TYN – Capítulo 322 – A Oitava Geração



Eu imediatamente retornei para a vila com o portal do Bastão, e fui para Rat, que estava ocupada construindo o corpo tipo carruagem para Mii-kun.

Seria legal se eu conseguisse alguma informação boa disto.

“Há uma pedra estranha imbuída nisso. Você entende algo sobre isso, Marquês?” (Rat)

“Eu não consigo entender nada sobre o tempo que eu fiquei estranho.” (Naofumi)

Aparentemente, eu era realmente esperto, mas isso não importa.

E espera, se eu fosse capaz de pegar algo sobre  isso, isso seria na verdade incrível.

“Rafu~?” (Raph-chan)

“Você sabe alguma coisa?” (Naofumi)

Eu pergunto para Raph-chan, mas não tem jeito dela me dar uma resposta.

É o que eu pensei, mas ela soltou uma voz tímida e acenou.

“Rafu~.” (Raph-chan)

Raph-chan pulou no topo do tablet que nós estávamos analisando, e gesticula para Raphtalia se aproximar.

“Isto de novo… porque eu tenho uma premonição tão ruim…” (Raphtalia)

“Mesmo que você diga isso, é melhor se nós investigarmos isso, certo?” (Naofumi)

“Entendido.” (Raphtalia)

Raph-chan faz Raphtalia tocar o tablet, e a rocha em votla da pedra começa a receder. A pedra está saindo.

A cena era bem Sci-fi.

“Oh.” (Naofumi)

Com sua cauda erguida alta, Raph-chan coloca sua mão no recém-feito buraco, e começa a decodificar alguma coisa, mas depois de um tempo, uma larga marca de X apareceu, e parece que ela não consegue fazer mais nenhum progresso com isso.

“Para tirar ela, nós podemos precisar do DNA da Raphtalia-san. Depos é… a parte que Raph-chan conseguiu decriptar ela mesma.” (Rat)

Para ver no que Raph-chan havia empacado, Rat começou a  violentamente digitar no teclado.

“Ara. Está pedindo uma senha. Ainda mais, está protegendo a informação mais vital.” (Rat)
Senha… eu nunca pensei que eu ouviria tal palavra num Mundo Paralelo de Fantasia.

Mas nós seremos capazes de craquear o código?

Seria legal se tivesse uma dica em algum lugar…

“Você acha que você consegue craquear ela?” (Naofumi)

“Eu acho que seria simples se Mii-kun retornasse. Você de fato fez ele para que ele fosse capaz de livremente alterar coisas assim.” (Rat)

“Rafu~” (Raph-chan)

Raph-chan balança sua cabeça para esquerda e direita.

“Ela diz que não vai funcionar.” (Naofumi)

“Sério… ah, eu vejo o sistema que Mii-kun está equipado instalado aqui. Isso é uma forma de vida artificial na forma de um tablet de pedra. Eu acho que não vai funcionar.” (Rat)

“Mesmo?” (Naofumi)

“É. Isso é algo feito com o mesmo design que Mii-kun. Um sistema de Fire-Wall consciente.” (Rat)

Termos da net estão começando a aparecer nesta Fantasia. E é do mesmo tipo que Mii-kun… eu acho que nós estamos fora da nossa área de expertise.

“Se nós lutarmos e ganharmos, isso seria legal, mas ele pode ser feito para se auto-destruir ao morrer.” (Rat)

“Então força não funcionará…” (Naofumi)

Depois de todo o caminho até aqui, ir mais adiante é impossível…

Para isso ser protegido cuidadosamente assim, ele deve estar escondendo alguma coisa extremamente importante.

“Você tem três tentativas na senha. Marquês é quem fez ela, então você tem quaisquer ideias?” (Rat)

“Mesmo que você me pergunte… não seria só ‘Raphtalia’ ou algo assim?” (Naofumi)

“Seria legal se fosse algo simples assim.” (Rat)

Rat coloca o nome da Raphtalia no tablet.

A prancha bipa, e dá um  som de aviso.

“É, primeira tentativa falhou.” (Rat)

“O que devemos fazer…” (Naofumi)

“Nós temos duas sobrando.” (Rat)

Nós faremos uma aposta de tudo ou nada, e teremos Mii-kun tentando acessar isso de qualquer jeito quando chegar em uma.

Agora sobre o eu estranho… ele fez isso quando ele pensou que Raphtalia estava morta.

Se eu olhasse por esta perspectiva…

Até recentemente, eu era bem denso.

Eu pensei na Raphtalia como minha filha, então talvez a senha é nessa direção.

“Tente colocar ‘Para minha amada filha’.” (Naofumi) (NT: Que senha, hein)

“O que há com essa frase!? Quem é o pai de quem!?” (Raphtalia)

A resposta da Raphtalia foi bem no alvo.

Mas é isso que veio à mente, então não tem o que fazer.

“… Funcionou…” (Rat)

“Naofumi-sama…!” (Raphtalia)

“Nem, não é minha culpa.” (Naofumi)

Filha… ela é meu habilidoso braço direito, e ela não tem nenhum dos pais, então algumas vezes eu realmente penso que estou agindo como o substituto deles.

Não há erro.

Olhando para a informação que foi mostrada, Rat acenou.

“Fumufumu… parece que você fez a Bioplanta continuar a pesquisa para a Oitava Geração de Raphs. Você preparou isso só por precaução caso você fosse perecer.” (Rat)

“Rafu?” (Raph-chan)

“A existência desta criança em si é um tipo de caixa preta. A diretriz dela é desconhecida.” (Rat)

“Você não foi capaz de decodificar isso?” (Naofumi)

“Você precisa de uma autoridade mais alta que a do Mii-kun para controlar esta aqui. Se nós tentássemos tocar a pedra, ela teria caído em pedaços. Parece que esta criança sabia disso.” (Rat)

“E? Só o que é ela?” (Naofumi)

“Uma amostra completada da Oitava Geração. A Raphtalia que você estava tentando trazer para este mundo. Ou talvez ela seria o limiar entre Raphtalia e Raph.” (Rat)

“Rafu~!” (Raph-chan)

Como se ela estivesse dizendo ‘o que ‘cê pensa de mim agora?’ Raph-chan enche seu peito com orgulho.

Ah, sim, sim.

Eu sei que você é incrível.

Não tem o que fazer, então eu comecei a fazer carinho na cabeça dela.

“A Oitava Geração…” (Raphtalia)

“As especificações dela são numa dimensão diferente da Sétima Geração.” (Rat)

“Mesmo?” (Naofumi)

“O tempo que levou para você fazer da primeira até a sétima gerações foi apenas uma semana, sabe. Se esta planta fosse continuar a pesquisa sem descansar por todo esse tempo… o que você acha que iria acontecer?” (Rat)

Vejamos. Eu fui derrotado pelas mãos da Raphtalia, e cerca de duas semanas e meia se passaram desde que eu encontrei Raph-chan…

“Apesar da continuação ter sido conduzida por IA, ela teve um bocadinho de sucesso. Também parece que se as Raphs naturalmente seguissem no ciclo da vida, um assim iria nascer algum dia.” (Rat)

Isso de algum jeito… parece com um mangá que eu li um tempo atrás.

Um pesquisador foi morto por sua própria cobaia, mas um computador continuou para terminar a pesquisa dele.

De qualquer jeito, independente do resultado, uma Oitava Geração teria nascido…

“Uwah…” (Rat)

“O que foi?” (Naofumi)

“Parece que todas as Raphs estão conectados. Quando poder maior é requirido, eles podem juntar suas habilidades, e a EXP que eles recebem é redistribuída para esta aqui… você também está incluído nessa piscina de EXP, Marquês.” (Rat)

É isso?

Quando a maldição estava levando embora minha EXP ganha, ela estava fluindo para Raph-chan junto com os outros Raphs?

A razão pelo level da Raph-chan ser tão alto, e porque ele arbitrariamente continuou subindo, era porque ela estava conseguindo EXP das outras Raphs.

“Se ela quisesse falar língua humana, eu acho que ela poderia. Quero dizer, com essas especificações, é mais do que possível.” (Rat)

“Rafu?” (Raph-chan)

“Você consegue falar?” (Rat)

“Rafu~?” (Raph-chan)

Ela está inclinando sua cabeça.

Ela está se fingindo de besta…? Não, não parece isso.

“Ela parece entender sua situação… ela realmente não tem capacidade de fala?” (Rat)

Como ela sentiu que eu não realmente gosto de monstros falantes, ela decidiu não desenvolver fala? O motivo dela encaixar num monte das minhas preferências era isso?

“Então se eu ensinasse ela, ela poderia?” (Naofumi)

“Isso é uma possibilidade.” (Rat)

Rat continua a ler a informação decifrada.

“Parece que você jogou um pouco de dados de Philorial aqui também. Você usou a função deles de mudar de forma como referência.” (Rat)

“Ah, então é por isso que ela pode mudar de forma.” (Naofumi)

“Sim, ela mudando de forma para Raphtalia era algo desse jeito. E esse era seu objetivo em primeiro lugar, então isso vai sem dizer.” (Rat)

Bem, eu realmente tinha uma vaga ideia de que era algo assim.

Quero dizer, a pesquisa foi intendida à replicar e reviver ela.

“… Por que eu tomei um caminho tão torto, sem fazer um Homúnculo?” (Naofumi)

“Isso é um mistério. Mas como uma alquimista também, não é como se eu não entendesse o que você estava tentando fazer.” (Rat)

“Como?” (Naofumi)

“Eu te disse o porque eu parei de considerar refazer Mii-kun como um Homúnculo, certo? Pela lógica daquele Marquês, um Homúnculo é apenas um Homúnculo. Ele queria fazer a verdadeira, então ele não poderia fazer isso.” (Rat)

“E então… isso não é a mesma coisa?” (Naofumi)

“Então vamos fazer um experimento. Raph-chan, onde você encontrou primeiro o conde? 1. Próximo desta vila, 2. Algum outro lugar.” (Rat) (NT: Eu não sei quem errou para escrever ‘conde’ em vez de ‘marquês’, mas eu só traduzo do inglês; pode ter sido o autor, sei lá)

Rat aleatoriamente pega algumas pedras e alinha elas numa fileira de 1, e uma fileira de 2.

Raph-chan vai e senta na Fileira 2.

“Bem… isso é verdade.” (Naofumi)

Quero dizer, ela está certa.

“Você provavelmente continuou corrigindo sua pesquisa no que você buscou criar a verdadeira. Isso deve ter levado ela à ter algumas memórias fabricadas e experiências no corpo dela.” (Rat)

“Aquele Naofumi-sama… pensou sobre isso tanto assim.” (Raphtalia)

“…” (Naofumi)

Eu não tenho ideia do que eu estava pensando naqueles tempos, mas eu acho que isso é verdade.

E espera, só quanto que eu gostei da Raphtalia?

Será que eu planejei pegar o organismo que eu mesmo criei, e fazer dele minha namorada?

Ainda assim, a senha era, ‘Para minha amada filha’.

“É bom que Raph-chan entende, mas se lidado sem cuidado, havia uma chance que ela poderia ter trocado de lugar com a original.” (Rat)


Tradução: Thyros



Fontes
Cores