TER – Capítulo 213 – A essência de um Caçador de Dragões


Fermus estava nos causando muitos problemas. Ele havia conseguido repelir nossos ataques físicos e mágicos, e até nos fez usar a carta do doppelganger. Isso o pegou desprevenido pela primeira vez, mas não esperava que funcionasse de novo.

Para piorar a situação, acabamos descobrindo que Fermus era capaz de criar armadilhas com seus fios no meio do combate. Parecia que teríamos que, de alguma forma, tornar seus fios menos difíceis de lidar se quiséssemos sair por cima.

— Explosão Infernal.

“Explosão Infernal! Explosão Infernal! Explosão Infernal!”

Escolhemos lançar vários feitiços à base de fogo na tentativa de queimar os fios de Fermus e desativá-los. Os quatro pilares maciços de chamas se fundiram em uma única explosão maior quando eles se aproximaram e atacaram o caçador de dragões. O ato de concentrar vários feitiços mais fracos em um único ataque mais poderoso foi uma técnica que eu havia copiado da Locutora do Sistema; eu estava emulando o que ela havia feito quando lutamos contra o lich. Minha imitação ainda estava longe de ser perfeita, mas ainda era eficaz o suficiente para merecer o esforço de fazer uma tentativa.

Levamos em conta o fato de que Fermus tentaria atenuar as chamas chicoteando seus fios contra elas. No entanto, não imaginamos que ele optaria por dar sequência a ação mergulhando na tempestade mágica que se aproximava com o braço direito estendido.

Eu não consegui entender suas ações. Eu sabia que ele tinha conseguido reduzir o poder do ataque, mas isso não mudava o fato de termos lançado um total de quatro feitiços contra ele. Para minha surpresa, ele não foi engolido pelos ataques. As chamas haviam se dispersado quando entraram em contato com o punho dele.

Olhar mais de perto me fez perceber que ele realmente usara seus fios para criar uma camada de proteção, uma espécie de luva ou manopla. A combinação de sua habilidade de Resistência a Chamas de alto nível e seus fios resistentes a chamas meio que o tornaram imune aos nossos ataques.

— Você sabe que eles me chamam de caçador de dragões, não sabe? Eu tenho o que você poderia chamar de contramedidas perfeitas para sopros de dragões e qualquer coisa que se pareça com isso.

As palavras de Fermus me fizeram perceber que as chamas com as quais o atacamos se pareciam com os ataques de sopro que os dragões pareciam gostar de lançar. Ele com certeza estava acostumado a lutar com os desgraçados escamosos, então nossos feitiços acabaram significando o mesmo que nada para ele.

Como o fogo não parecia funcionar, mudamos de tática e decidimos atacá-lo com alguns feitiços baseados em vento.

— Cortador de Vento.

“Lança do Tornado. Ventania do Desastre. Tornado Hexagonal.”

Fermus mais uma vez conseguiu permanecer ileso, desta vez, tecendo seus fios em uma rede semelhante a uma teia que acabou fazendo com que os feitiços mudassem suas trajetórias.

Foi preciso vê-lo permanecer ileso para eu perceber que cometi um erro e mais uma vez lancei um ataque que lembrava algo que um dragão faria. Alguns dragões poderiam criar rajadas repentinas de vento batendo as asas, e outros poderiam lançar sopros baseados em vento, em oposição ao fogo.

A resistência do caçador de dragões ao vento e ao fogo serviu para prejudicar nossas ofensivas. Os únicos outros dois tipos de magia que tínhamos em um nível alto o suficiente para danificar alguém tão forte quanto ele eram raio e espaço/tempo.

“Vamos tentar acertá-lo primeiro com alguns feitiços de espaço/tempo.”

Atacar com a magia do espaço/tempo teria soado uma boa ideia, se não fosse pelo fato de o elemento não ter tantos feitiços ofensivos. O único que poderíamos usar de verdade era chamado de Espada Dimensional.

Considerando isso, decidimos nos teletransportar várias vezes seguidas para nos aproximarmos dele antes de lançar esse ataque.

A Espada Dimensional era uma técnica elegante, com sua parte justa de vantagens. Ela poderia perfurar qualquer tipo de defesa e atacar apenas o alvo pretendido. Mesmo assim, essa não era uma habilidade ofensiva particularmente boa porque seus pontos fortes vinham com fraquezas para contrabalancear. Ela não causava muitos danos e era dificílima de usar devido à maneira como a mira funcionava. Em outras palavras, usá-la permitiria identificar uma pequena zona predefinida na qual o ataque atuaria; o feitiço falharia por completo em fazer qualquer coisa se seu alvo saísse de sua área de efeito no momento em que ele fosse ativado.

Fermus era do tipo que parecia ficar parado e interceptava os ataques recebidos, em vez de evitá-los, então eu tinha certeza de que seríamos capazes de acertá-lo com ele.

— Já vi esse feitiço antes. Sei como ele funciona.

— Tsk!

Infelizmente, esse acabou não sendo o caso. A experiência de Fermus permitiu que ele identificasse nossa tática e reagisse na mesma hora com uma esquiva.

“Cavar!”

— Eu já contava com algo desse tipo também.

Tentei cavar um buraco embaixo dele para impedir sua capacidade de se mover, mas ele negou essa ação com perfeição, espalhando uma rede de fios por baixo dele e ficando de pé em cima dela.

— E agora, é a minha vez.

— Kuh! Fios no caminho.

Os fios que Fermus preparou acima da arena começaram a se deformar. Eles se torceram e se tornaram lanças finas que vieram voando de todos os lados.

Era um ataque muito problemático de se lidar. Havia tantas pontas afiadas nos atacando que eu não achei que conseguiríamos acompanhar todas elas. E isso era ruim, ruim ao extremo. Fermus tinha entrelaçado os fios com sua energia mágica, então qualquer um que acabasse nos atingindo seria poderoso o suficiente para cortar um membro ou dois.

Por sorte, conseguimos impedir que os ataques aterrissassem implantando uma barreira, mas isso não mudou o fato de termos que ficar o mais atentos possível.

“Isso não está funcionando Fran. Ele não está perdendo nenhum fio. Parece que ele pode fazer quantos quiser, contanto que tenha mana para isso. Precisamos mudar de estratégia. Quanto mais tempo deixarmos isso continuar, maior será nossa desvantagem.”

“Nn! Entendido!”

Nós já tínhamos cortado, queimado e destruído um grande número de fios do velho caçador de dragões, mas o volume que ele tinha em mãos não parecia estar diminuindo de forma alguma. Assumi que ele estava usando sua habilidade de Criação de Fio Mágico ou apenas abusando de uma das propriedades de suas armas. De qualquer forma, o resultado era o mesmo no sentido de que mirarmos em seus fios não estava funcionando.

De qualquer forma, parecia que nossas ações apenas os fizeram proliferar, pois ele ainda podia controlar até os que cortamos. O número total de fios dentro dos limites da barreira havia aumentado e, como resultado, seus ataques começaram a se tornar mais variados em natureza e forma.

“Mestre, usarei magia do relâmpago.”

“Entendido!”

Eu sabia que Fermus poderia dispersar nossos feitiços baseados em raios se ele manipulasse seus fios para fazer isso, mas isso não significava necessariamente que eles eram ineficazes. Tinha que haver um limite para a quantidade de energia elétrica que ele podia lidar de uma vez. Havia uma chance de sermos capazes de acabar com ele se o bombardeássemos com feitiços que continham muito mais poder do que um mero Choque do Trovão.

O Advento do Relâmpago Negro devia ser capaz de destruir por completo suas defesas, mas eu não queria recorrer a isso ainda. Usar essa habilidade faria com que Fran perdesse o status de desperta, então eu queria me agarrar a isso por precaução. Além disso, havia o fato de o ataque não cobrir uma área tão grande. A maior parte do poder do Advento do Relâmpago Negro estava focada em seu alvo, e somente nele.

As circunstâncias atuais pareciam indicar que seria melhor usar ataques que cobrissem uma área maior.

“Martelo de Thor1!”

Lancei um dos feitiços que adquirimos no momento em que a Magia do Relâmpago atingiu o nível 8. O Martelo de Thor era uma técnica que possuía alta potência e um alcance decente. Não era grande o suficiente para ser chamado de um verdadeiro feitiço de área de efeito, mas pelo menos servia aos propósitos que precisávamos, dado o pequeno tamanho da arena.

Um enorme círculo mágico surgiu no topo da arena. Dela desceu um único raio ultragrosso. Era tão poderoso que quase parecia conter toda a força destrutiva que alguém associaria ao deus do relâmpago e ao seu martelo.

Fran era resistente a raios, e eu podia usar o Deslocamento Dimensional sempre que necessário, então Fermus deveria ter sido o único a sofrer algum tipo de dano.

Porém, mais uma vez, por mais difícil que fosse para acreditar, ele não sofreu nada.

O feitiço baseado em raios de alto nível se dispersou ao tocar a fina camada de fios que ele havia erguido para combatê-lo.

— Minhas defesas podem até bloquear os ataques de um dragão do trovão. Não espere quebrá-la com tanta facilidade.

Parecia que Fermus era capaz de negar até ataques baseados em relâmpagos. Ele comparou nosso ataque ao de um dragão do trovão, mas, para ser honesto, para mim, isso não significava nada. Eu nunca tinha visto dragões do trovão nem ouvido nada sobre o quão poderosos eles costumavam ser.

— Tsunami de Mil Fios!

Os fios de Fermus quase pareceram formar uma onda gigantesca quando surgiram em nossa direção.

Havia muitas maneiras de lidar com esse ataque. Eu considerei na mesma hora destruí-lo com poder ou magia, mas Fran tinha outras ideias em mente.

“Passar pelo meio!”

“Claro! Porta Dimensional!

Fermus ficou surpreso ao nos ver passar por sua parede de fios sem darmos muita atenção a isso. Ele reagiu no mesmo instante, tentando colocar um pouco de distância entre nós, mas já era tarde demais.

— Haaah!

Fran já havia se aproximado dele e aberto um buraco em seu torso.

— Mmph?

“Ele substitui seu corpo com uma cópia!”

“Coisas” jorraram da ferida aberta do caçador de dragões. Eu estava esperando que as “coisas” fossem sangue e tripas, mas, na verdade, eram apenas uma série de fios.

O que por fim alcançamos e cortamos não passava de uma marionete feita de fios. Ele usou o momento em que o tsunami bloqueou nossa linha de visão para criar um fantoche. Ele também usou algum tipo de magia para disfarçar isso e fazer parecer com ele. Não pude deixar de ficar impressionado com o quanto ele fez em tão pouco tempo.

Cortamos os fios que nos assaltaram e procuramos a presença de Fermus — apenas para descobrir que ele estava logo atrás de nós.

Ouvimos um som estridente quando alguns fios se estenderam das mãos dele e começaram a se mover para envolver-se no pescoço de Fran. Não havia muitos deles, mas eles eram afiados o suficiente para fazer mais do que apenas cortar a cabeça dela.

— Haah!

Fran se esquivou ao se abaixar e evitou o ataque antes que fosse decapitada, enquanto também mudou para uma pegada invertida e me empurrou direto para baixo de sua axila direita e esfaqueou o homem atrás dela.

— Woah!

Nós o pegamos desprevenido, mas ele conseguiu evitar o ataque, torcendo seu corpo para o lado. Ele então deu prosseguimento ao movimento rotacional e empurrou a parte de baixo do punho enquanto completava uma rotação e mais uma vez enviava uma série de linhas na direção de Fran.

— Raaah!

Fran os cortou e mais uma vez atacou Fermus, desta vez com uma estocada.

Contudo, ela ainda não podia atingi-lo. Os fios dele surgiram sob os pés da garota e os amarraram a fim de detê-la por um momento. Ela teria perdido os pés com o ataque se nossa barreira não tivesse sido invocada. A garota-gato me empurrou com força para frente, mas ele conseguiu evitar minha lâmina dobrando-se para trás e movendo-se sob ela, como faria alguém dançando limbo2.

Foi uma esquiva perfeita, mas também um ato que o expôs a danos. Fran me girou e no mesmo instante atacou o homem agora desprotegido.

No momento em que ele foi atingido, seu corpo começou a fazer coisas que eu só podia considerar fisicamente impossíveis. Eu tinha certeza de que ele não tinha colocado força em seus membros, mas, de alguma forma, ele começou a se mover para a direita. A aceleração foi repentina e quase pareceu surgir do nada.

Eu tive que dar uma segunda olhada para perceber que ele tinha enrolado vários fios ao redor de seu próprio corpo e os usado para arrastá-lo para o lado.

“Parece que enfim conseguimos acertar um golpe.”

— Nn!

Não tínhamos conseguido cortá-lo em um único ataque, mas pelo menos demos duro para chegar aos seus órgãos internos. Foi um pouco lamentável que seus fios tivessem conseguido dispersar a Lâmina Elementar baseada em relâmpago que tínhamos ativado, mas ainda assim, conseguimos machucá-lo.

— Gargh… Torniquete3 de Cem Fios.

“Puta merda, quão versáteis são aqueles malditos fios dele…?”

Fermus enrolou uma série de fios ao longo de sua barriga sangrando. Felizmente, ele não parecia capaz de fazer o que um certo indivíduo de H*nter x Hunt*r poderia no sentido de não conseguir reparar seus nervos, prendendo-os com fios, mas, pelo menos, era capaz de fechar a ferida e parar qualquer sangramento.

Como se não fosse irritante o bastante, as habilidades de Fermus o impediram de sentir dor, o que, por sua vez, significava que seu ferimento não afetaria muito sua capacidade de continuar batalhando, uma vez que ele havia parado o sangramento. Para piorar ainda mais as coisas, ele estava equipado com um Bracelete de Recuperação de HP, em oposição ao Anel da Anulação de Veneno que usou no dia anterior, então ele acabaria se curando se lhe déssemos tempo suficiente.

Atingir um golpe também aumentou o reconhecimento de Fermus sobre os perigos de nos envolver em um combate corpo a corpo. Por causa disso, ele se afastou mais do que costumava fazer e começou a concentrar sua energia mágica nas pontas dos dedos.

— Você é realmente muito habilidosa. Parece que terei que confiar em uma tática que causa um grau menor de dano à distância. Técnica dos Dez Mil Fios — Ataque do Espírito Cardeal!

Todos os fios do caçador de dragões começaram a se mover ao mesmo tempo para nos atacar. Cada um deles estava imbuído com um dos elementos fundamentais da água, fogo, vento e terra.

Nem o mais forte dos fios conseguia causar mais dano do que um feitiço de nível inferior, mas o grande número deles combinado com o espaço limitado que tínhamos para nos movermos fez com que não pudéssemos evitar receber danos.

— Kuah!

“Cura! Cura! Pequeno Salto!”

De alguma forma, conseguimos evitar que fôssemos pegos em seu ataque ao queimar e cortar os fios que chegavam, enquanto também lançávamos curas e teleportes ocasionais no meio de tudo isso. No entanto, o problema era que nossa mana estava aos poucos começando a se esgotar.

Contudo, o mesmo poderia ser dito para Fermus. A enorme escala de seu ataque consumiu sua energia e mana.

Na verdade, parecia que seríamos capazes de superá-lo se cancelássemos o Ímpeto do Relâmpago Brilhante e o interrompêssemos sempre que ele fosse se recuperar.

Ou assim pensei. Algo acabou acontecendo antes que eu pudesse me dar ao trabalho de pôr em prática o plano para Fran.

— Argh!

“Merda! Cura Superior!”

— Algo… atacando!

“Cu-Cura Superior!”

Cortes profundos apareceram de repente nas pernas de Fran. Eu a curei, mas seus braços acabaram sendo cortados antes que ela se recuperasse por completo.

Eu não conseguia descobrir o que estava acontecendo. A barreira que eu criei não reagiu ao ataque. Os ataques de Fermus pareciam estar atravessando nossas defesas.

“Deslocamento Dimensional!”

Lancei um feitiço que deveria nos permitir um momento para nos recuperarmos.

— Mmph!

“Cura!”

Mas, por alguma razão estranha, ele não conseguiu cumprir seu objetivo. Assim, um corte apareceu na bochecha de Fran. Fermus claramente estava ignorando nossas barreiras e o Deslocamento Dimensional.

Ativei todas as minhas habilidades baseadas em detecção na tentativa de descobrir o que estava nos atingindo. Fazer isso me permitiu detectar que alguns de seus fios estavam realmente passando por nossas defesas e magias enquanto nos agrediam. Suas propriedades pareciam bastante semelhantes às do meu feitiço Espada Dimensional.

Foi isso o que me fez entender. Ele estava fazendo uso do elemento do Espaço/Tempo que acompanhava os Fios de Batalha da Barba da Baleia-Monarca que ele havia equipado.

— Barreira não serve para nada.

“Bom ponto.”

Era literalmente impossível para nós identificarmos e evitarmos todos os fios do elemento de espaço/tempo quando estávamos sendo atacados por tantos outros de aparência semelhante. Da mesma forma, não havia sentido em tentar ganhar tempo com o uso do Deslocamento Dimensional.

Eu notei que ele não nos atacou logo depois que nos teletransportamos e, a partir disso, reconheci que era possível que ele não pudesse criar os fios a qualquer momento. No entanto, eu não poderia dizer que tinha 100% de certeza de que esse era o caso.

Eu realmente não tinha ideia se ele poderia ou não fazer isso. Como resultado, eu não consegui descobrir se seríamos engolidos por seus fios no momento em que nos teletransportássemos. Eu não tinha tempo para refletir sobre isso por mais tempo.

Estava na hora de agir.

“Mestre, usando trunfo!”

“Muito bem, manda ver! Teremos que apostar nisso se quisermos vencer!”


Tradutor:



Notas

[1] Thor é o deus nórdico, dos trovões e das batalhas. Pertence ao clã dos deuses Æsir, e é filho do deus Odin. Thor usa como arma o martelo Mjolnir, e tem o cinto Megingjord, que lhe dobra a força. Está associado aos trovões, relâmpagos, tempestades, árvores de carvalho, força, proteção da humanidade e também a santificação, cura e fertilidade e a guerra.

[2] Limbo é um concurso de dança tradicional que se originou na ilha de Trinidad. O objetivo é passar por baixo de uma barra sem cair ou deslocá-la de seu lugar.

[3] Um garrote, ou torniquete, é um dispositivo usado para barrar a circulação sanguínea, em um membro que sofreu uma lesão provocando hemorragia grave. Pode ser na forma de um elástico, ou improvisado com uma tira de pano estreito que se aperta 5 dedos acima da ferida, respeitando a articulação, quer dando um nó apertado, quer usando um pau que se vai rodando até parar a hemorragia e que permite facilmente desapertá-lo para restabelecer a circulação.



Fontes
Cores