SRVF – Volume 2 – Capitulo 5



Ter um príncipe vindo ao meu território e, em seguida, sair dele com uma aparência tão sombria não seria nada bom. Eu não podia deixar isso acontecer, então tive que impedir o Príncipe Arc de retornar à Capital Real. Se os rumores se espalhassem, iria ser o fim de toda a reputação que fora acumulada até agora. Então, o levei à cidade para tentar animá-lo.

— O que acha da minha cidade? Não é linda?

— Sim, é. — Apenas duas palavras de resposta vieram do Príncipe. Sua pele também estava pálida. 

Quanto tempo vai ficar chateado por causa de ontem, Arc? Vamos lá, não seja assim!

— Vamos lá, olhe ao redor! Há tantas garotas bonitas e adoráveis. Olhe, tem um grupo alí.

Apontei na direção das garotas e realmente havia uma linda jovem fazendo compras. Olhar para o rosto alegre das pessoas, de minha perspectiva como um lorde, era muito agradável. Ver também mulheres jovens fazendo compras e aproveitando as férias era prova de que o meu território estava prosperando. Entretanto hoje não não poderia refletir sobre coisas assim, pois tinha que animar o Príncipe para que Helan continuasse assim.

O Príncipe Arc tinha uma boa aparência além de ser muito inteligente, basicamente ele podia fazer qualquer coisa. Mesmo que ficasse em silêncio e as pessoas apenas o olhassem de longe, ele ainda seria popular. Não havia dúvidas sobre isso.

Meu plano é que o príncipe caminhasse pela cidade fazendo as moças lhe bajularem, assim ele se animaria e por fim retornaria para a Capital. Só para ter certeza, eu também lhe daria uma de nossas orgulhosas melancias para levar de volta, o que tornará sua visita perfeita. Esse pequeno trabalho extra era o que eu teria de fazer como Senhor Feudal.

— Ei, vamos para lá — Apontei para o grupo de moças em pé ao lado de uma barraca e puxei Arc nessa direção.

Essa era uma barraca de acessórios, naturalmente, elas estavam reunidas aqui para comprar coisas. Levei então o Príncipe até a loja e andamos ao redor só para exibir nossos rostos. Depois de fazer isso por um tempo, saímos da loja.

A expressão no rosto das jovens mudou quando nos viram, ficando repentinamente coradas. Uma delas, começou a gritar sobre o Príncipe, seguido por outro grito e, de repente, todas começaram a gritar para ele. Com o clima mudando para melhor, eu secretamente olhei para ver como estava a situação e sem dúvidas, elas estavam interessadas ​​em vir até aqui. Agora, tudo o que tinha à fazer seria esperar que nos chamassem.

— Olá.

Sim, está aqui! Eles morderam a isca! — Dei uma olhada na garota e notei que era linda. Mesmo comparando-a com outras pessoas daqui, ela se destacava. Com certeza o Principe agora esquecerá o incidente com a Iris e irá se divertir no meu território. 

Agora, venha menina linda, ataque o Príncipe Arc!

— Olá, você não é o senhor, Kururi-sama?

— Olá. — O quê? Elas querem falar comigo? 

— Eu sempre lhe admirei, Kururi-sama. Posso apertar sua mão?

— Oh, sim. Claro, tudo bem.

Apertei a mão dela e ela pareceu muito grata, como se tivesse cumprimentado sua celebridade favorita. 

— Com licença, posso também apertar sua mão?

— Oh, sim.

Ela era muito bonita também. Depois, muitas pessoas começaram a se alinhar e queriam apertar minha mão. Sim, por isso mesmo que a vida era boa.

NÃAAO!!!! Eu não vim aqui por isso! — Rapidamente olhei para o Príncipe e vi seus olhos de peixe morto me encarando. 

Por quê!? Por que eu ganhei contra o Príncipe agora?!

O Príncipe era um cara legal e agora estava quieto também. Mas porque eu ganhei essa disputa de popularidade?

— Oh. — Acabei de perceber a razão pela qual o Príncipe perdeu.

Era a nossa diferença de status. Como filho do senhor destas terras e adicionando o fato de minhas aparições públicas contínuas para as reformas no domínio, fez o meu rosto ser muito bem conhecido. A face do Príncipe Arc, que nunca visitara meu domínio antes, não seria facilmente reconhecida pelas pessoas comuns.

Em termos de aparência, o Príncipe ganhava, mas eu definitivamente o superava em termos de personalidade, o que não importava muito quando se tratava de pegar mulheres. Portanto, a diferença aqui estaria em qual face provaria ser a mais conhecida, claro que a minha, considerando que esse era o meu território e foi precisamente devido à essa diferença de status que o Príncipe perdeu. No caso de um homem desconhecido de boa aparência e um homem bonito que será o próximo lorde, ganhar nesta situação era um fato dado para mim. 

Droga!! Mas já é tarde demais. — No entanto, tenho que admirar as mulheres de minhas terras, todas possuem aparência e cérebro. O futuro delas será brilhante e farão seus maridos muito felizes. Mas apenas por hoje vocês não deveriam ter feito isso.

Esta era uma ocasião do nível de Tamanokoshi¹. A garota comum tinha a chance de realmente subir aos céus. Venha, tente olhar claramente!

— … — O Príncipe estava chorando por dentro. Eu não podia mais olhar para isso.

— Sinto muito, mas agora não posso mais lhes cumprimentar. Tenho que mostrar os arredores de Helan para o meu amigo.

— Eh?

Me senti como um artista famoso agora. Eu acenei em despedida à todas, peguei na mão do Príncipe e saí.

— Quando foi que me tornei seu amigo?

— Não está tudo bem te chamar de meu amigo?

— Você com certeza é popular… especialmente com as mulheres….

— … — Senti uma intenção assassina vindo dele, mas ignorei completamente.

— Está certo, você também é popular com Eliza. Leu a carta dela?

 

 

Ah, então você ainda se lembra de ter me dado isso. 

— A carta de Eliza era diferente, foi mais como uma saudação.

A carta basicamente tratava um pouco sobre sua vida diária, que meio que me interessava, mas agora que aprendi sobre isso descobri que o dia-a-dia dela era bem normal.

— Há quanto tempo eu tenho sido um  homem tão lamentável? — O Príncipe se sentou em um banco e olhou para o céu, distraído. 

Não, isso não é bom. Não tenho mais cartas na manga para tentar encorajá-lo. Eu não sei onde os seres humanos cometem o primeiro passo em falso na vida, mas no jogo o Príncipe Arc era um cara deslumbrante. 

— Eliza costumava ficar me seguindo o tempo todo. Me pergunto quando isso mudou.

— Hã?

— Ela sempre me incomodava e me seguia até o ponto de ser irritante. Fiquei com raiva dela muitas vezes, mas talvez não fosse tão ruim assim. Tudo isso parece nostálgico agora e até meio que sinto falta.

— É assim mesmo?

— Ela parou de me perseguir alguns meses atrás. A princípio, me senti aliviado, mas agora penso que naqueles momentos da minha vida foi quando eu era mais deslumbrante.

— A Eliza está apenas ocupada agora.

— É verdade o que dizem, você nunca valoriza algo que tem até o dia em que o perde.

— É isso mesmo?

Se ele começasse a chorar agora e fosse direto para casa em seguida, isso faria a história ganhar um A+.

— Kururi, você com certeza é bom em tudo. Consegue se dar bem com Iris e Eliza. Até quando pretende roubar tudo de mim?

Agora, você está me culpando por isso? Espere, é minha culpa? 

— Você também tem se dado bem com o Rail, não é? Está querendo levar até mesmo meu melhor amigo?

— Não, esse cara é uma história totalmente diferente. — Eu tenho que negar isso imediatamente.

Ficar perto do Rail é muito perigoso para mim. Pode afastá-lo o quanto quiser, se possível. — O Príncipe parecia mais fino a cada segundo.

Isso era possível? Arc nunca deve ter perdido uma disputa antes, especialmente no amor. Vendo um homem que venceu 99 de 100 partidas, finalmente perdeu uma vez. Hahaha, toma essa! Essa é realmente uma Obra A+.

— Vamos cara, se anime. Há muitas garotas nesse mundo, tantas quantas existem peixes no mar.
— Você é popular, então pode dizer isso facilmente.

Dizendo que sou popular, abre as antigas feridas da minha vida passada.

— Primeiro, vamos tentar algo fácil. Por que você não dá um presente para a garota que está interessado?

— Eu sou incapaz de fazer isso neste momento.

Ele provavelmente está pensando em Iris mesmo mesmo.

— A última vez que a dei um presente, ela fez uma expressão desconfortável e acho que pode tê-lo odiado.

— Oh, o que você deu?

— Um colar de diamantes.

— …

— Por que você está em silêncio?

— Hmm…

— QUAL FOI O PROBLEMA DO COLAR!? MEU SENSO DE PRESENTES SE DETERIOROU TANTO ASSIM!?

— Não, por favor, acalme-se.

— Bem, então o quê estava errado!?

— Bem, normalmente, você não dá para uma garota que acabou de conhecer um presente assim. Qualquer um ficaria com medo.

— Eu não entendo… eu não entendo esse tipo de sentimento!

Eu não entendo o sentimento das pessoas. Eu não entendo como os humanos funcionam. Humanos são assustadores ².  

Era uma atitude que parecia continuar. Não havia o que fazer, deixe-me ajudá-lo antes que ele se tornasse uma fera. 

— Eu dei uma flor a uma garota antes e ela ficou muito feliz com o presente.

— Flor… Então eu deveria ter dado um jardim de flores?

— Não, não foi isso que eu quis dizer. Elas também ficarão com medo disso.

— Eu não entendo esse sentimento…

Eu não entendo o sentimento das pessoas. Eu não entendo como os humanos funcionam. Humanos são assustadores. 

— Não, apenas uma ou duas flores são suficientes.

— Uma? Não faz parecer que seu sentimento seja barato?

— Não, não realmente. Uma flor que só cresce em um jardim particular mostrará o esforço e a consideração para a pessoa a quem você está dando. Uma flor como essa existe no meu território.

— Oh, eu entendo esse sentimento!

Humano… Os seres humanos são quentes. Os seres humanos são amigáveis. Os seres humanos se amam. Desculpe, vou parar de tirar sarro do Príncipe.

Após contar à ele sobre isso, Arc me disse para guiá-lo até o local onde flores cresciam, então o conduzi para o maior jardim de meu domínio. Esse lugar teria a flor perfeita.

— O nome da flor é “Hamaio”. Ela possui 6 pétalas diferentes com as cores vermelho, branco, azul, amarelo, verde e rosa. Uma flor muito estranha, que na linguagem das flores significa “que hoje seja um milagre”, apenas encontrando a flor vai permitir que você obtenha a felicidade.

— Oh! Apenas ouvindo, minha energia está voltando. Vou encontrá-la então… Não! Depois que eu encontrar essa flor, é onde tudo começa!

— Sim, essa é a atitude de um bom Príncipe.

— Obrigado, Kururi. Você pode ir agora. Eu quero encontrar esta flor sozinho.

— Ok, boa sorte!
Depois de conversar com o Príncipe, retornei para a mansão e passei meu tempo com meus amigos. Minhas férias ficaram muito melhores, o Lahsa era um cara muito legal, Vaine sempre engraçado e Iris adicionava uma sensação nova. — Que férias maravilhosas! 

Enquanto nos divertíamos, Arc ainda estava procurando pela flor. Brincavamos tanto que meio que havíamos esquecido dele. Três dias depois, ele voltou para mim chorando dizendo que não tinha encontrado a flor. O Príncipe também havia ficado ainda mais magro. 

— Está tudo bem. 

 A primavera do Príncipe pode nunca mais voltar…

 


Tradutor: Rudeus Greyrat | Revisor: Ma-chan


Se você gostou deste capítulo, CLIQUE AQUI, solucione o Captcha e aguarde

por 5 segundos, assim estará apoiando o tradutor e a equipe de revisores!


1 – É o nome de um famoso creme para pele no Japão. Aqui o Kururi faz uma referência à propaganda ⤴
2 – Aqui o Kururi está fazendo uma piada com referência em Astroboy ⤴


Fontes
Cores