TER – Capítulo 102 – Espere, nós pulamos completamente a primeira rodada?



Escutando a crítica do gourmet sobre seu prato favorito, Fran emitiu muito mais sede de sangue do que ela já mostrou no campo de batalha.

Ela chegou até a ativar sua habilidade Intimidação e afunilou isso com toda a sua sede de sangue contra o juiz. Eu estava bem preocupado com o homem. Havia tanta pressão que uma pessoa comum provavelmente desmaiaria, se mijaria, ou talvez algo ainda pior do que as duas opções anteriores combinadas.

(Fran): “Curry. Coisa mais saborosa do mundo”

(Chef): “Bem, eu realmente admito que isso é bem delicioso, mas, definitivamente, não é a coisa mais saborosa no mundo”

Puta merda. Caramba, ele parecia ser um homem de meia-idade, mas, puxa, ele tinha coragem. A sede de sangue de Fran estava longe de fazer com que ele desmaiasse. Na verdade, ele casualmente ergueu uma sobrancelha enquanto a respondia como se isso não fosse nada demais. E eu não queria dizer que ele era naturalmente do tipo de pessoa calma ou algo desse tipo. Ele não estava sendo incompetente e apenas fingindo ser um profissional, e ele não estava apenas despreocupado com este tipo de situação, ele genuinamente não se importava.

Eu acho que é assim que as pessoas que dominaram seu ofício acabam agindo, independentemente de que ocupação seja essa.

(Mestre): “Fran, se acalme”

[Fran]: (“Já estou calma!”)

(Mestre): “Eu só estou dizendo que você deve se acalmar porque você claramente está agitada. Por que você não pergunta o motivo para ele se sentir dessa forma? Você pode ser capaz de aceitar os motivos dele assim que você os entender, então me solte de uma vez!”

(Fran): “Nn. Por quê?”

Ela fez a pergunta com um tom um pouco egoísta. Parecia que Fran já tinha começado a enxergar o homem como um tipo de inimigo. Eu só esperava que ela não acabasse atacando ele.

(Chef): “O sabor do prato em si serve para provar que ele está próximo da conclusão. Há pouco espaço para melhorias em seu sabor, e ele possuí uma fragrância única do tipo que eu nunca tinha provado antes. Eu admitirei que ele foi muito bem produzido. Contudo, isso é tudo. Este prato falha completamente em estabelecer a dignidade de seu criador!”

(Fran): “Dignidade?”

(Chef): “Dignidade se refere ao espírito do Chef, sua paixão e orgulho. Dignidade é algo que todos os Chefs carregam em todos os momentos, é o que deve ser derramado em sua criação. O prato carece do menor senso de dignidade. Ele foi feito com cuidado, mas falha em ir além do reino da culinária caseira”

Sabe, ele na verdade está correto. Tudo o que eu queria era fazer uma comida que Fran achasse deliciosa, e eu nunca pensei em ir além disso. Eu acabei produzindo tudo em massa, e eu fui honestamente cuidadoso o bastante para ter certeza de não deixar nada queimar. Eu realmente nunca pensei em fazer o melhor prato do mundo nem nada do tipo.

Em outras palavras, o produto final era basicamente um prato deito por um amador que, por coincidência, tinha a habilidade necessária para cozinhar. Yeah, este cara, ele realmente sabia das coisas. Eu quase não pude acreditar que ele foi capaz de ver através de mim com tanta facilidade. Fran parecia pensar nele como um tipo de inimigo, mas eu realmente não sentia nenhuma hostilidade contra ele. Na verdade, eu diria que pensava nele como uma pessoa realmente incrível.

(Fran): “Grrr”

Fran resmungou em resposta as palavras do homem.

(Chef): “Bom, de qualquer forma, uma aprovação é uma aprovação. Eu aceitarei a pessoa que você chama de Mestre na Guilda, embora eu tenha pouquíssimas expectativas nele”

(Fran): “Não reconhecerei”

(Chef): “Oh?”

(Fran): “Curry é o melhor. Absolutamente o melhor. Próxima vez, farei você admitir isso”

(Chef): “Essa é uma declaração interessante. Entretanto, eu sou um pouco mais ocupado do que pareço. Você não será capaz de me mostrar seu prato sempre que quiser, especialmente vendo como eu vou ficar ainda mais ocupado do que o normal a partir de amanhã”

(Fran): “Mrrrgghhh”

Eh, nós fomos aprovados, então, que seja. Isso realmente não importa mais, importa?

[Fran]: (“Importa!”)

(Mestre): “Não há o que fazer. Ele também tem coisas para fazer”

[Fran]: (“Curry é a melhor comida. Me recuso a reconhecer qualquer outra. Preciso provar”)

(Mestre): “Bem, tudo bem. Se é isso o que você quer”

(Fran): “Como encontro você?”

(Chef): “Hmm… bom, se você quiser que eu avalie outro prato, então por que você não se registra nisto?”

(Fran): “Nn”

O gourmet de meia-idade entregou a Fran um panfleto, o cabeçalho dizia “Rei da Culinária – Uma Competição Patrocinada pela Guilda dos Chefs de |Barbola|.

De acordo com o panfleto, a primeira rodada permitia que o competidor levasse seu prato com antecedência para ser julgado. A segunda rodada era uma competição baseada em carrinhos de comida. A última rodada, e o clímax, era supostamente um duelo entre os finalistas dos melhores pratos.

(Chef): “Nós estamos atualmente no meio da primeira rodada. O sabor do prato e a originalidade justificam você passar para a segunda. Se você conseguir chegar até a final, então você poderá me forçar a experimentar seu prato. Eu serei o único juiz da rodada final”

(Fran): “Vou participar!”

(Mestre): “Espere um segundo! Pelo menos me diga algo antes de ir declarando isso!”

A segunda rodada consistia em preparar um carrinho de comida, e Fran não era exatamente o que você poderia chamar de vendedora modelo. Além disso, o velhote não iria realmente experimentar nada até que chegássemos as finais, e isso não faria sentido para mim, já que eu não poderia aparecer em pessoa. A própria Fran não podia fazer curry, então eu provavelmente teria que fazer isso, a menos que ela estivesse planejando aprender como fazê-lo? Eu duvidava que seríamos capazes de usar qualquer tipo de truque considerando o paladar dele, e isto realmente estava longe de ser algo que poderia ser realizado com força bruta.

[Fran]: (“Definitivamente participarei”)

(Mestre): “Todas as pessoas que entram são aqueles com grandes habilidades na cozinha. Você realmente acha que seremos capazes de chegar até as finais?”

[Fran]: (“Sem preocupações. Mestre definitivamente pode fazer isso”)

(Mestre): “Estou feliz por escutar você dizer isso, mas…”

Honestamente, eu não achava que a ideia de chegar nas finais era tão realista assim. Uma boa parcela dos participantes provavelmente era de pessoas que eram Chefs a décadas, e eu imaginava que seria justo concluir que a maioria deles era extremamente boa no que fazia.

[Fran]: (“Recuso a recuar ou perder. Curry igual a orgulho”)

(Mestre): “Eu entendi o que você está tentando dizer, porém…”

Eu honestamente não tinha qualquer autoconfiança.

[Fran]: (“Sem preocupações. Acredito em você Mestre”)

(Mestre): “Eu realmente não acho que possa fazer isso. Quero dizer, eu tenho a habilidade no máximo, mas lá no fundo, eu honestamente sou apenas um amador”

[Fran]: (“Não acredita no meu paladar?”)

(Mestre): “Bom, quer dizer, eu acredito”

Fran realmente gostava de comer. O Level máximo da habilidade Culinária que compartilhávamos só me ajudava a amplificar o paladar dela ainda mais, então ela definitivamente sabia reconhecer um bom sabor, e ela não era do tipo bajuladora. Seus pensamentos e impressões eram genuínos e sua opinião era fiel a isso.

O problema não estava relacionado a nada disso. Todos os problemas vinham de toda essa história de melhor coisa do mundo. Eu mesmo estava com problemas para imaginar o curry como a melhor e maior criação do mundo.

[Fran]: (“Então, acredite em mim que acredita em você Mestre”)

(Mestre): “Que ótima frase você acabou de dizer”

Maldição. Essa estava na terceira posição na minha lista de coisas que eu realmente queria dizer ao menos uma vez. Puxa, estou com inveja! Por que ela tinha que dizer isso!? Argggg, Fran é terrível em momentos como esses.

(Mestre): “Tudo bem, tudo bem. Se você vai chegar ao ponto de dizer algo como isso, então eu não posso mesmo dizer não para você”

[Fran]: (“Então, participação confirmada?”)

(Mestre): “Yeah, vamos conquistar esse torneio”

[Fran]: (“Sim Mestre”)

(Chef): “Qual o problema? Perdeu sua coragem?”

(Fran): “Não. Só ficando animada. Definitivamente vencerei”

(Chef): “Então você irá participar?”

(Fran): “Nn!”

(Chef): “Então leia as regras e assine o documento”

O velhote chamou uma das pessoas responsáveis pela competição e a fez explicar os detalhes relevantes para nós.

A primeira rodada tinha mais de 2.000 participantes, mas apenas vinte seguiriam para a segunda. Nós fomos muito sortudos por instantaneamente sermos escolhidos como um desses vinte.

A segunda rodada iria durar três dias, e sua premissa era ver quem iria lucrar mais com seu carrinho de comida circulando pela cidade e vendendo seu prato. Todos os participantes receberiam cem mil Gorudo como capital inicial. A quantia total de dinheiro dada a cada participante realmente servia como evidência da escala da competição.

Você também tinha permissão para levar seus próprios ingredientes se quisesse. Aparentemente, essa regra foi feita porque alguns dos Chefs só iriam trabalhar com materiais de qualidade superelevada, e cem mil Gorudo não chegaria nem perto do suficiente para o que eles precisavam fazer.

A única condição era que você precisava dizer aos responsáveis da competição com antecedência. Independentemente disso, o custo dos ingredientes ainda seria descontado dos lucros do participante, então isso realmente não criava nenhuma vantagem para aqueles que tinham seus próprios ingredientes. Afinal, o ponto não era apenas vender o máximo possível, era lucrar o máximo.

Os quatro Chefs com os maiores lucros seriam capazes de seguir para a rodada final da competição, na qual cada um deles apresentaria seus melhores pratos.

O vencedor receberia cem mil Gorudo. Honestamente, o prêmio em dinheiro não era tão atraente. Era exatamente a mesma quantia que seria dada para as preparações da segunda rodada. Mas para os Chefs, estava tudo bem. O que importava era a honra e a fama que viriam com a vitória, não o ganho monetário imediato. Aqueles que vencessem, no final das contas, seguiriam a estrada da prosperidade devido ao prestígio que viria do evento. Muitos vencedores de competições anteriores tinham até recebido posições em que respondiam diretamente a Realeza.

(Chef): “A segunda rodada irá começar em três dias, e as finais serão no dia 7 de abril”

O Banquete Lunar estava programado para durar uma semana começando no dia 31 de março, o que significava que as finais aconteceriam no último dia.

(Chef): “Você será capaz de completar todas as preparações necessárias a tempo do evento?”

[Fran]: (“Mestre?”)

(Mestre): “Deve estar tudo bem. Nós vamos dar um jeito nisso”

(Fran): “Nn. Nenhum problema”

(Chef): “Muito bem. Então aqui estão os cem mil Gorudo. Use isso para se preparar para a segunda rodada, e não se deixe levar pela quantia”

(Fran): “Não irei. Você, prepare a corda, aguarde sua derrota”

(Chef): “Eu vou aguardar ansiosamente pelos resultados de seus esforços”

(Fran): “Nn!”

E assim, nós acabamos participando na competição de culinária.

Nós precisávamos de uma cozinha na qual pudéssemos trabalhar. Eles falaram que nós sempre poderíamos usar a que eles tinham a disposição, mas isso significaria que as pessoas me veriam em ação, o que não era exatamente algo bom. Nós precisávamos de um local em que pudéssemos manter o sigilo enquanto preparávamos nossos pratos. Eu também precisava pensar sobre o tipo de curry que eu iria fazer, então nós também precisávamos preparar todos os suprimentos. Felizmente, nós ainda tínhamos toneladas de temperos em mãos.

Contudo, havia um problema. Nós ainda tínhamos uma montanha de coisas para fazer nesse meio tempo. Nós precisávamos passar na Guilda de Aventureiros, encontrar um Alquimista instruído, e também visitar os gêmeos em algum momento.

Eu sabia que tinha dito que conseguiríamos dar um jeito, mas, puxa, realmente parecia que não teríamos tempo o bastante para tudo isto…


Tradutor:




Fontes
Cores