke pediu por algum tempo para pensar, Violet ordenou que ele fosse até o palácio com sua resposta depois de três dias.

“Eu ainda tenho que ir por este caminho, não tenho?” (NT: Expressão dizendo que não tem como ignorar isso)

“Como eu lhe disse antes, esta é uma carta escrita de invocação. Ignorar ela significa ignorar a ordem do rei.”

Ignorar uma ordem do rei é igual à insubordinação militar. No que a definição é obscura, é improvável de você ser punido. Ainda assim, não é como se a ordem do rei possa ser ignorada.

“Nesse caso, um tipo diferente de serviço será forçado em você”, adicionou Violet.

“Que problemático…”

“Hehee, bem, divirta-se pensando sobre isso. Eu esperarei ouvir uma resposta favorável de você.”

Depois de falar essas palavras, Violet deixou a casa deles, segurando apertadamente suas requintadas frutas lala doces e apimentadas.

***

“O que devo fazer?”

Resmungou Yuusuke, suspirando no agora quieto quarto, enquanto perguntava pela opinião de Sun. Ele foi dito que a vila também se beneficiará disso, então provavelmente não é uma decisão terrivelmente ruim quando pensando sobre o que era melhor para a vila. Contudo, Sun ficaria vivendo sozinha, caso Yuusuke aceite a posição oferecida.

“Incrível Yuusuke-san. Esta é uma enorme promoção!”

“Uuuungh, ficou assim no fim das contas…”

“Parece que você também será capaz de vir para casa algumas vezes, eu acho que é uma boa oferta.”

Parecia ver a posição governamental num jeito favorável. Já Yuusuke, assim que sua vida com Sun tinha finalmente chego no caminho certo… assim que ele começou a curtir isso… era bom demais para ser verdade… isso aconteceu tudo rápido demais… então os sentimentos dele eram complicados.

(Você não se sentirá sozinha?)

Contudo, incapaz de perguntar esta questão, Yuusuke se sentiu como um fracasso de um homem.

(Sim ou não, qualquer resposta me deixaria deprimido.)

Pensando assim realmente parecia ser “divertido”. Depois de beber o que quer que sobrou do suco de lala espremida, Yuusuke olhou para o teto.

***

“Oh, Yuusuke. Indo para a floresta?”

“Bahana. San.” (NT: Tentando manter mais japonês, porque aos meus olhos com os honoríficos originais fica melhor… pena que eu estou chutando eles hu3hu3hu3)

No dia seguinte, Yuusuke encontrou Bahana no que ele deixou a casa enquanto carregava ferramentas de pesca. Yuusuke perguntou para ela se ele devia fazer seu melhor e ir para a cidade apenas por causa de um desejo egoísta de honrar os sentimentos de Sun. A resposta de Bahana para esta questão foi:

“No caso de rolar uma luta, você estaria protegido, certo?”

“Provavelmente… eu fui ordenado à ajudar na construção de uma fortaleza com minhas habilidades. Depois disso, minha responsabilidade deve ser ajustar o gosto da comida.” (NT: Que perspectiva de futuro, eu aceitaria esse emprego)

De acordo com Violet, rei Esvobus parecia não ter intenções de mandar ele para guerra. Yuusuke pensou que depois da fortaleza estar completa, isso também faria com que invadir território estrangeiro seja difícil para o lado de Blue Garden.

“Bem, a decisão ainda é com você.”

Bahana bateu nas costas de Yuusuke, dizendo “bem, pense nisso minunciosamente antes de fazer sua decisão”. Yuusuke gritou. As mulheres desta vila eram realmente fortes.

***

Yuusuke, que estava perdido em seus pensamentos, sentou num banco que ele fez ao customizar a terra na beira de um riacho correndo pela floresta próxima, que se tornou seu ponto de pesca padrão. Devido à todos os pensamentos, ele não conseguia se concentrar. Apesar disso, em cerca de trinta minutos ele já pegou quatro peixes em sua cesta.

“Wow, seu gancho de pesca é realmente incrível, eu quero um desses para mim.”

“Wah!? Não me assuste assim!”

Reifold, que apareceu do lado de Yuusuke sem um som, estava examinando a isca de pelúcia que Yuusuke havia criado. Ele parecia ser um espião para Blue Garden, que carregava uma atmosfera de outro mundo ao seu redor, e tinha a habilidade de aparecer do nada.

“De que buraco você saiu?”

“Fufu, eu pertenço à tribo da floresta no fim das contas.”

Normalmente referidos como o [Artista de Vento], o usuário de artes de vento também era excessivamente elusivo. Ele rapidamente mudou de tópico para o convite do palácio. Yuusuke instantaneamente começou à questionar coisas como quanto ele sabia. Ele imaginou se o fato que ele se tornaria um oficial do palácio fosse incomodar Blue Garden e forçar eles à agirem.

“Isso mesmo, você pode instantaneamente erguer uma fortaleza gigante com suas artes divinas. É por isso que eu devo me livrar de você…”

“?!”

Yuusuke imediatamente se preparou para uma luta. Abrindo o menu de customização ao se concentrar, ele chamou pelos [Status de Customização para Item de Mapa] que ele praticou muitas vezes apenas pelo caso dele precisar lutar. Ele instantaneamente ergueu múltiplas paredes defensivas ao seu redor, assim como zonas de armadilhas como os pitfalls que ele havia usado antes.

“Que isto, que isto? A aura que você tem parece realmente perigosa. Eu me especializo em passar informação. Trabalhos grosseiros como assassinato estão fora do meu campo de especialidades.” (NT: E temos aqui o Serginho Malandro de espião…)

“Hey, se ouça…”

Reifold sentou no banco, interessado nas paredes que Yuusuke havia erguido ao seu redor.

“Diga, quão efetivas elas são?”

“Quer testá-las você mesmo?”

Sorrindo, Reifold manipulou o vento, criando um golem ao coletar folhas por perto e galhos caídos. Yuusuke observou ele, pensando “então é possível fazer coisas assim também”. Através do uso da pressão do vento, o golem foi feito para parecer humanoide. Assim que ele entrou na zona de armadilhas, ele pisou na fina cobertura do pitfall e caiu.

Imediatamente depois disso, várias paredes protetoras deslizaram até o buraco, caindo no golem preso. O fundo do pitfall se tornou uma mistura de galhos quebrados e pedaços de terra.

“Whaa, isso é bem duro. Eu não notei o pitfall ali.”

Mostrando completa ignorância sobre o destino trágico de seu golem, Reifold balançou seus ombros. Sua atenção focada em uma das paredes, o usuário de vento tocou a cobertura de outro pitfall com a ponta de sua bota. De novo, a armadilha se ativou e a parede caiu no buraco. Esta parede não se quebrou e virou uma ponte sobre a armadilha.

“Então, você se tornará um oficial do castelo?”

“Isso foi tudo repentino demais. Eu estou com problemas para tomar a decisão.”

“Oh? Machucaria tentar trabalhar pelo país?”

“Por quê?”

Como recusar a oferta favoreceria Blue Garden, ao invés de receber deveres e responsabilidades, seria melhor argumentar por uma oferta mais lucrativa. A tentativa de Yuusuke de espiar o quanto que este homem sabia foi esplendidamente evitada pelo auto-proclamado membro da tribo da floresta.

“Qualquer caminho que você escolha, seria melhor vir com recompensas e favores.”

“Hmmm.”

Realmente, Yuusuke imaginou o que Reifold tinha para ganhar ao falar com ele assim.

“Diga, por que você… ele já saiu!?”

Assim como da última vez, Reifold desapareceu tão repentinamente como ele veio. Ele também levou uma das iscas de pelúcia de Yuusuke, assim como alguma informação sobre suas artes divinas.

***

Naquela noite, aproveitando uma refeição noturna feita de galinha finamente cortada, uma salada com algum molho e frutas lala cortadas em cubo, e pequeno peixe grelhado, Yuusuke conversou com Sun sobre seus planos de viajar para Sanc Adiet no dia seguinte.

“Entendido, neste caso, eu devo lhe acordar mais cedo, certo?”

“Ah, obrigado.”

Yuusuke podia dificilmente dizer que ele já estava acostumado à pilotar um vagão. Ainda assim, ele não tinha escolha senão de algum modo conseguir dirigir isso sozinho. No que ele só tinha que seguir direto reto na rodovia até a cidade, a viagem amanhã não preocupava muito ele.

No que eles pararam de falar, o som dos talheres e de mastigação, ouvidos quando comendo comida frita, eram os únicos sons presentes na sala de estar.

“Yuusuke-san?”

“Eh? O-o que foi?”

Tendo sido chamado tão repentinamente, Yuusuke gaguejou por um momento. Sun estava preocupada sobre Yuusuke das profundezas do coração dela no que ela disse, enquanto sorria esquisitamente:

“Eu ficarei bem. Certamente será triste viver sozinha, mas tais coisas também aconteciam frequentemente quando eu estava vivendo com o sensei.” (NT: Sensei>Professor… não me incomodem por isso, ok?)

Dado que haviam vezes quando a casa ficava vazia devido à Zeshald indo numa viagem longa, Bahana frequentemente se preocupava com ela, e tendo tido a chance de se sentir do mesmo modo, Sun queria dar o máximo de si quando ela disse aquelas coisas para Yuusuke. Ainda assim… isso era uma experiência de algum modo embaraçosa para ela.

“Sensei lhe disse que com o tempo, você se tornará uma pessoa que moverá o mundo.”

“O mundo, eh…?”

“Por causa disso, você precisa usar cada chance para aprender mais sobre o mundo.”

“……”

Lembrando das palavras de Zeshald, Yuusuke também foi lembrado de sua vaga razão para aparecer neste mundo.

Afinal, ele era o [Deus Maligno], uma existência chamada aqui de outro mundo. O que ele deveria realizar? Por que ELE foi chamado aqui? Não importa quanto ele pensasse sobre isso, ele não conseguia vir com as respostas, então o único jeito de descobrir isso era continuar vivendo neste mundo e expandindo seu conhecimento.

“Você está certa…”

Depois de terminarem suas refeições, até a hora que eles foram dormir eles não disseram uma única palavra um para o outro.

***

No dia seguinte…

Antes da neblina da manhã ter saído, Yuusuke, com uma troca de roupas numa pequena mochila, sentou no assento do motorista do vagão. A única para ver ele partir era Sun, que havia acordado ele. Se ele se tornasse um guarda do palácio, ele provavelmente ficaria incapaz de retornar para a vila por um tempo.

Yuusuke, tentando pensar num jeito apropriado de se despedir de Sun, finalmente trocou um simples cumprimento com Sun.

“Eu estou indo, Sun.”

“Boa sorte, Yuusuke.”

Então Yuusuke, andando no vagão de Zeshald, deixou a vila Rufk e desapareceu na neblina da manhã, em direção de Sanc Adiet.


Tradução: Thyros



Fontes
Cores