TYN – Capítulo 150 – Discriminação Favorável



“Entendo…” (Naofumi)

Fazer um monstro forte.

Desejo bem simples e infantil.

Esse mundo tem um sistema estilo de jogo de modificação, então eu posso ver onde ela acha sua diversão.

Mas eu preciso admitir que é meio rude experimentar em organismos vivos.

“Por esse objetivo, eu viajei pela terra e estudei vários monstros. Eu aprendi e assimilei várias ciências e magias. Mas aquelas pessoas… eles disseram algo sobre ir contra as criações de deus e criar trabalhos do mal. Eles tentaram mataram minhas criações, isso foi bem problemático.” (Rato)

“Então… resumindo, você está aprendendo como fortalecer monstros através de alquimia. Posso pensar em você como um tipo de domesticadora de monstros?” (Naofumi)

“Bem… perto o suficiente.” (Rato)

Eu esperei que ela negasse isso, mas ela parece estar bem sendo referida assim.

No começo, eu achei que ela fosse louca, mas parece que ela só é honestamente focada num objetivo.

Ela é do tipo de pessoa que fica exageradamente entusiástica quando se trata de pesquisa?

“Posso perguntar uma simples questão? Ah, Knight Feminina, por favor escute também.” (Naofumi)

“Eu também?” (Knight Feminina)

Knight Feminina, que tinha sacado sua espada pronta para atacar, parece confusa.

Firo tinha se recuperado do remédio e fugiu. Raphtalia também está esperando com a espada sacada.

É uma verdade que Firo é a mais forte entre nós.

Porque Rato foi capaz de derrubar ela sem nenhum problema, não é mistério o porque de todo mundo estar cauteloso. (NT: As vezes eu penso em acentuar corretamente os ‘porque’s, mas dá uma preguiça muito grande)

Por causa do Escudo e da minha resistência à veneno, minha guarda não é muito alta.

Talvez eu deva ser mais cuidadoso da próxima vez.

“Há uma coisa que esteve me incomodando por um tempo.” (Naofumi)

“O que é?” (Rato)

“Bem… monstros fortes… você é capaz de pegar meus monstros já especiais e aumentar os poderes deles ainda mais? Por exemplo, você poderia fundir uma Lagarterra e uma Duna?” (Naofumi)

“Isso é criminoso por algumas seções da Igreja. Eles só permitem o cruzamento puro de monstros.” (Rato)

“Então, Rato, sua pesquisa é…” (Naofumi)

“Sim, alguns podem considerar ela ilegal.” (Rato)

… Em muitos jogos que eu joguei, a fusão de monstros acontece numa base diária.

Os usuários de monstros desse mundo são só cruzadores comuns? Em vez de focar em fazer monstros fortes, eles só tentam aumentar seus números para propósitos de trabalho.

… Espere, pelo jeito de dizer dela, isso significa que você pode cruzar diferentes espécies de monstros?

“É possível pegar um ovo com propriedades de múltiplos monstros?” (Naofumi)

“Claro que é possível. É como os demi-humanos. Se uma Raposa e um Lobo demi-humanos têm filhos, será de uma raça mista. Monstros com categorias similares podem cruzar para fazer crianças compartilhando os atributos de ambos os monstros. Minha pesquisa por acaso lida com…” (Rato)

“Não, eu não realmente me importo com isso.” (Naofumi)

Eu nunca pensei sobre o que acontece quando raças diferentes de demi-humanos se misturam.

Mas, eu ouvi que é possível para um humano e um demi-humano terem filhos.

Então essa lógica também se aplica à monstros?

… Como diabos a ecologia desse mundo funciona?

“Então basicamente, o que você está tentando conseguir é?” (Naofumi)

“Eu quero pesquisar o que deixa monstros fortes, fazer novos tipos de poderosas formas de vida e adicionar à sua força de luta.” (Rato)

Rato está tentando estender sua mão até mim. Por algum motivo, os olhos da Taniko estão brilhando também.

Taniko sempre amou monstros. Será que ela aprova a pesquisa da Rato?

“Deixe ela participar.” (Taniko)

“Quem decidiu que monstros tem que ser entidades malignas que ameaçam humanidade? Eu quero corrigir essa atitude. Certamente, nós podemos matar monstros e aumentar nossos próprios poderes, mas então isso não faz com que matar humanos por poder seja a exata mesma coisa?” (Rato)

“É assim então?” (Naofumi)

“Assassinato, matar outros humanos, também irá lhe dar EXP, mas isso não é praticado porque vai contra os padrões morais.” (Rato)

Hmm… entendo.

É um mundo bem negro aqui, não é.

“Todo mundo neste mundo foi feito igualmente, então por que monstros são os malignos? Isso é porque eles são fracos.” (Rato)

Bem, ela pode ser um pouco egocêntrica, mas ao menos ela fala com convicção.

Mas, tem uma alta possibilidade que ela só está dizendo coisas que irão estender sua causa.

“Olhe para as Philorials, elas são famosas demais. Suas Rainhas se deliciam na carne de Dragões. Elas são chamadas de mensageiras sagradas de deus mesmo que elas sejam monstros como todo o resto. Eu quero fazer um monstro que consiga uma reputação pública tão boa quanto essa. Um monstro que irá ser capaz de ajudar as pessoas, e ser ajudado por elas.” (Rato)

Eu não posso negar isso. Firo de fato comeu um pouco de carne de dragão, apesar que ela estava apodrecendo.

Eu não acho que uma Philorial média possa ficar tão forte assim… mas eu acho que as lendas delas ganham para elas um belo respeito.

Talvez as lendas são de monstros como Fitoria.

Aquela lá é de algum jeito ainda mais forte que Firo.

“Não é como se eu não visse aonde você está indo.” (Naofumi)

Eu joguei vários jogos que envolviam cuidar de monstros para serem fortes.

Tudo que essa pessoa está fazendo é pegar um pouco do que seria o senso comum de outro mundo e tentar aplicar neste.

Apesar que ela pode estar mentindo.

“Então você deseja estudar os monstros dessa vila para ajudar na sua pesquisa.” (Naofumi)

“Sim.” (Rato)

“Eu odeio mentirosos mais que qualquer coisa. Se você quer fazer esse tipo de trabalho nessa vila, então para prevenir mentiras eu terei que te fazer uma das minhas escravas. Você irá fazer isso mesmo com essas condições?” (Naofumi)

“Claro. Se isso é tudo que eu tenho que fazer, então eu alegremente jogarei fora minha dignidade humana.” (Rato) (NT: Nem pensem nisso, ela não irá para o harém dele… e essa nota não irá para o Baka-Tsuki)

Ela aceitou isso prontamente demais.

E… ela fez isso soar meio ruim.

Não é como se eu fizesse meus escravos sacrificarem suas dignidades ou algo assim.

“Se é isso o que eu preciso fazer para avançar minha pesquisa, então eu não me importo.” (Rato)

“Fumu…” (Naofumi)

Se eu deixar ela ficar, então meus monstros podem ser capazes de ficar mais fortes.

Não é um mau futuro.

Se eu colocar uma marca de escravo nela, então eu posso agir rapidamente se problemas começarem a aparecer ao longo do caminho.

“Eu trabalho meus monstros duro, você sabe. Como escravos. Você não será tratada diferente.” (Naofumi)

“Há escravos humanos e demi-humanos também. Eu não vejo necessidade de dar tratamento preferencial para eles por pena.” (Rato)

Mu… tratamento preferencial também é tecnicamente discriminação.

No exterior, eu acredito que mulher começo a reclamar de receber tal tratamento, chamando isso de discriminação também.

Alguns trens japoneses até tem vagões só para mulheres também. Até que algumas pessoas de todos os gêneros protestaram contra eles.

Isso pode ser perto disso.

“Eu não gosto quando pessoas protegem uma forma de vida. Philorials possuem mais inteligência que os outros monstros, mas por que isso significa que eles tem que fazer uma lei que previna o consumo delas? E ainda quando um dragão aparece ele é imediatamente ordenado para ser morto?” (Rato)

“…” (Naofumi)

“Eu não irei te dizer para não usar monstros. Na verdade, eu te apoio. Eu odeio pessoas que só pensam em monstros como algo para ser destruído. Monstros estão vivos também, e eles podem ajudar a combater a onda. Pela minha teoria, monstros não são nascidos da onda. Eles podem equivaler a armas fortes. Assim como heróis. Seja por bem ou por mal, eu odeio discriminação. Todo mundo neste mundo pode ser útil para todo o resto nele.” (Rato)

Taniko agora está encarando Rato com bochechas infladas.

Só que eu não sei qual parte da ideologia irritou ela.

“Eu entendo seu objetivo. Você quer fazer meus monstros uma força de combate efetiva para as próximas ondas.” (Naofumi)

“Sim! Mas aqueles malditos Sete Heróis Estelares! Eu quase fui morta por Heresia!” (Rato)

“Bem, então hipoteticamente…” (Naofumi)

Eu entrego uma semente de Bioplanta para Rato.

“Essa semente é definitivamente uma planta, mas se modificada incorretamente ela irá se tornar um monstro. Se lidada propriamente, contudo, ela pode fazer comida abundante, e medicina. O que isso lhe diz?” (Naofumi)

“Do que você está falando? Isso não tem nada haver com minha pesquisa. De qualquer jeito, me dá isso. Eu tentei trabalhar com sementes antes, mas elas rapidamente se deterioraram quando eu tentei trabalhar com elas.” (Rato)

Fumu… parece que esta aqui pode ajudar nos meus objetivos também.

Ela pode causar problemas mais tarde, mas enquanto eu tiver as rédeas chamadas de selo de escravo, eu posso controlar ela até certo ponto.

“Eu irei permitir isso. Se você irá se tornar minha escrava, então a vila irá lhe ajudar na sua pesquisa.” (Naofumi)

“Entendido. Se o Herói do Escudo só pode confiar em escravos, então esse é o jeito mais fácil de ganhar sua confiança.” (Rato)

Eu troco um aperto de mão com Rato.

“Eu irei contar com você de agora em diante. Para ganhar sua confiança, eu irei me tornar uma escrava. Em troca, você irá permitir e ajudar em na condução da minha pesquisa.” (Rato)

“Eu não permito enganação. Enquanto você reconhecer isso, então eu não tenho problemas com você ficando aqui.” (Naofumi)

E então a Alquimista Rato começou a viver na minha vila.

“Posso começar modificando aquela Philorial? Eu gostaria de adicionar outro olho no estômago dela para aumentar percepção, e talvez vários tentáculos nas costas para movimentos aumentados e manipulação tática.” (Rato)

“NÃO!” (Firo)

Eu ouço a voz da Firo gritando de uma distância. Parece que há agora mais pessoas nessa vila que ela não irá se dar bem.

“O indivíduo é contra isso, então você deve desistir.” (Naofumi)

“Bem, isso é infeliz.” (Rato)

“Por que você drogou minha Philorial em primeiro lugar?” (Naofumi) (NT: Porque este é o momento apropriado de se fazer essa pergunta, depois de toda uma conversa e aceitar ela na vila)

“Você não sabe? Philorials podem ser monstros surpreendentemente cruéis. Se eu não imobilizar ela primeiro, então eu não posso examinar ela.” (Rato)

É assim que é? Bem, eu acho que é loucura tentar de repente examinar um animal selvagem sem sedar ele primeiro. Ele pode começar a atacar, ou fugir.

“Felizmente, sua Philorial está em boa forma. Ela tem uma irritantemente alta quantia de energia.” (Rato)

Exatamente.

Desde o nascimento, Firo tem tido energia demais.

Eu não acho que ela algum dia esteve doente.

Talvez eu possa deixar o trabalho veterinário para ela também.

De qualquer jeito, esta é uma pessoa que eu não realmente entendo. As ideologias contém múltiplas contradições.

Discriminação é ruim, mas tornar monstros em armas é okay. Ela quer modificar monstros para ficarem mais fortes. Ela gosta de monstros ou odeia eles?

De qualquer jeito. Parece minha própria pesquisa irá ficar mais fácil de agora em diante.


Tradução: Thyros




Fontes
Cores