TER – Capítulo 112 – Pão de curry completo!



(Mestre): “Muito bem, eles estão prontos”

A fornada que eu tinha na minha frente parecia quase idêntica ao que eu costumava ver em estabelecimentos quando ainda estava no Japão.

(Fran): “Deixe o teste de sabor comigo”

(Urushi): “Woof, woof, ]latido[, woof!”

Ambos Fran e Urushi se aproximaram com suas caudas abanando no momento que eu tirei o pão de curry do óleo. Eles literalmente nem me deram uma chance de secá-lo. Eles já não comeram seus lanches da tarde? Eu podia jurar que sim…

(Mestre): “Esperem um pouco. Esperem até que o óleo escorra”

(Fran): “Whaaa”

(Urushi): “]Ganido…[“

Ambos impacientemente sentaram diante do produto final que eu acabara de produzir. Sentar assim os encarando não vai fazer o tempo passar mais rápido, sabiam?

Havia três tipos diferentes e seis pedaços de cada tipo para um total de 18 porções. O primeiro tipo era suave e estava recheado com carne suína, seu exterior era o mais simples e parecia ter um tom castanho-avermelhado. O segundo tipo estava recheado com curry de carne bovina ligeiramente picante, e podia ser diferenciada por uma fina camada de pimentão em pó em seu exterior. O último era feito de frango. Diferente dos outros dois, ele foi feito de forma a ser super picante. Além disso, era o único decorado em verde; seu exterior era acentuado por um vegetal parecido com salsinha.

Levou quase quinze minutos para o pão de curry esfriar um pouco e todo o excesso de óleo secar. Curiosamente, nem Fran nem Urushi pareceram ter desviado seus olhares por um único momento.

Eu imediatamente guardei metade deles para que pudéssemos entregar algumas amostras para a Guilda dos Chefs. A outra metade, eu deixei com um certo par de comilões.

(Mestre): “Eles estão prontos agora, vão em frente e ataquem”

(Fran): “Nn!”

(Urushi): “Woof, woof!”

Ambos imediatamente saltaram para o prato no momento que receberam a luz verde.

(Fran): “Yummy, yummy, yummy”

(Urushi): “Ruff, ruff, ruff”

Fran terminou os de carne suína com meras três mordidas. Naturalmente, ela não conseguiu engoli-los imediatamente, então eu a perguntei sobre suas impressões enquanto ela mastigava.

(Mestre): “Como está?”

(Fran): “Ideal. Curry com arroz alcança os céus. Pão de curry ascende ao Nirvana1

(Urushi): “Woof!”

Que diabos ela está dizendo? Nós estamos em um mangá de culinária ou algo do tipo?

Oh, bem, que seja. De qualquer forma, estava delicioso, e isso era tudo o que importava.

(Fran): “Este aqui. Também saboroso”

(Urushi): “Woof”

(Mestre): “Parece que Urushi gostou mais do segundo tipo do que do primeiro. E quanto a você Fran?”

(Fran): “Não posso decidir. Ambos igualmente deliciosos”

Parecia que Fran gostou até do que tinha nível mediano de tempero apimentado. Hmm… e quanto ao mais picante?

(Fran): “Picante. Yummy. Picante”

(Urushi): “Woof, woof, woof!”

Muito bem, parece que isso não ficou tão bom para ela quanto os outros dois. Urushi, por outro lado, gostou mais da opção mais picante.

Hmm… tudo bem, então quanto de cada tipo eu devo fazer? Quer dizer, o super picante não iria agradar a todos, mas eu estava certo que algumas pessoas iriam desejá-lo… espere, e se eu começasse só com as duas opções menos picantes e então oferecer o terceiro tipo no segundo dia? Eu tinha bastante certeza que isso acabaria atraindo mais clientes porque as pessoas começariam a falar sobre nós.

(Mestre): “Ah, bom, de qualquer forma, parece que eles estão muito bons, então vamos embalar tudo e levar para a Guilda dos Chefs

(Fran): “Nn. Entendido”

Nós fomos levados para uma enorme sala subterrânea após chegarmos na Guilda dos Chefs. Seu teto era muito cara e tinha uma aparência sofisticada, mas, por algum motivo estranho, seu tamanho parecia fazer ela parecer mais com uma academia do que com uma instalação cara.

(Recepcionista): “Você poderia por favor colocar todos os ingredientes que você vai usar nesta sala? Nós podemos te acompanhar para buscar seus ingredientes no caso de ser muita coisa. O mesmo se aplica se for difícil demais para você os transportar”

(Fran): “Tudo bem. Sem problemas”

(Recepcionista): “Tem certeza? Eu não acho que será tão eficiente para você ficar indo e vindo mesmo que você tenha uma [Bolsa de Itens]…”

(Fran): “Nn. Pegando ingredientes agora”

(Recepcionista): “Huh? Espere, o quê?”

Fran entrou na sala de mãos vazias, então a recepcionista parecia ter assumido que ela os trouxe com uma [Bolsa de Itens] e deixou o resto em um armazém ou algo assim.

Aparentemente, essa era a forma que a maioria dos outros competidores agia. Eles normalmente chamariam um representante ao invés de ir para a Guilda e levar todos os seus materiais sozinhos.

O choque que a recepcionista teve ao ver Fran puxando item atrás de item de seu Armazenamento Dimensional inicialmente fez com que ela encarasse a cena com um olhar vazio em seu rosto, mas ela rapidamente se recuperou e começou a fazer seu trabalho.

Ela imediatamente começou a usar uma habilidade para estimar o valor do que trouxemos.

(Recepcionista): “Vejamos… vegetais, farinha, um barril de óleo, uma enorme quantidade de temperos, e…”

Ela registrou cada uma de suas observações em um bloco de notas enquanto ela analisava cada um deles.

(Recepcionista): “Isto é água infundida com magia? Que luxuoso. Wow, você tem até carne de Gullinbursti, Apis e Gullinkambi!”

Levou cerca de uma hora para ela anotar tudo. Em suma, nossos ingredientes tinham um valor de aproximadamente 150 mil Gorudo. Se usássemos tudo, nós acabaríamos fazendo cerca de 30 mil porções de pão de curry, o que significava que lucraríamos cinco Gorudo por unidade se mantivéssemos nossos preços em dez Gorudo cada. O custo era na verdade maior do que eu tinha antecipado que seria.

Mesmo assim, não era algo tão ruim. Seria muito pior no Japão, considerando que teríamos que pagar por serviços e todos os tipos de despesas gerais. Mão-de-obra também custava muito mais por lá.

A maioria dos participantes da competição eram Chefs que focavam puramente na busca por sabor. Como resultado, seus custos eram bastante altos, e, naturalmente, os preços de seus produtos acompanhavam o mesmo tipo de tendência. Nossa estratégia, que envolvia vender uma enorme quantidade a um preço baixo, parecia ser muito viável em comparação.

Outro fator importante a se notar era que o cálculo do lucro era um pouco injusto. Ele só incluía ingredientes usados diretamente nos pratos, assim, coisas como mão-de-obra e o custo de nossos sacos de papel eram ignorados e considerados como gastos pessoas, ao contrário de despesas comerciais. Ou seja, os competidores estavam proibidos de agrupar seus pratos com talheres exageradamente caros, pois isso distorceria os resultados em favor de alguém que tivesse muito dinheiro em mãos.

(Recepcionista): “Muito bem, em seguida, precisamos de uma amostra de seu produto, assim podemos julgar suas qualificações”

(Fran): “Nn”

(Recepcionista): “Wow! Que sabor delicioso, porém misterioso, ele tem”

A funcionária parecia ser digna de sua posição, considerando que ela foi capaz de imediatamente reconhecer o sabor do pão de curry como algo incomum. Além disso, a primeira mordida já tinha a levado a concordar em aprovação.

(Recepcionista): “Entendo, então você está planejando oferecer múltiplos sabores. O sabor parece combinar com os ingredientes usados, então você deve estar preparada”

Ela usou sua habilidade Língua de Avaliação para examinar o pão de curry enquanto o comia. Seu efeito era imediatamente identificar cada ingrediente usado em qualquer coisa que ela comesse. Okay, é sério, nós estamos em um mangá de culinária agora? Porque isso era algo que parecia ter sido completamente roubado de um.

A funcionária nos levou para um lugar com uma série de carrinhos e barracas diferentes depois que ela terminou de verificar nossos ingredientes. Todos os participantes tinham escolhido um de vários tipos já preparados pela Guilda.

Nós imediatamente escolhemos um que realmente não tinha uma grande área de preparação. Em vez disso, ele tinha uma enorme área de exibição com espaço suficiente para três vendedores diferentes.

Outro requisito que tínhamos que cumprir era a criação de uma placa que iria ficar pendurada em cima de nossa barraca. A Guilda disse que nós poderíamos criar um design e entregar a eles. Eles cuidariam do resto. O nome de nossa loja seria O Rabo Negro, então nós só desenhamos rapidamente uma cauda de gato negro e colocamos o nome da loja ao lado dela antes de encerrarmos o assunto.

E isso foi tudo. A outra coisa que precisávamos fazer era entregar a receita. Depois disso, nós seríamos prósperos.

(Fran): “Isto”

(Recepcionista): “Certo, a receita. Não se preocupe com ela sendo revelada ao público. Nós somos extremamente cuidadosos e asseguramos que isso não acontecerá”

(Fran): “Nn. Terminamos agora?”

(Recepcionista): “Si-sim, você sim, mas eu tenho que dizer que você realmente trata sua receita despreocupadamente”

(Fran): “Nn?”

(Recepcionista): “A maioria de nossos participantes a guarda em um envelope para garantir que ela não seja vista por nenhum espectador indesejado. Normalmente, eles também são bastante hesitantes sobre entregar suas receitas”

Nós apenas rabiscamos ela em um pedaço de papel e entregamos a eles, então eu acho que faz sentido para a funcionária ficar relativamente confusa.

(Recepcionista): “Eles tendem a ficar especialmente exigentes quando seus pratos são tão únicos e originais quanto o seu”

(Fran): “Não fazendo alarde porque confio na Guilda

(Recepcionista): “É bom ouvir isso. Sua confiança está bem colocada, nós prometemos que faremos nosso melhor para mantê-la protegida”

(Fran): “Então, sem problemas”

Honestamente, não poderíamos nos preocupar menos se a receita acabasse sendo roubada. Em primeiro lugar, ela não era mesmo uma receita original, então eu realmente não sentia o desejo de ser tão reservado sobre isso ou qualquer coisa do tipo.

Quer dizer, nós honestamente a venderíamos por uma boa quantia, porém, nós realmente não precisávamos de mais dinheiro, e nós provavelmente ganharíamos mais ao caçar Feras Demoníacas.

Além disso, eu não via nenhum problema se a receita fosse revelada. Na verdade, Fran provavelmente ficaria mais feliz com isso. Adaptações locais certamente levaria a ainda mais variedades, o que, por sua vez, significaria mais curry para ela.

Para resumir, não havia sentido para nós intencionalmente darmos nossa receita de graça, mas realmente não nos importávamos se ela fosse revelada.

(Mestre): “Tudo bem, vamos voltar e começar a preparar tudo”

(Fran): “Nn”

Fantástico. Hora de eu ficar acordado a noite toda e fazer cerca de cinco mil de cada tipo de pão de curry. Eu estava planejando fazer Fran preparar alguns pessoalmente na barraca, mas, honestamente, isso era algo que faríamos apenas para atrair clientes. A maioria do que íamos vender seria feito com antecedência. Dessa forma, nós não teríamos que nos preocupar com nossos suprimentos acabando.

Quer dizer, normalmente, você estaria preocupado com o excesso de comida sendo desperdiçado, mas isso não se aplicava a nós. Nós poderíamos manter tudo armazenado por quanto tempo quiséssemos, e nem Urushi nem Fran se importariam em manter alguns aperitivos.

(Colbert): “Oras, se não é a Senhorita Fran!”

(Fran): “Colbert? Aqui, por quê?”

Colbert nos chamou no momento que deixamos o porão da Guilda dos Chefs e voltamos para o saguão2.

(Colbert): “Eu estava procurando por você! A competição vai começar amanhã, então eu gostaria de saber se você precisa de alguma ajuda”

Você poderia dizer com apenas um olhar que ele estava transbordando com animação e motivação.

(Colbert): “Eu posso te dizer com certeza que eu quero apenas ajudar! Eu jamais estaria esperando uma oportunidade para ser capaz de experimentar um pouco da culinária do Mestre. Jamais”

Oh, então é isso o que ele estava procurando. Bom, eu acho que isso é justo. Eu não me incomodo em alimentá-lo um pouco se isso for o suficiente para ele nos dar uma mão.

[Fran]: (“Mestre, o que fazer?”)

(Mestre): “Quem sabe devemos perguntar se ele conhece alguém que poderia nos ajudar com as vendas?”

Eu estava planejando contar com Rengil para nos indicar algumas pessoas, porém, um Aventureiro provavelmente seria ainda melhor, vendo como ele poderia trabalhar tanto como um vendedor quanto um guarda simultaneamente.

(Fran): “Procurando pessoas para ajudar com vendas. Requisito. Bom em matemática. Melhor ainda se puder cozinhar. De preferência, grupo de três”

(Colbert): “Deixe isso comigo! Eu vou encontrar três ajudantes até amanhã de manhã!”

(Fran): “Pago bem”

(Colbert): “Entendido, isso deve deixar as coisas ainda mais fáceis. Eu vou te conseguir a melhor ajuda possível, só espere!”

Muito bem, um problema a menos. Nós ainda tínhamos dois dias até a segunda rodada realmente começar. Enquanto isso, eu vou me certificar de cozinhar o melhor pão de curry do mundo!

(Mestre): “Você quer me ajudar Fran?”

(Fran): “Nn. Vou dar o meu melhor”

(Mestre): “Eu vou deixar a vigilância com você Urushi!”

(Urushi): “Woof, woof!”


Tradutor:



Notas

[1] Nirvana, no Budismo, é o estado de libertação do sofrimento (ou dukkha), uma superação do apego aos sentidos, do material, da existência e da ignorância; a pureza e a transgressão do físico, a qual busca a paz interior e a essência da vida. Segundo os monges shramana é o estado atingido pelos Arahant (seres de elevada estatura espiritual). No Hinduísmo, o Nirvana é um sinônimo de moksha, à libertação do ciclo do renascimento e da morte e à iluminação espiritual, citado em vários textos hindus tântricos, bem como na Bhagavad Gita. Os conceitos hindus e budistas não são equivalentes. O Buda Sidarta Gautama descreveu o Nirvana como um estado de calma, paz, pureza de pensamentos, libertação, transgressão física e de pensamentos, a elevação espiritual, e o acordar à realidade. Alcançando este estado, quebra-se o processo de samsara, interrompendo os contínuos renascimentos. A escola budista Mahayana considera o Bodhi (“acordar” ou “entender”) mais importante que o Nirvana. Para cada escola existem definições diferenciadas do Nirvana e de como este é atingido. A palavra significa literalmente “apagado” (como em uma vela) e refere-se, no contexto budista, a imperturbável serenidade da mente após o desejo, a aversão e a delusão terem sido finalmente extintos.

[2] Colbert é o Aventureiro Rank B que quis comprar um pouco do Dreadnought Destroier de Fran quando ela estava vendendo seus itens para a Guilda no capítulo 103.



Fontes
Cores