SRVF – Volume 2 – Capítulo 4



Um certo dia, Lahsa veio ao nosso território com um olhar alegre. Estava muito feliz que meu parceiro mais jovem tivesse vindo, mas ele não havia sido o único a sair da carruagem.

Hoje de manhã, meu pai estava bem entusiasmado, parecendo ter se acostumado em ter o  Lahsa aqui em casa, passando todas noites da semana anterior falando em como estava contente que alguém da família real viria ao seu território.

A rainha era tão poderosa que meu pai sentia que lidar com ela seria difícil, mas Lahsa naturalmente fez amizade com nossa família por causa de sua bondade. Desse modo, Tou-san o recebia sempre que vinha à nossa casa e às vezes dizia coisas assustadoras como, “Eu desejo que Lahsa-sama assuma o trono”. 

Que terrível! Eu tenho que reformar meu pai antes que ele se envolva em problemas. — Colocamos as melancias que colhemos no rio para mantê-las frias e em seguida, as levamos para a mansão. 

— Espero que Lahsa-sama goste — Disse meu pai sorrindo com algum motivo oculto. 

— Eu também espero.

Ao meio-dia, a carruagem real chegou. Nossos cidadãos já estavam familiarizados com a carruagem real, então não se incomodavam mais com isso, assim ficava mais fácil para o Lahsa vir ao território sempre que quisesse.

— Muito tempo sem nós vermos, Aniki. — Ele disse com um sorriso meigo como sempre. 

— Seja bem-vindo, Lahsa! — Iris, Vaine, meu pai e eu, o cumprimentamos.

Ele e Vaine saudaram um ao outro, parecendo que os dois já se conheciam. 

— Esta pessoa ao seu lado seria sua namorada, Aniki? — Lahsa perguntou, apontando para Iris. 

— Não, não somos. — Neguei imediatamente.

— A propósito, minha intenção era de vir sozinho, mas… bem…— Lahsa falou um pouco hesitante. 

Eu meio que percebi que algo ruim havia acontecido. Na verdade, sabia que alguma coisa desagradável iria brotar nas terras de meu território.

— Eu sinto muito, mas meus irmãos vieram comigo… Maria-neesan foi para a cidade com sua convidada mais cedo, mas meu irmão está na carruagem. — Disse ao se desculpar. 

Não é sua culpa. Seu irmão veio aqui porque não passa de um sem vergonha. — Enquanto pensava isso, acariciei sua cabeça.

Meu pai foi quem mais se surpreendeu ao ouvir essa história. Ele de repente começou a ter uma forte dor de barriga e me disse, — cuide do resto —,  e foi embora para o banheiro, mantendo a sua compostura.

 

 

Estando pronto, o Príncipe Arc saiu da carruagem e murmurou para si, “Oh, então esse é o território Helan”.

— Esse lugar parece bom.

Ele olhou ao redor da paisagem, mas eu sabia muito bem que na verdade estava apenas procurando pela Iris.

— Ei, Kururi Helan, vim aqui como Príncipe Herdeiro para inspecionar o território.

— Obrigado pela consideração.

— Eu não vejo o senhor Toral Helan. Ele não está em Helan?

— Sim ele está, mas teve alguns assuntos urgentes a tratar, mas não se preocupe, cuidarei de tudo que precisar, Príncipe.

— Entendo, agradeço antecipadamente.

Arc começou a assobiar, parecendo inquieto.

— Meu irmão tem estado assim desde que nos aproximamos do território Helan. Ele pode ser um cara problemático, mas obrigado por cuidar dele.

Lahsa pensava assim apenas porque não sabia do real motivo de seu irmão estar agindo dessa maneira. Ter o irmão mais velho agindo de forma estranha, fazia o irmão mais novo ter dificuldades. Ouvi falar de sua irmã, a Primeira Princesa uma vez e seria bom caso ela fosse uma boa pessoa. Desde que não ouço muitos boatos ruins sobre ela, deve ser uma princesa apropriada e excelente irmã. Eu silenciosamente rezei para que ela cuidasse do  Lahsa.

Embora não seja necessário indagar a razão da visita repentina do Príncipe Arc, eu deveria ao menos perguntar formalmente para o caso dele vir aqui para suas obrigações oficiais.

— Por favor, espere em nossa casa com Iris e Vaine, Lahsa-sama. Nós temos uma melancia especial para o senhor que preparamos de antemão. Bem, por que não começamos a vistoria de nosso território, Sua Alteza, Arc-sama?

O Príncipe tremeu um pouco e começou a suar frio, enquanto dizendo, “Ugh”.

Como eu pensava, seus deveres oficiais eram apenas uma desculpa! —  Se ele dissesse que veio aqui para se divertir, eu o teria convidado para relaxar e poderíamos aproveitar nosso dia de folga.

— Obrigado. — Lahsa fez uma reverência e partiu com Iris e Vaine.

Eu não precisava escoltá-lo, pois incluindo o caminho para entrar em nossa casa, ele conhecia bem o nosso território.

O Príncipe Arc e eu fomos deixados para trás. Embora estivesse franzindo a testa, não havia como voltar atrás agora, então  prosseguimos com as formalidades.

— Oh, me disseram para dar isso a você. — Ele disse sem rodeios e me entregou uma carta. 

O remetente era Eliza Deauville. Eu me senti extremamente animado por vi isso. —  Hmm, por que estou tão satisfeito com isso? — Eu não sabia a razão e isso me deixava um pouco incomodado.

Sendo sacudidos pela carruagem que seguia, o Príncipe e eu encarávamos a paisagem já que ambos não tínhamos o que conversar.

— P-por que Iris está, digo, o que Vaine e Iris fazem aqui? — O Príncipe quebrou o silêncio querendo conversar sobre Iris.

— Eles vieram aqui para me visitar. Ah, e trabalhar também.

— Entendo. Trabalhando… — O Príncipe pareceu satisfeito com a resposta.

Estando separados já há algum tempo, eu acreditava que ele tivesse passado o último mês pensando nela e só agora começou a compreender a personalidade da Iris. Eu queria que os dois se dessem bem, mas não queria ter de dar uma mão para alguém tão patético que achava que iria chamar atenção dela agindo de maneira indireta. — Vamos lá, Príncipe! Como você ousa nos visitar agora!

Iris estava obcecada com outro cara no momento. Se ele descobrisse, o que iria fazer? — Não cometa suicídio dentro do nosso território! Estou falando sério!

— Bem, temos uma fruta saborosa chamada melancia em casa. Você se importa de terminar este dever oficial e voltar para a nossa mansão?

— Sim, é uma boa ideia!

O Príncipe então se empolgou, dando continuidade ao seu esquema baratto. Sinceramente eu teria ficado mais contente se ele simplesmente dissesse que queria ir ver a  Iris, assim não precisaríamos passar por toda essa farça.

Quando chegamos em casa, vimos os três comendo melancia no jardim enquanto faziam uma competição de cuspir sementes. Quando nos viu, o Lahsa veio correndo até nós. 

— Vocês já voltaram?

— Sim, mudamos o plano e decidimos vir comer a melancia com vocês.

— Isso soa legal. Vamos comer juntos. Aniki essa fruta que vocês têm aqui em Helan é fantástica!

Ao ouvir isso, não pude mais esperar. Pegando um pedaço de melancia, sentei-me imediatamente ao lado deles, enchi minha boca e cuspi. *Pop!* 

— Olha, consigo cuspir bem longe também! — Iris me imitou. 

Eu queria dizer que não era assim que mulheres deveriam agir, mas ela está se divertindo muito, então deixei para lá. Ter conversas assim era muito legal, mas havia um problema agora.

Nossa ordem de assento era: Arc, Vaine, Iris, Lahsa e eu. No entanto, ela só estava conversando para este lado, na direção onde Lahsa e eu estávamos. 

— O clima aqui é bem agradável.

O Vaine estava quieto comendo sua melancia. Esse era o seu jeito e não havia nada de errado com isso, o problema era o Príncipe Arc, que estava sendo mal-humorado naquele canto.

Penso que ele sempre foi o centro das atenções quando participava de algum grupo, então provavelmente não sabia o que fazer agora, ficando com um olhar solitário. Ele era um cara bonito, então geralmente as garotas brigar pela atenção dele, mas Iris contradiz o senso comum de uma garota normal. 

— V-você vai estar aqui durante as férias inteiras, Iris? — Ele finalmente tomou coragem em participar da conversa.

Suponho que ele teve de lutar muito para chamar atenção, já que o tamanho de Vaine obscurecia sua presença. 

— Sim. — O jeito como ela respondeu foi muito indiferente.

Isso foi muito frio Iris-san! — Arc parecia que iria chorar a qualquer momento. Mais uma vez, ele era bonito, um Príncipe e tinha tudo… mas de alguma forma, agora sentia uma aura ameaçadora vinda dele. De acordo com Rail, o Príncipe estava sempre pendurado em Iris na escola. Talvez ela estivesse incomodada com a situação a ponto de odiá-lo

— A propósito, vocês parecem bem próximos. Iris e  Arc-sama costumam estar sempre juntos na Academia, certo? — Tentei juntar os dois para não interromper a conversa. 

— Certo. Nós conversamos com frequência.— disse o Príncipe com um olhar apaixonado no rosto. 

— Nós apenas temos muitas aulas em comum. — Iris friamente arruinou meu esforço. 

Você deveria parar de vê-la por um tempo, Sr. Príncipe.

— Nos conhecemos apenas hoje, mas você é uma mulher muito charmosa, Iris-san. Eu gostaria de ser seu amigo assim como os outros

— Ah, eu gostaria de ser sua amiga, mas só porque é você, Lahsa-sama.

O sorriso de Iris era como o sol, brilhando enquanto acariciava a cabeça de Lahsa gentilmente. Ela parecia ter tomado gosto por ele que era adorável como um verdadeiro irmãozinho.

— Sim! — Lahsa sorriu feliz. 
Só porque é você, Lahsa-sama”,? A sério? Só porque é ele? Quem mais poderia ser? Eu não quero nem pensar nisso. — Olhando para tal cena, Arc ficou ainda mais próximo de derramar lágrimas. Talvez seja melhor mandá-lo de volta para casa, pois passei a temer que ele cometesse suicídio aqui no Território Helan.

Nosso intercâmbio continuou assim até escurecer.

— Estou indo para casa… — Arc anunciou com seus olhos cheios de lágrimas. 

Ele andava dentro da mansão instavelmente, como um zumbi.

— É perigoso sair à noite. Por favor, espere até amanhã. — Consegui convencê-lo a ficar por uma noite.

— Você deveria entrar em uma fonte termal, assim sua mente irá clarear um pouco.

— Concordo. Eu deveria afundar até as profundesas de uma fonte termal.

Não, não! Você pode se matar quando quiser, mas não faça isso em nosso território! — Deixando-o aos cuidados de um atendente, eu finalmente pude chegar a um lugar de descanso.  Vou dar um mergulho na fonte termal e ir para a cama. Foi um longo dia.

 

◇◇◇

 

A fonte termal acalmou meu corpo e minha alma. Lahsa esperou por mim e decidimos dar um passeio depois do banho.

— O Território Helan é tão bonito como sempre, não é?

Dar um passeio à noite era bom. Eu estava curtindo a beleza da natureza também. 

— Obrigado por cuidar do meu irmão hoje. Eu não deveria ter trazido ele.

— Oh, não. Não fiz nada.

— Mas eu não deveria tê-lo trazido depois de tudo. Também parece que meu irmão gosta da senhorita Iris.

— Ah, eu sei.

— Quero que você cuide de seu próprio coração, Aniki. Você e a Iris-san formam um belo casal. Por favor, faça-a feliz.
— Huh?

Devido seu mal-entendido e observação ultrajante, minha sensação de relaxamento depois de um banho quente foi destruída. 

— Não, eu e ela somos apenas amigos!

— Mas ela vai ficar com você no Território Helan durante as férias, certo? Mesmo que não seja sua namorada?

— Não, ela está aqui para trabalhar. Iris é apenas uma amiga, uma amiga muito querida.

— É assim mesmo? Calculei terrivelmente mal a situação então.

— Sim, você me surpreendeu. Iris é uma garota legal, mas eu não olho para ela como uma pretendente em potencial.

— Francamente! Eu estava preocupado por nada! Agora que estou aliviado me sinto cansado. Vou indo deitar, você vêm?

— Ainda não, ficarei aqui mais um pouco.

Dizendo boa noite um para o outro, nos separamos naquele lugar. Me sentei na grama e aproveitei sozinho a brisa noturna do jardim.

O vento vento estava ótimo, nem frio, tão pouco quente, com as estrelas claramente visíveis no céu e o som relaxante dos grilos cantando. Dentro daquela atmosfera maravilhosa, ouvi alguns passos vindo na minha direção e quando olhei para trás, Iris estava chegando até a mim.

— Você parece relaxado.

— Sim, a brisa está ótima, quer se sentar?

— Claro, obrigada.

Nós olhamos as estrelas sem falar. Já fazia vários meses desde que nos conhecemos, então eu já não ficava mais nervoso por estar com ela. Isso era o quanto nos dávamos bem. 

Eu não achava, que poderia ser amigo de uma garota tão linda e que determinaria o nosso destino. Ela não gostava de estar com Príncipe, mas apreciava passar o tempo comigo. —  Eu me pergunto se o meu triste destino está prestes a mudar. — De repente, pensei sobre essas coisas sob o céu da noite de verão.

— Para dizer a verdade, eu estava ouvindo vocês conversando…

— O quê!? Quando eu estava com o Lahsa!?

— …Sim.

Eu não sabia que ela estava ouvindo, mas já que não falei nada de ruim, então não tem problema…

— Você pensa em mim como uma amiga, não é? Eu às vezes penso como gostaria que o Kururi se apaixonasse por mim.

— Eh, mas… Sr. Lotson era… O QUÊ? O QUÊ VOCÊ QUER DIZER?

 

 

— Tee-hee, só brincando. Bem, eu vou voltar para a cama agora. Boa noite.

—  Ah… boa noite…

Iris voltou para a mansão me deixando para trás, confuso e sem palavras. — O que ela quis dizer? Ela estava apenas me provocando? 

— Talvez… Afinal, o cara de quem ela gosta é Lotson-san.

Relutantemente, também voltei para casa. Não sei porque, mas não consegui dormir naquela noite e fiquei acordado até a manhã seguinte.

 


Tradutor: Rudeus Greyrat | Revisor: Ma-chan


Se você gostou deste capítulo, CLIQUE AQUI, solucione o Captcha e aguarde

por 5 segundos, assim estará apoiando o tradutor e a equipe de revisores!



Fontes
Cores