SRVF – Volume 2 – Capítulo 10



De acordo com os relatos das pessoas, os monstros no domínio aumentaram. Geralmente eu acompanharia um grupo de cavaleiros ou mercenários para subjugar os monstros, mas dessa vez tinha uma equipe composta por pessoas nas quais podia confiar.

Vamos lá chutar o rabo deles!

Iris finalmente tinha se acalmado após o incidente com Lotson, portanto não seria problema trazer ela comigo. Na verdade, acredito que seria ótimo para ela se mover um pouco e sem dúvida alguma, Vaine se juntaria a nós, aumentando a nossa força.

Assim, levei os dois até a floresta para eliminar os monstros.

— Bem, já que somos uma Equipe de 3, seria melhor decidir as posições.

— Eu serei a vanguarda. — Vaine estava pronto para o ataque.

Balançando sua espada de um lado para o outro, ele se mostrava satisfeito em pôr à prova sua esgrima. Com ele na frente não haverá problemas já que, devido ao seu esforço diário, tanto na defesa quanto no ataque, era alguém em quem eu podia confiar.

— Iris, quer estar na vanguarda ou na retaguarda?

— Prefiro ficar na frente também.

— Ok, então protegerei as costas de vocês e darei apoio.

Contrariando sua aparência meiga, Iris era uma maníaca por batalhas, podendo assim,  assumir qualquer posição. Já que ela queria estar na frente, eu não tinha razões para impedi-la.

— Vamos indo?

Assim que entramos na floresta, sentimos uma pressão estranha.

— A floresta está cheia de malícia… Quando esse tipo de coisa acontece, geralmente significa que muitos monstros estão aqui.

Se era Vaine, que sempre saía para caçar monstros, a dizer isso então não havia dúvida de que seria esse o caso. Eu me preparei para a batalha começar a qualquer momento e assim nós três avançávamos lentamente pela floresta.

— Lá. — Havia 3 goblins exatamente onde Vaine apontou.

— Vou sair primeiro e depois Iris cobre a área para capturar qualquer um que escape, enquanto você Kururi, esteja pronto para nos apoiar com magia caso algo aconteça.

“Caso algo aconteça?” Vaine-san, essa é uma bandeira de morte, sabia? Eu não quero que algo aconteça aos meus amigos!

 

 

Quando os goblins nos notaram, vieram atacar de imediato. Vaine balançou sua espada para baixo e matou um deles. Outro tentava golpeá-lo com pressa e o terceiro foi na direção de Iris. Eu também preparei algumas magias apenas no caso de algo acontecer. Vaine ficaria bem, mas era com Iris que eu estava preocupado.

Mantive os olhos em ambos, mas Vaine, como esperado, matou o segundo com um único golpe também, agora eu poderia me concentrar no suporte à Iris. O goblin balançou seu porrete nela, mas sem perder tempo, se esquivou e cortou em direção à cabeça do goblin. 

— EU NÃO SABIA QUE VOCÊ ERA CASADO!!!

A cabeça do goblin voou, mas o mais importante, continuava atacando o cadáver do monstro.

Eu sei que você está chateada, mas não há razão para descontar no coitado.

— Iris, você está bem?

— Uau, isso me ajudou muito. Onde está o próximo?

Hmm… Isso não era apropriado. Ah, entendi! Seria algo como ir ao centro de beisebol no caminho de casa e rebater as bolas com o bastão para aliviar as frustrações!

Nós prosseguimos de um lado ao outro pela floresta e, já que ninguém estava cansado ou ferido, não vi problema em dar continuidade a caçada. Além disso, contratar pessoas para expulsar os monstros custava muito do dinheiro arrecadado pelos impostos dos cidadãos, então, como senhor do território, fiquei muito grato pela ajuda deles.

— Há um Carniçal (Ghoul) a frente!

Imediatamente me preparei após ouvir o aviso de Vaine.

— O que deveríamos fazer? Lutamos ou fugimos? — Vaine fez a pergunta, ao avaliar nossas habilidades e as habilidades do monstro.

Carniçais eram muito perigosos, portanto, não era certo que poderíamos vencer. Ou melhor dizendo, eliminá-lo não seria um problema, mas o risco de alguém acabar sendo envenenado por ele era alto.

— Eu trouxe o antídoto para o veneno, mas não quero desperdiçá-lo à toa. O que vocês acham que devemos fazer?

— Vamos matá-lo!! — Iris disse com paixão para matá-lo.

Eu entendo que você está chateada, mas por favor, tente não nos matar também.

— Ok, mas mesmo que tenhamos o antídoto, tenham cuidado.

— Sim!

— Então eu vou lidar com os ataques e Iris, se ver uma abertura, ataque. Kururi fique preparado se algo acontecer.

Seguimos de acordo com o plano de Vaine e demos um passo de cada vez. Ele bloqueou o ataque do Ghoul com sua espada, Iris atacou rapidamente e eu me preparei para lançar uma magia a qualquer momento.

— NÃO SEJA TÃO LEGAL COM OUTRAS MULHERES SE VOCÊ TEM UMA ESPOSA!!! — A espada de Iris fez com que a cabeça do Ghoul voasse.

Iris … você ainda está nisso? O Lotson-san é gentil com todo mundo, não só com você.

— Iris, o Ghoul ainda está vivo!!

Ouvindo meu aviso e virando para trás, ela cortou o Ghoul no torso.

— QUAL ERA DAQUELE SORRISO QUE TINHA O TEMPO TODO!?— Quando ela disse isso, o Ghoul finalmente parou de se mover. Ela provavelmente estava se lembrando dos momentos divertidos que passou com o Lotoson-san.

Iris, pare de descontar nos monstros. Ah isso é que nem encher a cara depois de uma briga, não é? Você vai até um bar para deixar sair todo ressentimento enquanto bebe.

— Muito bem, vamos continuar!

— Tudo bem.

Antes que percebessemos, Iris começou a liderar enquanto Vaine estava no meio e eu na parte de trás. Ela devia ter acumulado muito estresse com seu coração partido.

— Ei, algo realmente grande está chegando. — Quando fomos bem fundo na floresta, Vaine deu outro aviso.

— Isso é ruim, vamos nos esconder.

Assim, nos escondemos atrás das árvores.

— O que é aquilo, Vaine?

— É um Orc.

— Um Orc!

Um Orc era certamente uma má notícia. Eles são superiores a seres humanos tanto em força quanto em resistência, inteligentes e rápidos com os pés, apesar de sua aparência. Não era um oponente que pudéssemos derrubar facilmente, além disso, podemos não ser capazes de fugir se as coisas ficarem ruins e para piorar, ele estava com um machado.

— É um adversário muito perigoso, acho que devemos voltar por agora.

O que, vamos ter que contratar pessoas? — Minha cabeça estava fazendo os cálculos e dizia que deveríamos caçá-lo.

— O que devemos fazer?

— Vamos matar! — É isso aí, Iris ao resgate! Eu realmente preciso economizar dinheiro.

— Ok… Igual fizemos contra o Carniçal, eu vou bloquear, Iris atacará assim que houver uma abertura e Kururi atacará com magia se houver um bom momento.

— Pode contar comigo!

— Tudo bem.

Encontramos o Orc e o seguimos. Ele tinha 3 metros de altura e considerando os Orcs em geral, esse era pequeno, mas isso não o tornava menos perigoso. Vou tentar matá-lo com um único golpe de magia.

O Orc ainda não estava olhando para nós. Embora o plano de Vaine seja bom, não vamos nos arriscar desnecessariamente, então decidi terminar isso com um único golpe.

Usei uma grande magia de fogo, causando várias queimaduras em seu corpo, entretanto não foi o suficiente para matá-lo e, ao nos avistar, correu em nossa direção. Enquanto ele se aproximava, Vaine tentou atacá-lo, mas acabou sendo arremessado longe derrubando a nossa vanguarda em um segundo.

Aquela coisa acabou de enviar Vaine voando uns 5 metros!? — Como o Orc ainda estava vindo, não tirei os olhos dele, mas pude confirmar visualmente que o Vaine foi ferido, mas estava bem o suficiente para se levantar.

Iris atacou o Orc e os dois trocaram golpes. Usando seu pequeno corpo ela se esquivou do machado, mas não era capaz de mantê-lo ocupado para sempre.

Os movimentos do Orc estavam ficando cada vez mais rápidos, como esperado, era um adversário muito difícil. Iris comprou tempo suficiente para eu lançar outro feitiço. Desse modo, conjurei um feitiço de gelo que rapidamente foi em direção ao Orc. No momento em que o monstro notou, já estava preso até a cintura.

Do meu feitiço, seus movimentos abrandaram completamente até que não pudesse mais se mover. Quando o gelo alcançou os braços, Iris aproveitou a oportunidade para apunhalá-lo no coração, terminando a batalha. Ela não queria cometer o mesmo erro que cometeu com o Carniçal e assim arrancou a cabeça do Orc.

— ADEUS, MEU PRIMEIRO AMOR!!!

Iris, mesmo depois de matar tantos monstros você ainda está lamentando? Eu entendo, mas por favor, pare já com isso! — Dei um suspiro de alívio e fomos até o Vaine. Felizmente parecia que ele só tinha hematomas leves. 

— Fui descuidado.

Vaine, não foi sua culpa, o inimigo é que era muito forte.

— O rosto daquele Orc realmente me irritava. Foi ótimo termos acabado com ele, não concordam? — Disse Iris quando limpou o suor.

Ah, eu entendi, é como quando uma garota com o coração partido se reúne com as suas amigas para falar mal de outros caras. Compreendo. — Depois de eliminarmos mais alguns monstros, nós finalmente retornamos para a mansão.

 


Tradutor: Rudeus Greyrat | Revisor: Ma-chan


Se você gostou deste capítulo, CLIQUE AQUI, solucione o Captcha e aguarde

por 5 segundos, assim estará apoiando o tradutor e a equipe de revisores!



Fontes
Cores