Interlúdio III – Para cada um, os seus juramentos. (Parte 1/6)

 

—Deitada na cama, a sua expressão era Serena. Para Subaru, parecia que ela estava dormindo.

Os seus cílios são tão longos… ele pensou em uma ofuscação, olhando para os seus olhos fechados. Ela normalmente faria um esforço para manter seu rosto inexpressivo, mas durante o sono, uma suavidade, adequada com a idade dela, era mostrado em suas bochechas. Ao pensar sobre isso, Subaru nunca a tinha visto dormindo.

Ela sempre acordava e dormia antes dele. Subaru sabia que, para se manter firme, ela sempre tinha tentado esconder o lado infantil dela, mas essa fachada teimosa tinha caído tantas vezes diante dos olhos do Subaru.

Seja surpresa, ou envergonhada, fazendo beicinho ou prestes a chorar, ou depois de abrir seu coração com um sorriso brilhando sob as suas lágrimas, deve haver tantas, tantas chances de vê-los novamente—

[Rem.]

 

Mesmo chamando o seu nome, acariciando seu rosto suave, branco, ela não respondeu.

Na cama, profunda em seu sono, o vestido de empregada tão familiar em seus ombros, a fita branca que adornava o cabelo tão azul e belo como o céu, tudo se foi.

O traje que ela usava em seu trabalho e em batalhas — ela não tinha necessidades deles agora.

[Aí está você.]

 

No quarto silencioso e estagnado como se o tempo tivesse parado, alguém chamou Subaru.

Lentamente se virando, como se com relutância, ele olhou para trás. Era uma mulher jovem com um cabelo longo que balançava suavemente. Ela usava um simples, mas elegante vestido de baile azul escuro, e mesmo caminhando em direção a ele, ela parecia transborda com graça.

Mas todos os movimentos dela tinham uma ligeira hesitação confusa sobre eles, que combinado com a elegância de sua pessoa, dava uma impressão muito estranha. Subaru não pode evitar, mas sentiu uma sensação de estranheza ao está perto dela.

[Garota de cabelos longos: Ela…]

 

[Subaru: Nada mudou. Embora eu não possa fazer nada… Eu pensei que eu poderia ao menos ficar com ela. Mas isso é uma coisa tão covarde para se dizer.]

 

[Garota de cabelos longos: Ainda assim, isso… iria fazê-la feliz, não é?]

 

Vendo a expressão abatida de Subaru, a mulher timidamente tentou consolá-lo. Mas ao ouvir isto, Subaru disparou um olhar ao mesmo tempo feroz, amargo e cruel. Com seus sentidos afiados pelas suas palavras, seus olhos encararam-na. Sem querer, isso foi muito além do seu controle. Percebendo a reação dele, a jovem colocou as suas mãos sobre seus lábios, [Sinto muito], ela se desculpou.

[Garota de cabelos longos: Eu disse algo que eu não deveria ter dito e o magoei, não foi?]

 

[Subaru: Não… não, sou eu aquele que deveria pedir desculpas. Eu só estava desabafando a raiva reprimida dentro de mim… Se eu agir assim, Rem ficará muito, muito zangada comigo, não vai? “Você não deve magoar as pessoas assim, Subaru-kun”, ou algo assim.]

 

Ele encolheu os ombros e disse isso suavemente na voz da Rem.

Em sua mente, ele ouviu a voz dela dizendo essas palavras. Uma voz que só ele podia ouvir.

A sua impressão não soou nada como a dela, mas não há uma pessoa no mundo que poderia apontar isso.

Contra as palavras vazias e gestos de Subaru, a mulher tristemente abaixou os olhos e segurou seu pulso esquerdo com a mão direita.

Como se uma melancolia tinha descido entre eles, o quarto voltou ao silêncio.

…Esta sensação familiar… Natsuki Subaru não deve ficar assim, não é? Subaru balançou a cabeça em seu coração.

Para se afundar nas profundezas de um oceano de desespero, é fácil, mesmo se apenas a angústia penetrante fosse embora. Mas isso não combina com ele– como o homem que ela acredita, como o homem que Rem ama acima de todo o mundo, isto é não o que Natsuki Subaru deve fazer.

Nunca.

[Subaru: … Você estava me procurando, então?]

 

[Garota de cabelos longos: Sim, eu quero realizar uma reunião com todos os presentes, portanto eu pedi que todos se reunissem no salão, se estiver tudo bem com o…]

 

Acenando com uma expressão como se ela só estivesse aguardando, a mulher foi direto ao assunto. Mas depois ela parou no meio da sentença e franziu a sobrancelha um tanto desajeitadamente. Demorou um pouco antes que Subaru notasse isso.

[Subaru: Meu nome é Natsuki Subaru.]

 

[Garota de cabelos longos: …Me desculpe, Natsuki Subaru-sama. Vou me certificar de lembrar. Mesmo que eu tenha dito o quanto estou em dívida com você… Por favor, me desculpe, eu sinto muito!]

 

[Subaru: Isso não pode ser evitado, não é? Deve haver muitas coisas que você precisa se lembrar agora, não se preocupe.]

 

Como se dissendo que estava muito arrependida, a jovem abaixou a cabeça.

Então, ao vê-la se recuperar novamente com graça perfeita, até mesmo feminilidade, Subaru não pode evitar, mas um sentimento de incongruência surreal esfaqueou o peito dele. Mas mesmo Subaru não foi ousado o suficiente para dizer isto em voz alta.

Balançando a cabeça, Subaru decidiu colocar isso de lado por enquanto e se levantou.

Se virando para a menina na cama, ele tocou suavemente o cabelo na testa dela.

[Subaru: Eu voltarei, Rem.]

 

Respirando suavemente, ela realmente vive.

— Tendo sido esquecida por todos, esta era a sua única existência restante.

Deixando Rem, Subaru se virou para a jovem mulher.

[Subaru: Onde é o salão? Não vamos deixa-los esperando, vamos.]

 

[Garota de cabelos longos: Sim, vamos, Natsuki Subaru-sama.]

 

Inclinando a sua cabeça ligeiramente para a frente, e sorrindo suavemente, ela parecia naquele momento ter saído de um sonho – o cabelo longo, verde, que balançava com cada movimento dela.

Odiando ter que admitir isto, Subaru se virou, escondendo um sorriso genuíno que emergia em seu rosto.

[Subaru: Obrigado por ter vindo me buscar, Senhorita Crusch.]

 

Com este nome, Subaru agradeceu a jovem de cabelos longos– que parece ter se tornado uma pessoa totalmente diferente.

 

Contribua com a Novel Mania!