SRVF – Volume 2 – Capítulo 3



Desde a partida de Lotson-san, Iris tem estado meio… vazia. Sempre que tentávamos falar com ela, sua resposta era apenas “Oh?”  ou “Isso mesmo”, não importava o que disséssemos.

Meu apetite tem diminuído recentemente também, eu simplesmente não conseguia comer nessa atmosfera ruim. Quando chegamos na minha casa, comia cada prato com gosto, mas agora até me esqueço dos horários das refeições. Estive pensando tanto sobre isso que poderia mesmo escrever um poema de como tenho me sentido, apesar de meu coração apertar com essa ideia.

— Ei, Vaine, o que devemos fazer?

— Como eu disse antes, não sei.

Nunca lidei com situações assim, então não tinha ideia do que devia fazer. Além disso, a pessoa em questão não era uma garota qualquer, mas sim, uma donzela apaixonada. Fazer algo imprudente seria equivalente a atacar um javali selvagem e não se pode simplesmente avançar contra uma criatura assim.

Javalis são perigosos e alguns possuem até enormes presas! 
Eu pensaria duas vezes antes de atacar um… — Se eu visse um animal desses, seria melhor relatar aos senhores locais, em vez de fazê-lo sozinho. 

Javalis são perigosos! Não, pera, foco! Não estamos realmente falando sobre um javali aqui.

Se fosse apenas um javali seria muito mais fácil, porque tudo que precisava fazer era caçá-lo com os preparativos adequados e depois se deliciar. No entanto, estamos falando sobre a vida amorosa da garota que deverá se tornar a futura rainha aqui. Esse problema era muito maior que um porco idiota.

Você está realmente apaixonada!? Iris, abra seus olhos!

Pensando nisso, toda vez que Vaine e eu a vemos deprimida, não podíamos deixar de suspirar por algum motivo. Eu queria animá-la, mas não sabia o que fazer.

— Iris, você quer ir para a cidade vizinha comigo? Acredito que o Lotson-san estará lá.

— EH!? O-o-o que quer dizer com isso!? Eu não tenho qualquer razão para ir até lá agora, não é!?

“Eh!?” Essa é a minha fala! — Tentei ajudá-la enquanto o “senhor insensível” (Vaine) do não estava aqui.

Espera! Já sei!

— Na verdade, eu preciso falar com o Lotson-san, sabe? Embora prefiro não ir sozinho…

— Ah, então é assim. Claro, há uma razão agora, não é? — No entanto, recebi apenas uma fraca resposta.

Ei, não é assim que uma mulher apaixonada deveria reagir! Você precisa de mais espírito. Não posso voltar para a escola com você assim ou terei que implorar ao Príncipe para que ele não me mate…

— Kururi! — Fui chamado por Vaine, ao olhar para ele, não deixei de notar o pânico impresso em seu rosto.

Me perguntei o que poderia ser, mas por favor, que não seja um javali selvagem!

Olhei para a direção que ele apontou e, pela janela, pude ver o Lotson-san estava do lado de fora, vindo até a porta da frente.

O furacão humano chegou!!!

Enquanto eu entrava em pânico, Iris aproximou-se para ver do que se tratava a comoção. Vendo do que se tratava ela entrou em choque e depois começou a fazer uma enorme confusão sobre o cabelo, aparência, roupas, coisas assim.

— Ei Kururi, você acha que meu cabelo parece estranho!?

— Está ótimo! No entanto, você está com círculos escuros em volta dos olhos, sabe?

As preocupações do coração de Iris mudaram de direção, a pressão que ela emitia parecia estar tentando me partir ao meio.

— Eeehhhhh!? O que devo fazer!? — Ela começou a correr pela sala, gritando “Ah ~!”  em pânico.

Acalme-se, não se mexa! — Assim que disse a mim mesmo, o som da nossa campainha tocou e foi a primeira vez na minha vida que tremi por causa de uma campainha.

Espere, eu também estou apaixonado?

— Olá, Lotson-san.

Ali estava ninguém menos que uma das pessoas mais dignas que conhecia, Lotson-san.

Hã? Seu rosto parecia um pouco… mais cheio do que antes, não é tão afiado quanto era. — Não, estou apenas imaginando coisas, era o mesmo Lotson-san de sempre. Ele só tinha vinte e poucos anos, no entanto, a maneira como se portava dava uma forte impressão de maturidade. É desnecessário dizer que Iris também veio cumprimentá-lo.

Para nos apressarmos em lhe dar as boas-vindas, ele com certeza era popular agora, não é?

— Você não mudou nada, Kururi-sama.

— Oh, você também, Lotson-san.

— Está na hora dos relatórios periódicos chegarem. Kururi-sama, desta vez são sobre as aldeias que o senhor renovou recentemente. Por favor, continue trabalhando duro a partir de agora.

— É claro, obrigado pela ajuda. — Em mais de uma maneira. — Venha para pensar sobre isso, esta é a primeira vez que precisamos coletar relatórios desde as renovações, não é? A maioria deles deveriam ser documentos sobre contabilidade e administração, mas como você estava regulando tudo, Lotson-san, não acho que tenhamos que nos preocupar muito. O movimento de todo esse dinheiro será bom para nós no final.

— Obrigado pelo louvor, vou me assegurar de colocar ainda mais esforço em meu trabalho para satisfazer suas expectativas, Kururi-sama.

— Bem, você pode relaxar aqui dentro até coletarmos os relatórios.

Ele entrou na casa e desse modo confirmei os documentos que trouxe consigo. Enquanto isso, uma pessoa se deslocou para as sombras atrás de nós, foi nossa governanta, Iris! Não, espere, ela não era a governanta. Não conseguindo lidar com o clima na sala, Vaine já havia fugido.

Abrindo o relatório, revelou uma variedade de documentos e, a propósito, Iris estava espiando por todo lado.

— Kururi-sama, você está me ouvindo?

— Oh, desculpe por isso. Por favor continue.

— Sim, a situação atual da gerência está em sua melhor forma no geral…

As explicações de Lotson-san eram claras e fáceis de entender. No entanto, não conseguia lembrar nada do que ele dizia, principalmente por causa da Iris, que continuava tentando encontrar o momento certo para dizer alguma coisa, mas ficava nervosa e recuava várias vezes. 

Devo permitir que isso continue?

— Por favor, espere um momento. — Parei o relatório de Lotson e enviei meu olhar para trás dele.
— Iris, Lotson-san está me explicando relatório de gestão, isso poderá ajudá-la a desenvolver suas habilidades contábeis. Gostaria de ouvi-lo comigo?

— Eh!? — Depois de ser chamada, Iris começou a entrar em pânico, sem saber o que fazer.

— Vamos, sente-se aqui. — Depois que insisti, ela finalmente recuperou o juízo e caminhou devagar até nós.

O Lotson-san estava sentado à minha frente, enquanto Iris se sentou do meu lado. — Ela escolheu justamente sentar ao meu lado? Será que está com vergonha?

Eventualmente, ela começou a participar da discussão, só que tudo o que falava não entrava na minha cabeça e, por algum motivo, ela só estava falando comigo.

— Esse é o fim do relatório de hoje.

— Obrigado por tudo. Eu não seria capaz de fazer isso sem você, Lotson-san.

— E graças ao senhor que posso me dedicar de coração, Kururi-sama.

— Não, você que é incrível, Lotson-san! — Enfim, Iris conseguiu pronunciar algumas palavras. 

Era uma pena que ela tenha colocado muita força nessa afirmação, apenas o fazendo concordar com a cabeça, “Sim…” Donzelas apaixonadas são criaturas desajeitadas, mas não havia o que fazer quanto a isso.

— Eu voltarei novamente.

Quando ele se levantou, Iris tentou dizer algo em uma voz que não consegui ouvir.

Acho que não não posso deixar as coisas acabarem assim…

— Lotson-san, tudo bem se você quiser ficar um pouco.

— Obrigado, mas vou ter que recusar, ainda tenho muito trabalho para concluir.

— Ei ~! Não seja tão reservado ~. — Agarrei seu ombro e o levei de volta para a cadeira.

— Vou chamar alguém para trazer comida para nós e vocês dois podem conversar um pouco enquanto eu estiver fora.

— …Humildemente aceitarei sua oferta.

Ao me levantar, deixei os dois para trás.

Arranjando a oportunidade perfeita para os dois, eu não sou mesmo incrível? — Enquanto pensava nisso, saí do quarto.

 


◇◇◇

 

— Então você fugiu também? — Quando saí para respirar um pouco de ar fresco, Vaine me avistou enquanto praticava com uma espada.

— Tipo isso. Saí para que eles tivessem algum tempo sozinhos.

— Você com certeza é um cara legal.

— Eu não me sinto como um, no entanto.

Na verdade, eu só queria fugir.

— Me pergunto se as coisas vão dar certo entre eles — Disse Vaine com uma face preocupada.

— Tenho certeza que vão.

Ao nos aproximarmos da janela, pressionamos nossos rostos contra o vidro para ver como eles estavam indo. Não pudemos ouvir o que estavam dizendo, mas pareciam estar se divertindo conversando um com o outro. O sorriso de Iris era deslumbrante. Esse foi o sorriso que o Príncipe Arc sempre sonhou em ver.

Me desculpe Príncipe.

— Parece divertido.

— Sim.

— Nossas preocupações foram em vão.

— Sim, mas não é ruim estarmos espionando eles?

— Provavelmente não é o hobby mais ético.

— Quer treinar comigo um pouco?

— Claro, vamos.

Nós dois então fizemos uma luta simulada pelo que pareceu ser um longo tempo. Dizendo que pensar era desnecessário, Vaine continuou a me atacar. Ele estava certo, então parei esquecendo minhas preocupações inúteis, me concentrei em apreciar o nosso treino.

— Você tem um excelente manejo, Kururi.

— Obrigado, você também não é ruim, Vaine.

Com toda nossa força colocada nas espadas, treinamos até esquecendo sobre tudo mais, lutamos ao máximo que podíamos até que nossa força física estivesse esgotada.

Sim, é assim que os homens fazem as coisas. Não pense em nada, apenas faça o que quiser com força total. Essa é a verdadeira felicidade.
Nossa luta terminou com nós dois a uma considerável distância um do outro, cada um respirando com dificuldade, exaustos.

— *Ofega* Essa foi… uma boa… partida…

— *Ofega*… ah.

 

 

 

 

 

Estávamos sem fôlego, não conseguíamos nem manter uma conversa decente, mas era de certo modo divertido.

É ótimo mover o corpo assim.

Depois que terminamos de elogiar um ao outro, houve um súbito aplauso do outro lado. Olhando naquela direção, Iris e Lotson-san estavam nós observando.

— Lotson-san, desculpe por manter você aqui, pode ir para casa agora. Vocês dois se divertiram?

— Sim, fiquei bastante tempo hoje, então me desculpar agora.

— Tem certeza? Você é livre para vir aqui quando quiser, sabe? Minhas portas estão sempre abertas para você.

Apenas olhando para eles, se podia ver o quão feliz a Iris parecia.

Eu me pergunto o que eles conversaram?

Depois de acompanhá-lo até a saída, nós três voltamos para dentro. Embora não seja bom forçar, eu ainda queria saber um pouco sobre o que tinham conversado.

— Parece que vocês se divertiram bastante, Iris.

— Sim, mas você vai ter que ouvir me ouvir agora. JEu tenho percebido como você é bom em enrolar os outros, senhor Kururi Helan. Já lhe disseram que você é muito desonesto?

Eu empurrei meus dedos em suas bochechas que logo se inflaram em insatisfação e ela pareceu um pouco mais irritada com isso.

O que? Não é como se eu estivesse fazendo isso só para me divertir, sabia?

— Ei, com todo esse treino esotu com fome, que tal irmos jantar depois de um banho?

— Claro. — Iris assentiu vigorosamente.

Ela parecia muito mais alegre agora do que de manhã. Suas expressões estão consideravelmente claras. Eu podia sentir que ainda seríamos capazes de lembrar o que aconteceu hoje por um longo tempo.

 


Tradutor: Rudeus Greyrat | Revisor: Ma-chan


Se você gostou deste capítulo, CLIQUE AQUI, solucione o Captcha e aguarde

por 5 segundos, assim estará apoiando o tradutor e a equipe de revisores!



Fontes
Cores