Interlúdio III – Para cada um, os seus juramentos. (Parte 2/6)

 

—Quando Subaru chegou à Capital, já era tarde de mais.

A sua conversa com Emilia na caminho foi toda esquecida de sua mente.

A garota a salvo sentada ao lado dele, Subaru deve se sentir contente e aliviado, tendo finalmente, finalmente salvado-a. Mas, na carruagem de dragão que balançava implacavelmente, a única coisa na mente de Subaru era outra garota.

[Quem é… Rem?]

 

Parecendo confusa, ela inclinou a cabeça quando disse isto.

Ele se esforçou para achar o menor indício de uma piada, algo na voz dela, na sua expressão, na esperança que as palavras “brincadeirinha~” sairiam de sua boca…

Se fosse a Petra, ou as outras crianças, ninguém se lembrava dela.

Tendo confirmado este fato com todos na carruagem, Subaru ordenou ao motorista para se apressar para a Capital a toda velocidade, em seu rosto estava a expressão desesperada de alguém indo em direção a própria morte.

Impossível. Deve haver algum erro.

Estava tudo indo tão bem. Todo mundo estava a salvo, o objetivo foi concluído. Apesar de ter que suportar tanta dor e tristeza, tendo tantas cicatrizes dentro do seu coração que jamais poderão ser curadas, tudo deu certo no final.

E ainda–

[Aha! É Subaru-kyun! Impressionante, Crusch-sama, você conseguiu encontrar esse pequeno vira-lata inconstante!]

 

No caminho para o salão, vendo os dois no corredor, alguém lhes gritou.

Vestido curto balançando ao caminhar, sem vestuários de cavaleiro por cima, um par de orelhas de gato. Ferris caminhou até eles e delicadamente pegou as mãos de Crusch.

[Crusch: Ferris-san…]

 

[Ferris: Apenas Ferris! Ferris e Crusch-sama se conhecem há um tempo muito longo nyan. Se você ainda adicionar um – san ao meu nome, eu vou morrer de solidão e desespero nyan.]

 

Segurando as mãos de Crusch com uma das mãos, Ferris usou a outra para cutucar Crusch no ombro. Em tal interação afetuosa, Crusch parecia não saber o que fazer com si mesma, mas aceitou como as coisas eram e com um [Desculpe], ela abaixou a cabeça.

[Crusch: Para me tornar como antes… Mesmo que não seja fácil, tentarei o meu melhor, Ferris… Sim. Só Ferris.]

 

[Ferris: Tudo bem nyan, porque Ferris será sempre o companheiro de Crusch-sama e ficará sempre ao seu lado. E para estar junto com uma versão tão bonita de Crusch-sama, Ferris encontra ainda mais razões para se apaixonar pela Crusch-sama nyan, só de pensar nisso faz Ferris feliz nyan!]

 

Balançando as mãos capturadas de Crusch para cima e para baixo divertidamente, Ferris soprou-lhe um beijo.

Observando-os, o mal-estar que cresce dentro do coração de Subaru ficou insuportável.

Apesar de Crusch ter mudado tão drasticamente, Ferris ainda a trata da mesma forma como sempre e aceitou como sempre, era algo além do que Subaru pudesse entender.

Dentro daquele sorriso de Ferris, quanta luta interior ele deve estar enfrentando? Subaru não sabe, no entanto, esse pensamento sozinho melhorou o seu ponto de vista sobre ele.

[Ferris: Subaru-kyun, entre no salão nyan. Emilia-sama e o velho Wilhelm estão esperando por nós.]

 

[Subaru: …S…sim.]

 

Os seus pensamentos devem ter adicionado algo em sua voz, mas Ferris não pareceu notar. Ferris dizendo [Por aqui, Crusch-sama], conduziu-a pela mão.

Na atmosfera sutil entre Subaru e Ferris, Crusch tentou esconder a incerteza aparecendo entre as suas sobrancelhas. Ela olhou para eles, um e depois o outro, e, no final, não disse nada, apenas seguiu silenciosamente os passos de Ferris.

Respirando fundo, Subaru mordeu os lábios e fechou os olhos.

A sua mente estava no limite. O seu coração se sentia desolado. Nesse estado, ele não queria ver ninguém. Mas não podia ser evitado. Ele não fará desculpas para se consolar.

Porque a última coisa que ele iria querer fazer, é culpá-la pela sua dor.

Desta forma, eles fizeram a sua longa e atrasada entrada no salão.

Notando que todos os olhos focaram-se nele, Subaru olhou ao redor da sala. Além de si mesmo, havia quatro pessoas presentes, Emilia, Wilhelm e um passo diante dele, Crusch e Ferris.

Vendo que ele era o último, Subaru fechou a porta atrás dele e, muito naturalmente, se sentou ao lado de Emilia.

[Emilia: Subaru…]

 

[Subaru: Sem problema. Estou calmo agora, Emilia-tan — Estou, muito bem.]

 

À preocupação de Emilia, Subaru respondeu alegremente. Só os seus olhos não olhavam para os dela. Em vez disso, ele não podia vê-la.

Se ele olhar os olhos de Emilia agora, ele iria ter revelado desprezo por si mesmo. Só pensar nisso o enchia de um pavor incontrolável.

[Ferris: Agora que estão todos aqui, vamos começar!]

 

Com o som de palmas, a atenção se concentrou em Ferris.

Seria impossível para Crusch dirigir uma reunião na sua condição, então essa tarefa caiu sobre Ferris.

Inspensionando todos presentes rudemente, Ferris, caminhou até a frente da sala com um braço no ar.

[Ferris: Uma vez que não há nenhuma objeção nyan, vamos avaliar a nossa situação.]

 

Deste modo, com um sorriso, uma reunião da qual todos queriam algo completamente diferente, começou.

Contribua com a Novel Mania!