SRVF – Volume 5 – Capítulo 11



 — Parem já com isso!

Enquanto procurava pela Iris e o Lahsa, avistei um grupo de homens puxando a força o braço de uma mulher. Se tratava de uma doce senhorita ou assim eu presumia, por sua aura, já que não podia ver o seu rosto.

Não porque se tratava de uma mulher bonita, mas sim devido ao forte senso de justiça que incendiava em meu coração, eu precisava aniquilar aqueles canalhas com meus próprios punhos! Por isso, fui imediatamente para onde a estavam arrastando.

— Parem aí mesmo! 

Todos se viraram para mim. Três sem-vergonhas usando acessórios caros e máscaras esplêndidas… — “Sério esses caras precisam aprender comigo, que uso esta maravilhosa máscara de urso e… será que aceitariam trocar comigo???”

— HÃ!? Quem é você!? E qual é a dessa voz estranhamente rouca!?

—  A minha voz ficou assim por causa da jóia mágica, mas, deixando isso de lado, solte imediatamente a garota. Não percebem que ela não está gostando disso?

— HÃ!? Não sei de qual família você é, mas fique fora disso. Não venha chorando depois de descobrir as nossas origens!

— Entendo. Mas me diga uma coisa, por acaso o nome da sua família pode aumentar a sua força física?  

— Mas é claro, idiota! Autoridade é poder! Quer arriscar?

— Você acha que é capaz de nos vencer aqui? Vamos assumir que possa, mas e daí, o que fará em seguida? — O cara que parecia ser o representante dos três colocou-se na minha frente. 

Hã? O que ele espera que eu responda? Não entendi a pergunta.

— Não, apenas pensei que se não pudesse resolver a situação com palavras, tudo que precisava fazer era bater e cada um de vocês e salvar a dama. Só isso.

— Primeiro de tudo, você não é capaz de me vencer. E mesmo que consiga, vai enfrentar uma situação ainda mais dolorosa depois. Entende agora?

— Não, desculpe, não entendo. 

— HÃ!? Está tirando com a minha cara? Não sei de que família caipira você é, mas sei muito bem que é muito inferior a minha! Só de olhar consigo perceber isso! Apenas tente me irritar mesmo que um pouquinho, e irei arruinar a sua casa, fazendo seus descendentes o odiarem para todo sempre! 

— … Perdão, poderia repetir desde o início? 

Eu sabia que ele estava me provocando, mas, devido sua jóia mágica, a voz saía bastante cavernosa, não dando para entender as partes importantes. Além disso, o cara resolveu falar tudo muito rápido. 

— Em resumo, você será executado. E, apenas para que saiba, não aceitarei qualquer pedido de desculpas agora. 

— Hmm… será que poderia tirar a jóia mágica? Não consigo entender o que está falando.  Eu sinto realmente por isso, mas depois de retirá-la, pode repetir tudo outra vez?

Quando eu disso isso, ouvi um estranho som e notei que a máscara que estava usando, havia quebrado, uma dor se espalhou em minha bochecha, indicando que ele havia me socado. Por isso não gosto de máscaras, ela atrapalham muito nosso campo de visão.

— AU! BASTARDO, EU NUNCA VOU TE PERDOAR! — O idiota acabou machucando a mão com os estilhaços da minha máscara.

A minha idéia era tentar resolver isso pacificamente, mas agora tudo estava arruinado. — Bem, a justiça está do meu lado, então tudo bem se eu bater de volta, certo? 

— ESPEREM!

Uma voz estridente chamou a atenção de todos nós. Era a mulher que havia sido arrastada por aqueles caras.

— Kuma-san, eu realmente sinto muito. Não se machuque por mim mais do que isso. Parece que estes nobres são de famílias muito importantes e irão prejudicá-lo se não for embora agora. Eu… farei algo por mim mesma! 

— Você sabe o seu lugar, não é mesmo mulher? Vê? Mesmo ela compreende. Bem, eu não pretendo deixá-lo escapar de qualquer forma.

O líder então retirou sua jóia mágica e eu finalmente pude entender o que estava dizendo. 

— Parece que ele não me dá escolha, embora eu não tinha a menor intenção de deixar as coisas assim.

— … Sinto muito por isso, Kuma-san. 

— Não se preocupe com isso. Foi decisão minha vir.

A mulher atirou longe sua brilhante máscara de plumas e gritou.

— Meu nome é Iris Palala, se vocês querem alvejar alguém que seja eu!

“Fiu”, Pude ouvir um deles assobiando. Vendo a bela face de Iris, eles perceberam que haviam pego um peixe grande.

“… Ei, espere, era a Iris?” — Mesmo com a máscara, esses caras ainda conseguiram o melhor prêmio da festa. 

— Eu me perguntava como um nobre de tão baixo prestígio poderia estar presente no baile de hoje, mas…

Como se estivesse fazendo uma avaliando, o líder do bando olhou cada centímetro do corpo de Iris. Esta linda mulher era minha preciosa amiga e eu não poderia tolerar mais isso, precisando acabar com essa farça agora.

— Seus tolos, vocês foram longe demais! Acho que preciso ensinar a vocês o que é um pouquinho de dor!  

— Por acaso a sua cabeça está cheia de flores além dessa máscara idiota? Muito bem, vou surrar um justiceiro imbecil agora.

— NÃO, KUMA-SAN! 

Ela gritou para nos impedir.

— Kuma-san, apenas saia imediatamente! Eu darei um jeito nas coisas aqui!

 — Um jeito…?

— A autoridade que eles falam honestamente é… assustadora, mas nós temos a razão do nosso lado! Além disso, eles foram os primeiros a bater, então…

Todos esperávamos para ouvir o que ela diria, mas ao invés disso, o que saiu primeiro foram os pés dela, bem na cara. Depois do líder, os outros dois foram facilmente espancados pela Iris.

— … Ughh, acabei exagerando. Eu planejava tentar resolver pacificamente, mas…

— Fufufu, não, isso é exatamente o que gente assim merece,certo?

Removi a máscara quebrada e a jóia mágica também.

— AH, KURURI!? ERA VOCÊ O TEMPO TODO!

— Era, achei aqueles delinquentes quando estava te procurando. Bem, é apenas natural fazer isso com idiotas como aqueles.

— Kururi, me desculpe, por minha causa o seu rosto… está doendo?

— Só um pouquinho. Está frio aqui fora, então entrar. Assim que acharmos o Lahsa,  retornaremos ao Palácio.

— Sim… desculpe…

— EU VI TUDO! — Com a face coberta de sangue, o líder do bando levantou-se e deu um grito.

“Érm… o chute da Iris foi tão forte assim? Acho melhor não provocá-la muito de agora em diante…” 

— Idiota de cabelos vermelhos, jamais esquecerei o seu rosto! Esta humilhação e feridas que me deu, farei com que se arrependa disso!

Tenho algo a dizer sobre isso primeiro… não fui quem te humilhou e feriu! Não fui eu! 

— Bem, já que chegamos a esse ponto, também irei revelar o meu nome. É Kururi Helan, Prazer em conhecê-lo! 

— Fuhahahaha, idiota! Eu estava planejando te pegar logo, mas você me salvou de todos os problemas. Kururi Helan. Minha memória é muito boa, então espero que você também não esqueça o meu. Eu sou Fregen e meu nome de família é…

— Ah, tudo bem, eu não vou lembrar de qualquer maneira … 

E sequer consigo nem ver seu rosto corretamente por causa do sangue. 

— Você se arrependerá disso! Vou contar tudo sobre você para Papai! 

Ah, não, ele vai contar pro papai! — Para um cara com olhar tenebroso e a face toda ensanguentada, essa última frase estragou tudo. 

— Haa… Perdi o interesse.  Vamos embora, Iris. 

— Está tudo bem mesmo? Deixá-los assim. 

— Ah não ligue, se não formos logo ele vai chamar o Papai.

 — Você não deveria …. dizer isso .. Pff! — Ela riu um pouco disso e falou em voz baixa.

 — VOCÊ É UM TOLO! EI GAROTA, POR ACASO ESTÁ RINDO!? NÃO VOU TE PERDOAR, NÃO VOU TE PERDOAR DE JEITO NENHUM! 

— Se vier sozinho, cuido de você a qualquer hora. Até mais. 

Tomando a mão de Iris, enquanto ela hesitava um pouco, saímos do lugar.  O Fre … alguma coisa, ainda estava gritando algo sobre suas feridas e humilhação. — Não fui eu quem te chutou, tá? 

— Me perdoa, Kururi. Eu não consegui me adaptar à festa e ainda causei esse problema… eu sou uma pessoa horrível… 

— Tudo bem. Pode ter sido um assunto sério … Agora, vamos encontrar Lahsa e ir embora. 

— Tem certeza? Eu me sentiria mal se ele estiver se divertindo… 

— Não esquenta. 

Se é o Lahsa então ele deve estar… — Depois de procurar por um tempo com Iris, encontramos alguém que parecia ele. 

— Ei, Kururi, eu me sentiria mal pelo príncipe Lahsa se eu estiver errada, mas acho que… 

— Não, Iris, seu palpite provavelmente está certo. 

Silenciosamente em pé em um canto do corredor, havia um cara bastante pequeno. Sem tomar da bebida em sua mão, ele estava ali parado em um corredor quente, usando uma máscara de falcão.

 — Será….? Pensei que o príncipe Lahsa fosse mais como… você sabe? Que agiria com confiança em lugares assim… 

— Eu não sei muito a respeito, mas ele provavelmente não é bom com lugares assim. Com uma grande multidão se comunicando de forma desordenada. 

— Mesmo um príncipe tem coisas em que é ruim, hein? Acho que sinto uma afinidade com ele maior agora. 

— Não é? Agora que eu penso sobre isso, acho que foi assim também na primeira vez que o conheci…. 

— …Vamos voltar com ele para o Palácio? 

— Vamos. 

Dando a volta sorrateiramente, coloquei minha mão em seu ombro e disse:

— Encontrei você. 

— A …. Anijii… 

“É só impressão minha ou sua voz estava tremendo agora?”

Eu já havia jogado fora a jóia mágica que alterava minha voz para que pudesse me entender imediatamente. Parece que ele estava nos esperando a tempos, o que me fazia querer tê-lo encontrado antes. 

— Vamos voltar.

— Sim! 

Seguimos na mesma carruagem até o Palácio. Talvez porque estávamos saindo de um lugar desconhecido, eu poderia sentir com todo meu corpo aquela atmosfera silenciosa. 

— Pensei que estaria bem se estivesse com vocês, mas, como eu esperava, não adiantou nada. 

— Comigo também foi muito, muito ruim, sabe? Além do mais, ser bom em se entrosar em lugares assim não é algo para se gabar, certo? 

— Bem, é verdade, mas, mas Aniki, você foi capaz de conversar com uma linda mulher. Você é realmente incrível. 

Então você já tinha me descoberto… 

— Sim, ninguém além de você teria essa aparência. 

“O que você quer dizer com ‘essa aparência’? E deixe-me apenas acrescentar, foi quase tudo sugestão da Supatifila-san!”

— Bem, ainda assim, você provavelmente já sabe disso, mas foi um grande fracasso com ela… 

Me pergunto como deveria responder ao olhar acusador dele. Mesmo a Iris estava me olhando agora como se dissesse, “ Hee… então você estava com outras garotas”. — Eu realmente… quero MUITO que vocês parem… não é para isso que as festas servem?

— Fiquei realmente preocupado quando perdi vocês dois de vista… aonde vocês foram sozinhos? 

— Ah … — Iris parecia arrependida, mesmo que não tivesse sido sua culpa. 

— Fomos a um pequeno evento. Parecia divertido, então é uma pena não podermos ter participado. 

— Havia algo assim? Bem, eu não estava muito à vontade, então não faz mal. — Lahsa suspirou, como se estivesse cansado de tudo isso. — Ah, agora que eu mencionei isso, meu irmão também estava lá e parecia estar se encaixando bem naquele tipo de ambiente. Eu deveria aprender alguma coisa com ele. 

— Sim, ele estava. 

— Sério? Queria tê-lo encontrado. 

Essas palavras! Eu quero contar a ele! O Príncipe provavelmente se sentiria muito melhor. 

— Quero tomar uma sopa de soja depois que retornarmos. 

— Boa idéia.

 

 ◇◇◇

 

— Fregen seu bastardo. 

— Hou, essa voz, se não é o príncipe Arc-dono?

Tendo saído para o jardim procurando pela Iris, o Príncipe encontrou Fregen. 

— …Por que você está todo ensanguentado?

 — …Não se importe com isso. Já faz um tempo que não nos vemos, Príncipe. Desde que foi para aquela academia de segunda classe. 

— Não brinque com isso. Aquela é uma escola adequada e com tradição. Além disso, há pessoas interessantes também.

— Apenas um idiota se distanciaria do estilo de vida da capital para tal coisa. 

— … Cara, você está realmente bem? Não consigo me concentrar na conversa com o seu rosto coberto de sangue assim. 

— EU DISSE QUE ESTÁ BEM! ESTOU APENAS DE MAU HUMOR AGORA! TEREI CERTEZA DE EXECUTAR O DESGRAÇADO QUE FEZ ISSO COMIGO, FUAHAHAHAHA!  

Lembrando-se de quando havia “executado” outra pessoa no passado e sentindo uma imensa alegria distorcida disso, ele começou a rir loucamente. 

— Seu mau hábito está aparecendo como sempre. Não importa quanto dinheiro tenha, há coisas que você não deve fazer. Especialmente, na frente dos meus olhos. 

Sendo ameaçado pelo príncipe, a risada diabólica desapareceu. Eles se conheciam a muito tempo e já possuíram um vínculo antes, mas agora sequer poderiam conversar um com o outro. 

— Não é algo relacionado a você, Príncipe. 

— Será mesmo? Dependendo do assunto, posso colocar algumas restrições pessoalmente. 

— Você acha que pode fazer algo a mim…?

 Eles se encararam por um tempo, mas Fregen foi o primeiro a recuar. O príncipe não o deteve, não tinha idéia do que aquele cara faria e certamente não era bom detê-lo à força. Afinal, a família Dartanel era a mais poderosa companhia de comércio da Capital Real.


Tradutor: Rudeus Greyrat | Revisor: Ma-chan


Se você gostou deste capítulo, CLIQUE AQUI, solucione o Captcha e aguarde

por 5 segundos, assim estará apoiando o tradutor e a equipe de revisores!



Fontes
Cores