SRVF – Volume 5 – Capítulo 6



Depois de terminar o banho, vesti um novo conjunto de roupas, feitos com os materiais mais caros disponíveis no mercado, e segui a atendente até onde Lahsa estava. 

Eu não tinha a menor idéia em que parte do Palácio estávamos, mas a atendente aparentava saber exatamente onde ia. Fui escoltado até a sala de estar, onde confortavelmente estavam Lahsa, tomando chá, e Iris, deslumbrada com o luxo do quarto.

— Iris! Estou feliz que esteja bem! Achei que você tivesse sido sequestrada pelo príncipe Arc. 

— Hehehe, ele não é uma pessoa tão perigosa assim, mas acho que realmente fui salva pelo príncipe Lahsa. Se continuasse naquele ritmo, Arc-sama teria me feito dormir no quarto de uma realeza. 

“Aquele príncipe … ” — Então ele realmente planejava fazer isso.

— Sério, Nii-san não conhece seus próprios limites e isso é terrivelmente preocupante… Por essa razão, decidi cuidar da Iris-san enquanto estiver no castelo já que não há como ela se sentir confortável em um quarto daqueles. Eu queria que o Nii-san tivesse ao menos pensado nisso. 

Você tentou fazer o mesmo comigo também, Lahsa-kun. Bem, os dois realmente estavam relacionados pelo sangue, depois de tudo. 

— Iris-san, ouvi dizer que você queria trabalhar no castelo durante as férias de inverno. Vou tomar providências em relação a isso, então me diga, quando gostaria de começar?

— O mais rápido possível! Ficar neste quarto de graça por mais alguns dias iria partir o meu coração em arrependimento. 

— Hahah, não é para tanto. Mas mesmo assim, vou me preparar para isso assim que puder, então você poderia trabalhar já a partir de amanhã.  

— Mesmo?! Ah, estou feliz, obrigado, príncipe Lahsa! Eu sou tão grata a você quanto ao Kururi e definitivamente vou retribuir esse favor!

— Você também não precisa se preocupar com isso. Estar no mesmo nível que o Aniki é … uma honra imensa. 

Ele acabou corando um pouco no final de suas palavras. Francamente, esse garoto é adorável. 

— Iris-san, tem uma coisa pela qual devo pedir desculpas. Já que você estará trabalhando para nós, eu queria lhe dar um trabalho significativo, mas, como uma condição para tomá-la  de meu irmão, ele me obrigou a lhe empregar no sexto andar do palácio. 

— Hmm? Não me importo com isso, sou completamente grata em como as coisas terminaram. 

— O sexto andar do Palácio é uma área restrita, sendo que publicamente foi anunciado que que só haviam cinco andares. Eu quero pedir a vocês para jamais contar isso a ninguém, pois é o que chamaria de um piso secreto o qual somente pessoas importantes podem entrar. Sinto que deve haver alguma razão importante para que meu irmão esteja querendo colocar a Iris-san para trabalhar lá, mas ainda preciso pedir que façam isso por mim, entenderam? 

“Então o desgraçado do príncipe realmente fez isso, hein? Eu meio que estava brincando quando disse aquilo, mas… que tipo de pessoa é o rei? Ele é do tipo que apoiaria facilmente as decisões do filho?”

Espero que ele seja ao menos um rei majestoso que jamais iria prestar atenção à doce garota que varre o chão. — “Toma essa, príncipe!”

— Ser capaz de trabalhar em um lugar tão incrível, seria ótimo! Sou muito boa em limpar, então deixe comigo! 

— Você dizendo isso tira um fardo pesado de meu peito. Quando estiver cansada, por favor, não esqueça de fazer uma pausa. Claro, também planejei os seus dias de folga. 

— Obrigada!!! — A determinação de Iris era deslumbrante. 

“Eu não vou trabalhar, sabem? E isso não me incomoda de maneira alguma. Comida grátis? Tudo o que puder comer? Não tenho a menor vergonha disso e, em verdade, eu sou uma pessoa que pediria até mesmo uma sobremesa depois! Fuahahahaha!” 

— Estou feliz que esteja contente, Iris-san. Aniki, o que achou de nossa casa? É bem legal, não é? Nós até contratamos o melhor designer para projetar o banho.

— Ah, sim, é bem legal. O banho foi incrível também, no nível que você teria sorte em usar uma vez em toda sua vida. 

… Embora houvesse um esquisitão lá.

— Estou contente que você pense dessa maneira. Os banhos no território Helan eram os mais incríveis que já tinha visto e, quando contei ao meu pai, ele ficou morrendo de vontade de criar um ainda melhor, que até mandou aumentarem a qualidade da água quente. Se você, o Deus da Fonte Termal, está dizendo que o nosso salão de banho é incrível, então deve ser verdade. 

“Deus da Fonte Termal? Eu? Cara, eu tinha me tornado um Deus antes mesmo de me dar conta … Seria pedir demais ser a divindade de alguma coisa um pouquinho mais legal? Tipo, da riqueza? Acho que seria, hein?” 

— Se vocês não estivessem tão cansados, eu adoraria levá-los para um passeio pela capital. Há muitos lugares que quero mostrar. Sério, muitos lugares!

— Seus sentimentos me alcançaram. Provavelmente estarei bem depois de uma noite de descanso, então estarei contando contigo amanhã, Lahsa. 

— Ótimo, então está decidido! Acredito que sei muito bem o que iria lhe agradar, então aguarde ansiosamente por isso!

Ver o Lahsa falando tão alegre, me deixou feliz também. Provavelmente jamais encontrarei alguém que seja tão acolhedor comigo, então eu precisava cuidar muito bem de nossa amizade. 

Depois disso, nós conversamos sobre coisas diferentes e rimos juntos. O que mais atraiu meu interesse, foram as histórias de fantasmas que o Lahsa contou. A Iris parecia não ser muito boa com coisas assim, passando a maior parte do tempo com os ouvidos tapados, mas prestei atenção em tudo até ouvir sobre isso… 

— Desde a construção deste palácio, já se passaram algumas centenas de anos e, durante todo esse tempo, ocorreram vários incidentes estranhos. Claro, desde então, várias reformas ocorreram e novas alas foram sendo adicionadas a ele, apagando completamente este passado sombrio. 

— Hoho? Bem, nas residências dos nobres há inúmeras histórias do tipo, posso realmente esperar algo melhor daqui?

— ……. ah-ahh, eu não posso ouvir vocês~ — Iris fechou os olhos, tapou os ouvidos e começou a cantarolar. 

Achei desnecessário fechar os olhos, afinal, estávamos apenas contando histórias. Mas, bem, agora éramos apenas Lahsa e eu, já poderíamos adicionar as partes indecentes. 

— Então vou contar a história de uma certa mulher hoje. Sobre uma garçonete que ficava muito bem usando um avental branco *tlec* —  Quando Lahsa estalou os dedos, todas as luzes da sala se apagaram e uma única vela se acendeu. 

— HIIII!— Iris, que supostamente deveria estar de olhos fechados, soltou um leve grito.

“Espere, estou mais interessado no truque do que na história! Como foi que ele fez isso!?”

— A mulher se chamava Chauvier. Ela era uma plebéia, mas depois de conseguir um emprego no palácio, dedicou cada dia trabalhando diligentemente. Sua figura bela e digna, trabalhando todos os dias com fervor, chamou bastante atenção e logo ela se tornou uma existência semelhante a uma ídolo no Palácio. 

— * Gulp * — Eu pude ouvir a garganta de Iris.

“Então você está ouvindo?”

 — Sua presença foi se tornando mais e mais conhecida, até que os nobres começaram a visitar com mais frequência o refeitório onde ela trabalhava. Um desses nobres apaixonou-se e confessou seu amor. Chauvie o rejeitou no começo, mas perdeu para o amor do homem e decidiu responder aos seus sentimentos. Ambos eram próximos em idade e logo foram apanhados no ardor da paixão e passaram a viver em seu próprio mundo encantado…  

— Hiiiii .. haa-haa…

Você está completamente atenta, não está? E essa parte nem é assustadora!” — A cara de assustada da Iris era muito interessante, então eu sequer estava ouvindo o Lahsa falar. 

— Mas a felicidade deles não durou muito. O homem pelo qual Chauvier se apaixonou era de uma linhagem nobre apenas no nome e não na riqueza. Assim, o chefe da família pediu ao filho que se casasse com a filha de um rico comerciante, desse modo, o comerciante poderia entrar na nobreza, enquanto a família iria desfrutar de seus recursos. Os arranjos já haviam sido feitos e o homem não tinha nada a dizer. Os dois decidiram se separar porque não tinham escolha, mas o homem deixou o castelo dizendo, “eu nunca me esquecerei de você”. Depois disso, Chauvier não conseguiu conter as lágrimas todas as noites por causa da tristeza.

 — Awawaawaaa — Iris ficou pálida e começou a tremer.

“Por quê?! Ainda não é a parte assustadora! Então tape direito esses ouvidos! ”

— Os dois continuaram vivendo suas vidas, tendo tal destino triste e, antes que alguém percebesse, algumas décadas se passaram. O homem teve filhos com a filha do comerciante e vivia feliz à sua maneira. Mas um dia, ele de repente se lembrou da mulher que amava há muito tempo e saiu a procura da Chauvier. No entanto, ela não estava mais no refeitório …

“Chauvier-san morreu? Hmm? Então essa é uma história de tragédia?”

— Mas o homem não desistiu e procurou por pessoas que a conheciam, por todo o castelo. Por alguma razão, quando ele mencionou esse nome, as pessoas ficaram com medo. ”Por quê? O que aconteceu com ela?”, depois de perguntar por alguns dias, finalmente obteve a resposta. Ele foi informado por uma pessoa que tinha um olhar realmente ameaçador … “Chauvier … não fale desse nome. Algo ruim irá acontecer”. 

Iris começou a ofegar violentamente. — “Ei, você está bem!? Não seria melhor se simplesmente parar de escutar!?”

 — Percebendo que algo havia acontecido, ele caiu em desespero. Ainda assim, para sequer dizer do nome dela, era algum tipo de maldição? Ele também estava com medo, mas não conseguiu parar de pensar nisso, então suprimindo seus temores, foi em busca da verdade. Então ele conheceu… sobre sua aparência completamente alterada.  

A história está entrando em seu clímax. Até eu estava em meu limite agora. Quanto a Iris … já chega disso. Sinto que, apesar de tudo o que diz, na verdade, ela adorava este tipo de coisa. 

— … Chauvier havia se casado com um grande nobre que tinha um trabalho realmente importante no palácio e agora vivia no mais alto luxo. Apenas ouvir o seu nome, Chauvier, a fazia lembrar de seus dias mais comuns, por isso dizê-lo agora era proibido e qualquer um seria punido se não a chamasse de Marquesa. Ele inclusive ouviu que ela riu a ponto de derramar lágrimas, quando descobriu que o nobre com o qual estava namorando era nobre apenas no nome e não tinha qualquer riqueza. O homem, depois de saber a verdade, deixou o Palácio em silêncio …

“Isso é assustador! Em um significado diferente, mas assustador! Eu não conseguirei dormir sabendo que as mulheres são assim!”

A Iris já havia desmaiado. Embora eu duvide muito que ela tenha prestado atenção na história, provavelmente sendo envolvida pelo tom de Lahsa e pela atmosfera do quarto. 

“Ou melhor, era só eu ou mais alguém achou que ela foi quem mais se divertiu?”

 

◇◇◇

 

Depois de ouvir a estranha história do Lahsa, tive dificuldade para adormecer e quando finalmente peguei no sono, fui acordado por um barulho que ecoou pelo vasto quarto.

De repente, acabei lembrando da Chauvier-san. Bem, não foi relacionado a fantasmas ou coisa assim, sendo apenas uma história revelando os horrores da vida no Palácio Real. Mesmo assim, eu timidamente me levantei.

— Tem alguém aí?  

Claro, não houve resposta. Ou melhor, teria sido horrível se alguém respondesse já que tinha certeza de que havia trancado a porta com a chave. Eu me questionava se meu excesso de cautela se deva ao fato de que não estar acostumado a este quarto, mas, quando olhei para a janela, ela estava aberta. 

Isso era um mal sinal, parecia que alguém realmente estava aqui, então coisas assim aconteciam mesmo no Palácio Real? E também, não havia armas ao alcance. — ”Merda, acho que baixei minha guarda demais. Devo chamar alguém? Eles disseram que viriam imediatamente.”

Mas eu não queria fazer um escândalo disso e, mesmo que a outra parte tivesse a intenção de me matar, se eu suportasse o primeiro ataque, tinha confiança de que seria capaz de lidar com a situação.

Cobrindo o meu corpo com magia por via das dúvidas, olhei ao redor do quarto escuro. Diagonalmente à minha vista, a cerca de 5 a 6 metros de distância, senti que havia alguém por trás de um grosso pilar. 

Não me lembrava de ter incorrido na ira de alguém após ter vindo ao palácio, mas apenas no caso, enfiei um travesseiro na minha camisa e saí da cama.

— Saia já daí, ou então vá embora. 

— Você fez bem em me notar. Lhe dou meus parabéns. 

Assim como imaginei, havia alguém atrás do pilar. Eu não tinha certeza se havia ou não, então quando alguém realmente respondeu, quase que minha alma saiu para fora. 

— O que você quer? Não me lembro de fazer nada que pudesse provocar um assassinato. 

— Assassinato? Eu não planejo fazer algo tão chato quanto assassinato. Meu único objetivo é fazer amor! 

“Fazer amor!? Isso é ainda mais perigoso! ”

— Se for esse o caso, então não medirei esforços para proteger a minha castidade. Esteja preparado, pois estou armado e não hesitaria em quebrar seu pescoço! 

— Não blefe para mim, sei muito bem que você está desarmado.

Guuu … Ele havia se preparado bem, no entanto, eu também não lembrava de ter feito qualquer coisa pela qual merecesse ser estuprado. — “… Hã? Essa voz? Poderia ser…”

 — Rail, é você? 

— Sim, sou eu, Kururi-kun. — Ele saiu de trás do pilar, com um sorriso agradável no rosto. 

Ah, tão chato. Eu estava realmente cauteloso e até coloquei um travesseiro na barriga para lutar até a morte pela minha bunda. Este bastardo, estava indo longe demais com suas brincadeiras. 

— O que você veio fazer tão tarde da noite? 

Eu nem sentia mais vontade de ficar com raiva, então apenas perguntei o que ele queria.

— Fazer amor.

Quando comecei a esgana-lo, ele levantou as mãos e começou a dizer a verdade. 

— Eu pretendia fazer uma brincadeira, mas assassinato à noite também é uma das minhas especialidades. Mas mais importante, Kururi-kun, você realmente tem o dom de estar no lugar certo e no momento certo. O palácio vai ficar barulhento a partir de agora, e sua presença vai animar ainda mais o festival.  

— Festival? Não sei do que está falando, mas me deixe fora disso.

— Isso, eu não posso fazer. Desta vez, vim te acordar para dar um aviso. Vou te contar mais dependendo da situação, mas, aproveite seu tempo aqui enquanto puder. Você terá um encontro na capital com o príncipe Lahsa amanhã, certo? 

— Encontro, você diz… Bem, não importa. Ei, espere, como foi que ficou sabendo disso? 

— Fufufu, eu tenho conhecimento sobre muitas coisas. Bem, já está tarde, então irei partir agora. 

— E não venha mais a essa hora!

O cara chato saiu. Pensei que essa seria uma divertida viagem pela capital, mas até agora não aconteceu nada de bom comigo e sinceramente estava começando a sentir que isso iria se transformar em algo verdadeiramente incômodo.

“Ahh… acho que a única coisa boa que posso esperar, será o meu passeio com o Lahsa amanhã.”

 


Tradutor: Rudeus Greyrat | Revisor: Asura-kun


Se você gostou deste capítulo, CLIQUE AQUI, solucione o Captcha e aguarde

por 5 segundos, assim estará apoiando o tradutor e a equipe de revisores!



Fontes
Cores