Setes – Volume 6 – Capítulo 1 – Fraude


Fraude

 

Em um quarto que alugamos na pousada, eu estava bebendo um copo de chá.

Mônica havia pego o salão de jantar para fazer preparações para a noite e eu apreciando o gosto do primeiro chá que Novem havia preparado em um bom tempo, enquanto tratávamos com nossa convidada.

Com alguns petiscos leves sobre a mesa entre nós, me defrontava com uma belezura.

Uma elfa, assim como cantora, o nome da garota era Eva】.

Seus cabelos rosa-claros eram longos e ondulados, enquanto a cor dos seus olhos era do mesmo tom.

Sua pele também era um espetáculo, mas mais que qualquer coisa, suas orelhas, muito mais longas que aquelas de um ser humano.

(Um momento de elegância… que adequado à minha pessoa.)

Quando lutei contra o Grifo, não houve tempo para relaxar, então estou deleitado por ter chegado a hora na qual podemos aproveitar nosso tempo tranquilamente.

Entretanto…

— Lyle-sama, é bom você estar aproveitando o chá, mas caso não siga com a conversa para frente…

— É, verdade. Minhas desculpas.

Ofereci minhas desculpas àquela defronte a mim.

Apesar de sua altura ser elevada, a garota diante de meus olhos clamava ser uma cantora novata de apenas dezesseis anos.

— Eu não me importo. Pois bem, eu compreendo a estória em que um antigo filho da aristocracia tomou parte na subjugação de um Hipogrifo, mas por que a necessidade de enfiar mentiras nisso? A força expedicionária para abater o Grifo que se tornou o tópico dos rumores… isso soa uma boa estória para se prender, mas pessoalmente, estou mais interessada em você.

Essa garota, Eva, tinha interesse em mim… Eu compreendia.

Novem olhou para com preocupação.

Aria estava ocupada cobrindo suas orelhas.

Miranda estava lançando seus olhos ao chão.

Clara, se remexendo.

E, atrás de sua irmã, Shannon se mantinha vigilante a mim.

Que alegria. Estar cercado por beldades.

— Bem, existem várias circunstâncias. Não é estranho para uma cantora pedir diretamente por um conto desses?

Nós faremos a Eva cantar as canções da força expedicionárias. Ao fazer isso, seremos capazes de explorar rumores de seus feitos através da capital.

— Você realmente me mostrou o corpo do Grifo e respondeu minhas perguntas. Mas veja, eu sou 【Eva de Nihil】. Não há ninguém melhor no clã quando se trata de canções, e eu quero ser mais bem informada que todos.

Ela já havia visto o Grifo, e tinha toda a informação que queríamos que ela pregasse.

Mas Eva ainda não havia ficado satisfeita.

A jovem garota que estava se tornando levemente famosa em Centralle era alguém que nos foi apresentada pela Novem.

— Será problemático se minha própria história escapar.

Eu nunca pensei que minha fabulosa aura, uma parte de mim que sou incapaz de esconder, seria tão problemática.

Puxa vida… não se pode fazer nada.

Enquanto tomava goles de chá, eu dei alguns detalhes a mais sobre a missão de subjugação do Grifo para Eva.

De trás da Miranda, Shannon sussurrou.

— Esse riso dele é nojento.

Eu falei:

— Está com ciúmes? Não fique tão abatida, eu brinco com você depois. Oh, certo, o último Hipogrifo foi derrotado com um arco e flecha, e esse é o fim.

Enquanto explicava o quão incapaz o esquadrão havia sido, e quanto problemático isso foi, Eva parecia radiante.

— Uma história que só eu sei… Isso! Foi por isso que estive esperando! Uma canção de heroísmo que todos cantarolam nunca é o bastante. Como pensei, você tem que ir pessoalmente e descobrir todos os detalhes por conta própria. Ah, tenho certeza que posso escrever uma bela obra.

Parece que ela possuía alguma confiança em sua habilidade.

— Oh? Então você esteve procurando por um conto heroico?

Quando eu disse isso, Eva sacudiu seu cabelo e falou.

— Sim. Uma maioria dos elfos compartilha suas canções entre suas tribos. Eles aprendem sobre os acontecimentos durante suas viagens, e trocam informação com outros elfos menestréis… entre eles, a Tribo Nihil consignou uma grande maioria das canções na memória.

Mas se eles estão trocando informações, então todos não deveriam ter mais ou menos a mesma quantidade de canções?

Quando pensei isso, Novem suplementou alguma informação:

— É porque algumas canções se perdem com o tempo. Nesse ponto, é dito que a tribo Nihil é muito proficiente.

Clara também adicionou:

— Mas isso é estranho, não é? Para um grupo viajante desses, não consigo pensar que alguém tentaria anunciar suas canções sozinhos, mesmo depois de entrar em uma cidade dessas.

Parecia que a Eva estava cantando sozinha.

Nisso…

— Afinal, eu fugi de casa.

Da Joia pendurada em meu pescoço, escutei a voz da Quinta Geração.

O Sexto também falou.

『Hmm, uma criança fugitiva… igual a um certo alguém que conheço.』

Enquanto eu imaginava o rosto sorridente do Quinto, o Sexto sussurrou de forma carrancuda:

『E-eu voltei completamente bem…』

Parece que havia muita coisa acontecendo.

— Fugir é raro para sua tribo?

Quando eu disse isso, Eva sacudiu sua cabeça.

— Eles me disseram pra ir me casar a alguma outra tribo, então saí de casa para ser independente! Por ser a terceira filha e de idade para casar, eles disseram que tentariam me casar à próxima tribo élfica que encontrassem!

Após ouvir até aí…

— Que cruel.

— Eu sei, né?

Mas a Clara falou:

— Bem, isso é meramente a cultura da raça de trupes viajantes conhecida como elfos. Ao invés de ficar dentro de uma única tribo, eu li que era uma prática originada a fim de ganhar cooperação entre os seus espalhados por aí. Também carrega a importância de ter a Eva-san compartilhando as canções de sua própria tribo com a nova, acredito.

Nisso, Eva falou:

— Ainda estaria tudo bem se fosse de uma trupe que eles estivessem falando! Mas mesmo se saísse com aquele grupo de caçadores, tudo que eu ficaria fazendo seria entreter minha família! Não haveria chance nenhuma de espalhar minha canção! Eu quero minha voz ouvida por uma larga quantidade de pessoas!

Eu me levantei sem pressa.

Após os olhos do exército feminino se reunirem em mim, eu abri meus braços largamente, e falei:

— Se é assim. Então por que não vem comigo?

— Por quê?

Ela inclinou sua cabeça, e eu ergui meu polegar, apontando-o para mim.

De dentro da Joia, o Terceiro…

『F-finalmente está aqui!?』

Eu levantei minha voz, e declarei em um tom esbanjando autoconfiança…

— Eu sou um homem que um dia se tornará um herói! Você não vai ficar feliz em ver tal magnificência em primeira mão? E eu ficarei feliz em ter minha bravura transmitida… todos ganham! Ao meu lado, vamos contar a história de um herói, Eva!

『… sr. lyyyllle!! Esse é o sr. lyle que conheço!』

Eu fiz uma pose sexy, e olhares incomodados pareceram se reunir ao meu redor.

Eu ouvi umas risadas de dentro da Joia.

— … Eu gosto de comédias, mas isso é um pouco…

Parece que fui rejeitado, mas eu não sou alguém que se abate por algo assim.

— Que pena. Mas sinta-se livre para se enterrar em meu peito quando quiser. Estarei esperando.

Quando dei uma piscadela, Eva se virou para Novem.

—… Qual o problema desse cara deploravelmente belo?

Essa elfa certamente é honesta. Enquanto pensava isso, eu desenvolvi uma impressão bem fofa dela.

— Eu me desculpo. Ele geralmente não é assim. É só que esse encontro veio em má hora, e ele está atualmente passando por um crescimento.

— Ah…

O olhar morno de simpatia que a Eva lançou para mim davam uma impressão bastante confortante.

— Oh, não me encare assim. Você se apaixonará por mim antes que perceba.

Quando eu ofereci um aviso, o Terceiro soltou sua voz:

『Como esperado do sr. lyle!』

O Quinto…

『Então chegou. “O homem que se tornará um herói”, ou talvez “você se apaixonará por mim”… qual vocês acham melhor?』

O Sexto…

『Pra ele superar uma porção extralarga de amor tão facilmente…』

O Sétimo:

『”Vamos contar a história de um herói” também não é muito ruim!』

O Quarto reuniu as opiniões:

『Nós colhemos uma safra bem grande dessa vez. E espera, que tal apenas mandarmos ele para o chefe da Casa Circry como ele está agora… Não consigo imaginar o que vai sair disso!』

Todos os ancestrais pareciam estar se divertindo bastante.

O Terceiro:

『Nós já organizamos os preparativos, então será problemático se ele não agir. Se ele pescar algo estranho… bem, acho que não importa!』

Eva parecia preocupada com a Novem.

— Ei, se algum dia você sentir vontade de terminar, que tal vir viajar comigo? Se for você, Novem, será mais que bem-vinda.

A Novem…

— Não, o lugar onde pertenço sempre será ao lado do Lyle-sama.

Como sempre, ela diz algumas coisas agradáveis.

(Amado pela Novem, não sou o mais sortudo do mundo?)

Eu não carregava absolutamente dúvida nenhuma nas palavras passando pela minha cabeça.

Anoitecer.

Eu aluguei um depósito em Centralle, e reuni alguns mercadores ali.

Tenho a sensação que falei um pouquinho demais, mas ainda era recuperável.

(Está tudo bem. Ainda estou calmo.)

Dentro do depósito mal iluminado, eu havia preparado uma larga quantidade de lanternas para fazê-los confirmar o corpo do Grifo.

— Normalmente, eu o levaria para a Guilda, mas estava em uma boa condição dessa vez, então pensei que pudesse haver alguém por aí querendo comprá-lo inteiro.

Quando falei isso, um único mercado falou:

— Isso realmente é o Grifo derrotado pela legião que foi despachada? Nesse caso, estou disposto a pagar duzentos ouros. Está em um estado favorável. Ele vale pelo menos isso.

Os rumores já haviam se espalhado pela capital, e os mercadores de ouvidos rápidos vieram até mim ao ouvirem a canção da Eva.

Era algo escrito com uma prioridade em velocidade, mas ao escutar, os rumores rapidamente se espalharam sobre os habitantes da cidade, e a popularidade da Eva disparou bastante.

Desde o começo, ela tinha uma aparência favorável e uma boa voz. Uma base firme estava posta.

Depois disso, tudo que ela precisava era agarrar uma chance.

(Novem realmente arranjou uma cantora excelente.)

— Sim, é o que comprei da força expedicionária sem dúvida nenhuma. Estes são os documentos daquela transação. E também aquela força estará retornando no futuro, e vocês verão que não terão grifo nenhum em sua posse. Porém, para mostrar, eles poderão ter dois Hipogrifos em cima de seus carros enquanto realizam sua chegada.

(Isso… apenas dois. O número derrotado era três.)

Um mercador falou:

— Você pagou quinhentos por ele, correto? Colocando uma quantia dessas… isso não te deixa demais no vermelho?

Eu falei:

— Eu não sou nenhum mercador. Descobrindo que o exército deles havia descoberto a existência de uma besta dessas, ainda assim se levantaram à ocasião, meu coração ficou tão comovido que não pude deixar de colocar uma quantia dessas. É claro, eu também realizei trabalho de coleta.

Materiais de monstros.

Pedras mágicas e outros bens de valor já haviam sido vendidos pela Miranda.

Elas equivaliam cerca de uns trinta ouros, mas isso nem de perto era o bastante.

O Quarto falou:

『Eu gostaria de coletar entre duas a três centenas aqui.』

Eu olhei em volta àqueles reunidos.

— Estou bem em esperar até a legião retornar também, mas nesse ponto, eu tenho certeza que o número de compradores terá aumentado.

Eu tentei agitá-los, e um levantou sua mão.

— Dois e vinte ouros!

E acima disso…

— D… duzentos e quarenta!

— Dois e cinquenta.

Os mercadores arbitrariamente começaram a dar lances. Enquanto os escutava, informei-lhes dos detalhes da condição do monstro.

— O dano visível nele é apenas uma única marca de perfuração. Não há nenhum outro ferimento que sofreu na batalha tratada. Assim como podem ver.

E no final, um mercador o comprou inteiro por uma larga soma de trezentos e vinte moedas de ouro.

O Quinto falou:

『… Isso não tá um pouco alto? Tinha certeza que duzentos e cinquenta seriam o bastante.』

Os outros mercadores se filtraram para fora do depósito com faces de pesar, e eu puxei conversa com aquele que havia feito a compra.

— Eu virei pegá-lo como primeira coisa pela manhã. Não parece que você tem mais alguma coisa para vender, mas…

Ele me olhou com olhos preocupados, e respondi com um sorriso:

— Sim, mesmo você tendo oferecido um preço maior que o valor de mercado, não tenho nada para dar como bônus.

— Muito bem. Eu queria adquiri-lo com toda pressa possível

Diante da face aliviada do homem, eu questionei:

— Você precisava de um Grifo tanto assim?

— Não, há um visitante importante vindo para Centralle, sabe, e ela é alguém que nunca parece satisfeita com qualquer artigo comum. Seria de grande ajuda se não perguntasse mais.

Com isso dito a mim, assenti, e continuei as conversas sobre como o homem o pegaria assim que amanhecesse.

… Tarde da noite.

Miranda olhava para ele, congelado em seu bloco de gelo no depósito.

Estava cuidadosamente guardado em uma caixa de madeira e era a única caixa que podia ser encontrada em todo o vasto depósito.

O Portador estava estacionado ao lado da caixa de madeira, e o Lyle estava deitado lá, dentro dele.

— Frangoooooooooooooteeee!

— N-não chore, Mônica… Eu nunca faria algo como desperdiçar sua comida cheia de amor… erp!

A esplêndida refeição que a autômato havia feito em alto astral não era algo que um mero grupo de seis seria capaz de terminar.

Se forçando ao continuar, o Lyle não pôde evitar de cair.

— Estava realmente gostoso, mas… o que isso deveria ser? Ela ficou sob a impressão de que teríamos uma festa?

A própria Aria havia gulosamente cavado uma larga porção da comida, então a Miranda respondeu:

— E apesar disso, você realmente comeu bastante. Tanta sobremesa também… é certeza você engordar.

Nisso, talvez finalmente ficando ciente do fato de que havia acabado de comer um pouco demais, a posição de Aria se enrijeceu.

Parecia que a Clara havia se apegado a um item feito através da fritura de uma batata, e ainda queria comer mais.

— Apesar da Mônica-san ser habilidosa na cozinha, seu repertório realmente é algo a mais. Esse grupo pode realmente ser um bem luxuoso.

Vendo a Clara se enchendo alegremente, alguma emoções complicadas surgiram em Miranda.

Tendo passado por crescimentos, todos tinha criado algumas memórias vergonhosas próprias.

Além do mais, Clara havia jogado um bocado de abusos verbais.

(Mesmo assim…)

A razão pela qual elas estavam em espera assim, era por conta do engradado de madeira que estavam exibindo de maneira bastante proposital

(Lyle realmente tem um bom número de Skills convenientes.)

Quando os compradores partiram, a informação a respeito de onde o Grifo estava mantido foi espalhada junto com os rumores da batalha.

Parece que o Lyle tinha em mente que haveria alguns tentando roubá-lo.

E um dos prováveis candidatos era a própria Casa da Miranda.

(Eu acredito que tomarão várias medidas, mas… eles realmente vão se mover tão rápido?)

Quando se tratava de preparações, Lyle raramente errava.

Apesar dela pensar que seus gastos foram um desperdício, ele era bastante confiável para achar meios adequados de repor seus fundos.

Shannon estava dormindo no bagageiro do Portador, com um cobertor sobre si, e Novem estava ocupada cuidando do Lyle.

Nisso, o Lyle levantou a metade superior de seu corpo com dificuldades, e olhou em volta.

— Bem, isso veio mais rápido que o esperado.

O depósito não estava nem trancado.

A porta ser quebrada seria um verdadeiro incômodo, mas deixar ela destrancada com as luzes acesas dificultava que pessoas de fora pensassem em entrar.

É claro, Miranda supôs que também haveria bandidos almejando o Grifo.

Ela puxou a adaga pendurada em sua cintura, enquanto a Aria se levantava e punha suas mãos em sua lança curta.

Novem saiu do Portador com seu cajado em mãos.

O Lyle caminhou atrevidamente até a frente da caixa, e Mônica o seguiu.

— Apenas se mostrem de uma vez.

Quando o Lyle disse isso, vários homens cobertos de preto lançaram-se através das janelas do depósito, e algumas dúzias deles entraram pela porta aberta.

Miranda entrou em posição, mas Lyle meramente estalou seus dedos.

Um som metálico ressoou, e antes que ela notasse, os invasores estavam caídos no chão congelado.

Olhando de perto, uma parede de gelo havia surgido próxima a janela.

Quando aquilo desapareceu, Lyle pegou um arco prateado em mãos.

(É muito menor do que ouvi. Aquilo não é um arco curto?)

Ela tinha escutado que era um arco largo, mas com seu pequeno arco prateado em mãos, Lyle armou numerosas flechas de luz, antes de soltá-las em direção ao céu. Em sua descida, cada uma delas perfurou o chão próximo a um dos homens de preto.

Uma ameaça.

— Agora voltem pra casa e digam para o seu empregador vir em pessoa. Que nós negociaremos se ele assim fizer. E que esse Grifo será dado quando a manhã chegar.

Vendo o Lyle dar um tapinha no engradado com sua mão, os homens de preto elevaram sua vigilância ao grupo.

Lyle puxou o arco.

— Ou sua falha deverá ser reportada com seus cadáveres?

Enquanto dizia isso, os homens permaneceram vigilantes enquanto faziam seu trajeto para fora.

(Eles estavam olhando pra mim? E pareciam estar procurando por outra… Shannon?)

Miranda se virou para o Portador, e encontrou a Shannon espichando sua cabeça pra fora para ver o que estava acontecendo.

Aqueles homens de preto tinham trocado alguns olhares ao verem a garota, e partiram.

Após um tempo, o arco retornou a sua forma original de colar, e o Lyle se virou para a janela de vidro quebrada.

— … Eu definitivamente vou cobrar isso dele.

Voltando ao Portador, Lyle disse a Novem que ele se sentia um pouco melhor após mover seu corpo um pouco.

—… Então ele sabia de tudo.

Dizendo isso, Miranda embainhou sua lâmina…

Como esperado, o Chefe da Casa Circry, Ralph-san, prestou uma visita ao depósito.

(Após dar ares assim, não tenho ideia de como eu deveria agir se fosse alguém totalmente diferente. Que risível.)

Quando eu sussurrei mentalmente, ele veio com parte de homens vestidos de preto de antes.

Por perto, ele até havia cuidadosamente trazido uma carroça para carregar o conteúdo do engradado.

Os olhos de Miranda e Shannon olhavam para o homem em uma luz diferente da anterior. Elas pareciam um pouco surpresas.

— … Você propositalmente trouxe alguns mercadores com relações com a minha casa aqui. Está tudo bem se eu agir com base nessa suposição?

Ouvindo isso, descobri que ele estava se movendo exatamente como os Ancestrais haviam me instruído, então não fiz nada além de assentir.

— Entendo. Então vamos às negociações. Será problemático se aquele Grifo acabar em algum lugar além do palácio. Eu preparei duzentos ouros. Tenho certeza que é um preço adequado.

O Quarto falou comigo:

『Então a oferta inicial é de apenas duzentas moedas de ouro… Lyle.』

Quando movi para apertar a Joia, os homens de preto atrás do Ralph-san reagiram imediatamente.

Era meio divertido.

— Eu paguei um total de quinhentas da minha parte. E também, olha só isso… por causa de vocês, a janela do depósito que alugamos está em tantos pedaços. Eu terei que pelo menos cobrir o custo dos meus próprios gastos, sabe. Como lhe soa mil moedas de ouro? Se você tiver alguma circunstância extra, deve estar ao menos preparado para pagar esse tanto.

Ralph-san falou em um tom incomodado:

— Oh, tenho certeza que houve danos do meu lado da negociação também. Entendido. Não me importo se tiver que cobrir os custos do reparo da janela. Mas quinhentos ouros foi algo arbitrário que você gastou por conta própria. Não tem ligação nenhuma comigo. Se forem duzentos e cinquenta moedas, então eu pago.

Não estava nem perto do bastante, então sorri e falei:

— Tentando empurrar os namorados das suas filhas e a mim para nossas mortes, e essa é a quantia que está colocando? Foi minha própria ineptidão quando aceitei o pedido, então que tal eu baixar para novecentos e cinquenta ouros?

— … Isso foi apenas o fluxo de informações até nossa casa se atrasando um pouco. Se eu soubesse, certamente nunca teria enviado a Miranda. Arrastar até mesmo a pobre Shannon… que homem terrível você é. Trezentos.

— Certifique-se de colocar algum ouro em alguma parte depois do número, caro amigo. E certifique-se de oferecer calorosas boas-vindas para aqueles amantezinhos que finalmente arrumaram algum mérito… Novecentos ouros.

A negociação continuou dessa forma, comigo oferecendo setecentos ouros.

Ralph-san ofereceu um preço de quatrocentos.

O Quarto…

『Parece que está por volta do ponto de você finalmente começar a lucrar. Está tudo bem parar aqui, mas o problema está na taxa pelo pedido que ele lhe fez.』

O rosto sorridente do Quarto surgiu na minha cabeça.

— … Seiscentas moedas de ouro. Incluindo a taxa pelo seu pedido, não soando barato? Você receberá esta besta que a força expedicionária vendeu. Um pedido para proteger duas pessoas, o que mais, eu até fiz eles realizarem alguns serviços meritosos.

Ralph escarneceu:

— Que sem vergonha… eu nunca fiz um pedido pra arrumar pontos para eles. Em primeiro lugar, eu nunca soube que um Grifo estaria no local. Tenho certeza que houveram alguns erros da minha parte, mas do começo ao fim, meu pedido foi por nada mais que proteger aqueles dois de um Hipogrifo. Parece que você falha em compreender o coração de um pai.

Sem vergonha? Olha quem tá falando.

Enquanto carregava essas impressões, falei:

— … Quinhentos ouros. Menos que isso é impossível.

Nisso, o Ralph-san também.

— Quinhentos ouros. Mais que isso e considerarei meios físicos.

Em volta dele estavam os homens de preto, e eles agora tinham se tornado o trunfo do homem.

Já que suas filhas estavam ali, ele provavelmente não queria feri-las, mas pedir por mais que isso certamente levaria a mais disputas.

Eu decidi me curvar.

— Entendido. Oy!

— Sim, Lyle-sama.

Eu fiz a Novem abrir parte do engradado, deixando a cabeça enorme de uma águia aparecer.

Estava congelada de forma bem sólida, e o conteúdo branco congelado dificultava o discernimento, mas o meu oponente o confirmou.

Ralph-san jogou uma bolsa de couro para mim.

Eu peguei a bolsa chocalhante do chão, e fiz a Mônica confirmar o conteúdo.

Após medir seu peso, ela me olhou e assentiu.

— Negociações completas. Lhe mandarei a fatura pela janela depois.

— Eu preferiria que você não pedisse uma soma exorbitante. Você é bem ganancioso.

Eu ri:

— Não gosto de mentiras. Eu não exigirei nada além do custo de reparo para o depósito. Mesmo como sou, ainda estou sob a impressão de ser um homem honesto.

(Exato, nenhuma mentira foi contada!)

E dessa forma, Ralph-san gesticulou aos seus subordinados para partirem, e ele os observou atentamente.

Enquanto assistia seus homens transportarem o engradado, ele falou à Miranda:

— … Dóris e Lucy não são de confiança. Miranda, você tem alguma vontade de voltar?

Ouvindo isso, Shannon pareceu bem abatida.

Miranda falou:

— … Então você nunca vai dizer coisas assim para a Shannon, vai? Eu não quero mais me envolver. Me pôr pra fora e me trazer de volta depois de todo esse tempo? Até parece. Quem você está tentando enganar?

Ouvindo sua falta de vontade de retornar, Ralph-san meramente sussurrou um “entendo”, para si próprio.

O engradado foi levado, e atrás dele, Ralph-san não mais se virou em nossa direção.

Eu perguntei a Miranda e Shannon:

— Vocês têm certeza disso? As duas?

Nisso, Shannon respondeu:

— C-como se eu quisesse voltar para uma casa daquelas!

Seus olhos lacrimejavam.

Quanto a Miranda…

— Só por voltar, rumores negativos surgiriam. Qualquer que seja o caso, não é um lugar confortável de se ficar.

E para as duas…

— Que tal vocês dizerem honestamente que me escolheram? Vou garantir que nunca se arrependam disso.

Quando eu disse isso, Shannon me olhou diretamente.

— Parece que você não se recuperou ainda.

E disse isso.

Novem falou:

— Não importa que Lyle-sama você seja, eu ainda vou gostar de você… e, hm, bem, acredito que será difícil daqui em diante, mas por favor faça seu melhor.

O dia seguinte.

No depósito, eu aceitei o pagamento do mercador que comprou o Grifo.

Para com minha expressão carrancuda, o mercador ofereceu um tom bastante alegre.

— Todos da força expedicionária que voltou mais cedo nesta manhã pareciam tão calmos. Como imaginado, eles realmente se pareciam com um exército experiente. Ameaçadores até, sério.

(Sim, assim como eu, eles provavelmente estavam todos afundados em arrependimentos de memórias que gostariam de esquecer.)

Eu aceitei a bolsa de ouro, e entreguei o Grifo para o mercador.

— O primeiro tinha a cabeça em um estado e tanto, e o segundo parecia ter sido perfurado através do estômago. Estou certo que foi uma batalha viciosa.

(Aqueles que fizeram isso foram a Aria e eu.)

Eu guardei meu dinheiro e entreguei ao homem alguns documentos para confirmar os detalhes com a Norma depois.

Nisso.

— Há bastante valor no Grifo derrotado pelos heróis da força expedicionária, mas mais que qualquer coisa, estou feliz que fiz a compra a tempo para receber nossa importante cliente.

Aparentemente, ela ficou bastante satisfeita em ouvir que receberia um grifo em boas condições.

— Isso foi uma salvação para mim também.

— Bem, foi um prazer fazer negócios com você.

Vendo o homem sorridente e seu grupo partirem com o Grifo carregado em sua carroça, eu acenei minha mão em despedida.

Miranda caminhou até o meu lado.

— Diachos que você não gosta de mentiras. Golpista descarado.

Ela me deu uma leve cotovelada em bom humor, então eu falei, embaraçado:

— .. E-eu não menti, sabe.

Exato, eu não menti. Nenhuma única alma disse que eu venderia um Grifo.

O que eu negociei com o Ralph-san foi um Hipogrifo.

Isso era tudo que o que o corpo congelado era, e o homem havia comprado um mero Hipogrifo por quinhentas moedas de ouro.

Isso deve ser troco o bastante por nos enganar.

Miranda levou sua mão aos seus lábios sorridentes.

— E eu escolhi você, Lyle, então garanta que eu não vá me arrepender. Bem, bastante coisa aconteceu dessa vez também, mas foi divertido, então está tudo bem.

Meu rosto se tornou um vermelho brilhante, enquanto virava meus olhos para o chão.

Mônica parecia desapontada.

— … Parece que o período de febre do Frangote acabou. O próximo está marcado pra quando?

Ela me perguntou com uma expressão bastante séria.

Olhei para seu rosto.

— Como se eu fosse fazer aquilo de novo.

Eu jurei em meu coração, mas a voz do Sexto escapou da Joia.

『Lyle… é por você pensar assim que todo mundo está se preocupando. Mas deixa eu te dizer, dessa vez foi interessante.』

Elevando meu ressentimento pela face sorridente do Sexto, jurei pela terceira vez nunca passar por essa tristeza de novo.


Tradução: Batata Yacon   | Revisão: BravoED | Revisão Final: Vai ser com o Delongas assim que ele chegar neste capítulo


Caso queira ler o próximo capítulo imediatamente. Pode acessá-lo por este link.



Fontes
Cores