TYN – Capítulo 156 – Sonho Realizado



Depois de partir com Rishia e Firo, Raphtalia e eu seguimos até o Slave Dealer.

No fim de um beco, nós vemos um coliseu grande.

Na frente deste prédio estilo domo estão homens grandes mantendo guarda.

Olhando para as pessoas que estão na fila, isso parece ser bem popular.

“Por aqui, por favor.” (Slave Dealer)

Andando até a porta dos fundos, o Slave Dealer levemente cumprimenta os homens mantendo guarda.

Os homens abrem caminho e nos deixam passar.

“Isso é só um coliseu na superfície. No porão, nós lidamos com escravos por trás das cenas. Sim.” (Slave Dealer)

“Ho~…” (Naofumi)

“Bem, neste país, a maioria dos coliseus são assim. Dependendo da União, os bens vendidos diferem. Sim.” (Slave Dealer)

“E quanto ao seu lugar?” (Naofumi)

“Nem preciso dizer, eu estou principalmente praticando a venda de escravos.” (Slave Dealer)

Não relacionado com Humanos e Demi-Humanos…

Depois de andar um pouco, nós chegamos numa escada e descemos.

Nós podemos ouvir as torcidas de cima ecoando.

O coliseu parece ser bem popular.

“Acima de nós estão mercenários e escravos… nós também temos monstros no coliseu. Sim.” (Slave Dealer)

“Você lida até que com bastante coisa.” (Naofumi)

“Por causa disso, eu recusei todas as outras lutas naquele dia. Também haverá um campeonato de comilança. Sim.” (Slave Dealer)

“Eu quero deixar Firo participar.” (Naofumi)

Isso vale a pena só para ver o quão longe o apetite daquele monstro pode ir.

Comida de graça e prêmio em dinheiro.

Bem… eu imagino se há uma penalidade para perder.

“Isso seria interessante de ver. Talvez isso possa de algum jeito ser feito. Sim.” (Slave Dealer)

O Slave Dealer dá um sinal estranho para um homem massivo com seus dedos. Eu irei só lhe acreditar por suas palavras então.

“Seria também bom ter o Herói do Escudo entrando no campeonato de bebida, caso contrário alguns suspeitarão que você é um impostor.” (Slave Dealer)

“Para ficar famoso aqui é uma coisa, mas…” (Naofumi)

Por comer a fruta Rukoru sozinha, eu devo ser capaz de ganhar… mas no momento que eu como ela, as pessoas à minha volta ficam nauseadas. Eu não quero comer nessa situação.

E também, eu não tenho certeza até que extensão eu posso lidar com álcool.

O Herói do Escudo ficando envenenado até a morte por beber demais não seria engraçado nem como uma piada.

Primeiro de tudo, eu não realmente bebo tanto assim, então isso não deve acontecer.

“E? Nós ainda não estamos lá?” (Naofumi)

“Nós devemos estar quase lá.” (Slave Dealer)

Dizendo isso enquanto deixando a escadaria para um corredor de pedra, várias jaulas se tornam visíveis.

Há mais jaulas aqui que na tenda do Slave Dealer. Dentro das gaiolas estão escravos humanos e demi-humanos olhando sem foco.

Dentro desa prisão, há uma pequena sala visível. Lá, um cara de aparência durona e um mercador estão esperando.

“Oh… Melromarc–” (Mercador de Escravos) (NT: É outra pessoa, e será identificado assim)

“T-tio…” (Slave Dealer)

Eu duvido dos meus olhos. Essa pessoa… está alegremente abraçando o Slave Dealer numa reunião familiar.

Enquanto o Slave Dealer é um cavalheiro estranho vestindo um fraque zoado e óculos de sol maiores do que deviam, o Mercador de Escravos tem o mesmo tipo físico com quase o mesmo rosto. As únicas diferenças são o fraque e os óculos.

“Naofumi-sama, meus olhos estão me enganando?” (Raphtalia)

“Que coincidência, os meus também estão.” (Naofumi)

Negócios familiares é uma coisa, mas o que há com eles sendo tão parecidos?

Perigoso. Eu quase quis ver como seria ter a família toda reunida junta. Seria algum tipo de sonho louco se tornando realidade.

Um anime que eu assisti tinha um negócio familiar parecido de irmãs cuidando de instalações de tratamento, mas… (NT: Enfermeira Joy, para quem não reconheceu de primeira)

Bem, se todos eles usassem as mesmas roupas, você não seria capaz de diferenciar eles.

“Enquanto nós estamos nisso, eu gostaria de introduzir o Herói para meu tio. Sim.” (Slave Dealer)

“Bem, se não é o Herói do Escudo. Que expressão e olhos estranhos… eu estou prestes à me apaixonar. Sim.” (Mercador de Escravos)

“Pare com isso.” (Naofumi)

Ugh. Eu estou realmente ficando com calafrios. Eu quero me afastar daqui o mais cedo possível.

Contudo, para voltar desse jeito iria me irritar, então eu tento me manter paciente e paro meu pé de recuar.

“Sua voz parece ser do tipo que é bom de lidar com escravos… eu estou animado. Você gostaria de casar com minha filha?” (Mercador de Escravos)

Eu tento imaginar uma mulher que parece com o Slave Dealer)

“Me dê uma folga…” (Naofumi)

“Certo! Você chamou o Naofumi-sama para só para dizer tais coisas estúpidas?!” (Raphtalia)

Raphtalia respondeu com raiva.

Ah, ela está procurando por companheiros da vila dela. É entendível o porque dela estar tão brava.

Por favor fique mais nervosa para que ele pare com as piadas idiotas dele.

“Hahaha, isso foi uma piada!” (Mercador de Escravos)

“Titio é ruim com pessoas.” (Slave Dealer)

“Não tão ruim quanto você.” (Mercador de Escravos)

Os dois riem.

Medonho…

“De volta ao assunto.” (Naofumi)

“Ah, certo. Que tipo de bens o Herói do Escudo quer que sejam oferecidos?” (Slave Dealer)

“O que, direto ao ponto? Eu queria aprofundar a amizade entre eu e o Herói mais um pouco. Sim.” (Mercador de Escravos)

“Isso depende do titio. Sim.” (Slave Dealer)

Sim sim sim sim… por quanto tempo esse jogo de perguntas e respostas irá continuar?

Está ficando realmente problemático. Tudo bem se eu sair?

“Fumu… desde que você me contou que ele é o tipo de pessoa que você se apaixonaria, eu imaginei como ele era. Agora eu entendo.” (Mercador de Escravos)

“Como eu poderia ser tão charmoso?!” (Naofumi)

Afinal, eu não entendo o senso Slave Dealer.

A razão para isso é que, não importa o que eu faça, ele sempre fala positivamente sobre isso.

Mas, por outro lado, eu sempre tenho que preocupar sobre o que ele faz pelas minhas costas.

“Fufufu… não importa onde você vá, você tem esse ar sinistro à sua volta. Sim.” (Slave Dealer)

“Eu sou algo como uma encarnação do mal?” (Naofumi)

“Não não, é sua qualidade como um escravocrata. Isso é apelativo aos nossos olhos.” (Mercador de Escravos)

“Essa pessoa, em vez de forçar seus escravos à trabalharem sob a pena de morte tem o tipo de carisma que faz seus escravos lutarem até a morte por ele.” (Slave Dealer)

Nii-chan~ comida~.

Mestre~ comida~.

Herói do Escudo~ comida~.

Por que de repente eu penso sobre alimentar aquelas pessoas?

É isso o que você chama de carisma?

… Você perde no momento que você começa a se importar com isso.

“Fumu, se for sobre essa pessoa aqui, vamos pretender que aquela história nunca aconteceu.” (Slave Dealer)

“O que?” (Naofumi)

“Não não, não se importe com isso. Sim.” (Slave Dealer)

“Algo aconteceu? Sim.” (Mercador de Escravos)

“Na verdade–” (Slave Dealer)

Ambos vendedores de escravos começam a cochichar.

Huh? Com qual eu vim aqui mesmo?

“*Shh*…” (Slave Dealer)

Eu não pude entender nem um pedacinho.

Do que eles estão falando?

“Entendo, claro que você teria que recusar numa hora dessas. Sim.” (Mercador de Escravos)

“Sobre o que vocês estão falando?” (Naofumi)

“Que tal tentar isso?” (Mercador de Escravos)

“Desse jeito, isso será bem convincente.” (Slave Dealer)

“Escutem.” (Naofumi)

Os vendedores de escravos começam a rir enquanto olham para mim. Parem com isso.

“Bem, com isso, vamos ir por este caminho por favor.” (Mercador de Escravos)

O Mercador de Escravos deste país começa a nos guiar.

Nós seguimos ele desse jeito.

Do que diabos eles estavam falando?!

“Por aqui, por favor.” (Mercador de Escravos)

Então, enquanto somos guiados, nós olhamos para as gaiolas e prisões de antes.

Parece que nessa prisão, tem uma demi-humana fêmea sentada num canto mofado.

Ela tem pele negra e um rosto até que bonito.

O corpo dela é meio grande.

Com um peito largo, você poderia chamar ela como uma mulher incrivelmente bonita… certo?

O rosto dela também tem uma feição boa.

Mas, mesmo dizendo isso, ela não é a escrava que eu estou procurando.

“Eu não estou interessado em escavas para uso sexual.” (Naofumi)

“Não não, mesmo entre as diferentes espécies de demi-humanos, esta aqui é bem forte em batalhas.” (Mercador de Escravos)

“É mesmo?” (Naofumi)

De algum jeito, ele começa a balançar suas mãos com um sorriso de negócios no seu rosto.

Eu de algum jeito recebo um arrepio.

Aquela escrava…

Ela tem o tipo de rosto que me faz querer involuntariamente bater nela.

Não, com esta aqui, teriam um monte de problemas.

“Ela é provavelmente muito cara. Eu não preciso disso.” (Naofumi)

A escrava faz uma expressão inchada depois da minha resposta.

“Não não, eu irei fazer para você uma oferta bem barata.” (Mercador de Escravos)

“Ainda assim…” (Naofumi)

De algum jeito, eu não gosto disso. Ou, para dizer melhor isso, eu não quero fazer ela minha escrava.

Mesmo como uma escrava, se eu for pego em qualquer coisa de novo mais tarde, a semelhança dela com Bitch é muito alta.

“Você quer dar uma olhada no próximo escravo?” (Mercador de Escravos)

“Ah, sim, foi mal, mas eu terei que recusar esta aqui.” (Naofumi)

“Por que!?” (Escrava)

A escrava gritou.

Isso machucou o orgulho dela?

Eu não entendo o comportamento ‘deselegante’ desta escrava sexual.

“Você só não é uma escrava que atende meus gostos. Isso é tudo.” (Naofumi)

“Pedófilo!” (Escrava)

Grite o quanto você quiser. Contudo, enquanto eu estou nisso…

Eu encaro o Mercador de Escravos

Ele rapidamente esquiva da minha linha de visão.

“Pedófilo… é quase como se ela soubesse sobre mim antes da hora, certo?” (Naofumi)

Depois da minha resposta, o Mercador de Escravos só manteve sua boca bem fechada.

Como eu pensei, tem que tem uma razão por trás disso.

Mesmo assim, olhando para mim objetivamente, todos os escravos que eu comprei são crianças, e a maioria deles são fêmeas.

Apesar de que isso é só uma coincidência, isso está começando a me atrapalhar recentemente.

“Uhm, Naofumi-sama? De que país é a língua que ela usou ali?” (Raphtalia)

“Você não sabe?” (Naofumi)

“Sim.” (Raphtalia) (NT: ‘Sim, eu não sei’)

Eu quase esqueci que o escudo tem uma função de tradução.

Já que parece que esse mundo tem várias línguas, é bem útil que o escudo pareça traduzir todas elas.

No que eu ouço as palavras na língua falada de Melromarc… parece que é a língua falada em países com muitos humanos.

Poderia ser…

“Bem, você não tem que se preocupar com isso.” (Naofumi)

“Por que!? Por que você iria me rejeitar?!” (Escrava)

Desse jeito, nós continuamos seguindo o Mercador de Escravos enquanto ignorando aquela auto-proclamada escrava.


Tradução: Thyros




Fontes
Cores