SRVF – Volume 6 – Capítulo 8


— Ho ho ho, por favor, coma um pouco mais.

Eu tinha acabado de tomar o café da manhã quando o Velho Moran se aproximou de mim com um enorme sorriso e uma bandeja cheia de comida. Hoje ele deveria me ensinar o terceiro nível do processo para completar o feitiço  — o de expulsar toda a energia mágica. Em seguida, surgiu Petel com um brilhante sorriso ao carregar uma enorme tigela de sopa. Não tinha como eu beber aquilo depois de ter comido tanto. Os dois continuavam trazendo mais e mais comida…

“Eu não acho que eles ficaram senis ainda, então deve ter alguma coisa rolando aqui.”

— Ei, Moran-ji. Essa não é a comida preciosa que o Petel teve de coletar? Está tudo bem mesmo eu comer tudo de uma vez?

— Hohoho, está tudo bem, Jovem Mestre, está tudo bem.

“Mas que cara risonha é essa? Isso está me dando calafrios.”

— Não se preocupe, nari. Eu tenho muita, muita comida para lhe servir, nari.

“Mas que sorriso horripilante!”

Eu hesitei porque não tinha mais apetite, mas de repente, Eliza saiu da cozinha usando um lindo avental. Aparentemente ela estava preparando a comida enquanto o Velho Moran a carregava. Olhando para mim e dando uma piscada, ela apertou o seu bíceps, apelando para que eu terminasse os pratos na mesa. Ou será que ela estava se vangloriando de suas habilidades culinárias? Eliza claramente estava a par do assunto. Eu sabia que antes de me deitar eles tinham planejado algo ontem à noite e agora parecia que estavam colocando isso em prática. A parte inquietante era que não falaram nada para mim…

— Tem alguma relação entre o treinamento e toda essa comida?

Bem, essa foi a única explicação que pude pensar. Caso contrário, certamente eles não estariam desperdiçando seu tempo cozinhando tão devagar enquanto nós corríamos contra o tempo. O estoque de alimentos também era limitado.

— Hohoho! Vamos, coma, coma.

“Assustador!”

Achei melhor não perguntar mais nada, afinal eles com certeza iriam me contar tudo mais tarde. Nesse caso, eu ficarei quieto e comerei obedientemente. Como fazia pouco tempo desde que tomei o café da manhã, meu ritmo não seria muito rápido, no entanto, eu conseguiria aumentá-lo se me esforçasse. Além do mais, a comida de Eliza era deliciosa. Fiquei muito surpreso ao ver como sua culinária era boa. Bem, eu não poderia perder isso.

— […].

“Umph, eu já não aguento mais…”

No entanto, o velho Moran continuou trazendo mais no mesmo ritmo e Petel também trazia mais e mais bebidas… Tenho certeza que Eliza estava na parte de trás, cozinhando animadamente. Bem, era melhor eu continuar.

— […].

“Merda, acho que vou vomitar… Ei, espere, e se for esse o significado de ‘expulsar toda a energia mágica?’ Eu deveria vomitar toda essa comida? Isso é estúpido! É dessa forma que vou completar o terceiro passo? As coisas realmente funcionariam tão simples assim?”

— Moran-ji, não dá mais. Acho que vou vomitar.

Certamente, eles tinham algum esquema preparado para depois disso. Decidi contar que estava no meu limite só por precaução.

— Ah, o senhor não deve vomitar. Hmm, acho que ainda precisamos de um pouco mais. E quanto aos doces? Os doces já estão prontos?

— Sim~, estão saindo do forno! — A voz alegre de Eliza ecoou da cozinha.

Doces… Eu poderia lidar com isso. De qualquer modo, não me permitiram vomitar. O mistério estava ficando mais profundo.

— Tome uma deliciosa sobremesa após a refeição~♪ Batatas assadas!

“Blech… Batatas como sobremesa!? Não, não, não, não! Deve haver opções melhores para a sobremesa! Por que batatas? Eu não vou aguentar comer isso!

— Kururi-sama, estou decidida a ser uma pessoa mais sincera e parar de me esconder atrás de mentiras. A verdade é que eu… eu amo batatas mais do que qualquer outro alimento neste mundo!

— …Certo.

Eu já sabia. Eu já sabia disso há algum tempo.

— Então… Hoje eu coloquei todo o meu coração e alma ao preparar estas. Esse também é um novo passo para mim. Por favor, aproveite-as!

“Uhgh! Agora não tenho escolha a não ser forçar isso a entrar.O espaço disponível em meu estômago era zero e agora eu tinha que empurrar as batatas para dentro! O pior é que elas são extragrandes! Onde é que diabos ela tirou isso?”

“…Blarghh.”

Vou começar dizendo os resultados. Eu venci as batatas, no entanto, uma quantidade inacreditável de água escorreu dos meus olhos e nariz. Quanto ao que estava pingava das minhas orelhas… Suor? Por favor, diga-me que era suor!

— As preparações estão completas. Bem, então, por que não fazemos uma pequena caminhada?

Eu estava sob os cuidados de dois velhos quando fui levado para o interior da floresta. Agora que estava totalmente cheio, deveria vomitar tudo isso? Se era o caso, eu desejava que fosse o mais rápido possível. Expulsar tudo para fora de uma única vez!

Caminhamos por um tempo até chegarmos em uma clareira onde as árvores haviam sido cortadas. Não tinha grama ou plantas aqui, deixando a terra exposta. Parecia ter sido feito por mãos humanas. Olhei para os rostos do velho Moran e Petel. Aquele lugar tinha sido claramente preparado por eles.

Quando chegamos mais perto, também pude ver o que mais estava lá. Havia um enorme círculo mágico que eu nunca tinha visto antes esculpido no chão. Sua aparência era sinistra e sugeria que alguém poderia invocar um monstro enorme com aquilo. Eu não estava particularmente bem informado sobre círculos mágicos, mas sabia que, uma vez ativados, continuariam a usar um feitiço automaticamente. Definitivamente iríamos começar o terceiro passo, a expulsão da energia mágica.

— Nós vamos fazer isso aqui?

— Sim, o senhor está certo.

— Ok, então vamos acabar logo com isso.

— Ótimo, por favor, fique no centro do círculo.

Fui para o centro como me pediram e disseram que eu precisava me deitar. Aparentemente era melhor estar relaxado e confortável. O velho Moran e Petel ficaram por perto, nos lados opostos do cículo.

— Jovem Mestre, daqui em diante o senhor irá expulsar toda a energia mágica armazenada dentro de si. O círculo mágico já estava concluído há muito tempo, então Petel e eu só tivemos que desenhá-lo no chão. Este é um círculo importante que vai sugar toda a sua magia.

— Certo, acho que já tenho uma compreensão da coisa.

— Além disso, lamento informá-lo tão tarde, mas isso fará uma carga muito pesada sobre o seu corpo. Infelizmente, o senhor deverá dormir por cerca de uma semana e durante esse tempo, toda o poder mágico que tiver armazenado será expulso de seu corpo.

“Uma semana…? O quê? Foi isso que ele acabou de dizer? Eu tenho que deitar aqui no chão por uma semana!?”

— Hohoho, vamos ativar o círculo mágico…

Os dois colocaram as mãos sobre o círculo e estavam prestes a iniciar o processo de ativação.

— EI, ESPERE! AQUELA COISA TODA DA COMIDA FOI PRA FICAR VEGETANDO AQUI POR UMA SEMANA???

— Hohohohoho…

“Isso é um sim!!! Essa risada foi claramente um reconhecimento! Ah, estou ferrado. Já sinto a minha consciência sumir…”

Quando o cenário começou a desaparecer, senti que Eliza estava se aproximando de mim. No final, vi o rosto dela por um breve segundo antes dos meus olhos se fecharem.

“Bem, contanto que ela fique ao meu lado cuidado de mim até que não é um mal negócio…”

— Não deve haver problemas se deixarmos o Jovem Mestre aqui no chão. Vamos voltar para a cabana e esperar passar uma semana inteira.

— Nesse caso, vamos ter mais uma partida, nari!

— Fufufu. Parece que vocês ainda não aprenderam a escolher bem suas batalhas.

E assim, os três abandonaram o jovem Kururi na floresta e voltaram para casa.

 


Tradutor: Rudeus Greyrat | Revisor: Ma-chan


Se você gostou deste capítulo, CLIQUE AQUI, solucione o Captcha e aguarde

por 5 segundos, assim estará apoiando o tradutor e a equipe de revisores!



Fontes
Cores