Setes – Volume 5 – Capítulo 5 – Marcha



Marcha

  

Nós partimos da Capital Imperial de Centralle, e quando o meio-dia chegou e passou, a expedição para o Vilarejo Johnny parou para um descanso.

Nós partimos de manhã cedo e deveríamos descansar quando chegasse o meio-dia.

A enorme bagunça de grupo era incapaz de ajustar o passo de caminhada, então eu achei isso bastante irritante.

“Nós estamos nos movendo mais devagar do que a informação coletada me fez acreditar.”

Meus companheiros estavam bem, mas o problema eram os aliados nos arredores.

Usando as Skills do Quinto e do Sexto para checar os arredores, nos encontrávamos cercados por pontos amarelos.

Era uma situação na qual eu não podia pensar como se estivesse em uma posição muito amigável.

O Segundo me deu um aviso da Joia:

『Eu disse antes, mas não concentre sua atenção apenas nos seus inimigos. Não importa como se veja, eles foram incapazes de reunir suprimentos. Quando a noite cair, certamente haverá algum idiota se movendo.』

Eu apertei a Joia, e olhei para Clara.

“Clara, eu operarei o Portador em seguida. Você descanse até sua vez chegar.”

Mas ela sacudiu sua cabeça.

“Antes de um suporte como eu descansar, eu acho que deveria ser a Aria-san e Miranda-san a descansar um pouco.”

Era uma resposta honesta adequada a ela, mas usando minhas Skills eu podia dizer.

Todas estavam mais fatigadas que o normal.

(Então um ambiente desconhecido é duro em todos…)

Eu tentei persuadir a Clara:

“Há a necessidade de mantermos a Aria e Miranda-san na função de vigia. E também, o motivo pelo qual eu quero que você descanse agora é para que possa manter a vigia à noite.

Clara olhou ao redor.

Ela havia vivido um bom tempo como aventureira, então ela tinha mais experiência que nós. Mas parecia que ela nunca havia pegado um trabalho mercenário como este antes.

Entretanto, inspecionando os arredores, ela pareceu perceber.

“Não houve uma ordem para vigia noturna, mas parece que teremos que assumir responsabilidade por isso nós mesmos. Entendido.”

Enquanto a Clara consentia, eu examinei o acampamento.

Separados da estrada principal, nós estávamos estacionados à beira da estrada.

Eu tentei roer o pão das provisões, e descobri ser mais modesto do que aquele que nós havíamos preparado. Talvez tenha sido uma bênção só em ser comestível, porém havia um bom número de faces insatisfeitas.

Da Joia, o Quinto falou:

『Lyle, esse grupo é frágil. Mesmo se os Cavaleiros tiverem um certo nível de habilidade, há muitos que nem mesmo possuem qualquer equipamento decente.』

Já que nos destacávamos tanto, na verdade era bem possível que fôssemos ser visados.

E quando os monstros aparecerem, exatamente o que eles vão…?

(Os fracos apareceram só duas vezes. Os Cavaleiros eventualmente cuidam deles, então não estamos sofrendo quaisquer danos, mas eles realmente nos atrasam.)

Havia um bom número de grupos pequenos que não conseguiam reagir quando monstros apareciam.

Havia também aqueles participando individualmente, e quando se tratava de uma batalha de verdade, eles não tinham ideia de como se mover.

Durante o descanso.

Próximos a mim, além da Clara, estavam os dois alvos que deveríamos proteger.

Novem estava se mantendo vigilante dos arredores, Aria e Miranda estavam deitadas, tomando a bebida quente que Shannon havia preparado.

Mônica tentou sair, mas eu a mantive contida dentro do Portador.

O Terceiro ofereceu uma proposta:

『Vai ser um saco todos se moverem separadamente. Eu quero propor que vocês fiquem todos juntos. Lyle, vá dizer ao Marcus para reportar aos superiores.』

Tendo marchado com seu equipamento completo vestido, ambos Marcus-san e Breid-san estavam fazendo caras cansadas.

“Marcus-san, tem algo que eu gostaria que você transmitisse para a pessoa no comando.”

“Eh? O quê?”

Ele estava bastante desatento.

(Não, há muitas pessoas por perto, mas isso não significa que você pode relaxar… Eu acho que está tudo bem, por enquanto.)

Antes de alertá-lo,  certifiquei-me de transmitir a proposta para ele.

“Há muitas pessoas operando em grupos, mas há uma quantidade considerável de indivíduos também. Se possível, acredito que seria mais fácil se nós nos agrupássemos, então, por favor, proponha isso para as pessoas responsáveis.”

Nisso, Marcus-san coçou sua cabeça.

“Não, bem, não há ninguém que eu conheça aqui. Não seria melhor se você fosse e falasse para eles, Lyle? Você tem alguma experiência com isso, certo?”

Sim, certamente seria mais fácil se eu falasse, mas é em momentos como esse que meu status como aventureiro se torna um problema.

No final das contas, eu apenas sou um contratado participando abaixo do Marcus.

A Quarta Geração reclamou:

『Mesmo se o Lyle disser isso, ele será rejeitado, então por que você não sai balançando esse status de que você tanto se orgulha? … Tsk. Não que ele possa me ouvir ou algo assim.』

Ele pareceu bastante irritado.

Eu suavizei a opinião do Quarto antes de transmiti-la.

“Eu duvido que eles me ouçam. É mais provável que eles te escutem.”

Após eu falar isso, Marcus-san se levantou relutantemente e partiu em direção a um Cavaleiro descansando por perto.

Vendo isso, Breid-san abriu sua boca:

“Puxa vida, todos que são indignos de sua posição estão recebendo Status Nobre. Que lamentável.”

Ouvindo isso, Clara se sentou com os joelhos no chão e me lançou um olhar de esguelha.

O caminho até aqui foi a mesma coisa. Breid-san estava sempre cheio de queixas.

Para comigo e o Marcus-san, digo.

Desde que descobriu que eu era o ex-herdeiro de uma Casa de Condes, ele começou a se distanciar.

O Sexto falou:

『Eu não direi para ele não invejar, mas esse cara realmente é um saco cheio de reclamações. Ter ele junto vai arruinar o clima da marcha toda.』

O Segundo concordou.

『É em horas como essa que eu desejo a presença de alguém que possa criar um clima animado. Aria e Miranda-chan estão para baixo, Shannon-chan e Mônica estão presas dentro do Portador… Realmente gostaria que considerassem a atmosfera.』

O Cavaleiro que estava descansando olhou em nossa direção, antes de dizer algo ao Marcus-san.

Mas ele não se moveu nenhum pouco, então o Terceiro desistiu.

『… Isso não é bom. É como se esse grupo não tivesse motivação nenhuma. Vamos mudar nosso objetivo. Lyle, na próxima vez que um monstro aparecer, faça o tudo que estiver em seu poder para se destacar enquanto o derrota. Deixe tão chamativo quanto fisicamente possível.』

Era algo possível, então eu apertei a Joia.

Era o sinal de afirmação.

O Quinto ofereceu uma sugestão:

『Marcus e Breid são inúteis. Não há tempo. Faça todas do seu grupo observarem os rostos ao redor. Tentem avistar aqueles que pareçam o mínimo úteis e os atraia.』

Eu me movi para o lado da Clara e agi de acordo com a instrução do Quinto.

“Clara, você tem um momento?”

“Pois não?”

“Quando nós começarmos a andar depois dessa pausa, você poderia tentar observar aqueles ao nosso redor?”

Ela assentiu.

“Você quer que eu fique vigilante àqueles que possam nos causar dano, correto?”

“Ah, não, tem isso também, mas… se possível, eu gostaria de encontrar alguém que pareça disposto o bastante para nos ajudar.”

Eu baixei meus ombros e olhei para Marcus, enquanto tentava pensar em algumas palavras para encorajá-lo.

“Se possível, eu quero aumentar nossos números.”

Tendo dito isso, Clara pareceu entender.

“Parece que foi a atitude correta obter tantos suprimentos. Só em dar alguns pode ser o bastante para ganhar aliados… Informarei a Novem-san e as outras em pessoa.”

Clara assentiu e foi até a Novem.

E eu prossegui e caminhei em direção ao Marcus-san.

Só sua postura já era o bastante para deixar claro que ele havia falhado.

Em uma voz baixa, Breid…

“É por isso que esse cara…”

… Seria bom se ele reclamasse de maneira que não pudéssemos ouvir.

Marcus-san ouviu, mas por ter sido ele que falhou em fazer a proposta ser aceita, ele se conteve irritadamente.

“Desculpa. Eles só me falaram, ‘é, vá fazer o que quiser’.”

“Eles realmente não têm motivação nenhuma. Bem, só de saber isso é o bastante. Quando chegar a hora, nós faremos algo por conta própria.”

“O quê? Você tem um plano?”

Marcus-san perguntou e eu respondi enquanto permanecia vigilante dos arredores.

“Bem, eu vou simplesmente fazer um alvoroço chamativo.”

“Mas o quê?”

Enquanto Marcus-san me olhava com espanto, eu usei minhas Skills para procurar por inimigos nos arredores.

A batalha aconteceu um tempo depois.

Talvez reagindo ao movimento de uma força tão larga, nós sofremos um ataque de goblins no momento que atravessamos a mata.

Quando eu cheguei ao voluntário atacado pelos monstros, ele já estava coberto de sangue.

Não era meu trabalho, mas eu olhei ao redor e berrei:

“Recuem! Eu enfrentarei eles!”

Puxando um sabre com minha mão esquerda, eu soltei uma leve queixa.

“Eu apreciaria se eles aparecessem em um lugar mais fácil de se ver.”

O número de goblins atacando era cinco, mas eu instantaneamente cortei o mais próximo e comecei a invocar magia.

“Vamos deixar exagerado… Relâmpago!”

Velocidade de ataque, poder.

Magia do atributo relâmpago era fácil de se usar, então eu a utilizava em uma frequência considerável.

Acima de tudo, era realmente chamativa, então correspondia com meu objetivo atual.

Os goblins que tentaram correr foram carbonizados e descarregavam eletricidade enquanto caíam no chão.

Por ter ouvido um estrondo tão alto, um Cavaleiro montado correu até mim.

Após acabar com eles, eu embainhei meu sabre e olhei para o Cavaleiro que se aproximava.

Com uma besta atada a seu cavalo, um Cavaleiro baixo e gorducho veio até mim.

Manobrando sua montaria habilidosamente, ele era um homem de meia idade com um leve bigode como sua característica marcante.

“Onde está o inimigo!? Qual o nível de dano!?”

Eu dei alguns olhares para os goblins e comecei a explicar a situação.

“Os cinco corpos aqui são todos. Eles já foram derrotados. Há um ferido pelo ataque. Há uma pessoa entre meus companheiros capaz de tratamento. Devo trazê-la?”

Ouvindo isso, o Cavaleiro olhou ao redor enquanto expressava sua gratidão.

“Entendo. Você realmente nos salvou nisso. Ainda assim, você usou magia… você parece ser um mago bastante habilidoso. Qual o seu nome? Oh, por falar nisso, eu sou 【Clark Usher】. O ajudante de campo desta força expedicionária.”

Para Clark-san, que havia se identificado como o ajudante da Cavaleira que vi partindo antes, eu também me identifiquei.

“Eu sou Lyle. Um aventureiro contratado por Marcus Carning.”

O Segundo abriu sua boca.

『Você realmente está vendendo o nome. Se pelo menos o vigia deles fosse um pouco mais competente… bem, aqueles que passarem por este ponto depois verão o rescaldo da batalha.』

Eu fui em direção ao voluntário ferido, e àqueles o cercando que pareciam ser seus companheiros.

Clark-san me chamou:

“Oh, então você é daquele grupo peculiar… Eu lembrarei. Já que você derrotou o monstro, a pedra mágica e materiais pertencem a você. Se planeja coletá-las, certifique-se de não ficar para trás. Eu tenho que fazer um relatório, então devo me desculpar e partir.”

Dizendo isso, Clark-san deu instruções a um número de Cavaleiros nos arredores e partiu galopando.

Os Cavaleiros próximos estavam assistindo aturdidos.

Todos os outros também estavam olhando para os Cavaleiros com rostos espantados.

Eles haviam sido estacionados a fim de vigiar as tropas, mas era como se eles não tivessem feito absolutamente nada.

O Quarto falou:

『Parece que há uma razão para eles terem sido enviados nesta missão. É melhor se você mantiver aquele ajudante em mente. Talvez você devesse levar algum vinho para ele quando a noite chegar.』

O Sétimo adicionou:

『Lyle, mesmo se seu objetivo principal for aquele Cavaleiro, ele terá montes de subordinados ao redor. Se você for, leve uma quantidade considerável. Faça a Mônica cozinhar algo.』

O Terceiro adicionou ainda mais:

『Uma refeição quente fará toda a diferença. Mas garanta que o Marcus faça isso. Você é só suporte aqui, Lyle.』

Enquanto me perguntava se estava tudo bem fazer uma coisa dessas, decidi consentir.

E chamei o soldado caído.

Ele estava ensanguentado, mas, talvez suas feridas não fossem muito profundas, já que ele mantinha consciência.

“Você está bem?”

“Isso parece bem? Merda! Mesmo quando eu finalmente consegui ser capaz de participar como soldado voluntário!”

Vendo o jovem ferido soltar uma voz mortificada, eu dei um sorriso amargo.

Um homem mais velho próximo veio ao meu auxílio.

“O que você acha que está dizendo ao homem que te salvou!? Eu me desculpo. Ele não é uma criança ruim. Você disse que tinha alguém capaz de realizar tratamento, certo? Eu entendo o quão descortês o pedido pode ser, mas você pode salvá-lo?”

Olhando para o equipamento deles, o homem mais velho que parecia o líder tinha cota de malha equipada, mas o mais novo, e àqueles ao redor dele, tinham uma mistura bagunçada de equipamentos de proteção.

“Meus companheiros estão posicionados mais para trás. Você pode me ajudar a carregá-lo lá?”

Nisso, um de seus companheiros falou:

“O-oy, e quanto ao monstro? Alguém não vai roubar?”

Eu olhei em volta para os olhos circundantes.

Usando minhas Skills, eu fui capaz de encontrar um número de marcadores vermelhos. Eles estavam nos examinando.

“Eu coletarei quando passarmos. Se eles não estiverem mais aí, eu não vou realmente me importar. No momento, o ferido é mais importante.”

Enquanto eu dizia isso, o homem que parecia o líder agradeceu.

“Eu me desculpo. Eu definitivamente te compensarei.”

Trazendo junto seu grupo de três, eu retornei para perto do Portador.

… Noite.

Dentro de sua tenda, Clark registrou os eventos do dia.

Não era para seu esquadrão, mas um tipo de registro pessoal.

“Pouco descanso, baixa velocidade de movimento, quatro pequenas batalhas. Dois feridos…”

Enquanto ele calculava sob a luz da lanterna, encontrou alívio no simples fato de não haver desertores.

Caso houvesse baixas no primeiro dia, a moral das tropas provavelmente mudaria.

Especialmente se fosse por algo do nível de um goblin.

Ele duvidou de sua própria habilidade para liderar.

“Hah, por que nenhum deles entendem…?”

Reunindo seus registros, Clark decidiu dormir cedo em preparação para amanhã. Mas próximo a tenda, ele ouviu o som de passos.

“Vice chefe, um cara chamado Marcus trouxe provisões! Ele disse que quer lhe saudar.”

Ouvindo isso, Clark olhou para seu subordinado, que parecia estar de bom humor.

Talvez ele os tenha guiado até aqui. Atrás, havia dois homens carregando pacotes.

(… Bem, o que fazer…)

Clark não era a mais limpa das pessoas. Ele teve a experiência de ser bajulado um par de vezes, mas após aceitar, ele teria que fazer algo em troca.

E se ele os afastasse, estaria fazendo inimigos.

“Deixe-os passar.”

Seu subordinado deixou os dois entrarem na tenda, e retornou ao seu posto.

Pela entrada ter sido deixada aberta, Clark pôde ouvir a situação no exterior muito bem.

Eles pareciam estar bebendo.

(Eles realmente usaram uns métodos clandestinos. Nós muito mal temos qualquer álcool.)

Determinando-os desnecessários, Norma havia reduzido o estoque.

Ela ainda era jovem demais, com muito pouca experiência nesses campos. Não, mais que isso, se ela determinasse algo um detrimento para seu sucesso, ela completamente falharia em aceitar.

Dizendo que álcool entorpeceria a capacidade de alguém tomar decisões, ela havia posto uma restrição estrita no porte de tais bebidas.

“Prazer em conhecê-lo. Eu me chamo Marcus Carning. Desta vez, bem… talvez devêssemos chamar isso de um brinde às relações pessoais.”

Clark preparou algumas caixas de madeira e fez os dois se sentarem.

O jovem de cabelos laranjas não parecia ser capaz de se acalmar.

Mas o de cabelos azuis era o jovem que ele havia conhecido durante a viagem.

“… Então, Marcus-kun e Lyle-kun, não é? E o que é que vocês pedem de mim? Ao invés de cumprimentar o ajudante, com muito mal qualquer autoridade, vocês não deveriam estar indo até nossa capitã?”

Norma odiava coisas assim.

Para ser mais específico, ela pensava que quanto menos útil alguém era, maior a probabilidade de eles tomarem tais ações para se aproximarem daqueles em posições de liderança.

Marcus enviou um olhar ao Lyle.

Após o Lyle assentir, Marcus abriu sua boca.

“… Queremos sobreviver a isso, e obter algumas conquistas para nós. Só que nesse ritmo, até mesmo nossa sobrevivência está em dúvida. Para este fim, há algumas ações que gostaríamos de realizar.”

“Oh, e essas ações são?”

Clark olhou para a comida e bebida postas em cima da caixa de madeira.

Mesmo eles estando acampando fora, estava boa e fumegante.

O vinho também parecia ser um artigo relativamente bom.

“Ah~…”

Marcus olhou para Lyle, então Clark falou:

“Deve ser uma proposta do Lyle-kun. Entendido. Eu escutarei vocês.”

Devido a como o Marcus se comportava, ele provavelmente entendia exatamente como aventureiros eram vistos por Cavaleiros.

Clark pôs sua mão em seu queixo enquanto escutava a proposta de Lyle.

“Minha sugestão diz respeito à formação das tropas de voluntários. Não podemos reunir os soldados participando individualmente em um único lugar? Ao mesmo tempo, eu também quero deixar juntos aqueles trabalhando em grupos. Coloque alguém do seu lado a cargo do corpo de voluntários como um todo e decidam os papeis de grupos específicos durante a marcha. E também…”

“Também?”

“Com essa ideia ainda de pé, integre o Marcus-san como líder e faça-o liderar os voluntários. Este é meu pedido.”

Fazer as tropas voluntárias, que a Norma havia menosprezado tanto, ser posta sob organização firme e própria. Esse pedido era algo que ambos Clark e Lyle concordavam.

Mas não é como se o próprio Clark não tivesse considerado isso.

“… Não há tempo para colocá-los propriamente sob liderança. Nossa capitã priorizou movimentação, entende? Eu sou capaz de reunir aqueles participando individualmente. Sobre a parte de organização, nós não teremos tempo para ensiná-los direito até alcançarmos o vilarejo.”

Ele olhou para o Lyle. Após um tempo de silêncio, o garoto agarrou o cristal azul sobre seu peito.

(Isso é uma gema? Alguém com habilidades assim foi contratado para esta expedição? Marcus não parece ser alguém capaz de aplicar tanto dinheiro assim, mas… é benéfico para nós, por enquanto.)

Olhando para o Marcus, Clark foi incapaz de entender como o Lyle foi contratado.

Lyle falou:

“Pois bem, que tal apenas organizar os grupos em formação e decidir a pessoa no comando pelo menos?”

“… Entendido. Nós faremos só isso. Mas duvido que isso acabará bem. Haverá um bocado de disputas sobre quem deve estar no comando. E também, se você obter o consentimento, então eu não me importo se você sair e liderar os voluntários. Isso é porque não parece que nosso lado esteja muito preocupado com eles. Eu pensei que isso acabaria mal nesse ritmo.”

Olhando para o rosto perturbado de Clark, Lyle ponderou um pouco.

Marcus-san não parecia saber o que fazer.

(Parece que esse garoto é o líder verdadeiro. Vendo sua perícia em magia, ele será mais confiável que nossos homens.)

“… A comida vai esfriar. Nossa cozinheira tem habilidades muito boas, então posso garantir o sabor.”

Clark falou:

“É mesmo? Então eu aceitarei alegremente.”

Estendendo sua mão para a comida e dando um gole no vinho, Clark sorriu.

“É realmente bom. Este frio só deixa o sabor desnecessariamente melhor.”

Em sua mente…

(Pois bem, eu terei que trabalhar pela porção que me foi dada, mas como devo organizar isso?)

Mesmo se ele tiver selecionado o Cavaleiro de mais alto nível da lista, havia muitos Cavaleiros de posição igual.

Havia também segundos e terceiros filhos que não eram Cavaleiros e estavam brigando por serviços notáveis.

Simplesmente selecionar um líder seria medonho, e se ele fizesse isso mal, os conflitos não teriam fim.

É só que, a fim de ganhar a confiança do grupo do Lyle, não havia a opção de não agir.

(Hah, por que é que todos esses trabalhos problemáticos sempre são empurrados para mim?)

A refeição deliciosa e o vinho não eram capazes de aliviar seu coração.

Clark começou a suspirar por sua própria falta de sorte…


Tradutor: Batata Yacon   |   Revisora: Ana Paula



Fontes
Cores