SRVF – Volume 4 – Capítulo 10



Quando terminei de forjar a primeira espada, fiquei completamente coberto de cinzas. Recentemente tenho estado em boa forma e sentia que havia  alcançado mais um excelente trabalho. Então, como sempre, durante momentos assim… Alguém aparecia para me atrapalhar.

— Desculpe por estar aqui tão tarde da noite, estou entrando.

Aqui vamos nós. A este ponto, eu já havia me acostumado com esse tipo de coisa. Hoje, o Príncipe entrou de novo como se fosse o dono do lugar.

— Por que você está fazendo essa cara? Se quiser, eu posso voltar, sabe? Se você quiser. Olha, eu estou realmente voltando, você está bem com isso?

Ah, tão chato… realmente chato. Espero que a Iris fique de saco cheio de você!” — Claro, eu não disse em voz alta, mas gritei em meu coração.

— Se você falar assim, então não tenho como te botar para fora, tenho? Diga, o que você quer?

— Hoje, eu trouxe algo muito bom, sabe?

Algo muito bom!?”

— Lá vai você, fazendo esse rosto feliz. O que aconteceu com a cara azeda de agora a pouco? Eu queria mostrar as duas para você comparar.

— O que você trouxe?

— Sabe, gente gananciosa geralmente têm algum tipo de medo. Como pensei, você está escondendo alguma coisa importante, não está?

Ele é perspicaz! Embora seja um completo inútil quando se trata de questões amorosas.”

— C-claro que não ~! Você é um Príncipe tão inteligente, atlético e bonito ~. Todos saúdem o Reino Kudan, BANZAI!

— O que há com essa bajulação descarada? Bem, se você fez algo ruim, diga logo de uma vez. se não, será difícil lidar com isso depois. Muito bem, voltando ao presente que eu trouxe.

— É a caixa preta que está segurando em sua mão direita?

O Príncipe tinha uma caixa de couro retangular na mão. Alguma coisa boa estava dentro dela, eu podia sentir o cheiro do dinheiro.

— Está certo. Você foi muito incômodo dizendo “recompensa, recompensa” um tempo atrás, então isso me foi especialmente fornecido. Mesmo entre os nobres e a realeza, apenas um número limitado de pessoas podem comer algo assim, então…! EI! O QUE HÁ COM ESSA EXPRESSÃO CLARAMENTE DESAGRADADA!?

Parece que o Príncipe estava se destacando em ler as minhas expressões ultimamente e, de fato, fiquei muito desapontado em saber que se tratava de comida.

“A recompensa da Família Real era comida, hein? Eu não sou criança! Se você terminar de comer isso, será o fim! Tenho certeza de que há outras coisas no Palácio real! Vasos! Vasos são preferíveis, melhor ainda se for uma pintura. Haa, parece que o Príncipe infantil não é bem informado nesse aspecto.”

— Qual o problema? Você não disse que gostaria de algo que valerá muito no futuro?

— Hã? Estou espantado por você lembrar disso. Se esse é o caso, então por que comida?

— Mesmo sendo comida, é algo extraordinário. Tsc, esqueça, vou te mostrar para que entenda.

O Príncipe cuidadosamente abriu a caixa usando as duas mãos. e no interior… — “Uwaah, isso fede! Isso, o que é essa coisa fedorenta!?”

— O que você acha? Não é incrível?

— É realmente incrível! Incrivelmente fedorento!

Dentro da caixa havia um objeto esférico redondo de cor castanho-claro. Aquilo estava seco e enrugado, emitindo um cheiro intenso semelhante a de um peixe podre. — “Espere um minuto, isso…”

— Príncipe, estamos só nós dois aqui, então não vou tentar enfeitar bonitinho as minhas palavras e falarei de forma sincera…

— Nn?

— Isso.. Isso é cocô, não é?

— NÃO É COCÔ!

— Não, não, não, isso é cocô, não importa como olhe! Do cheiro à aparência! Quem está tentando enganar, colocando-o em uma caixa de alta classe?! Merda é apenas merda!

— Ahh que cara rude. Você quer que eu leve de volta? Eu vou pegar de volta, sabe? Eu realmente vou levar de volta?

Ahh! Essa maneira de falar é injusta! Injusta! Acho que não tenho escolha a não ser pedir a explicação completa agora.”

— Então, o que é isso?

— É um globo ocular.

— Globo ocular?

— Sim, além disso, o globo ocular de um dragão ancião. Se você ferve e beber isso, dizem que pode te deixar alto.

— Deixar alto, você diz… O que é esse cheiro perigoso que tem sido emitido por todo esse tempo, então!?

Deixar ‘alto’, como um certo pó branco? Não, obrigado, eu passo essa.”

— Para ser honesto, não sei muito sobre isso, mas tem um valor impressionante, não há dúvida. Eu passei por um grande problema para conseguir isso, sabe? E o seu preço provavelmente não irá decair. Além disso, ele está bem preservado e não irá apodrecer mais do que isso. Quero dizer, já está bem podre…

— Hmm, acho que vou dar para o meu pai, então acho que irei aceitar essa coisa.

— Ei, ei, realmente vale um preço muito alto, sabe? Bem, o que você faz com isso é problema seu.

Eu realmente não queria armazenar essa coisa suja aqui e seria muito melhor apenas jogar o problema para meu pai resolver. Tinha certeza de que ele aceitaria com gratidão e a comeria imediatamente se eu dissesse que era do Príncipe.

— Na verdade, eu também vim por outro assunto hoje.

— O que é isso, você quer um empréstimo em dinheiro? Tudo bem, eu não me importo de fazer agiotagem.

— Não é isso! Eu quero, ermm… sabe, aquela coisa. Ah, o que foi mesmo? Eu esqueci. Isso é tudo culpa sua, sabe?

— Tenho certeza que é um empréstimo. Tudo bem, você não precisa ficar tímido. O que houve, está viciado em apostas ou algo assim? Que Príncipe problemático você é.

— JÁ FALEI QUE NÃO É ISSO! Ah, sim, lembrei. Você tem várias espadas guardadas, não tem? As quais forjou por si mesmo.

— Sim, elas estão naquele quarto.

— Deixe-me dar uma olhada.

Eu estava me perguntando o que poderia ser, mas ele só queria ver minhas espadas apesar de já ter feito isso antes. Me pergunto o que estava acontecendo… — “Será que o Príncipe irá comprar alguma? Eu realmente gostaria que ele comprasse de mim.”

Sons de farfalhar podiam ser ouvidos da sala ao lado. O que será que estava havendo…? Pelo barulho, ele provavelmente procurava por algo naquela pilha de espadas, mas estávamos falando do Príncipe Arc, então era bom ter em mente que ele poderia não estar fazendo algo de bom… A porta se abriu e o Príncipe voltou segurando três espadas.

— Tenho pensado nisso já a algum tempo… ao contrário das curvas das espadas que o produtor normal faz, por mais difícil que seja para mim admitir… As suas são as mais bonitas.

— Eh? — “O que você disse agora? Bonitas?”

— E também, sua funcionalidade é extremamente boa. Elas são leves, robustas e o equilíbrio é perfeito. Hmm, como pensei, você tem boas habilidades!

“O que é isso do nada? Não é como se eu gostasse de você só por ter me elogiado, sabe!? Isso é mal, estou agindo exatamente como uma donzela.”

“Não fique abalado com os elogios do Príncipe, Kururi! se não, ele vai pensar que você como uma mulher fácil! Ah, isso é mal. Meu coração já está entrando no modo jovem apaixonada.”

— O que um amador saberia disso!? Da ge! — Acabei dizendo algo incompreensível com uma voz amarga.

Para fazer uma coisa vergonhosa como essa… será que eu não poderia esconder meu constrangimento de uma maneira melhor!?”

— Ah, desculpe, eu deveria ter cuidado ao falar sobre essas coisas delicadas para um artesão.

O que é isso? O que há com o Príncipe hoje!? Trazendo um presente, me elogiando e até mesmo sendo educado! Bandeira de morte!? Você vai morrer? Você vai morrer depois que sair daqui!? Por favor, não morra!!!

— Vou levar essas três.

Ah, então você vai levá-las! Você não pode dizer algo como, ‘Dê seu preço, eu irei levá-las’, HÃ!?” — Bem, eu realmente não me importava, pois elas estavam apenas empilhando ali de qualquer maneira.

— Eu não me importo, mas o que pretende fazer com elas?

— Aah, estarei dando elas como um presente para alguém que já me ajudou bastante, sabe?

— Ajudou, é?

— Essa pessoa não gosta de coisas de alto valor, mas por outro lado, eu também não quero prejudicar sua dignidade a presenteando com algo comum da cidade. Assim, depois de ponderar um pouco, lembrei-me das espadas que você tinha forjado e pensei, “Ah, aquelas eram belas espadas”. Eu me senti assim então vim olhar hoje e foi exatamente como o esperado, todas elas são ótimas. Eu não tinha olhado corretamente até agora, mas parece que sua habilidade é real. Se enviar isso, não serei envergonhado e também não é uma daquelas vendidas na cidade.

“Ah, o Príncipe provavelmente vai ser o cara que morrerá depois disso. Ele acabou de montar a bandeira de morte. Ele acabou de se tornar um cara legal demais e eu provavelmente serei o cara que se arrepende, chorando muito após sua morte. Sim, deve ser esse o cenário. Definitivamente.”

— E quem é essa pessoa?

— Alguém conheci na minha infância, quando saí para brincar fora do castelo. Ela ajudou no meu tratamento quando adoeci e ainda me ensinou várias coisas. Foi graças a isso que me tornei o que sou hoje. Verdadeiramente, uma pessoa maravilhosa.

— Então é alguém realmente importante para você, não é, Príncipe?

— Claro! A considero parte de minha família.

Ao que parecia, ele também tinha um lado puro, não, sua personalidade sempre foi assim. Eu me perguntava que tipo de pessoa poderia endireitar o Príncipe, quando ele era um pirralho atrevido. Um irmão mais velho musculoso? Ou talvez, como uma outra mãe? Estaria tudo bem com qualquer um dos dois.

— Por que três espadas, então?

— Bem, uma para defesa pessoal, uma para admiração e outra para preservação.

Que tipo de otaku de armas essa pessoa é?”

— Haa… acho que não tenho escolha. Por favor, leve duas com você, vou me dedicar em forjar uma espada perfeita para autodefesa, então, volte amanhã e a leve.

— Hã? Por quê? Por que você está se incomodando tanto com isso?

— Não vou ficar em paz se essa pessoa acabar se machucando por causa de uma de minhas criações. Eu quero que ela  pelo menos use uma espada na qual confio para autodefesa. Além disso, isso pode ser algum tipo de destino. Se você vai escolher uma das minhas espadas, não posso permitir que seja uma dessas meia-bocas que estavam aí. Não se preocupe, amanhã à noite estará tudo pronto, então, venha e a pegue.

— Compreendo. — O Príncipe murmurou e também disse algo depois que não consegui entender.

Quando estava saindo com as espadas, ele olhou para mim e disse:

— Eu, de alguma forma, sinto que poderíamos ser amigos para uma vida toda. Kururi…. você não vai morrer depois disso, certo?

ESSA FALA É MINHA!”

 


Tradutor: Rudeus Greyrat | Revisor: Ma-chan


Se você gostou deste capítulo, CLIQUE AQUI, solucione o Captcha e aguarde

por 5 segundos, assim estará apoiando o tradutor e a equipe de revisores!



Fontes
Cores