TYN – Capítulo 20 – Onda de Calamidade



Nós chegamos bem na hora que os demônios transbordando da onda começaram a criar o caos dentro da vila.
Os aventureiros e soldados estacionados lá mal estavam sendo capazes de se defender contra o ataque da horda. Eles estavam em número muito menor…
… e a linha de defesa estava para quebrar.

“Raphtalia, por favor evacue os aldeões.” (Naofumi)
“Huh? Mas e quanto ao Naofumi-sama..?” (Raphtalia)
“Eu vou aggrar o inimigo!” (Naofumi) (NT: aggrar é puxar os ataques para você)

Eu me joguei na linha de frente e bati meu escudo contra um grupo de monstros parecidos com gafanhotos.
O som de metal colidindo estava lá, mas o dano obviamente não estava.
Contudo, eu fui capaz de pegar a atenção deles.
Era o mesmo que eu sempre fazia com a Raphtalia.

“Gugi!” (Gafanhoto)

A rebanho de pequeninos monstros parecidos com gafanhotos correram para minha direção. Continuando, eu imediatamente decidi meus próximos alvos: os ghouls e o enxame de vespas. (NT: ghoul é um tipo de morto-vivo, mas é meio diferente de zumbi; não confundir com o Kaneki ou qualquer outro personagem de Tokyo Ghoul)

Bang! Bang! Bang!

Foi graças à armadura bárbara ou foi o escudo? De qualquer jeito, eu levei zero de dano como o normal.

“Yu-yuusha-sama?” (Aldeão)
“Ah, certo… Vocês vão e se reorganizem enquanto eu seguro eles aqui!” (Naofumi)

Eu vi um monte de rostos familiares dentro da penca da vila Riyuuto.
“S-sim senhor!” (Aldeão)

Felizmente, ninguém foi fatalmente ferido entre os sobreviventes mesmo que eu fosse o único na linha de frente.

“Mas que…” (Naofumi)

O que foi esse pensamento agora pouco? Que desagradável.
Enquanto eu estava distraído, os monstros tentaram me nocautear fora de comissão com seus ataques de garras, presas e agulhas.
Mesmo que tinha o doce som do impacto, eu não senti nenhuma dor, só uma pontinha de uma coceira. Contudo, o sentimento deles rastejando por todo meu corpo era além de nojento.
Logo eu espanquei esses monstros.
TUMP! (NT: aparentemente, Baka-Tsuki começou a traduzir os sons; eu também farei isso, já que ou mantém o original ou traduz de vez)
Droga, nenhum dos habitantes desse mundo sabe como deixar as pessoas sozinhas?
Mas eu acho que não tinha o que fazer já que a onda da grande calamidade estava acontecendo e tal.

“M-me aj-ajude!” (Aldeão)

Atrás de mim, o hoteleiro com quem eu tinha uma dívida estava sendo atacado por um monstro.
Pouco antes do hoteleiro ser decapitado pela garra do monstro, eu gritei:

“Ataque Aéreo de Escudo!” (Naofumi)

Eu conjurei a skill, e um escudo salvador de vidas foi imediatamente invocado e resgatou o hoteleiro.
Ele estava surpreso com a aparição repentina do escudo e olhou para minha direção.

“Corre mermão!” (Naofumi) (NT: tá, não é exatamente isso, mas gostei assim)
“…Ooh, obrigado.” (Hoteleiro)
Depois que ele se curvou da sua cintura e expressou sua gratitude, o hoteleiro deixou a cena junto com sua família.

“Kyaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa!” (Aldeã)

Um esteriótipo de grito ensurdecedor.
Era a visão de uma donzela em perigo fugindo de uma gangue de monstros perseguidores.
Eu aproximei a vizinhança.

“Prisão de Escudo!” (Naofumi)

Eu trouxe uma caixa de escudos para englobar e proteger a donzela.
Com a aparição repentina dos escudos, os monstros mudaram seus alvos para mim.
Isso é bom. Venham até aqui. Eu sou muito delicioso.
Antes do tempo de duração da Prisão de Escudo terminar, eu lurei os monstros para longe e retornei para a linha de frente. (NT: acabei de descobrir que existe o verbo lurar em português, mas me refiro do inglês, que é puxar o aggro para você)
WAM! BAM!

Haah haah…
Meu corpo foi ficando cada vez mais pesado com o número de monstros que continua aumentando.
Então, uma chuva de fogo caiu sobre mim.
Atrás da horda de monstros, eu pude localizar a chegada do esquadrão de knights. Os usuários de magia entre suas fileiras estavam atirando suas magias; então era essa a causa do fogo.

“CARAS! Tem aliados por aqui!” (Naofumi)

Apesar que, só tinha eu aqui.
Os monstros foram rapidamente acesos e transformados em cinzas.
Como tinha um monte de insetos, eles queimaram lindamente.
Aparentemente, não só minha defesa física era alta como minha defesa mágica também era.
A linha de frente estava queimando claramente com um vermelho carmesim. Raiva inflou de dentro de mim enquanto questionava o motivo por trás deste fogo amigo; eu encarei e me aproximei do esquadrão de knights no meio da desordem enquanto minha capa flutuava espalhando as chamas. (NT: eu tive que usar o tio Google para achar a palavra ‘carsmesin’, só queria deixar isso claro)

“Hmph, então aquele é o Herói do Escudo… Ele é surpreendentemente resiliente.” (Comandante)

A pessoa que parecia ser o knight comandante me jogou um olhar e cuspiu no chão enquanto soltava essas palavras.
Então uma sombra correu até ele, brandindo uma espada.
E com um audível ‘Clang!’, o knight comandante rapidamente desembainhou sua própria espada e bateu lâminas com seu atacante.

“Qual foi o sentido das suas ações contra Naofumi-sama?! Eu vou te cortar ao meio dependendo da sua resposta!” (Raphtalia)

Raphtalia declarou com uma grande sede de sangue.

“Uma companheira do Herói do Escudo, huh?” (Comandante)
“Correto, eu sou a lâmina do Naofumi-sama! EU não irei perdoar nenhum ato de desrespeito!” (Raphtalia)
“… Como ouça uma demi-humana tentar falar no mesmo nível que nós knights?” (Comandante)
“Vocês negligenciaram suas obrigações de proteger civis e atacara seus próprios aliados, especificamente Naofumi-sama que vocês tentaram queimar junto com os monstros com sua magia. Por esses motivos, vocês não são dignos de serem chamados de knights!”
“Não está tudo bem já que ele está em perfeito estado por ali?” (Comandante)
“Não, não está!” (Raphtalia)

Raphtalia continuou discutindo com o knight comandante com vontade, enquanto os outros começaram a circunscrever ela.

“Prisão de Escudo!” (Naofumi)
“Droga, seu basta—” (Knight)

Eu confinei os knights circunscritos com meus escudos e encarei por cima os knights que tentaram usurpar meu trabalho duro.

“… Não são os verdadeiros inimigos os monstros surgidos da onda? Não misture seus objetivos!” (Naofumi)

Vermelhos, os knights viraram suas cabeças depois da minha refutação.

“Um Herói criminoso não tem direito de dizer esse tipo de merda.” (Knight)
“Então tá… eu estou bem com qualquer coisa. Então eu acho que é seguro dizer que vocês querem tirar um inimigo de mim?” (Naofumi)

A linha de frente estava cheia com monstros pegando fogo que estavam rastejando por toda minha cara, com mais e mais da onda se juntando ao quadro.
Olhando para mim aguentando tudo isso, os rostos dos knights ficaram completamente azuis.
Afinal, eu era o Herói do Escudo. ‘Não mexa com esse cara’ ou outras linhas de pensamentos assim estavam lá.

“Raphtalia, você terminou com a evacuação?” (Naofumi)
“Não… ainda não está pronta. Eu acredito que vai levar um pouco mais de tempo.” (Raphtalia)
“Entendido, então vai rápido e evacue os civis.” (Naofumi)
“Mas…” (Raphtalia)
“Apesar dos nossos aliados terem feito chover fogo em mim, não foi nem doloroso ou fez cócegas. Isso só… deixou uma sensação de estar sendo lambido nos meus braços e pernas.” (Naofumi)

Eu dei um tapinha no ombro da Raphtalia e prossegui com um olhar para os knights.

“… Eu definitivamente irei matar vocês, não importa o que leve. Eu vou lurar os piores monstros aqui e abandonar vocês, por exemplo, assim como toda aquela outra coisa divertida também.” (Naofumi)

Minha ameaça foi efetiva, os knights pararam de encantar magia e ficaram boquiabertos.

“Então tá, Raphtalia. A luta já começou; vamos remover os desabilitados do campo de batalha, jogando fora todo esse peso morto. Wow, olhe para isso. Com certeza tem uma penca de inimigos. Sim, vamos só fazer isso.” (Naofumi)

Inesperadamente, já que os knights parecem que conseguem se manter… deve ser tudo bem abandonar eles aqui.

“S-sim!” (Raphtalia)

Pelas minhas ordens, Raphtalia correu de volta para a vila.

“Merda! Colocando ares quando você é só um Herói criminoso.” (Comandante)

O knight comandante abaixo de mim era como um idiota quando o tempo de duração da Prisão de Escudo expirou

“Certo, então você… quer morrer?” (Naofumi)

Monstros começaram a vir até mim.
Os idiotas calaram a boca, sabendo o que aconteceria se eu os abandonasse e só me protegesse.
Nossa, eu não conseguia achar uma pessoa decente no meio de toda essa gente.
Esses caras são do tipo que pensaram que eu não seria capaz de fazer nada além de proteger os outros já que eu era nada além de um Herói do Escudo. Quem diabos iria ajudar os outros pela diversão disso?

“Depois disso, a limpeza de monstros perdidos da onda foi completada até um pedaço.
Depois que ela terminou de evacuar os civis, Raphtalia retornou para a linha de frente, foi aí que eu comecei minha retalhação.
Usando o esquadrão de knights como nosso escudo humano, nós finalizamos os monstros pescando eles até nossa formação circuncrescente. E algumas horas passaram num piscar de olhos.

“Certo, eu acho que esse era o fim.” (Ren)
“Parece isso, esse boss foi fichinha.” (Itsuki)
“É, desse jeito, a próxima onda também vai ser moleza.” (Motoyasu)

Nossos bravos heróis lutadores estavam simplesmente conversando no coração da linha de frente; onde o corpo da Chimera, a Boss da onda, estava caída.
Era como se o trabalho de evacuar os civis fosse responsabilidade apenas dos aventureiros e knights.
Mesmo que um mês já tenha se passado, esse povo ainda pensa que tudo isso não é nada além de um jogo.
Foi meio que chato para eu ignorar esses heróis de merda, mas eu estava aliviado que eu manejei sobreviver essa onda.
A cor do céu ainda era preto puro. Apesar de ser só uma questão de tempo antes que fosse pintado de laranja pelo sol poente. (NT: outro capítulo fala vermelho, esse fala preto… sei de nada)
Com isso, eu devo ser capaz de ficar vivo por pelo menos outro mês.
… Apesar que eu não levei nenhum dano, isso foi provavelmente devido à onda sendo fraca: por enquanto. Eu honestamente não sei se eu conseguirei aguentar a próxima.
Mais cedo ou mais tarde eu serei incapaz de aguentas os ataques deles… o que raios vai acontecer comigo então?

“Um trabalho bem feito, oh bravos heróis. O rei decentemente preparou um banquete em celebração às suas conquistas. Nós humildemente convidamos vocês para se juntar já que nós também vamos estar distribuindo suas recompensas lá.” (Mensageiro?)

Eu naturalmente não queria participar. Contudo, eu não tinha mais dinheiro. Então eu irei abençoá-los com minha presença. Vamos ir juntos!
De fato, era esperado para eles prepararem nossos tributos, aqueles que sejam iguais nossos esforços para toda onda.
500 moedas de prata. Era uma quantia significante para mim no momento.

“Ah, umm…” (Aldeão)

Os aldeões de Riyuuto me viram e vieram falar comigo.

“Que?” (Naofumi)
“Muito obrigado. Nós todos estaríamos mortos se você não estivesse aqui.” (Aldeão)
“Ia ser o mesmo se eu não estivesse aqui.” (Naofumi)
“Não.” (Outro Aldeão)

Outro aldeão recusou meu comentário.

“Foi graças à você que nós fomos capazes de sobreviver.” (Aldeã)
“Se vocês pensam assim, então só façam o que bem entenderem.” (Naofumi)
“””SIM!””” (Aldeões)

Os aldeões se curvaram para mim e voltaram de onde surgiram.
A vila deles foi violentamente invadida, eu acho que isso vai ser meio chato de reconstruir logo em seguida.
Eles meramente expressaram sua gratidão para o salvador das vidas deles, que eles normalmente desprezam… que bando calculista.

“Naofumi-sama!” (Raphtalia)

Depois de uma longa batalha, uma enlameada, suada e sorridente Raphtalia veio correndo até mim.

“Nós realmente conseguimos! Todo mundo está expressando sua gratitude.” (Raphtalia)
“… Eu acho.” (Naofumi)
“Com isso, não vai ter ninguém que vai acabar como eu. Isso foi tudo graças ao Naofumi-sama!” (Raphtalia)
“…Haaa.” (Naofumi)

Então era isso aquilo que eles chamavam de alegria pós-guerra, famosa pela história da minha terra natal; Raphtalia estava emocionada e em lágrimas.

“Eu também… tentei o meu melhor.” (Raphtalia)
“Certo, você fez bem.” (Naofumi)

Eu elogiei ela enquanto mexia na cabeça dela.
Tá certo. Raphtalia seguiu minhas ordens e lutou devotamente.
Seria bobo de mim avaliar erradamente isso.

“Eu derrotei um monte de monstros.” (Raphtalia)
“Haha, isso certamente me salvou.” (Naofumi)
“Ehehe.” (Raphtalia)

Eu me senti um pouco desconfortável com ela rindo tão alegremente assim, kra; nós fomos até o castelo. (NT: aparentemente, isso é uma referência à uma raça de personagens de uma franquia de jogos, os Prinnys, que terminam suas frases com ‘dood’, que é um jeito informal de se falar ‘cara’, daí o ‘kra’. E viva Wikipédia)

“Bem bem! Como esperado dos nossos heróis. Eu não posso conter minha surpresa depois de ver a diferença entre casualidades dessa batalha com a última.” (Rei)

Assim que o sol se abaixou e o céu noturno se apoderou, o rei declarou em voz alta para seu grandioso banquete preparado dentro do castelo.
Nessa nota, eu não tinha ideia de qual era a contagem de casualidades antes, mas dessa vez que as casualidades estavam dentro de dígitos únicos.
… Apesar que eu não tinha intenção de levar crédito por isso.
Eu não ressentia esse bando de cérebros de músculo nem um pouco por avançar e destruir os monstros enquanto me deixavam para trás para fazer toda a limpeza.
Contudo, eu tinha pensado para mim mesmo que nós eventualmente iríamos ficar em um estado pobre nesse ritmo.
Nós fomos sortudos dessa vez, mas quem saberia o que aconteceria se os knights não tivessem chegado na hora. Era graças à areia da ampulheta por nos mandar perto deles.
Esse era um assunto pesado…

Grite por socorro, e ajuda irá chegar. (NT: é frase tipo de Power Rangers isso)

Era sobre a batalha contra a onda.
Mobilizar os knights para nos acompanhar quando fossemos teleportados pela ampulheta era uma possibilidade válida.
Mas os knights não ficaram para trás logo após nós sermos teleportados da última vez?
Deve ter sido a atitude deles! Esse povo não queria me reconhecer como um herói, então deve ser por isso que eles não foram teleportados!
Só, como diabos?
Esse tipo de configuração era estranho demais se isso fosse um jogo.
… Enfim, nós não estamos com um grande problema? Essa é a parte onde eles abaixam suas guardas só porque ajuda chegou.
Resumindo, são coisas complicadas.
Eu comi minha parte em um canto que parecia apropriado enquanto o banquete ainda estava acontecendo.

“Isso aqui é um belo banquete!” (Raphtalia)

Raphtalia encarou a montanha de comida que ela normalmente não teria a chance de comer com olhos brilhando como estrelas.

“Vá e coma o que você quiser.” (Naofumi)
“Hai!” (Raphtalia)

Eu normalmente não dou para ela muita comida boa para comer… então seria sábio deixar ela comer o que ela desejasse aqui. Depois que ela comer sua parte, ela vai ser um recurso de guerra ainda melhor.

“Ah… Mas, eu vou ganhar peso se eu comer muito.” (Raphtalia)
“Você ainda não deu uma esticada, certo?” (Naofumi) (NT: basicamente falando que ainda está em fase de crescimento, mas ainda não tá acelerado)
“Urg…” (Raphtalia)

Por algum motivo, Raphtalia estava fazendo uma expressão muito angustiada.

“É tranquilo comer o que você quiser.” (Naofumi)
“Você prefere garotas gordas, Naofumi-sama?” (Raphtalia)
“Huh?” (Naofumi)

O que ela estava dizendo?

“Não muito.” (Naofumi)

Só de pensar sobre mulheres iria me fazer só imaginar naquela puta. Muitos sentimentos desagradáveis também iriam aparecer.
Para começar, aquela mulher era uma forma de vida que era repulsiva para a mente…

“Eu acho que está certo. Isso é assim como o Naofumi-sama de sempre.” (Raphtalia)

Ela disse como se desistindo de seja lá o que ela tinha em mente.

“Naofumi-sama, isso é tão bom.” (Raphtalia)
“Isso é bacana.” (Naofumi)
“Sim.” (Raphtalia)

Hmm… Esse banquete era uma bela perda de tempo. Quando é que eu irei receber minha recompensa?
Esse lugar era como um tanque de lixo, só olhar em volta já fazia minha raiva ferver.
…Parando para pensar, era bem possível que as recompensas só fossem distribuídas amanhã.
Então isso foi uma jornada de tolo? Não, como a comida era boa eu vou deixar passar.
Não é o mesmo para pessoas normais já que Raphtalia estava no meio de seu crescimento! De nenhuma maneira eu sou um tolo para passar uma chance dessas.

“Eu imagino se eles tem algum tipo de pote para levar comida para casa.” (Naofumi)

Um sempre deve pensar sobre o amanhã e nunca gastar dinheiro.
… Eu vou ter que perguntar se eles me deixam ficar com o resto e re-cozinhar a comida mais tarde.
Qualquer coisa que possa ser considerada comida serve.
No meio da multidão, um Motoyasu raivoso estava empurrando o seu caminho, vindo até nossa direção.
Sério, o que diabos tem de errado hoje?
Já que parecia um pé no saco, a multidão se separou e abriu caminho para aquele lixo, Motoyasu, enquanto ele me encarava com ódio intenso.

“YO! NAOFUMI!” (Motoyasu)
“… Que?” (Naofumi)

Ele removeu a luva de uma das mãos e jogou ela em mim.
Se eu estava certo, esse cara queria me desafiar para um duelo.
A multidão ficou inquieta pela afirmação seguinte dele.

“Duele comigo!” (Motoyasu)
“Mas do que você está falando?” (Naofumi)

O cérebro dele finalmente queimou?
Você vai se tornar um idiota se continuar pensando sobre jogos o dia inteiro.
Esse maldito herói da lança que correu para matar o boss como um louco, abandonando todos os inocentes que ele deveria ter defendido.

“Eu sei de tudo! Raphtalia-chan só está andando junto com você porque ela é sua escrava!” (Motoyasu)

Ele estava queimando com espírito de luta enquanto apontava para mim e denunciava.

“Hmm?” (Naofumi)

A pessoa em questão estava se deliciando sobre sua pilha de iguarias.

“E, o que tem isso?” (Naofumi)
“‘E, o que tem isso?’… você diz?! Você seriamente acabou de dizer isso!?” (Motoyasu)
“Haaa.” (Naofumi)

O que tem de errado em possuir um escravo?
Não havia ninguém disposto em lutar ao meu lado. Logo, eu comprei e usei um escravo.
E esse país não tinha uma proibição em escravidão de qualquer jeito.
Então, por qual motivo ele foi e começou uma confusão?

“Ela é minha escrava. O que isso tem haver com você?” (Naofumi)
“Não é… não é a escravidão que é o problema! É porque nós somos heróis com éticas mundanas diferentes que esse povo aqui que fazem suas ações erradas!” (Motoyasu)
“Isso não é um meio tarde demais… tinha muitos escravos de volta no nosso mundo, certo?”

Eu não sabia nada sobre o mundo do Motoyasu. Mas era literalmente impossível para a história da humanidade ser sem a existência de escravidão.
Um jeito diferente de interpretar isso seria: membros da sociedade são escravos para as maiores corporações.

“Imperdoável? Você está usando sua cabeça? Pense com essa droga de cérebro seu!” (Naofumi)

Forçando outros a seguirem suas próprias crenças tendenciosas… A mente desse cara tem problemas. (NT: a sua também, Naofumi, mas por outros motivos)

“Mas é uma pena que esse é um mundo diferente. Escravos existem aqui. E qual é o problema em eu usar eles?” (Naofumi)
“Bas…tardo!” (Motoyasu)

Apertando os dentes, Motoyasu balançou seu punho em mim. (NT: muito difícil falar ‘me deu um soco’?)

“Duele comigo! Se eu ganhar, solte Raphtalia-chan!” (Motoyasu)
“Por que eu iria ter que aceitar esse desafio para começar? O que eu ganharia, de qualquer jeito?” (Naofumi)
“Você pode fazer qualquer coisa que quiser com Raphtalia-chan! Que nem agora.” (Motoyasu)
“Você é retardado?” (Naofumi)

Eu tentei ignorar Motoyasu e sair, já que esse duelo não tinha nada para me oferecer.

“Eu ouvi a história do Motoyasu-dono.” (Rei)

A multidão excitada abriu espaço para o rei passar.

“Eu ouvi que um dos heróis estava usando escravos… apesar que apenas como um boato. Se você recusa a oferta do Motoyasu-dono então eu ordeno isso. Duele!” (Rei)
“Minha bunda. Só me dê logo a recompensa dessa onda. Eu não tenho tempo pra perder num lugar destes!” (Naofumi)

O rei suspirou e estalou seus dedos.
Os soldados apareceram do nada e começaram a me rodear.
Quando eu olhei para a Raphtalia, ela foi detida pelos soldados.

“Naofumi-sama!” (Raphtalia)
“… Você está me ameaçando?” (Naofumi)

Eu disse enquanto encarava ele com toda força que eu podia juntar.
Esse cara, ele não acreditava no que eu dizia de jeito nenhum.
Então era esse o caso, não sabia que eu estava me intrometendo aqui.

“Se você etá neste país então minha palavra é absoluta! Eu posso até confiscar forçadamente a escrava do Herói do Escudo se acabar nisso.” (Rei)
“… Tsk!” (Naofumi)

Coisas como resolver a maldição colocada em um escravo, os magos da côrte provavelmente sabiam sobre essas técnicas.
Em outras palavras, para preservar minha conexão com Raphtalia, eu tinha que lutar.
Não fode comigo! Eu mal consegui de volta o que gastei na compra dessa escrava!
De quem vocês acham que o dinheiro e tempo e foi investido nela?

“Essa batalha é sem sentido! Eu sou — uuuuumf!” (Raphtalia)

Um pedaço de pano foi enrolado e colocado dentro da boca da Raphtalia para que ela não fosse capaz de falar nada.

“O dono tem o poder de aumentar a maldição de punição do indivíduo afetado. Logo, vamos impedir essa escrava de continuar falando.” (Rei)
“… Você só fez isso para que eu tivesse que participar desse duelo.” (Naofumi)
“Nós não estamos apenas te oferecendo o prêmio de participação?” (Rei)
“Que! Seu bas—” (Naofumi)
“Muito bem então, o duelo deverá ocorrer no jardim do castelo!” (Rei)

Aquele cuzão de um rei interrompeu minha reclamação e declarou a localização do duelo.
Merda, vocês não veem que eu não tenho poder de ataque? Isso é como uma corrida comprada!


Tradução: Thyros




Fontes
Cores