Setes – Volume 6 – Capítulo 6 – Presságio


Presságio

 

Eu estava fora fazendo compras com a Aria, olhando para a lista e me certificando que tínhamos reunido tudo que precisávamos.

Uma grande maioria do que estava escrito eram mantimentos.

Dos equipamentos que atualmente usávamos, vendemos tudo que não podia mais ser útil. Levamos nossas roupas para uma loja de segunda mão, e fomos capazes de trocar armaduras velhas ou achar compradores.

A razão de sermos capazes de enfiar alguns dias de folga em nossa coleta de informações foi devido a quão boa foi nossa colheita daquele último trabalho.

Não irei tão longe ao ponto de dizer que não precisamos trabalhar, mas criamos algum tempo para sentar e relaxar.

— Hm~ a seguir são bens de campanha, certo… Acredito que muito do que temos está em pedaços.

Aria olhou para seu memorando e a ajudei a carregar suas bolsas.

Não acho que sejam realmente necessários, mas estabelecer comunicação em dias assim era importante.

E mais que qualquer coisa, fui capaz de confirmar recentemente que comunicação era meu ponto fraco.

Foi por isso que arranjei meu tempo livre desta forma.

— Ah, parando para pensar… Mônica me pediu para conseguir umas madeiras e ferramentas. Ela também disse para encomendar pregos.

Aria estava assombrada.

— Ela pode fazer tudo isso sozinha, não pode? Digo, ela começou a poupar e… sendo direta, ela já é mais rica que eu.

Mônica administrou e poupou todo dinheiro para despesas que dei a ela. Ela também recebeu recompensas por trabalhos e era muito mais firme em administrar dinheiro do que a Aria.

Por causa disso, diferente da garota que usava dinheiro regulamente, ela era bem rica.

— Não, você tem seu equipamento para manter e substituir, então… olha, aquela autômato geralmente não usa dinheiro em primeiro lugar.

Tudo que ela precisava para funcionar… não, até mesmo mais que isso podia ser facilmente produzindo pela Mônica, e desde que possuísse os materiais certos, tenho certeza que podia realizar praticamente tudo.

Mas talvez ela não tivesse o tempo livre, já que fez um pedido a uma forja.

— Sim, eu sei disso, mas de alguma forma sinto que perdi…

— Não saia puxando briga com uma autômato em primeiro lugar. E espera, que tal parar com essas suas brigas? Vou apenas ser direto aqui, mas você não vai vencer.

Aria geralmente era cheia de aberturas e Mônica tinha um monte de informações em seu alcance.

Da rotatividade de suas roupas de baixo, até a quantidade precisa de seus lanches secretos.

Ela empregava um esforço desnecessário em suas investigações.

(Se for pensar nisso dessa forma, Novem e Miranda deixam suas guardas altas demais. Clara tem algumas partes apáticas em seu estilo de vida, e Shannon está por volta do mesmo nível que a Aria.)

E por essa lógica…

— … Então a Aria está no nível da Shannon. ¹

— O quê você disse!? Revise isso neste instante!

Sendo colocada nesse nível, até a Aria certamente refutaria.

Dei prosseguimento de imediato:

— V-vocês duas têm partes estranhamente adoráveis, é o que quis dizer!

Quando dei uma desculpa, o rosto da Aria ficou um pouco vermelho e ela saiu andando.

(Tive sucesso? Ou será que falhei?)

Enquanto pensava isso, o Quarto falou comigo em um tom que implicava estar rindo com um largo sorriso.

『Você certamente cresceu, não foi meu garoto? Se quiser minha opinião honesta, você ainda está absolutamente péssimo, mas muito melhor do que quando começou.』

O Quinto:

『Mais decente que no passado. Veja, antes você não teria sequer tentado falar sobre isso.』

As vozes de censura dos ancestrais eram algo que apenas eu era forçado a escutar.

Sacudi minha cabeça e alcancei a Aria.

(Eu fui realmente tão mal?)

Enquanto ia atrás dela, um rumor flutuou até meus ouvidos.

— Hmm, então Vossa Alteza o Príncipe Herdeiro finalmente fez sua escolha.

— Pelo visto sim. Sinto pena pela Princesa de Faunbeux, mas do meu ponto de vista, era o resultado natural…

Algum Príncipe Herdeiro e Princesa, apareceram em uma discussão.

Era irrelevante para mim, então continuei indo atrás da Aria.

Quando retornei à pousada, Aria pegou suas bolsas e voltou ao seu quarto.

No primeiro andar, Novem e Miranda conversavam.

O que ter para o almoço? Não, não era um tópico leve desses. Elas estavam fazendo caras sérias.

Eu chamei:

— Qual o problema?

Nisso, Novem…

— Ah, Lyle-sama. Bom trabalho. Não, a verdade é…

O que a Novem me informou era do rumor circulando por Centralle.

Miranda era quem estava perturbada.

— Eu tentei comprar um bilhete, mas parece que estarão esgotados por um tempo. De tudo possível, ouvi que um anúncio importante estava prestes a ser feito em Centralle.

A razão da perplexidade da Miranda era que o rumor havia se provado verdadeiro.

Eu recordei a conversa que escutei enquanto fazia compras.

Eram rumores do Príncipe 【Rufus Bahnseim】, e da Princesa estrangeira【Lianne Faunbeux】.

Novem deu uma explicação:

— Acompanhando a quebra do noivado deles, houve a proclamação abrupta do Príncipe anunciando sua nova noiva. Apesar de eu achar isso bastante estranho, essa é a direção que a Capital parece estar seguindo.

Acredito que a confusão seja apenas o natural.

Digo, sua antiga noiva sempre esteve na Corte Imperial.

Por mais de dez anos, como um catalizador para construir relações amigáveis com a nação vizinha de Faunbeux.

Um casamento político para servir de testamento a isso.

— … não é ruim romper isso de repente?

O Quinto falou:

『Na minha época, seria guerra imediata.』

O Sétimo também:

『Não se preocupe demais. Era exatamente a mesma coisa na minha época. Isso não é uma decisão sã de maneira nenhuma.』

O Sexto:

『Ele achou uma garota que gostava ou algo assim? Apenas faça ela de amante e a outra de esposa.』

O Quarto se dirigiu ao Sexto:

『Uwah, simplesmente terrível~.』

Miranda falou em espanto:

— É claro que é ruim. É disso que guerras são feitas. Mas quando eu ainda estava em Centralle, escutei que eles estavam se dando perfeitamente bem. Na verdade, estava certa que o futuro de ambos os países seria estável… Pelo menos posso dizer que tinha mais do que apenas política acontecendo.

Não era um casamento sem amor, pelo jeito.

E enquanto já tinha um noivado, ele o rompeu para anunciar um novo ao estado.

Só consigo pensar que o coitado perdeu a cabeça.

Novem estava curiosa sobre outra coisa.

— … Sua parceira seguinte é a filha única de uma família nobre provincial influente, aparentemente. Mas isso é anormal.

A única criança de um nobre provincial.

Se for para se casar ao Príncipe Herdeiro, então devem ser da Classe Conde para cima, certo?

A conexão com essa casa era importante o bastante para jogar relações com outro país pela janela?

Os Chefes históricos, do Terceiro para cima:

『Uwah~ absolutamente não. Isso é totalmente burro.』

『Não é remotamente possível. E filha única não é… isso significa que a Casa acaba ali mesmo. Eles planejam fazer qualquer filho que nascer de sucessor?』

『Talvez recebam um herdeiro de uma família secundária. Mas tenho poucos elogios sobre tal decisão.』uma

『As nuvens parecem estar bem escuras. Mesmo se ambos os lados estivessem procurando por uma desculpa para guerra, tenho a sensação que os espaço para manobrar está um pouco apertado demais…』

『Isso parece o precursor de um tufão, e depois de tanto tempo… o Primeiro falou isso. Que a era seria tempestuosa.』

Os tempos entram em desordem quando um monstro sobe ao palco. Ou talvez a tempestade seja aquilo que desperta o monstro…

Deixando isso de lado, a situação realmente é perigosa.

— Se as coisas prosseguirem desse jeito, será difícil atravessar as fronteiras.

Quando eu disse isso, as duas concordaram.

Tarde.

Terminando o almoço, sai para coletar informações com a Miranda.

Levado pela garota familiarizada com a cidade de Centralle, eu queria confirmar a verdade da situação por trás do rumor.

O Príncipe realmente anulou seu noivado tão prontamente?

Se for uma invenção, realmente é algo de mal gosto.

Nosso destino era uma cafeteria chique, mas no assento em que minha jornada terminou, fui forçado a pagar a taxa pela informação e um chá caro e doces para a pessoa diante de mim.

Uma mulher de meia idade em serviço ao palácio, e alguém com longos anos de serviço além disso.

— Bem, você trouxe um rapaz muito bom consigo não foi, Lady Miranda. Além do mais, seu relacionamento não parece nem de perto tão artificial quanto o último. Certo. Como você está agora, tenho certeza que vocês dois se darão bem.

A mulher disse isso para Miranda enquanto sinalizava para que prosseguir.

Pensei que a Miranda estaria em uma posição superior aqui, mas parece que essa mulher era sua vendedora de informações para todos os assuntos relacionados ao palácio.

— E você é a mesma de sempre. Então que tal cuspir tudo… a verdade por trás do rumor.

A mulher aumentou sua cautela aos arredores.

Fiz o mesmo, mas minhas Skills não mostraram resposta.

(Não, há casos em que a Skill não captará.)

O Sexto disse algo assim. Continuei vigilante enquanto escutava.

— … É verdade. O rompimento do noivado foi definido. Lianne-sama alugou uma mansão em Centralle, e ela regularmente viaja até o Palácio para pedir reconsideração, mas o Rufus-sama não cede. Ele se apaixonou cegamente por alguém muito mais nova. Além do mais, aquela em sua mente é…

A mulher olhou para mim e riu.

O Terceiro falou:

『… Oh, parece que ela sabe quem você é, Lyle. Vendedora de informações bem competente que vocês têm aí.』

O Quarto:

『É, as vezes se acha deles. Servos que se especializam em tais assuntos. Tenho certeza que estão usando esse conhecimento para lucrar.』

— A irmãzinha desse seu namorado aí… Lyle Walt.

Meus olhos se arregalaram, e o Sexto soltou sua voz da Joia.

『Lyle, não deixe isso se espalhar para sua expressão. Você tá dando com o qual aquela mulher se divertir. Com base em como as coisas prosseguirem, ela pode aumentar o preço por causa disso.』

Eu imediatamente corrigi minha face, e escutei a história da mulher.

— Eu só a vi de longe, mas aquilo é um tipo de monstro, aquela lá. Eu trabalhei no palácio por bastante tempo, e incluindo você, minha querida dama, eu vi o bastante desses tipos para distingui-los.

Parece que essa mulher colocou Miranda na categoria de monstro.

— Bem, obrigada pela sua bondosa avaliação… é o que eu deveria dizer?

— Hi hi hi! Que medo. Você é como uma aranha que nunca deixa a presa visada se libertar. Se cuida, garoto.

E após se virar para mim, ela continuou com seu relatório sobre a Celes.

Mas sua expressão era bem sincera.

— Monstros não são nada raro no palácio. Entre os lados que vencem as guerras, há alguns abençoados com sorte o bastante que você poderia pensar que foram abençoados por alguma deusa por aí. É como se eles possuíssem algo além do escopo de habilidade. Mas ela se destaca mesmo entre esse grupo monstruoso. Todos que puseram os olhos sobre aquela Dama caminharam para dentro de sua jaula. Aqueles que não se desviam podem ser apenas você e aquelas outras bestas. Mesmo assim, certamente há muitos presos como cativos dela.

Miranda sondou mais:

— Você quer dizer que o Príncipe é um deles?

— O Príncipe Herdeiro é alguém competente. Bem, talvez não deva ir tão longe, mas duvido que haveria problemas com ele governando as terras. Mas veja… no momento em que aquela garota se aproximou, ele imediatamente chamou a Casa Walt para perto. O mesmo para os ministros.

Não parece que o Príncipe tinha sido colocado na mesma categoria de monstro que a Miranda.

Mantive silêncio e escutei.

— Está acontecendo de pouco em pouco, mas parece que Centralle está sendo atirada em um pesadelo. Isso… parece como se uma guerra estivesse próxima.

Relembrando a última guerra importante, a mulher murmurou:

— Parando para pensar…

— O que foi?

Miranda a incitou e a mulher deu um gole de chá enquanto me olhava.

— … A Casa Walt esteve envolvida na última guerra também. Realmente uma família problemática essa sua.

O Sexto e Sétimo dentro da Joia, que foram os Chefes durante a época, começaram a dar desculpas:

『Não fode comigo! Na época, foi o palácio que nos envolveu nisso!』

『Exato! Eu queria voltar pra casa tanto quanto qualquer um, mas a corte era corrupta, e não digna de confiança, ou assim o atual rei… Quando paro para pensar, a Linhagem Real de Bahnseim realmente não tem sido nada além de problema para nós, Walts.』

O Terceiro falou:

『Totalmente~.』

O Quinto articulou:

『Todos vocês, se estão falando tanto assim, vocês se certificaram de fazer bom uso deles, certo?』

E escutando tais palavras, o ditado “cada um com o seu”, me veio à mente.

Eu não me prendi totalmente às palavras da mulher, mas decidi também não considerar as palavras dos ancestrais como corretas o tempo todo.

Ultimamente, eu havia passado a entender melhor a forma de vida conhecida como Senhor Feudal.

Eles colocam suas próprias Casas e a manutenção de seus territórios na frente de tudo.

Lealdade e obrigação apenas eram respeitados porque estavam sob a proteção da autoridade da linhagem Real.

Soltei um leve suspiro:

— Bem, agradeço por isso. Mas já fui chutado pra fora, então não tenho nada a ver com isso.

Com seus olhos fixos em mim, ela deu outro gole em seu chá.

Após secar o copo, o colocou no balcão.

— Bem, estarei me retirando. Vocês receberam toda informação que queriam, não? E também, já é quase de me aposentar. Se quiserem informação, venderei, mas não pensem que serão capazes de obter nada novo da minha boca.

Miranda falou:

— Você é nova demais para aposentadoria, não é?

— Os jovens estão aparecendo um atrás do outro. Temos gente demais em nossas mãos… exatamente como um cenário pré guerra. Antes que eu seja arrastada, terei que me distanciar de Centralle. É isso que minha intuição está me dizendo.

Talvez ela tenha pensado que fosse uma piada, já que a Miranda riu.

— Hmm… intuição, entendo.

— É, se eu não fugir daqui, minha vida estará em jogo. Esse tipo de intuição. Acerto a maior parte do tempo.

Dizendo isso, a mulher foi embora.

Dei um gole no meu próprio chá.

Miranda…

— Então parece que o rumor era verdade. Se é assim, o que planeja fazer, Lyle?

Pensei a respeito por um momento.

— … Aquela Princesa de Faunbeux ainda está em algum lugar na capital, certo?

Miranda ficou levemente espantada.

Ela estendeu uma mão para um doce e o colocou na boca.

— Você acha que realmente será capaz de se encontrar com ela?

— Duvido muito. Mas quero saber a impressão dela sobre o assunto…

A voz do Sexto veio da Joia:

『Se você pensa em se encontrar com ela, não é como se fosse impossível.』

O Sétimo também:

『Bem, você não está errado.』

O Quarto questionou o motivo deles pensarem assim:

『O quê? Vocês criaram algum laço com Faunbeux? Na minha época, era uma terra longínqua com numerosos países entre nós.』

O Sétimo falou:

『… Desde que use o nome da Casa Walt, tenho certeza que será capaz de se encontrar com ela.』

O Sexto…

『Porque a garota provavelmente ressente todos nós no momento. E se for algo que a Celes e a atual Casa Walt perpetuou…』

Se me encontrar com ela, tenho a sensação de que ficarei em perigo.

E espera…

(O Sexto e Sétimo… o que exatamente eles fizeram com o pobre reino de Faunbeux?)

Por alguma razão, um calafrio correu pelas minhas costas.


Tradução: Batata Yacon   |   Revisão: BravoED   |  Revisão Final: Vai ser o Delongas assim que ele chegar no capítulo.


Caso queiram ler o próximo capítulo imediatamente. Podem acessá-lo no blog do tradutor por este link.



Notas: 

1. Essa doeu.


Fontes
Cores