TYN – Capítulo 18 – Ampulheta do Dragão Gravado



No próximo dia, nós aparecemos na loja de armas.

“Ora, se não é o guri.” (Oyaji)
“Como está indo o nosso pedido?” (Naofumi)
“Feito! Eu terminei ele faz tempo.” (Oyaji)

Oyaji disse enquanto trazia um conjunto de armadura de trás do balcão.
O que surgiu era um aparentemente meio bruto e arruaceiro… conjunto de armadura não-refinada; tinha uma vibe selvagem nela.
Os couros de Usapiru compunham a parte de lã macia em volta do pescoço, enquanto a parte do peito era feita de uma placa de metal.
Os ligamentos não eram conectados por metal, mas pelas peles de Porco-Espinhos. Colocando minha mão dentro, eu podia sentir as penas de Pikyupikyu completamente estofadas entre as camadas de pele dupla.

“…Eu vou vestir isso?” (Naofumi)
Como eu posso dizer isso, parecia o tipo de armadura que os bandidos chefes usariam. (NT: Como o Arruaceiro/Stalker de Ragnarok)
Mas o que é que eles estavam pensando para chamar isso de “Armadura Bárbara?” Eu iria parecer um daqueles ‘manos’ pequenos dos anos 90 se eu vestisse isso.

“Qual o problema, guri?” (Oyaji)
“Não, eu só estou pensando que isso parece a armadura de um vilão perverso.” (Naofumi) (NT: Perverso, não pervertido – de ruim mesmo)
“O que você está dizendo essa hora do campeonato, guri?” (Oyaji)

Huh?

“Você está implicando que eu já sou um vilão perverso para começar?” (Naofumi)

Eu certamente fiz as escolhas mais eficientes quando se tratava de fazer dinheiro, mas isso não me tornava um vilão, okay?

“Isso vai definitivamente combinar com você, Naofumi-sama!” (Raphtalia)
“Raphtalia… você—” (Naofumi)

Isso não era como admitir que eu era um deles?

“Enfim, apenas prove ela para nós.” (Oyaji)
“Urg… eu iria evitar se fosse possível… mas não tenho nenhuma outra escolha já que nós tivemos todo esse trabalho para fazer essa armadura.” (Naofumi)

Eu imediatamente me troquei após entrar no provador.
… Eu não podia nem começar a descrever meu espanto em como perfeitamente o tamanho serviu.
Realmente era algo que só podia ser feito pelo Oyaji, um verdadeiro dono de uma loja que lida com armas e armaduras. Ele podia dizer meus tamanhos específicos só de olho.
Eu sai do provador e me apresentei para ambos Oyaji e Raphtalia.

“Fumu… sua cara pode não passar aquela vibe de bárbaro, mas eu posso ver o brilho de um ladrão arruaceiro nos seus olhos.” (Oyaji)
“Hah? Você está dizendo que eu tenho um olhar de cretino?” (Naofumi)
“Guri, você certamente é rápido para pegar os detalhes importantes.” (Oyaji)

Droga, o que você quis dizer com isso?

“Naofumi-sama, isso combina tão bem com você e você está tão LEGAL!” (Raphtalia)

Raphtalia estava transbordando com um sorriso. (NT: Está estranho, eu sei, se houver sugestões, eu aceito)
Eu encarei Raphtalia em silêncio.
Usando o mais ameaçador olhar e os olhos mais cruéis possível…

… Essa era minha intenção de qualquer jeito.

Mas só que tipo de ambiente ela cresceu?
Ah, eu esqueci que Raphtalia era uma Demi-humana. Era provavelmente por causa disso que ela tinha um senso estético diferente comparado com o meu.
EU confirmei pelo status que a defesa da armadura era equivalente com a cota de malha. Na realidade, era um pouco mais alta.
Oyaji me mandou uma piscadela. Então era esse o bônus dele para nós, isso foi bem amigo eu devo dizer. (NT: Imaginar um ferreiro de 1,90m me mandando uma piscadela é material de pesadelos, mas enfim)

“Haah… Obrigado.” (Naofumi)

Falando francamente, esse tipo de coisa não era um hobby meu, mas eu não podia fazer nada sobre isso já que eu tinha que me preparar para a onda que se aproxima.
Eu me convenci usando esse raciocínio.

“Então tá, o que nós devemos fazer agora?” (Naofumi)
“Isso me lembra, a atmosfera da cidade está meio tensa ultimamente.” (Raphtalia)
“A onda provavelmente vai vir daqui a pouco, mas onde e quando ela vai aparecer?” (Naofumi)
“Huh? Ninguém te contou, guri?” (Oyaji)
“Sobre o que?” (Naofumi)

Informação que o Oyaji sabia mas eu era ignorante sobre… Sobre as medidas deste país contra a calamidade. Eu secretamente xinguei enquanto escutava o que Oyaji tinha para dizer.

“Você provavelmente viu a grande, famosa torre do relógio deste país na praça da cidade, certo?” (Oyaji)
“Bem, só um relance. Eu normalmente estive operando aos arredores da cidade.” (Naofumi)
“A Ampulheta do Dragão Cravado está dentro daquele prédio. Quando o último grão de areia da ampulheta cair, os Heróis juntos com seus bandos alegres serão transportados para onde a onda de grande calamidade irá acontecer.” (Oyaji)
“Oh…?” (Naofumi)

Sem dúvida… aquele rei de merda provavelmente contou esse pedaço de informação para os outros heróis e seus companheiros com antecedência.

“Se você não sabe quando a onda vai aparecer, por que não para lá e dá uma olhada você mesmo?” (Oyaji)
“Eu… acho.” (Naofumi)

Eu ficarei muito preocupado se eu não ter ideia de quando eu serei transportado.
Eu planejei passar por aquele lugar por alguma garantia.

“Então tá, Oyaji.” (Naofumi)
“Então falou!” (Oyaji)
“Até a próxima vez.” (Raphtalia)

Nós falamos nossas despedidas e fomos para a torre do relógio.
Na cidade inteira, a torre do relógio era a estrutura mais alta por aqui. De perto, ela podia competir com a altura de prédios de uma cidade moderna.
Por algum motivo, o teto da torre do relógio era no formato de um domo, muito parecido com de uma igreja.
Parecia que não tinha taxa de entrada; os portões estavam escancarados e pessoas entravam e saiam.
Vestindo um outfit parecido com de uma freira, a recepcionista estava me olhando suspeitamente. Ela provavelmente reconheceu meu rosto.

“Você é o Herói do Escudo?” (Freira)
“Haha, como você pode ver, eu estou aqui já que o prazo do tempo já está aí.” (Naofumi)
“Então, por favor venha por aqui.” (Freira)

Eu fui guiado para uma ampulheta consagrada no meio da igreja.
Uma ampulheta gigante com uma incrível altura de aproximadamente 7 metros.
Ela era decorada e dava uma aura indescritivelmente divina.

… O que foi isso? Minha espinha pareceu arrepiar, como se uma corrente de eletricidade tivesse passado.
Só de olhar por aí, meus instintos agiram e uma sensação estranha começou a surgir de dentro do meu corpo.
A cor da areia… era vermelho.
Eu virei meu olhar para a lisa areia caindo.
Eu imediatamente entendi o que aconteceria quando o último grão caísse.
Soltando um som ‘piin’, um único raio de luz saiu do meu escudo e foi para o centro da ampulheta do dragão gravado, acertando a joia de dentro dela.
Então um relógio digital apareceu na minha visão periférica.

20:12

O valor 12 se tornou 11 pouco depois.
Entendo, então o tempo exato sobrando foi traduzido para meu próprio entendimento.
Usando isso vai me permitir agir de acordo.
Contudo… as coisas que eu podia fazer dentro de um período de 20 horas eram extremamente limitadas. Todas as coisas consideradas, a melhor opção era juntar o quanto de ervas da planície fosse possível pelo resto do dia.
Eu também precisava preparar algum remédio de cura.

“Huh? Não é o Naofumi por ali?” (Motoyasu)

Uma repugnante, desprezível voz ressoou pelo interior da torre.
Andando com um grande harém de mulheres, o Herói da Lança Motoyasu casualmente veio até mim.
Que saco, eu queria mandar a bunda dele voando imediatamente. Mas considerando o lugar e a hora, eu me impedi de fazer isso.

“Você também veio aqui em preparação para a onda?” (Motoyasu)

Aquele era um puta de um olhar indescritivelmente lascivo. Ele me olhou do topo ao chão com um único, arrogante olhar.

“Mas que droga, cara. Você tá planejando lutar com equipamento desse level?” (Motoyasu)

E se eu estiver?
Quem você acha que eu tenho que agradecer por me colocar nessa situação? Você e aquela maldita puta atrás da sua bunda caída. (NT: Eu adoro como qualquer coisa girando a Mein fica desse jeito)
O equipamento do Motoyasu era vastamente diferente de um mês atrás, um podia ver quão alto-level ele estava com um único olhar no equipamento dele.
Não era baseado em ferro, mas uma brilhante armadura feita de prata. Ele vestia pano por baixo que emetia um belo tom verde pálido, mais provável de ser devido aos efeitos extras abençoados por aquelas roupas. Não só isso, mas ainda tinha uma camada de cota de malha vestida entre essas duas; era como se Motoyasu estivesse se gabando de sua defesa absoluta.
Sua arma lendária não estava na sua forma original, medíocre também. E apesar de ser vergonhoso admitir, o design da lança era simplesmente incrível para ser honesto.
Era um pique… bem, eu acho que aquilo ainda era uma lança. (NT: Também conhecida como lança longa, mas se eu usasse esse nome, não teria sentido a outra parte)

“…” (Naofumi)

Falar com esse cara era um saco.
Eu virei minhas costas para o Motoyasu e ignorei ele enquanto voltava para a entrada da torre do relógio.

“Mas o que no nome de Melromarc, Motoyasu-sama está falando com você! Abra bem seus ouvidos e preste atenção para ele.” (Fangirl)

Uma puta fangirl de trás do Motoyasu disse enquanto todas elas me encaravam com olhos cheios de sede de sangue e raiva. (NT: Fangirl é aquela pessoa histérica que… o Google pode explicar melhor; o puta não era de intensidade, mas serve também)
Depois disso veio a provocação estereotipa. Elas começaram a me provocar colocando a língua para fora e rindo.
Essa puta, eu vou matar ela algum dia.

“Naofumi-sama? Quem são essas pessoas…?” (Raphtalia)

Raphtalia inclinou sua cabeça e apontou para o grupo do Motoyasu.

“…” (Naofumi)

Eu tentei sair, decidindo que era o melhor simplesmente sair e não responder ela.
No mesmo momento, Itsuki veio invadindo pela entrada.

“Tsk.” (Naofumi)
“Oh, Motoyasu-san e… Naofumi-san.” (Itsuki)

Itsuki pareceu descontente comigo clicando minha língua para ele, mas seus traços de ‘bom garoto’ logo voltaram.

“…” (Ren)

Ren também veio e andou até nós em silêncio, pretendendo agir maneiro.
Seu equipamento estava induvidavelmente muito mais forte do que quando sua jornada começou.
E então, os companheiros de ambos surgiram um após o outro.
A população dentro da torre do relógio escalou rapidamente.
4 + 12 + 1
Nós, os quatro heróis invocados, juntos com doze aventureiros escolhidos pelo rei, e finalmente Raphtalia.
Isso somado dava um grande total de 17 pessoas, uma quantia até que desapontante de tropas para a ameaça iminente.

“Haa…” (Naofumi)
“Mas quem é essa beldade? Ela é simplesmente adorável.” (Motoyasu)

Motoyasu apontou para Raphtalia e disse.
Esse cara, ele está bem com qualquer um contanto que eles sejam fêmeas?
E pensar que um herói iria desejar uma garotinha… esse país estava acabado. (NT: Sexualmente)
E por cima disso, ele se aproximou da Raphtalia com motivos sujos enquanto afetivamente se introduziu.

“Prazer em te encontrar, jovem senhorita. Eu fui invocado para esse mundo como um dos quatro grandes heróis. Por favor me chame pelo meu nome, Kitamura Motoyasu. Eu estou honrado em lhe conhecer.” (Motoyasu)
“Ah, sim… então você é um daqueles heróis.” (Raphtalia)

Raphtalia acenou com a cabeça timidamente enquanto seus olhos evitavam o olhar dele.

“Posso ter o prazer de saber seu nome?” (Motoyasu)
“Umm…” (Raphtalia)

Uma Raphtalia perturbada olho para mim e jogou o olhar de volta para Motoyasu.

“Eu sou Ra-Raphtalia. É legal te conhecer.” (Raphtalia)

Ela provavelmente achou que eu estava bem irritado. Eu entendi isso tudo pelo suor frio descendo pelo rosto dela.
Essa garota também queria me largar e se juntar ao fanclube do Motoyasu, não queria?
Que saco, eu já tentei fazer uma retirada pacífica daqui, então por que esses bastardos ainda tinham que foder com meu coração?

“Qual é seu assunto aqui hoje, beldade? Por qual propósito você está carregando por aí uma espada tão perigosa e equipamento?” (Motoyasu)
“Eu estou aqui para lutar juntar com Naofumi-sama, é por isso.” (Raphtalia)
“Hah? Pelo Naofumi?” (Motoyasu)

Motoyasu virou e me encarou com olhos cheios de suspeitas.

“… Que raios você tá olhando?” (Naofumi)
“Seu vilão, por que você está arrastando uma garota tão bonita para esses lugares perigosos?” (Motoyasu)

Motoyasu disse enquanto me subestimava com seus olhos.

“Eu não preciso te dizer a razão, cuzão.” (Naofumi)
“E eu aqui pensando que você ia enfrentar essa batalha sozinho… então você está apenas parasitando a generosidade da Raphtalia no fim.” (Motoyasu)
“Droga, retardado delirante.” (Naofumi)

O lixo vazando desse filho de uma puta, que confiou na maior vadia desse mundo paralelo mais do que em um companheiro herói, estava seriamente começando a me irritar.
Eu fui até a direção do Itsuki e Ren para fazer minha saída.
Aqueles dois e seus alegres companheiros abriram um caminho para mim.

“Vamos nos encontrar de novo durante a onda.” (Itsuki)
“Não seja um peso para nós.” (Ren)

Eu passei por eles enquanto Itsuki dava uma resposta profissional, enquanto Ren deu uma cruel, mandona como um verdadeiro herói solitário.
Surpresa pela minha espontaneidade, Raphtalia rapidamente veio até meu lado enquanto olhava em volta sem parar.

“Eu estou indo.” (Naofumi)
“Ah, hai! Naofumi-sama!” (Raphtalia)

Depois de ouvir minha voz, ela finalmente voltou para seu eu energética.
Quem diria, isso foi desagradavelmente doloroso.
Finalmente saindo da torre do relógio, eu rapidamente passei pela cidade do castelo e fiz uma curva até as planícies, ficando mais e mais frustrado com cada segundo que se passava.

“Um, Naofumi-sama? O que aconteceu com você?” (Raphtalia)
“Nada realmente…” (Naofumi)
“Lá trás…” (Raphtalia)
“O que?” (Naofumi)
“Deixa pra lá…” (Raphtalia

Sentindo meu humor horrível, Raphtalia abaixou a cabeça desanimada enquanto me seguia.
… Então um Balão selvagem apareceu! (NT: Rápido, prepara o poke-escudo)
Raphtalia imediatamente desembainhou sua espada.

“Espere, deixa que eu cuida desse sozinho.” (Naofumi)
“Eh… mas—” (Raphtalia)
“Só me deixa!” (Naofumi)

Raphtalia se afastou de surpresa do meu grito repentino.
O Balão apareceu diante dos meus olhos.

“Ora ora ora ora!” (Naofumi) (NT: Não ia ficar tão bom aqui o ‘AA LALALALALAE’)

Merda! Merda merda merda merda merda merda!
Me distraindo por espancar o balão, eu fui capaz de me acalmar um pouco.
Eu chequei o tempo restante do canto da minha visão.

18:01

Mais 18 horas.
Eu precisava fazer o que eu podia até lá.
Depois disso, eu fui numa Caça ao Balão e coletei ervas medicinais da planície ao longo do caminho.
Elas ainda precisavam ser compostas em medicina benéfica em preparação para a onda que se aproxima.
Então veio a noite… depois de voltar para o hotel para descansar, Raphtalia humildemente falou para mim.

“Naofumi-sama.” (Raphtalia)
“… O que?” (Naofumi)
“As pessoas dessa manhã eram heróis assim como Naofumi-sama, certo?” (Raphtalia)
“… Urg.” (Naofumi)

Ela tinha que me lembrar daquela experiência terrível.
E eu aqui finalmente tinha esquecido sobre toda aquela diversão.

“Só… o que aconteceu entre todos vocês?” (Raphtalia)
“Eu não quero falar sobre isso. Se você quer saber então vá para um bar e pergunte por aí.” (Naofumi)

Ninguém acreditava em mim quando eu falava a verdade de qualquer jeito. Essa garota era provavelmente o mesmo que todos eles.
Contudo, a grande diferença entre Raphtalia e outros é que ela era minha escrava.
Se ela recusasse minhas ordens, tentasse escapar ou se rebelasse contra mim então ela seria tormentada pela maldição.
Julgando que era o melhor, Raphtalia não pressionou mais o assunto já que eu não ia falar.
Em preparação para amanhã, eu compus remédios até eu cair no sono; eu continuei fazendo isso por um bom tempo.


Tradução: Thyros




Fontes
Cores