TYN – Capítulo 154 – Natureza Independente



Eu volto para a vila e relato a história do Ren para Knight Feminina.

“Fumu… parece que o Herói da Espada é até que um moleque mimado.” (Knight Feminina)

Knight Feminina fala enquanto estala seus dedos.

Não é como se eu não pudesse entender os sentimentos do Ren, mas ele realmente é um fracote.

“Depender somente em conhecimento de outro mundo para correr precipitadamente em batalha… deve ter um limite em ser inocente.” (Knight Feminina)

“Bem, isso basicamente resume tudo.” (Naofumi)

“Se você acabar pegando ele, deixe ele comigo. Eu irei pessoalmente ter certeza de re-educar ele.” (Knight Feminina)

“… Ele pode só ter se superestimado.” (Naofumi)

“O que você está dizendo? É o senso comum de um knight lutar uma batalha mesmo que vitória seja incerta.” (Knight Feminina)

Bem, isso de fato parece ser lógico.

Se agrupar contra um indivíduo mais fraco pode parecer como bullying.

Em jogos online, isso é senso comum, mas se praticado no mundo real, isso seria um problema.

Você não pode esperar até um inimigo mais forte aparecer, e então fugir porque você acha que não pode vencer.

Isso iria realmente causar um monte de problemas.

Esse país pode estar em paz, mas pequenas disputas e infestações de monstros mantêm os knights vigilantes.

Knight Feminina participou nas linhas de frente de algumas das lutas contra a Tartaruga Espiritual, então ela é qualificada para dizer isso.

Ela é meio forte. Seus stats não são tão desenvolvidos como os da Raphtalia, mas ela compensa por isso com skill.

“De qualquer, eu irei reportar esse assunto para Rainha. Eu irei ficar fora por um tempinho, então tem alguma coisa que você gostaria dela?” (Knight Feminina)

“Vejamos… o que devemos fazer sobre Rato?” (Naofumi)

Ela é a pessoa com que eu preciso ficar mais alerta neste momento.

Ela está tentando fazer uma grande força lutadora, e eu dei para ela um pouco de tempo.

“Como você pediu, as Sombras estão observando os movimentos dela, mas ela tem sido surpreendentemente obediente.” (Knight Feminina)

“Tem alguma indicação que ela está agindo secretamente?” (Naofumi)

“Nenhuma.” (Knight Feminina)

Mu… eu estava preparado para agir no caso dela fazer alguma coisa, mas parece que isso não é necessário. Eu pensei que ela pudesse ser uma espiã, mas parece que não é o caso.

“Bem, ocasionalmente, ela… entra num argumento com a garota que cuida das Lagarterras, mas o assunto parece ser trivial.” (Knight Feminina)

“Ela faz isso mesmo quando eu estou aqui.” (Naofumi)

“Parece que o assunto das suas disputas é um choque de opiniões.” (Knight Feminina)

Os argumentos delas sempre parecem ser sobre as mesmas coisas.

Taniko acredita no poder natural dos monstros de upar, adaptar e ficar mais fortes, enquanto Rato opta pelo uso de cirurgia e outros métodos para forçadamente aumentar stats.

E toda vez, Taniko traz Firo, que ficou forte sozinha.

E então Rato sugere uma cirurgia para aumentar a inteligência da Firo, irritando ainda mais Taniko.

Os argumentos então parecem ir em círculos, mas parece que cada lado agora tem um entendimento firme da ideologia do outro.

Em algumas raras ocasiões, elas iriam concordar num assunto, e ter uma conversa feliz sobre ele.

… Eu imagino como as modificações da Rato estão indo.

“Bem, eu acho que eu devo ir lá.” (Naofumi)

“O que nós devemos fazer?” (Raphtalia)

“Eu estou pensando em enviar os escravos para vender e viajar independentemente, então vá ensinar qualquer um que queira aprender as habilidades necessárias em vender e viajar.” (Naofumi)

“Eu entendo.” (Raphtalia)

“E quanto a Firo?” (Firo)

“Eu estou indo para o lugar da Rato? Você quer vir comigo?” (Naofumi)

“NÃO!” (Firo)

Raphtalia vai e começa a ordenar pela vila. Firo foge num ritmo alarmante.

Bem, eu acho que o desgosto dela é entendível.

Rato da fato deu uma primeira impressão realmente ruim para ela…

“Umm…” (Imya)

“Hm?” (Naofumi)

Imya se mexe enquanto ela vem falar comigo. (NT: Como uma criança nervosa, que fica indo para um lado e para o outro; eu não sei uma palavra exata para isso como no inglês)

“O que é?” (Naofumi)

“Eu comecei a aprender como fazer roupas da pessoa estranha… aqui está meu primeiro produto.” (Imya)

O item que ela me passou era um par de luvas.

O material é pele de monstro. O tamanho é certinho para minhas mãos.

“Herói-sama, isso é para que você não se machuque enquanto experimenta com medicina, então…” (Imya)

“É, obrigado. Você é bem atenciosa.” (Naofumi)

Elas são bem feitas.

Parece que os Lumo realmente são uma raça com destreza.

“Você se acostumou com a vila?” (Naofumi)

“Ah, sim.” (Imya)

“Se alguma coisa estiver lhe dando problemas, tenha certeza de reportar isso.” (Naofumi)

“Sim…” (Imya)

“… Alguma coisa aconteceu?” (Naofumi)

Imya começa a olhar para o chão enquanto ela fala.

“Eu posso cavar um buraco aqui?” (Imya)

“… Se isso irá fazer seu ambiente de trabalho mais aproveitável, então sinta-se livre.” (Naofumi)

“Muito obrigada.” (Imya)

Ela de fato parece uma toupeira.

Eu acho que ela se sentiu desconfortável nas casas de Planta-Acampamento.

“Você pode ordenar as Dunas. Faça isso do tamanho que quiser. Contudo, tenha certeza de pensar sobre onde você cava.” (Naofumi)

“Hai!” (Imya)

Ela é uma criança legal, obediente.

O exato oposto da Kiel.

“*Atchim*” (Kiel) (NT: Para quem não sabe, no Japão há essa coisa de, se falarem mal de você pelas costas, você espirra; tipo nossa orelha vermelha)

Eu ouço Kiel espirrando de um pouco longe. Eu acho que coincidências são assustadoras.

E de qualquer jeito, eu saí para visitar o laboratória da Rato.

Isso é meio espaçoso, e tem dois andares. Tem algo como uma quadra poliesportiva dentro dela também.

… Exatamente quão longe essas Plantas-Acampamentos podem expandir?

“Bem, se não é o Conde. Beleza?” (Rato)

“Eu vim checar seu progresso.” (Naofumi)

Eu acho Rato na sala mais longe da entrada, encarando um monstro dentro de um grande tubo de ensaio.

De algum jeito, a quantia de tubos de ensaio que ela tem está aumentando firmemente. Dentro deles, várias coisas estão flutuando. Num deles flutua um broto de Bioplanta.

“Ah, sobre isso. A pesquisa de Bioplanta… não teve realmente nenhum fruto.” (Rato)

“Entendo.” (Naofumi)

“Eu acho que você terá que esperar mais alguns dias antes de ver quaisquer resultados. Parece que será difícil tentar fazer ela produzir medicina.” (Rato)

“Era algo que eu não era capaz de fazer eu mesmo. Eu irei esperar pacientemente.” (Naofumi)

“Eu não acho que isso é impossível. Eu irei trabalhar nisso.” (Rato)

“Eu irei esperar ansiosamente.” (Naofumi)

Rato bate no vidro do tubo de ensaio, provocando o monstro dentro dele.

Eu não posso ver a forma do monstro claramente, mas ele parece estar sorrindo na direção da Rato.

“O que é isso?” (Naofumi)

“Oh, essa criança?” (Rato)

Enquanto ela fala, seus olhos vagam pela sala.

“Há crianças que não podem fazer nada não importa o quão duro elas tentem.” (Rato)

“Mah?” (Naofumi)

“Eu te contei sobre este antes, certo? Aquele que o Herói tentou mantar…” (Rato)

“Ele sobreviveu?” (Naofumi)

“É, ao menos uma porção do seu corpo sim… por hora ele só pode viver dentro desse tubo de ensaio, mas ao menos ele não irá morrer em breve.” (Rato)

Rato fala com uma expressão dolorida.

E o monstro no frasco estende algo em direção da Rato como que para consolar ela.

“Este aqui era capaz de entender bem a linguagem humana… ele sempre trabalhou duro para ser forte.” (Rato)

“Você pode entender ele?” (Naofumi)

“Para minha tese, eu tentei ver se monstros eram capazes de pensar no mesmo nível que humanos.” (Rato)

“Hmm.” (Naofumi)

“Monstros também querer ficar fortes. E não apenas para sobreviver, eles querem ser reconhecidos também. Essa criança tem um desejo especialmente forte de fazer isso.” (Rato)

Entendo.

Eu não queria ser chamado de fraco, mas eu subi até aqui.

“Eu posso entender os pensamentos deste aqui até que bem. Não importa o quão duro ele tentou, este aqui nunca conseguiu ficar mais forte. Você pode chutar o level dessa criança?” (Rato)

“… Cerca de 40.” (Naofumi)

“Correto, mas… este aqui iria sempre trabalhar até cair, e eu teria que curar ele de volta.” (Rato)

Então esse é um monstro que ela gosta pessoalmente.

A paixão por modificação dessa pessoa é… baseada nesse monstro?

“Ah, não entenda errado. Eu sempre amei Modificação desde o começo.” (Rato)

“É assim então…” (Naofumi)

Eu não estou tendo essa impressão…

“Não importa o quanto eu pesquise, ainda há mais mistérios. Eu já pisei no abismo da ciência, e eu não acho que eu irei sair.” (Rato)

“Hm…” (Naofumi)

“Quando eu me introduzi, eu te contei meus ideais. Mas eu não irei trabalhar num sujeito contra vontade dele.” (Rato)

“Eu imagino…” (Naofumi)

Eu tenho a sensação que ela é o tipo de pessoa que iria secretamente conduzir pesquisa e tomar ação baseada em si mesma.

Eu não estou comprando isso.

“Eu te disse não!” (Taniko)

“Hm?” (Naofumi)

Com uma voz tremendo, Taniko corre para dentro e bloqueia a porta de uma Lagarterra se aproximando.

“O que você está fazendo?” (Naofumi)

“Esta Lagarterra de repente decidiu visitar aquela tia!” (Taniko)

“… Mah?” (Naofumi)

Eu olho em direção da Rato, e vejo ela andando até a Lagarterra.

No que Rato se aproxima dele, o monstro se acalma.

“Os monstros que o conde cria são bem honestos… este aqui tem uma boa cabeça, e um nível alto de ambição.” (Rato)

“Mu… Eu disse não!” (Taniko)

“Por favor deixe esta criança agir como ela desejar.” (Rato)

“Coisas erradas são erradas!” (Taniko)

No que exatamente estas duas estão competindo?

Eu meio que posso ver do que é esse argumento.

Não, eu posso só entender o mínimo do que está acontecendo.

Aquela Lagarterra está se aproximando de Rato, e Taniko está infeliz com isso.

“Você sabe, a razão que eu faço esse tipo de pesquisa, a razão que eu gastei minha infância aprendendo sobre ciências e a razão que eu devotei minha vida para esse trabalho. Era para que eu pudesse dar poder para crianças como essas que vieram até mim por elas mesmas. Eu gosto que as pessoas tenham altas expectativas de mim.” (Rato)

Como se eu fosse aceitar uma lógica tão estilo de jogo.

… é o que eu eu penso, mas se tem um exemplo vivo real diante dos meus olhos, eu acho que eu tenho que aceitar isso.

“Bem, só que Dragões e Philorials parecem me odiar. Maioria dos monstros parecem se afastar de mim. Mas este aqui parece estar bem. Isso pode ser por causa da influência do Conde.” (Rato)

É assim que é?

Isso é influência do escudo, ou esses monstros apenas coincidentemente ficaram desse jeito?

Eu acho que essa é a Lagarterra que Kiel e amigos encontraram, então podem haver outros fatores.

“Essa criança escolheu seu próprio caminho por ela mesma.” (Rato)

“Mas… u…” (Taniko)

“Mesmo que eu tenha dito isso, eu não tenho os fundos ou materiais para realizar os procedimentos ainda, então eu terei que colocar esse assunto numa pausa. Por favor volte para casa.” (Rato)

Rato ordena a Lagarterra para voltar.

E a Lagarterra é relutantemente arrastada de volta ao estábulo pela Taniko.

Eu acho que aquela Lagarterra é aquela que carregou Kiel de volta quando ela se machucou.

Por causa das suas ações, nós fomos capazes de evitar uma crise.

Era supostamente um monstro lento, e ainda…

“Pelo que eu vejo, se ela crescer naturalmente, ela irá em breve atingir seu limite… aquela criança ainda quer se tornar muito mais forte.” (Rato)

“Eu entendo.” (Naofumi)

Eu devo respeitar o direito de escolha do monstro também… apesar que aquela Lagarterra parece me odiar especificamente.

Então ela quer ficar forte. Monstros possuem esse desejo também.

Firo nasceu um monstro forte, então ela nunca teve que se preocupar com isso.

“O que você faz para sua pesquisa, especificamente?” (Naofumi)

“Vejamos… há vários jeitos de realizar ela…” (Rato)

“Tais como?” (Naofumi)

“Monstros que podem carregar passageiros. Eu tentei modificar um para agir como um barco e nadar pelo oceano. Só que quando esse plano escapou, eu novamente fui acusada por Heresia.” (Rato)

“Nesse caso, você não podia só ter um monstro aquático puxando um barco para você?” (Naofumi)

“Mas você nunca sonhou em andar num monstro?” (Rato)

…?

Em RPGs antigos, você iria algumas vezes ser capaz de andar nas costas de um dragão e viajar, mas… isso é um pouco diferente.

“Você não pode só andar num dragão voador?” (Naofumi) (NT: Isso é uma raça de dragão, não só um dragão que voa)

“Eu odeio Dragões!” (Rato)

Mu… eu não entendo a lógica dessa pessoa.

Se não está quebrado, não arrume.

“Isso não é só sua preferência pessoal?” (Naofumi)

“Dragões Voadores não podem carregar carga pesada.” (Rato)

“Então você podia achar um dragão maior…” (Naofumi)

“Eu irei trabalhar em qualquer coisa além de dragões. Eu irei fazer uma nova raça para substituir eles.” (Rato)

Ela estava agora mesmo advogando o direito de escolha dos monstros, mas esse é o resultado?

Será que alguma coisa aconteceu com ela envolvendo dragões?

Não… será que as modificações levaram ela para esse caminho?

“Depois, eu irei fazer um monstro tipo-Armadura.” (Rato)

“Oh?” (Naofumi)

Eu ouvi algo intrigante.

Eu acho que o escudo irá me prevenir de vestir isso, mas se Raphtalia ou Firo fossem equipar isso, isso pode aumentar grandemente a defesa delas.

“Pegando do conceito que as armas de Heróis compartilham de uma arma que cresce com o tempo… Contudo, eu não estou chegando em lugar nenhum. Isso é bem difícil.” (Rato)

Se ela suceder, nós podemos ser capazes de produzir heróis em massa… mas parece que a pesquisa está numa pausa.

A imitação que eu vi antes levou uma quantia ridiculamente grande de Mana.

Se fazer uma Arma de herói fosse tão fácil, então eles não teriam tido o trabalho de usar aquilo…

“Só que eu tenho algumas pistas. Há alguns monstros que podem tomar a forma de armas. Eu pensei que eu poderia usar as Espadas Demônio Sugadoras de Sangue como referência… mas a sanidade desse monstro é meio baixa. É difícil de controlar.” (Rato)

“Essa parece ser uma ideia interessante, mas isso soa caro.” (Naofumi)

“Você está certo. É por isso que eu ainda tenho um longo caminho para ir. Por hora, eu estou procurando por dicas em modificar a Bioplanta.” (Rato)

Parece que para Rato completar sua pesquisa, ela irá precisar de mais tempo e dinheiro.

Mas eu não acho que eu possa ajudar com isso.

“De qualquer jeito, se tiver alguém que você queira que eu corte e modifique, me chame♪” (Rato)

“Sim. Sim.” (Naofumi)

Então não tem tido nenhum progresso. Mas as habilidades da Rato estão crescendo.

As habilidades de alguém que concede poder aos monstros, a Alquimista Louca.


Tradução: Thyros




Fontes
Cores