TER – Capítulo 291 – Uma espada que faz espadas


Eu balançara telecineticamente o martelo tantas vezes durante a noite que seu toque rítmico e metódico se tornara quase natural. Eu estava tão imerso no ritmo que pude discernir no mesmo instante quando qualquer som, relacionado ou não a um martelo, estava fora do ritmo. E foi por essa razão que pude perceber que havia uma batida estranha que interferia no meu senso de fluxo.

“Ei, Fran, você poderia abrir a porta? Parece que temos um visitante.”

— Nn.

Por sorte, Fran já havia saído da cama. Ela estava o mais longe possível de ser uma pessoa que se dava bem com as manhãs, então ela pareceria meio adormecida se eu tivesse que acordá-la para abrir a porta. E se isso acontecesse, teríamos sido pressionados a explicar por que a forja estava funcionando tão bem, mesmo que ela ainda não tivesse acordado por completo. Nós não teríamos escolha a não ser descrever isso como um caso de “ferraria sonâmbula”. Você sabe, como o sonambulismo1, mas com uma forja.

— Quem?

— Bom Dia princesa! Sou eu, o chefe da vila!

Fran abriu a porta para encontrar o homem encarregado da vila com o corpo já dobrado em uma profunda reverência. Ele estava segurando uma cesta com alguns pedaços de pão escapando por cima; ele veio entregar a refeição de Fran.

— Trouxe um café da manhã para você. Espero que seja do seu agrado.

— Obrigada.

— O prazer é todo meu. Ah, e você está bem? Parece que você esteve trabalhando a noite toda.

Uh, opa. Espero que a forja não tenha mantido ninguém acordado a noite toda.

— Alto demais? Me desculpe.

— Não se preocupe, milady! De qualquer forma, agradecemos que você tenha ficado acordada a noite toda por nós! Somos tão abençoados por suas ações que nem sabemos expressar nossa gratidão!

Conversamos um pouco com o chefe e trocamos nossos horários. Dissemos a ele que ficaríamos na forja pelo resto do dia, enquanto ele nos informou que a maioria dos moradores estaria praticando esgrima ou magia. O gato-negro mais velho começaria a limpar o equipamento nesse meio tempo.

— Não precisa se forçar a aprender magia ou esgrima.

— Oh, não, não, não, não estamos forçando ninguém a nada, princesa. Todos estão muito ansiosos para participar!

Parecia que toda a vila desejava usar magia. Todos queriam explorar esse poder misterioso; o fato de terem aprendido métodos para adquiri-los os deixou motivadíssimos.

Nesse ritmo, magos gatos-negros apareceriam em pouco tempo.

— Vou partir agora, mas por favor me avise se precisar de qualquer coisa.

— Nn.

Voltamos a focar em nosso trabalho assim que o chefe saiu. Sendo mais específico, comecei a fazer lâminas com os lingotes que passei a noite criando, enquanto Fran se concentrava em reparar escudos e armaduras.

A melhor parte deste mundo era que seu sistema de habilidades me permitia adquirir conhecimento aparentemente do nada.

Embora eu nunca tivesse feito nenhum tipo de ferraria antes, a habilidade máxima da ferraria que eu tinha havia me ensinado tudo o que eu precisava saber sobre como forjar uma lâmina. A maneira mais comum de serem feitas hoje em dia era através da fundição2. O metal derretido seria derramado em um molde e martelado em uma forma posteriormente, caso fosse necessário.

Lembrei-me de forma vaga de algo sobre a maioria das espadas de fabricação ocidental serem fundidas, enquanto a maioria das espadas japonesas eram feitas em forjas. Se eu fosse rastrear esses métodos até suas raízes, presumi que eles se desviassem devido às diferenças de recursos e ao conhecimento de como se processavam as armas. Claro, isso era apenas um palpite, pois eu não tinha conhecimento real de como os ferreiros trabalhavam no meu mundo.

Este mundo não exigia que aqueles que queriam usar espadas japonesas passassem por um complicado processo de dobragem. Os ferreiros poderiam usar metais com infusão de magia e ferramentas mágicas encantadas para criar lâminas robustas de estilo japonês através de um processo de fundição típico.

Metais com infusão mágica eram fortes desde o início. Acertá-los com martelos, enquanto os mergulhava no fogo mágico, apenas os aprimorava ainda mais. Portanto, não havia necessidade de alguém dobrar uma lâmina mais de mil vezes. De modo óbvio, alguém poderia passar por um processo típico de forjamento, se quisesse, mas esse tipo de tratamento era reservado para artigos de luxo de alta qualidade. Armas comuns não precisavam de um processo tão intensivo.

Assim, comecei a fundir todas as lâminas que queria fazer.

Combinei o processamento paralelo e a telecinesia para fundir, martelar e polir diferentes lâminas ao mesmo tempo. Eu funcionava como uma fábrica de um homem só e de alguma maneira consegui produzir em massa uma série de espadas regulares. Embora eu tenha prestado muito pouca atenção a cada lâmina, minha habilidade máxima de ferraria garantiu que elas ainda tivessem uma qualidade decente.

Mas não era preciso dizer que nenhuma era boa o suficiente para superar seu criador. De todas as espadas presentes, eu ainda era de longe a mais poderosa.

“Tudo bem, isso dá um total de 50. Deve ser o suficiente por enquanto, eu acho.”

Se alguém contasse as armas não danificadas que saqueamos, havia cerca de 80 espadas no total. Todas as 80 eram de um padrão bastante simples, portanto não seriam muito difíceis para os gatos-negros usarem, mesmo sendo todos iniciantes.

Economizei alguns lingotes extras para poder experimentar e tentar fazer algumas armas que deram um pouco mais de trabalho. A primeira coisa que eu queria tentar foi fazer uma lâmina que fosse dobrada várias vezes e forjada do começo ao fim.

Segui os passos que minha habilidade de ferreiro imprimiu em minha mente, esquentei um lingote e comecei a martelá-lo assim que começou a brilhar em vermelho. Demorou um pouco, mas enfim consegui deixar a arma com a forma que queria.

A habilidade estava me dizendo que o produto estava completo, então eu o verifiquei. Em suma, era surpreendentemente mediano. Não era terrível, mas também não era ótimo. Era apenas medíocre, o que não podia ser evitado, dado o material de que foi feito. A maior diferença era que, ao contrário das lâminas que eu havia fundido, essa não era uma Espada de Ferro, mas uma Espada de Aço de Qualidade Inferior.

Foi a melhor coisa que pude fazer, considerando meus materiais e habilidades atuais. Ou pelo menos seria se eu continuasse com minha abordagem atual e direta.

Decidi mudar um pouco as coisas enquanto forjava a próxima lâmina. Os materiais em si eram sem brilho e não conseguiam armazenar muita energia mágica, mas a qualidade da lâmina ainda melhoraria se eu a recheasse com o máximo de mana que pudesse. Aproveitei os ossos de alguns dos monstros que planejava usar como estoque e queimei até virarem cinzas antes de misturá-los no metal.

Embora os monstros de onde vieram fossem fracos, ainda assim eram monstros. Como os ossos continham um pouco de mana, eu cogitei que adicioná-los serviria para aumentar a quantidade de mana que a arma poderia armazenar.

Palavra-chave: “cogitei”. Eu não fazia ideia se funcionaria da maneira que eu esperava.

“Hum, na verdade, ficou melhor do que eu esperava.”

Demorou ainda mais tempo para fazê-la do que a lâmina que eu forjei, mas o resultado final foi um pouco melhor que o anterior. Para minha surpresa, a mudança de materiais acabou levando à destruição do meu martelo.

O terceiro tipo de lâmina era uma Espada de Aço Mágico de Qualidade Inferior. Embora eu não tivesse conseguido me livrar do rótulo “Qualidade Inferior”, pelo menos consegui criar aço mágico. Embora fosse minúscula, eu podia sentir um pouco de energia mágica emanando da lâmina. Sua condutividade mágica também era um pouco maior do que todas as outras, pois recebeu um F+ em oposição a um F ou F-.

Em outras palavras, o terceiro tipo de lâmina tinha o potencial de atingir criaturas com corpos etéreos. Mesmo assim, provavelmente levaria centenas de golpes para matar um, uma vez que a arma tinha apenas um pouquinho de energia mágica.

As estatísticas de cada tipo de arma eram as seguintes:

 

Nome: Espada de Ferro
Ataque: 88
MP 0
Durabilidade: 300
Condutividade Mágica: F-
Habilidades: Nenhuma

 

Nome: Espada de Aço de Qualidade Inferior
Ataque: 114
MP 1
Durabilidade: 380
Condutividade Mágica: F
Habilidades: Nenhuma

 

Nome: Espada de Aço Mágico de Qualidade Inferior
Ataque: 124
MP 10
Durabilidade: 390
Condutividade Mágica: F+
Habilidades: Nenhuma

 

Com isso, decidi transformar todas as demais espadas em Espadas de Aço Mágico de Qualidade Inferior.

E, para efeito de comparação, as espadas do velho Gallus tinham a tendência de parecer muito mais poderosas. Lembrei-me de uma de suas páginas de atributos enquanto trabalhava.

 

Nome: Espada Longa de Aço de Qualidade Superior
Ataque: 398
MP 5
Durabilidade: 600
Condutividade Mágica: F
Habilidades: Nenhuma

 

O pensamento reafirmou o fato de que Gallus era um ferreiro foda demais.

Fran se aproximou enquanto me perdia em pensamentos. A expressão dela parecia um pouco distorcida, e uma das mãos estava pousada no estômago.

— Mestre.

“O que foi?”

— Com fome.

Au

“Ó, merda, já é hora do almoço?”

Eu estava tão perdido em pensamentos que esqueci até da existência da comida; já passava muito do meio-dia.

“Me desculpem. Eu vou fazer algo bem rápido.”

— Obrigada.

A razão pela qual o chefe da vila não havia fornecido o almoço era porque os moradores de Schwarzekatze não faziam essa refeição. Para eles, apenas duas refeições por dia era a norma, apesar do fato de a maioria dos outros homens-fera realizarem três. Só se podia dizer que os moradores estavam vivendo na pobreza.

Provavelmente deveríamos voltar algum tempo depois de encontrar Gallus. De preferência com muitas sementes e mudas a tiracolo.

“Na verdade, eu servirei até curry para compensar vocês.”

— De verdade?

Au?

“Sim, e vocês podem ter o quanto quiserem.”

— No céu.

“Isso é um exagero.”

— Céu do curry, em breve estarei sobre ti. Pois agora vou partir para a terra prometida. —, disse Fran. Ela estava tão feliz que recitou algo que parecia um poema.

Fiquei feliz que ela estivesse de bom humor.

O único problema era que nosso suprimento de curry estava começando a ficar um pouco baixo, uma vez que o servíamos em massa toda vez que acontecia algo. Eu estava muito preocupado que o humor de Fran iria despencar se ficássemos sem.

— Saboroso.

Au!

E não era preciso dizer que eu me sentiria mal por Fran se ela não tivesse como comer sua comida favorita. Por sorte, o lugar em que estávamos agora tinha uma cozinha privada na qual eu poderia trabalhar. Assim, decidi dedicar o resto do meu tempo livre fazendo o máximo possível.


Tradutor:



Notas

[1] O noctambulismo, ou hipnofrenose (sonambulismo para o sono não-REM, ou distúrbio comportamental do sono REM para o sono REM), é um transtorno comportamental do sono (parassonia), durante o qual a pessoa pode desenvolver habilidades motoras simples ou complexas. O sonâmbulo sai da cama e pode andar, urinar, comer, realizar tarefas comuns e mesmo sair de casa, enquanto permanece inconsciente. É difícil de acordar um sonâmbulo, mas, contrariamente à crença popular, não é perigoso fazê-lo, sendo inclusive perigoso não acordá-lo. Contudo, esse despertar deve ser feito com cautela, já que alguns sonâmbulos podem ficar confusos e até mesmo violentos.

[2] Na metalurgia, a fundição é o processo de colocar metal líquido em um molde, que contém uma cavidade com a forma desejada, e depois permitir que resfrie e solidifique. A parte solidificada é conhecida como peça fundida, que é tirada do molde ou tem o molde quebrado para completar o processo. A fundição é mais frequentemente usada para fazer peças complexas que seriam difíceis ou mais caras de se fazer por outros métodos. Os processos de fundição são conhecidos há milhares de anos, e amplamente utilizados em esculturas, especialmente em bronze, joias em metais preciosos, armas e ferramentas. As técnicas tradicionais de fundição incluem a fundição por cera perdida, fundição por espuma perdida, fundição em conquilha e fundição em areia. O processo moderno de fundição está dividido em duas categorias principais: fundição dispensáveis ​​e não dispensáveis. Ele é ainda dividido pelo material do molde, tais como areia ou metal, e método de vazamento, tais como por gravidade, a vácuo ou a baixa pressão.



Fontes
Cores