Setes – Volume 4 – Capítulo 4 – Conviver



Conviver

 
Tendo retornado do labirinto, eu declarei um dia de folga e reuni todos na mansão.

Aquelas do meu grupo, Novem e Aria.

As ajudantes temporárias e aventureiras de Arumsaas, Miranda e Clara.

Assim como o pedaço de ferro-velho, Poyopoyo, e a irmã da senhoria, Shannon.

Comigo incluso, eu tentei criar um espaço onde nós três pudéssemos conversar.

“Por que eu estou incluída também? E essas duas não são aventureiras, certo?”

Enquanto bebia o chá que eu pus, Clara perguntou. Os olhos dela apontaram para Shannon e Poyopoyo.

A razão era bastante simples.

“… Eu não tenho ideia do que dizer para quebrar o gelo. As duas que sobraram… são só extras, eu acho.”

Eu ouvi o Terceiro gargalhando da Joia.

『Lyle, você é o melhor!』

Por melhor, ele provavelmente quer dizer o melhor para risadas. Ele era o conselheiro de hoje, ou como devo colocar, até agora eles só estavam ignorando as regras e falando todos de uma vez.

No passado, quando minha Mana estava secando de novo e de novo, havia uma regra criada em que seria uma pessoa falando comigo por dia, ou me chamando para a sala de conferências, caso contrário.

Enquanto a Clara me encarava intensamente, eu dei uma desculpa.

“Digo, eu não tenho ideia de que tipos de conversas ocorrem entre garotas! E essa é a primeira vez que nós obtivemos a chance de conversas assim…”

Poyopoyo derramou um refil para o chá da Clara. Enquanto me olhava, ela deu uma risada de desdém.

“Como esperado do frangote. Você deixará as conversas femininas para uma mulher, entendo.”

Eu disse a mim mesmo para aguentar. E a razão pela qual eu chamei a Clara foi que ela tinha uma quantidade maior de experiência como uma aventureira do que nós.

Ela se especializava em suporte, e ela estava em uma posição em que havia visto uma vasta variedade de grupos, então eu achei que escutar a opinião dela era importante.

E também, ela tinha um entendimento da nossa situação até certo ponto. Nós poderíamos pular as explicações.

Novem tentou quebrar o clima estranho.

“Então que tal nós falarmos sobre nossa iminente expedição ao labirinto? Alguém tem algo a dizer sobre o assunto?”

Ninguém compartilhou nada.

Shannon abriu sua boca.

“Eu não sou uma aventureira, sabem. Mais que isso, eu não tenho confiança na minha resistência.”

Enquanto ela proclamava sua falta de confiança com confiança total, soou como se ela estivesse realmente se gabando do fato, enquanto ela passava uma mão pelo ar.

A pose era adequada a ela, mas quando a Novem olhou para seu comportamento com um sorriso, ela deu um grito baixo antes de calar a boca.

Alguns minutos se passaram em silêncio, então eu levantei minha mão levemente…

“Ah~, Bem…. Pessoalmente, eu gostaria de completar o trigésimo andar sem usar minhas Skills. É só que não importa como se veja, há um problema com nossos números, e nossa coordenação é, vocês sabem…”

Aria não me olhou nos olhos.

“Por que não apenas usar Skills? Há algum significado nisso?”

A atitude dela era ruim.

Novem ofereceu algumas palavras de cautela.

“Aria-san, esse tom está um pouco…”

Aria retrucou.

“É, é, eu sei. É rude com o Lyle-‘sama’, não é. Me desculpa!”

Ao mesmo tempo em que ela proclamava isso em voz alta, eu ouvi a voz do Segundo vindo da Joia.

O Segundo a odiava.

『Que infernos é esse tom!?』

O Quarto falou.

『Ela não está nervosa ainda pelo que aconteceu um tempo atrás? Lembre-se, o Lyle gritou com ela… ela parece estar aguentando bastante aí. Por que não olha pra ela gentilmente?』

O Segundo falou.

『Como se eu soubesse de algo assim! Essa é a opinião de um homem de pernas fracas contra mulheres, não é!?』

O Quarto respondeu.

『Qual o problema de ser fraco a elas!? Mesmo se puserem um fronte forte, eles não vão vencer contra mulheres! Seus cabeças de músculo!』

O Segundo…

『Bastardo, o que você acha que tá dizendo pro seu avô!? Bora resolver isso lá fora.』

Ouvindo as palavras que eu ouvia frequentemente do Primeiro, eu fiquei um pouco triste. Tendo terminado de transmitir sua Skill, o papel dele terminou e ele não podia mais se mostrar.

Se aquele homem me visse agora, eu me pergunto o que ele diria.

(… Isso não é bom. Eu só consigo ver ele gritando, e puxando briga com o Segundo. Digo, nosso fundador gostava bastante da Aria.)

Enquanto eu começava a me sentir pra baixo, Aria me chamou.

“M-Me desculpe! Não fique tão deprimido por isso.”

Ela estava se desculpando, mas, enquanto eu olhava para os olhos de todos em volta, eu rapidamente recuperei minha compostura.

Miranda começou a falar.

“Você pode me chamar sempre que quiser. Eu recebi crédito do Professor Damien, e eu fiz preparações o suficiente para me graduar. A esse ponto, a academia é só algo como um hobby.”

O sistema da academia era um em que você podia se matricular sempre que quisesse, e se graduar sempre que pudesse. Não era um que realizava eventos assim por temporada.

Se você reunisse o crédito necessário e tivesse as credenciais, você poderia se graduar quando bem quisesse.

Para Miranda, a Aria…

“Está tudo bem em decidir tão facilmente? Você planeja se juntar ao grupo?”

E…

“Minha nossa, está com ciúmes? Acha que eu vou levar seu amado Lyle? Aria, você com certeza é fofa!”

Sentindo-se provocada, Aria respondeu.

“E-esse cara não tem relação nenhuma com isso! Pra poder viver por conta própria um dia, eu só estou trabalhando junto com…”

O rosto da Aria se tornou vermelho, e a Novem…

“O que você está falando, Aria-san? Mesmo se você tiver suas circunstâncias, seu corpo foi salvo pelo Lyle-sama. Não ache que você pode simplesmente sair do grupo quando bem entender.”

“Eh? Ela não pode?”

Eu levantei uma questão para Novem.

Ela se virou para mim em surpresa, e começou a explicar as razões.

“Não, bem… o Senhor Feudal de Daliem fez você aceitar a Aria-san como uma recompensa e tudo mais.”

Eu falei.

“Essa não era só a posição oficial? Apenas invalide isso.”

Aria bateu com força a palma de sua mão na mesa. Na sala que havia retornado ao silêncio, Clara bebia seu chá desinteressadamente.

O chá que havia sido colocado sobre a mesa foi derramado, então Poyopoyo…

“Fufufu, então essa é a tão chamada ‘cena de carnificina’. Anotei nos meus dados.”

… disse isso, enquanto se preparava para limpar.

“… no final das contas, isso é tudo que eu sou pra você como mulher!”

“Por que você está nervosa!? Eu não tenho intenção nenhuma de te prender, é o que eu estava tentando dizer!”

Enquanto eu tentava pensar na razão pela qual ela estava nervosa, o Quarto se dirigiu a mim.

『Não tem como o Lyle jamais ser capaz de compreender as complexidades do coração de uma mulher.』

O Quinto falou.

『Você só está sob a ilusão de que entende. Eu estou completamente ciente de que eu nunca consegui.』

Nisso, o Sexto falou.

『… Mesmo assim, se não fosse relacionado a seus filhos, o Quinto tinha tudo indo muito bem.』

Eu pensei.

(O que eu devo fazer? Esses caras não são nada confiáveis.)

Eu olhei para Novem. Entretanto…

“Lyle-sama, isso é ir longe demais…”

Miranda estava sorrindo.

“Então, eu gostaria de anunciar minha candidatura. No lugar da Aria.”

No grupo, você quer dizer? Ou você está se voluntariando para outra coisa? Miranda não deu voz a isso.

Entendendo algo errado, Aria…

“E-eu nunca disse nada sobre abrir mão do Lyle ou nada assim!”

Sorrindo amplamente, Miranda-san falou.

“Hein? Eu estava pensando em entrar no grupo na sua ausência, ou pelo menos isso é o que eu pretendia dizer quando eu disse isso, sabe?”

Ao ser provocada, Aria virou seu rosto de lado.

Clara abriu sua boca.

“… Lyle-san.”

“Sim?”

“Seu maldito mulherengo~”

Enquanto a Clara me chamava de mulherengo em monótono, meu rosto se apertou. Eu não quero me gabar, mas até recentemente, eu era um garoto puro que nunca havia nem recebido um beijo de uma mulher. Ser chamado de mulherengo é…

Clara ofereceu sua avaliação final do grupo.

“É aquilo. É verdadeiramente o ideal de todos os cavalheiros, um clássico grupo harém. Eu não acho que você vá encontrar muitos por aí com uma completude desse nível. Independentemente de ser para melhor ou para pior, é uma forma de grupo idolatrada.”

Para melhor, provavelmente se referia a sua idolatria por homens.

Para pior era provavelmente porque ela entendia que esse tipo de grupo não funcionava.

Eu tentei perguntar a ela.

“E-existe alguma maneira de resolver ou melhorar o problema?”

Clara começou a falar, com apoio das experiências que ela acumulou até agora.

“Entre os grupos que eu conheço, houve alguns que, a fim de evitar disputas a respeito de relações femininas, nunca as aceitariam como membros. Grupos puramente masculinos. Quando as afeições se tornam confusas, a coordenação do grupo desmorona.”

Você está dizendo pra eu me retirar?

“Então se eu sair do grupo, isso vai ser resolvido?”

Novem soltou sua voz.

“Isso não vai acontecer. Rejeitado. Assunto descartado.”

Clara assentiu.

“Certo. Digo, se o Lyle-san sair, o grupo vai se dispersar de qualquer jeito. E espera, seus níveis de habilidade pessoais já alcançaram o corpo principal de aventureiros. A coordenação é… sem Skills, eu acho que vocês são melhores que amadores, é como eu colocaria. Se você se retirar desse grupo, eu acho que a Aria ainda vai ficar arrastando o pé.”

Clara tentou dar prosseguimento para a Aria, mas a pessoa em si estava…

“M-mesmo que você me diga isso…”

“Vocês são todos extraordinários, no que diz respeito a talento. Que tal colocarmos a média em torno de cinquenta? Se for só julgar com base em talento, a média deste grupo seria cerca de noventa. Mesmo que se diga que a Aria está no lado inferior, os números dela ainda estão nos setenta para oitenta.”

Ela prosseguiu.

“E, se vocês adicionarem qualquer membro do sexo oposto além do Lyle-san, será inútil. Diferente de dizer que os assuntos amorosos ficaram complicados… os homens não serão capazes de suportar isso.”

Por que eles não seriam capazes de suportar? Damien não teve qualquer problema.

Além disso, eu também queria alguns companheiros do mesmo sexo para conversar.

Entendendo que eu não era capaz de entender, Clara falou.

“Se houverem damas encantadoras, e elas estivessem todas se reunindo em volta de um único cavalheiro, alguém iria querer se juntar ao grupo só para ser deixado triste e sozinho? Apesar de serem companheiros, você acha que eles gostariam de provar esse sentimento de alienação?”

“… Eles não iriam.”

Eu finalmente entendi, e concordei com ela.

Se nós estivermos recrutando companheiros, homens são uma má ideia.

“Um ou dois não apresentariam problemas, mas se um grande número se juntasse, eles mais ou menos…, mas esse não é o tipo de grupo que pode lidar com tantos, e a fundação não está definida.”

Fundações.

Um grupo com uma fundação estável significa que possui membros que cumprem todos os papeis fundamentais.

Apesar do nosso ter altos talentos, nós não tínhamos ninguém que pudesse fazer reconhecimento, ou desarmar armadilhas.

“Não, um número grande é… eu terei que rejeitar isso.”

Quando a Novem recusou, Clara ofereceu um método para resolver o problema.

“Que tal dividir?”

“Divisão?”

Enquanto eu inclinava minha cabeça, Clara falou.

“Lyle-san, em geral você pode realizar qualquer coisa sozinho, e você tem uma forte tendência para tentar resolver as coisas por conta própria. Apesar de você ter um número de Skills, considerando os outros, pode ser melhor se separar para fazê-las polir suas técnicas. Não, espera, normalmente você decidiria o papel de todos primeiro. Uma vez que vocês todos tenham obtido um certo nível de competência, você decide quem vai polir suas habilidades em um certo campo. Veja as aptidões de todos, e decida seus objetivos futuros. Esse é o normal.”

Eu dependi tanto das minhas Skills que um problema surgiu, em todos não sentirem o necessário. Ao invés de habilidades treinadas, não… ao invés de aventureiros especializados em geral, a potência das minhas Skills era maior.

“Eu acho que o básico é bater terreno. O papel de ir na frente e verificar o perigo. Eu acho que a Aria-san é adequada para isso. Eu tenho alguns conhecidos na área, então você quer que eu te introduza a eles?”

Clara preparou um memorando, e a Aria aceitou.

“Próximo são armadilhas… Eu acredito que a Miranda-san tem uma grande aptidão. É só uma sensação, todavia.”

Ouvindo isso, Miranda-san sorriu.

“Certo. Eu estou no lado destro.”

Clara sussurrou.

“… Pessoas com a sua personalidade tendem a ser bons nesse tipo de trabalho.”

“Sim?”

“Não, nada. Bem então, Novem-san é… desnecessário. Apenas aprimore sua magia como sempre fez.”

Novem falou.

“É mesmo? Isso é meio triste. Eu quero ser útil, de alguma forma.”

O Segundo se manifestou.

『Novem-chan, está tudo bem desde que você esteja lá. Como pensei, ela com certeza é uma boa garota!』

Com concordando com as opiniões deles, eu esperei a Clara falar mais.

No entanto, ela deixou por isso mesmo.

“E é assim que as coisas são. Vai levar tempo para vocês se tornarem profissionais. Mas, se todos vocês trabalharem em seus vários papeis, e obtiverem alguma experiência neles, a forma do grupo vai se solidificar em alguns meses.”

“Eh? E quanto a mim?”

Enquanto eu perguntava, a Clara…

“Você está bem como é. Em geral, o papel do líder é administrar o grupo. Seu trabalho é pensar sobre o quão bem você pode gerenciar o grupo. Regulando o cronograma de todos e fazer planos é um trabalho esplêndido por si só.”

A explicação dela era satisfatória, mas eu não deveria estar polindo algum tipo de habilidade também? Quando eu disse isso, Clara falou.

“Lyle-san, você assume o papel dos outros demais. Se eles conseguem fazer algo, então deixar com eles também é um trabalho do líder. O que você deveria estar fazendo é…”

“É?”

“Decidir como distribuir a bagagem. E também, se você convidar outra aventureira ou duas, vai ficar perfeito.”

Eu declarei minha opinião direta.

“Eu meio que estou começando a me sentir como escória… você sabe, como… estando completamente cercado por mulheres.”

“Sim, essa é uma descrição precisa. Está tudo bem. Sua posição em Arumsaas é questionável, mas seu rosto está no lado agradável, então você deve ser capaz de apanhar uma mulher ou duas. Depois disso, use seu tempo para desenvolver relações favoráveis.”

Novem se manifestou.

“I-Isso não é bom!”

“Novem! Isso mesmo. Eu não posso fazer algo assim!”

“Você tem que encontrar mulheres que se encaixem nos Preceitos da Família Walt! Caso contrário, eu não aceitarei!”

Clara inclinou sua cabeça. Eu fiquei em silêncio, e cobri meu rosto com ambas as mãos.

Aria não parecia interessada, como se isso fosse uma ocorrência natural, mas só a Miranda-san encarou a Novem com uma expressão séria.

Shannon, que só estava escutando o tempo todo, falou.

“Eu não tenho relação nenhum com isso, certo? Por que eu ao menos fui chamada aqui?”

Poyopoyo também.

“Eu também posso cumprir um papel. Digo… Eu sou um modelo especial!”

Eu ignorei as duas.

… Aria prestou uma visita a aventureira que a Clara havia apresentado.

Não foi na guilda. Em um apartamento de aparência barata, ela checou o nome antes de bater na porta.

De dentro da sala, ela ouviu uma voz abafada.

『Quem é?』

“U-uhm, eu sou a conhecida da Clara, e ela me disse para inquiri-la aqui a respeito de algo!”

A outra pessoa…

『Lady Clara? Bem, que seja.』

A porta se abriu, e de pé lá, estava uma mulher com cabelo bagunçado. A idade dela era na metade final dos seus trinta. Havia resquícios de velhas queimaduras em seu rosto.

E a mulher não possuía um braço esquerdo.

Enquanto os olhos da Aria se voltavam para o braço dela, a mulher falou.

“Ah~, então você não está acostumada com uma visão dessas. Bem, você é jovem, então eu acho que você não passa pelos bares. Vamos lá, por que não entra?”

A mulher pegou o memorando nas mãos da Aria, e confirmou que foi feito pela mão da Clara antes de deixar a Aria entrar na sala.

Apesar de por fora parecer bem barato, a sala era muito bem organizada. Parece que ela vivia lá sozinha, e em cima da mesa estava um braço protético.

“U-uhm…”

“Isso é trabalho meu. Eu sou boa nesse tipo de coisa, então eu faço ferramentas mágicas simples pra conseguir umas moedas pra sobreviver. É menos lucrativo que meu trabalho principal, mas é o bastante pra comer nessa cidade.”

Ferramentas foram penduradas nas paredes, e partes estavam perfeitamente alinhadas.

“Eu sou 【Lyra Ickler】. Uma mulher que uma vez nasceu em uma casa famosa de um pequeno vilarejo. Meu sobrenome é uma relíquia disso.”

Aria também se apresentou.

“Eu sou Aria Lockwarde.”

Lyra começou a rir.

“Eu te conheço. Você cumpriu o pedido daquele pervertido, e você está em um grupo jovem, porém habilidoso, certo? Que negócios a vanguarda de um grupo desses tem comigo?”

Como se a Aria nunca houvesse pensado que ela saberia tanto sobre si, ela explicou em leve surpresa.

Com uma leve expressão cansada, Lyra pôs sua mão direita em seu rosto. Aria encarou os olhos visíveis nas brechas entre os dedos dela, enquanto o conteúdo de seu pedido era confirmado.

“… Significando que você quer aprender meu estilo?? O meu ‘capaz de bater terreno, e avançar nas linhas de frente’?”

“S-sim!”

Lyra murmurou sobre como ela não recomendava isso.

“Você pode entender olhando pra este corpo, certo? É um trabalho perigoso. Um fardo largo demais para uma mulher. Se você diz que quer fazer isso não importando o quê… tenha certeza de não se importar se você estiver coberta de cicatrizes no final. Não reclame se você perder um braço ou dois.”

Aria engoliu sua saliva. Contudo, ao invés de não ser capaz de fazer nada, era uma opção muito melhor, ou assim ela pensou para se tranquilizar.

(Se eu fugir aqui, então eu realmente vou me tornar inútil. Então…)

“E-eu farei!”

Lyra cobriu sua boca, enquanto ela começava a rir. Quando a Aria foi pega de surpresa, ela se desculpou, enquanto continuava rindo.

“Desculpa. Eu tentei te testar. Essas feridas são de quando eu era inexperiente, escutou? Em geral, se for perigoso, a resposta correta é não se aproximar. Tendo sido uma tola dessas, esta é a palavra de alguém que estudou isso seriamente.”

Aria estava chocada, mas Lyra continuou.

“Eu fiquei nos cuidados daquela dama algumas vezes. Como com coleta de informação na biblioteca, ou carregando bagagens. Ela é uma companhia solo.”

“Então foi assim…”

Quando Aria disse isso, Lyra entrou em negociação.

“Pois bem, eu não me importo em te ensinar, mas eu também tenho um trabalho aqui. Eu posso abrir três dias por semana. E também, a taxa é…”

Lyra olhou para Aria, e considerou a quantia.

“Se for a recomendação daquela garota, você provavelmente tem potencial. Digo, seu grupo é a conversa da cidade. O período é de dois meses, e vinte ouros está bom.”

Ouvindo de vinte moedas de ouro, Aria ficou surpresa. Mais que isso, ela não tinha esse tipo de soma enorme. Ela havia recebido recompensas, mas mesmo com tudo junto, elas eram cinco ouros no máximo.

“U-Uhm, você não pode deixar isso só um pouco mais barato?”

“Eu estou abrindo mão do meu tempo pra te instruir, sabe? E também, o que eu deveria fazer a respeito dos ganhos que eu vou perder nesse tempo? Você não achou que ganharia minhas técnicas de graça, achou?”

Aria baixou sua cabeça. Vendo isso, Lyra deu suas condições.

“Então eu vou tomar todo lucro que você fizer em pedidos sob minha instrução. Eu também farei você me ajudar no meu trabalho. Que tal?”

“S-sim! Se for isso, eu acho que consigo!”

Lyra falou.

“Bem, eu não tenho a chance de ensinar frequentemente. Meu estilo é aquele de um batedor que pode batalhar na frente também. O quão boa você é, menina?”

Aria agarrou sua lança, e…

“… Nem boa, nem ruim. Todavia, se for em batalha, então eu sou útil com uma lança.”

Pensando um pouco, Lyra se virou para o peito da Aria.

“Isso por acaso é uma gema?”

“Eh? S-sim.”

Lyra confirmou que tipos de Skills ela tinha. Apesar da Aria ter hesitado por um momento, ela as divulgou.

“Então é especializada em ataque. É muito melhor do que uma ferramenta mágica de baixo nível…”

“Uhm…?”

“Se você chegou tão longe assim com uma lança, eu acho que essa é a mais adequada pra sua mão… Aria, quer tentar uma lança curta?”

E assim, Aria também está se movendo para estabelecer seu próprio estilo…


Tradutor: Batata Yacon   |   Revisora: Ana Paula



Fontes
Cores