Setes – Volume 10 – Capítulo 4 – Selva Cai


Não se esqueçam que ao ler diretamente no Batata Traduções vocês têm acesso aos capítulos mais recentes.

Também não se esqueçam que comentários e interação são os combustíveis que movem a tradução adiante, deixem seus feedbacks dizendo o que estão achando da história e da Tradução. 


Selva Cai

 

A Capital de Selva.

Eu estava em formação em um lugar onde podia ver o castelo se projetando acima das muralhas, enquanto olhava para a força principal: o exército de Lorphys.

Sua escala havia se inchado a vinte mil, e era em maior parte composto de brigadas de mercenários. Alguns desses foram previamente contratados por Zayin para invadir Lorphys, mas quando descobriram que não seriam pagos, rapidamente mudaram de lado.

Enquanto ponderava sobre a importância do dinheiro, olhei para a cidade recebendo os ataques.

Nós havíamos mantido nosso auxílio apenas em atrair a atenção do inimigo para eles. Digo, mal havia qualquer lucro para Zayin nesta guerra.

A zona de fronteira onde a maior parte dos problemas e disputas ocorria fora oficialmente dada a Zayin. Mas era basicamente só isso.

Não importava o que fizéssemos aqui, não beneficiaria realmente Zayin, então eu não conseguia agitar a motivação deles.

(Porque ganhos para mim, e ganhos para Zayin são coisas diferentes. Eu deveria minimizar a exaustão dos Cavaleiros e soldados que foram deixados para mim.)

Mas eu não queria que ninguém pensassem que estávamos sendo passivos, então iríamos realizar o papel de atrair o poderio de Selva para nós.

E como resultado disso, uma força considerável estava apontada em nossa direção.

Olhando para os movimentos dentro da capital, mesmo os residentes haviam sido colocados para trabalhar, e estavam prontos para batalha, então a resistência de Selva era bastante desesperada.

Eu inconscientemente apertei a Joia, quando a May, posicionada por perto, me chamou.

Eu não havia feito ela conduzir reconhecimento desta vez.

Na retaguarda, Novem tratava os feridos. E Clara e Miranda estavam apoiando uma força destacada.

Aria e Eva estavam auxiliando outra força também.

Shannon e Mônica ofereciam sua ajuda aos suportes de retaguarda no Portador.

— Ei, está realmente tudo bem você não estar comandando?

Sua linha de visão parava no Creit-san. E com o equipamento da Brigada de Cavaleiros Divinos que realizava o trabalho sujo sobre seu corpo, Albano-san também se sentava em uma cadeira no acampamento base, colocando seu braço em volta do descanso de costas da cadeira.

Os dois estavam se encarando.

Creit-san falou:

— Nós proclamamos que ajudaríamos Lorphys! O que estamos fazendo, não auxiliando o ataque deles mais proativamente!?

Dentro da tenda principal, Creit-san batia ambas suas mãos contra uma longa mesa. E em resposta a ele, Albano limpava uma orelha com o mindinho de sua mão direita, e fazia uma expressão irritada.

— É por isso que te chamam de cabeça dura. Muito mal há qualquer lucro nisso para nós. Além do mais, o outro lado terá problemas se estivermos animados demais por isso. Agora apenas tente sair na frente com nossas forças. Que tipo de caras você acha que eles farão? Quando eles têm quase o dobro do nosso número de tropas, eles vão perder moral se superarmos eles aqui. Nós devemos apenas manter nossa distância, e martelar magias.

Creit-san era assertivo demais.

E Albano-san era passivo demais.

Enquanto os dois colidiam suas opiniões, o Cavaleiro ajudante 【Noy Verdell】 escutava suas seus planos.

— Hm, então… a ideia do Lyle-dono de atacar assertivamente, e atrair a atenção deles é boa o bastante?

Quando seus olhos caíram sobre mim, Creit-san assentiu:

— A-aquilo é realmente o bastante?

Albano-san falou:

— O que exatamente você planeja fazer pulando no meio da briga? Lorphys já está se movendo para fazer essa terra deles. Os jovens Cavaleiros deles querem aproveitar essa oportunidade para ganhar algumas medalhas em seus ombros. Use sua cabeça um pouco.

O rosto do Creit-san tornou-se um vermelho brilhante, e ele agarrou as lapelas do Albano-san.

— Albano, pela graça de quem você acha que está aqui agora…

— Do nosso grande e poderoso Cavaleiro Sagrado. Você pensou que era por sua causa?

Talvez a atmosfera do campo de batalha estivesse a afetá-los, já que começaram a trocar golpes. Recebi um olhar de “vai fazer alguma coisa sobre isso?” da May, e me levantei do meu assento.

Da Joia, pude ouvir uma voz tensa do Sétimo:

『Puxa vida, eles não amadureceram nada.』

O Quarto também:

『Vai ser meio difícil deixar as coisas para esses dois. Você realmente deveria ser cuidadoso com quem você deixa no topo. Eles são talentosos, mas não podem deixar de antagonizarem um ao outro.』

Ambos tinham seus pontos fortes, mas tinham uma porção de pontos fracos também.

Eu…

— Se vocês vão fazer isso aqui, ao menos levem lá pra fora. Mas ter nossos comandantes fora daqui estará fora de questão.

Nisso, ambos sentaram-se em suas cadeiras.

Um mensageiro correu até a barraca.

— Mensagem! A força de Lorphys penetrou as muralhas! Eles avançaram para abrir os portões, e tiveram sucesso com sua infiltração!

Levou alguns dias para chegar a esse ponto, mas isso foi surpreendentemente rápido. Parece que a diferença em números foi um largo fator.

Nisso, Creit-san falou:

— Vamos enviar uma força nossa! Eu comandarei pessoalmente a cavalaria!

Albano-san:

— E eu estou te dizendo que você não precisa mover um músculo pessoalmente. Entre no caminho deles, e você será odiado.

A opinião deles estava dividida, mas não ofereci minha opinião.

Eu não iria ficar em Zayin por muito tempo, então queria que os dois criassem algumas experiências como os próximos candidatos ao assento de capitão. Esses dois estão basicamente fora de questão.

Nisso, Noy-san soltou um suspiro.

— Vamos ajudar Lorphys um pouco. Prenda os soldados deles nas muralhas. Evite atacar a cidade tanto quanto possível. Eu enviarei um mensageiro até Lorphys para confirmar.

Coçando seu curto cabelo negro, Noy-san deu as ordens. Parece que ele havia pego as propostas deles, as adicionou, e dividiu por dois.

Quando ele olhou para mim, eu assenti.

Ouvi a voz do Quinto:

『Entendo porque a Alette não recrutou nenhum dos dois. Eles são extremos demais.』

O Terceiro falou:

『Nesse caso, dos dois, fazer um deles Capitão dos Cavaleiros está fora de questão. Eles arrumam brigas mesmo quando são do mesmo ranque.』

Olhei para o Noy-san enquanto ele recebia o relatório, e dava ordens na tenda. Desde a formação da Brigada de Cavaleiros Sagrados, se eu tivesse que dizer, ele não se destacava demais.

O tipo que geralmente se inclinava mais ao suporte de pessoas.

Me sentei, e levei minha mão ao queixo. Enquanto observava o Noy-san um pouco, May olhou para o meu rosto.

— O que você está pensando?

— Hm? Ah, nada demais.

(Um ex-nobre, caído a aventureiro, não era? Em questão de idade, no meio de seus vinte… ele tinha seus problemas, e mais que isso, se ele era um ex-nobre, certamente recebeu alguma educação. Sua personalidade não é uma de se colocar na dianteira, mas se ele tiver esses dois…)

Eu o chamei ao quartel-general para o papel de ajudante do Capitão dos Cavaleiros, ou talvez Vice-Capitão, mas essa seleção de pessoal não era tão ruim quanto eu pensava.

(Ah, isso pode funcionar.)

Quando apertei a Joia, o Quinto entendeu o que eu queria dizer:

『… Como um compromisso, não está bom?』

O Terceiro:

『Se seus traços individuais são fortes demais, um Capitão dos Cavaleiro sem traços marcantes pode equilibrar as coisas.』

O Quarto falou:

『Nada mal. Pelo contrário, se esses dois estiverem aí, algo assim é…』

O Sétimo pensou que ele era mais adequado que o Creit-san ou o Albano-san.

『Se ele teve seus problemas, não vai ficar tudo bem? Parece ser honesto o bastante. Seu problema principal será fazer esses dois trabalharem juntos, é como eu vejo isso.』

Assenti, me levantei, e me aproximei de um Noy-san ocupado. Ele olhou para mim com uma expressão perplexa.

— Hm, cometi um erro em algum lugar?

Ele estava se preparando para ter seus erros apontados por mim.

Coloquei minha mão esquerda em seu ombro, e levantei meu polegar direito.

— Parabéns. Você é o próximo Capitão dos Cavaleiros!

— … Eh?

Os arredores ficaram quietos, e parecia como se o tempo na tenda houvesse parado até o mensageiro seguinte vir correndo.

… Os Cavaleiros de Lorphys que haviam se infiltrado na capital de Selva chegaram ao palácio, e apreenderam toda sua realeza.

Vendo todo o sangue espalhado pelo chão, Alette franziu o cenho.

(… Você atraiu ódio demais sobre si, Príncipe Dario.)

Ela havia entrado no palácio para oferecer um relatório ao Capitão dos Cavaleiros que se encontrava dentro dele. Após verificar seu paradeiro, ela apressou seu passo em busca da sala.

Em um palácio desconhecido, ela pediu direções de uma porção de soldados em patrulha, e quando chegou, deu o relatório ao seu capitão.

— As Tropas Alette subjugaram com sucesso as forças Selvianos resistindo nas muralhas ocidentais.

Naquele escritório de classe ministro, o capitão sentava-se em uma cadeira, leu o relatório, e assentiu.

— Trabalho esplêndido. Isso foi tudo que você veio reportar?

A luta já estava morrendo dentro da capital, e a bandeira de Lorphys estava sendo içada por todo canto.

Enquanto entravam em seu segundo dia desde a infiltração da cidade, eles haviam enviado um Cavaleiro para o castelo de Lorphys para reportar sua vitória.

Alette falou ao Capitão dos Cavaleiro de aparência cansada:

— Não, tem mais. É um relatório pessoal, mais para uma proposta.

Eles haviam acabado de obter vitória, então o capitão estava um pouco de bom humor. Ele retirou seus olhos do papel, e encontrou o rosto dela.

— Pessoal, entendo. Que tipo de proposta?

Nisso, a Alette-san…

— Sim! A respeito de Vossa Alteza Annerinne, e o Capitão da Brigada de Cavaleiros Sagrados de Zayin… vamos fazê-la noivar Lyle Walt!

Após Alette dizer isso, seu capitão franziu suas sobrancelhas.

— Você tem certeza que não está cansada demais?

E deu sua resposta.

Mas Alette estava séria. Ela estava propondo isso com toda seriedade. Lyle tinha um problema de ser mulherengo, mas suas conquistas desta vez foram maiores que as de qualquer um.

Ele liderou adequadamente os exércitos de Zayin, e exibiu sua capacidade de comando.

— Estou séria! Ele carrega o sangue de uma Casa de Condes na superpotência de Bahnseim! Além do mais, quando se fala da Casa Walt, eles são renomados pelo mundo, não são!? Não deve haver muitos problemas com um casamento, considerando seu status. Se fizermos isso, Lorphys certamente ganhará um rei forte e competente!

Diante das explicações prolixas da Alette, o Capitão dos Cavaleiros recuou um pouco.

— Não, antes de levar seu status em consideração, ele foi colocado para fora, então qual é o ponto… e não consigo pensar que Zayin vá deixá-lo ir tão facilmente, certo? Cavaleiro Sagrado, não era? Há rumores dele e a Donzela Sagrada de Zayin.

Uma elfa passou por Lorphys, e cantou suas canções.

Os rumores já haviam chegado. O nome do Lyle havia começado a ser espalhado como o nome de um herói galante.

— Se fizermos ele visitar, e anunciarmos o noivado antes que eles possam fazer um anúncio oficial, não deve haver um problema!

O Capitão dos Cavaleiros falou em uma voz baixa:

— É por você pensar assim, que nunca consegue achar um…

— Você falou alguma coisa?

Alette fingiu não ter ouvido, e se aproximou mais e mais dele. Ela colocou suas duas mãos na mesa dele, e aproximou seu rosto ainda mais.

— V-você está perto! Perto demais! M-mesmo se. Hipoteticamente, sabe? Mesmo se você conseguir trazê-lo, do ponto de vista da nossa Princesa, o Cavaleiro Sagrado é um odiado inimigo. De jeito nenhum ela iria… não, espera…

O Capitão dos Cavaleiros colocou sua mão na boca ponderando.

Alette olhou para ele.

— É daquela Princesa que estamos falando. É possível que ela tenha esquecido seu ódio junto com seus sentimentos pelo Dario. E se tivermos sucesso, seremos colocados em uma posição ainda maior que Zayin. Pelo que ouvi, sua posição de Capitão dos Cavaleiros é apenas temporária, não era? Significando que ele ainda tem ideias de deixar Zayin…

Alette sabia que o Lyle havia apenas temporariamente assumido o papel de Capitão dos Cavaleiros de Zayin. Seu capitão sabia disso também.

Levando sua mão à boca, o capitão falou:

— Um casamento de nobres… é uma situação onde a opinião dos indivíduos fica em segundo lugar. Mas a Annerinne-sama adorava as histórias de heróis.

Alette assentiu:

— O rosto dele não é ruim. E sua linhagem é uma famosa. Agora que o Dario está longe, essa é nossa chance!

O Capitão dos Cavaleiros inclinou seu peso sobre as costas de sua cadeira.

— … Eu vou pelo menos propor a ideia ao Lombolt-dono no castelo. Enviarei um cavalo rápido. Seu trabalho é trazer o assunto com o Lyle-dono.

— Sim!

Alette correu para fora da sala, e apressou-se todo o caminho para onde as forças de Zayin estavam acampadas.

Após Selva ser invadida, e eu pensar que tudo havia acabado, por alguma razão fui convidado ao palácio real de Lorphys.

Alette-san me chamou, dizendo que queria se encontrar para aprofundar relações amigáveis para o futuro, e pedir desculpas por eventos passados.

Meu trabalho estava basicamente acabado, e quando formalmente entregasse o papel de Capitão dos Cavaleiros para Noy-san em Zayin, esse realmente seria o fim.

Creit-san se opunha, enquanto Albano-san havia aceitado. Quando perguntei ao Creit-san se ele seria capaz de lidar com toda a papelada necessária ao trabalho, ele fez uma expressão de conflito, antes de relutantemente conceder.

Albano-san havia escapado de sua vida de aventureiro, e se tornado um Cavaleiro de Zayin. Ele não podia fazer papelada desde o começo, e parece que ele planejava passar todo esse tipo de coisa para o Noy-san em sua totalidade.

(Não, ainda preciso retornar para Zayin, e realizar todo o processo formal de entregar o escritório.)

Vi que todos os ornamentos berrantes haviam sido despidos da câmara de audiências.

O Quarto falou:

『Oooh, então é assim que parecia antes. Eu gosto bastante dessa atmosfera agradável e calma.』

O Quinto:

『É porque eles tiveram que embelezar aos gostos do noivo. Mais importante, não acha algo curioso sobre os olhos da Princesa na nossa frente.』

A última audiência foi terrível, e me sentia apologético por isso. Então havia me arrastado até aqui com a intenção de também me desculpar.

Foi por isso que vim, mas…

— Hm, Lyle-sama, quais são os seus passatempos?

O Terceiro falou em espanto:

『Isso não são desculpas, são? E espera, o rosto dela não está um pouco vermelho? O que é isso? Lyle, você fez alguma coisa de novo? Você virou o sr. lyle quando eu não estava olhando?』

Eu não havia tido nenhum crescimento ultimamente. Se eu tivesse, teria recusado essa audiência com toda minha força. Porque seria mais do que óbvio que isso traria um resultado desvantajoso para todos os envolvidos.

Ela esfregava seus cabelos violeta de modo inquieto, e diante de tal Princesa, eu realmente não sabia o que dizer.

Sinto uma certa suspeita, e um suor estranho começou a escorrer.

(Não, você me chamou de tolo não faz muito tempo, não foi?)

— Passatempos, não é? H-hm… o que você quer dizer com isso?

Nisso, ela disse algo como “Kyaah!”, enquanto levava ambas as mãos ao rosto, e frouxamente balançava seu corpo para frente e para trás. Que merda é essa? É realmente ridiculamente assustador.

Lombolt-san ao lado dela…

— Parando para pensar, suas companheiras são todas bonitas. Como um homem só, isso não é bastante problemático? Tenho certeza que é. Então que tal você decidir a esposa legítima aqui? Deve ser difícil viver a vida de um aventureiro para sempre.

Todas as minhas companheiras também haviam sido convidadas à câmara de audiências. Os olhos do Lombolt-san se dirigiam a elas. Mas seus olhos não eram os de alguém visando uma bela dama.

(Do que esse cara está falando?)
Enquanto pensava isso, o Sétimo pareceu entender algo, e falou para mim:

『Lyle, isso é uma chance! Parece que a Princesa Real se apaixonou por você! Não tenho ideia das razões, e nem quero saber, mas se você continuar com isso, vai poder colocar Lorphys nas suas mãos!』

O Terceiro também:

『Oh, Nada mal. Foi um problema bem grande, e não é uma má ideia garantir um único país enquanto está aqui. Você será capaz de fazer uso livre das tropas de Lorphys, afinal.』

O Quinto:

『… Eu não estou realmente certo sobre esse tipo de coisa. Não, acredito ser necessário, mas como devo dizer… essa garota não presta, não é?』

O Quarto cortou a opinião do Quinto:

『Nesta ocasião, nós podemos mais ou menso ignorar os pequenos problemas. Lyle, fale algo para encorajá-la, e veja a reação. Escuta aqui, isso é para a vitória! É algo necessário para vencer contra a Celes!! Você deve firmar seu coração, Lyle!』

Quando ele me disse que era para derrotar a Celes, engoli meus medos, e me dirigi ao Lombolt-san.

— V-você tem um bom ponto. Bem, é realmente difícil ser o único homem.

Nisso, a Miranda falou:

— Minha nossa, que terrível. Mesmo eu me importando tanto com você. Mais importante, que tal vocês apenas falarem de uma vez? Por que chamaram o Lyle aqui?

Ele lançou um olhar severo diante da atitude beligerante da Miranda. Mas a Miranda não recuou.

Lombolt-san falou:

— … Eu ia trazer o assunto depois.

Parece que a princesa saiu do roteiro. O plano original era se desculpar com todos nós aqui, e me chamar de volta sozinho depois. Aparentemente.

— Lorphys deu uma alta avaliação das suas conquistas neste caso, Lyle-dono. O que acha? Quer experimentar o trono, ó Cavaleiro Sagrado.

Dentro da Joia.

O Quarto dava vivas!

『Okay, está aqui! Agora Lorphys está no saco! Se você usar isso como um degrau, negociar com Zayin, e ganhar controle total de toda a região…』

Mas nesse momento, Novem ofereceu um brilhante sorriso, e abriu sua boca:

— Isso não é possível.

— Eh?

Acabei me virando involuntariamente. Após os olhos circundantes se concentrarem nela, uma descontente Princesa Real berrou com ela:

— E por que isso!? Está insatisfeita comigo? O herói da esperança… receber sua linhagem é outro dever da realeza!

Dentro da Joia, o Quinto:

『Não, tem alguma coisa errada aí. Há algo mais importante que você deveria estar vendo aqui.』

O Sétimo também:

『… Está dizendo que a Novem é contra? Não tem como ela não entender o que significa colocar Lorphys em nossas mãos aqui! Lyle, convença a Novem!』

Novem estava sorrindo, mas logo apagou esse sorriso e olhou diretamente para sua Alteza Real com uma expressão séria. Nisso, a Princesa abriu e fechou sua boca, incapaz de dizer nada em retorno.

— Os status do Lyle-sama e de Vossa Alteza são diferentes demais. E o Lyle-sama tem um objetivo maior que deseja alcançar. Eu não acredito que um casamento aqui vá beneficiar nenhum dos lados.

Nisso, Lombolt-san falou:

— Um objetivo maior?

Novem assentiu:

— E também há os preceitos da Casa Walt. Os preceitos que seus chefes aderiram por gerações… Não posso dizê-los aqui, mas essa união seria uma violação deles. Eu não posso aprovar esse casamento.

Ouvi algumas exclamações de “tamanha insolência!” dos arredores, mas talvez houvessem muitos que não quisessem alguém como eu colocando as mãos no trono desde o começo, já que alguns nobres também estavam assentindo.

Lombolt-san sentiu a atmosfera nos arredores.

— … Entendo. Pessoalmente, estou interessado em seu objetivo. Lorphys arrumou uma dívida enorme com você, Lyle-dono. Se houver qualquer coisa com o qual possamos auxiliá-lo, ofereceremos nosso suporte.

Sentando-se em sua cadeira, a Princesa parecia triste enquanto colocava suas mãos no colo, e abaixava sua cabeça.

(Eu sinto muito… mas também é verdade que estou bastante aliviado.)

Decidi acreditar que ela encontraria um bom parceiro em algum momento no futuro.

Então prosseguimos com os pedidos de desculpas, e apertamos as mãos sobre esse assunto.

A audiência terminou, e estávamos no caminho de volta para Zayin.

Eu me sentei no teto do Portador, e questionava a Novem, que estava em dever de vigia ao meu lado.

O céu estava azul, e o sol estava desimpedido pelas nuvens brancas espalhadas. Enquanto recebia aqueles penetrantes raios de sol, falei para ela:

— Ei, por que você recusou aquela proposta de antes? Se não tivesse feito isso nós teríamos o país de Lorphys em nossas mãos.

Nisso, Novem fez uma expressão neutra. Como se estivesse me explicando o óbvio.

— N-não, bem… digo, ela não atendia aos Preceitos da Família Walt. E mesmo podendo ser uma Princesa, o status dela não se comparava ao seu.

Estendi a palma da minha mão ao seu rosto, e gesticulei para que ela parasse, e esperasse um pouco.

— Hm, para resumir… você realmente só a recusou com base em nada além dos preceitos?

Novem sorriu.

— Sim. Porque ela não era alguém digna de você, Lyle-sama.

Era um sorriso extremamente agradável.

E com esse sorriso, ela me disse que a Princesa não era digna.

Na minha cabeça:

(Mesmo assim, a Primeira Geração criou aqueles preceitos aleatoriamente e botou eles pra fora enquanto estava bêbado… mesmo se eu dissesse isso, duvido que ela acreditaria.)

Me abaixei, e falei para a Novem:

— O sol está ficando mais forte. Novem, você deveria entrar.

— Estou bem. Aprendi como reduzir a luz solar em minha volta com magia. Eu devo proteger sua pele também.

— O-okay.

Eu havia esquecido, mas como sempre, Novem me oferecia cuidados excessivos. Dentro da Joia, os ancestrais soltavam suas vozes:

Em ordem, do Terceiro para cima:

『Se a Novem-chan está dizendo, acho que não tem jeito.』
『Pensando calmamente, tentar cuidar daquela mulher e administrar o território seria difícil.』
『Esses caras realmente mudam de ideia rápido.』
『Mas o que devemos fazer? Existe um problema bem grande, e urgente, vindo na nossa direção, não tem? Nós realmente precisamos encontrar um meio de resolvê-lo.』

Estava bem diante dos nossos olhos. Um grande problema que requeria atenção imediata.

Ele era…

(Hah, eu acabei usando todo o nosso dinheiro nesta guerra, mas o que devemos fazer daqui em diante…)

… Um problema de dinheiro.


Tradução: Batata Yacon   |   Revisão: Delongas


Ei, se estiverem gostando do projeto e desejarem ajudar um pouco, vocês podem fazer isso acessando o link abaixo, solucionando o Captcha e aguardando dez segundos para ir à nossa página de agradecimentos.

Podem acessar por aqui.



Fontes
Cores