WCC – Capítulo 0 – Prólogo



“Realmente, o balanço é terrível… este jogo é uma droga.”

Cuspindo essas palavras enquanto continuava a triturar os botões num console portátil de jogos, ele estava andando dentro do recinto de um velho templo, localizado próximo da casa dele.

Isto não quer dizer que o propósito dele em vir aqui era para visitar o templo. Havia se tornado um hábito dele vir aqui quando buscava um lugar quieto e deserto para jogar jogos confortavelmente. Quando sua mãe começou a gritar “Você não está fazendo nada além de jogar jogos de novo!” para ele, ele começou à procurar por um lugar pacífico para jogar fora de casa. Este templo foi o resultado da procura dele.

“Droga! Eu obtive isso depois de todo este tempo, mas eu não posso fazer um upgrade nele… Já que chegou nisto, eu vou usar cheats.” (NT: Trapaça, códigos… essa série é bem para quem joga, principalmente no começo…)

Continuando à mover o item, representado no jogo 3D, mostrado na tela, com o cursor, ele estava pensando em como usar o [código de customização]. Era um sistema, usado para modificar os stats do item, obtido num jogo RPG, como você bem quisesse.

Enquanto o tema principal do jogo era um ortodoxo hack ‘n’ slash, que é bem comum hoje em dia, o sistema Item – Customizar – Criar tinha uma grande participação no que fez ele jogar isso. (NT: Hack ‘n’ slash são os jogos de sair matando, sem pensar… God of War é meio assim, se for ver)

Ainda assim, balanço obviamente quebrado e a falta de liberdade fez com que um monte de jogadores falassem mal sobre este jogo. Ele virou sua atenção para sua mala para tirar o disco para o [Código de Customização] para seu console de jogo portátil, e então…

– Venha, Deus Maligno –

Uma voz ecoou na cabeça dele. Ao mesmo tempo, ele sentiu que ele foi puxado para fora de seu corpo.

“O q- o que é isto!?”

Repentinamente, ele sentiu como se seu corpo inteiro estivesse caindo das escadas. Ele estava pasmo no que ele olhou para seus próprios pés enquanto inconscientemente protegia sua cabeça. O que ele viu abaixo dele era seu próprio corpo. Ele estava olhando de volta para ele mesmo de um lugar levemente acima da cabeça dele.

“Wow, isto é uma experiência fora do corpo! … Não, algo está estranho?”

Seu próprio corpo, que ele estava olhando por cima, repentinamente olhou ao redor inquietamente, como se algo tivesse assustado ele. Pouco depois, o “ele” abaixo colocou o console de jogos em sua mala, se virou para a estrada, e apressadamente saiu.

“O que? … Que… caralhos… acabou de acontecer… …?”

Sua visão começou à balançar como se ele estivesse abaixo d’água e lentamente ficou escura. Dentro da consciência vaga dele, ele pareceu estar flutuando num enorme espaço, lembrando um céu estrelado. Acima, um vasto universo, lembrando um disco, se espalhava sobre ele.

“O elefante e tartaruga… não estão ali…” (NT: Preguiça de achar um link bom, mas existem mitos de que o universo fica em cima de uma tartaruga ou de um elefante… inclusive o mais comum é uma tartaruga que tem vários elefantes em cima dela carregando o universo)

***

Este universo exista entre as fronteiras entre mundos. A radiância das estrelas brilhantes cobria os céus. Alguém podia ver muitos mundos diferentes desta fronteira, mas apenas a quantia de estrelas prendiam os mundos juntos. Os mundos flutuavam sozinhos (separadamente) nesta gigantesca estrutura em forma de disco.

Os habitantes daquele mundo chamavam ele de “Kaltsio” 『カルツィオ』. Eles construíram países, prosperaram, declinaram e pereceram. Eles deram à luz crianças, criaram elas, e continuaram a viver suas vidas nesta história eternamente se repetindo. Milhares de anos ainda são necessários para eles se libertarem deste mundo e entenderem os segredos que ele mantém escondido.

Havia uma [Vontade], que continuava à observar sobre a história de Kaltsio desde o surgimento deste mundo. Podia ser dito que era uma existência igual aos Deuses deste mundo. Em certos intervalos ela invocava um mensageiro de outro mundo para poder manter e preservar o ciclo de vida em Kaltsio.

Um visitante de outro mundo causava todos os tipos de ondas em Kaltsio que interrompiam a estagnação do mundo e abriam novos caminhos. Através do esforço dele, ele contribuía para o ciclo deste mundo.

Uma vez um [Dragão] gigante foi invocado. Uma vez uma figura, horrenda para os olhos humanos, um [Monstro], foi invocado. Eles tinham força equivalente ao deuses deste mundo e haviam contribuído grandemente para o ciclo do mundo.

Desta vez novamente, um visitante de outro mundo, com um poder assim como dos deuses, foi invocado.

– Venha, Deus Maligno –

Parecia haver uma infinita quantidade de mundos diferentes. Desses numerosos mundos, uma figura de um jovem humanoide foi invocada.

– Você parece desejar poder –

O poder que ele desejava era uma coisa nunca ouvida, excêntrica para aqueles que foram invocados antes dele. Quase todos os seres que foram invocados antes tiveram poderosos poderes para destruírem os oponentes diante deles, então eles desejaram vida eterna. Mesmo se uma pessoa desejar poder, para derrotar seus oponentes, ele seria eventualmente derrotado pela velhice. Ainda, aqueles, que desejaram vida eterna, iriam eventualmente se quebrar pela repetida perda daqueles queridos à eles, e, eventualmente, iriam escolher seus próprios fins.

– Você receberá o poder que você deseja –

E então, a [Alma do jovem], arrancada de outro mundo, recebeu um corpo de carne em Kaltsio para realizar seu chamado.


Tradutor: Thyros



Fontes
Cores