MT – Volume 1 – Capítulo 6 – Razão Para Respeitar



Parte 1

 

Desde que cheguei a este mundo, não saí de casa.

Estou consciente desse fato.

Estou com medo.

Se eu sair do pátio e ver a paisagem do lado de fora, minhas lembranças do passado vão despertar.

As lembranças daquele dia. A dor no lado do meu estômago. O frio penetrante da chuva. Arrependimento, desespero, a dor de ser atropelado pelo caminhão.

Todas essas memórias voltarão para mim, como se tivesse acabado de acontecer ontem.

Minhas pernas estão tremendo.

Posso olhar para fora da minha janela ou caminhar até o pátio, porém não posso dar outro passo.

Porque sei.

Essa paisagem pacífica dos campos pode se transformar em um inferno. Os locais aparentemente pacíficos são incapazes de me aceitar.

Em minha vida passada, tive inúmeros delírios quando não conseguia dormir.

E se o Japão de repente entrasse em guerra? E se uma bishoujo¹ aparecesse de repente e se tornasse minha vizinha?

Se algo do tipo acontecesse, definitivamente seria capaz de trabalhar duro.

Continuei me iludindo para escapar da realidade.

Sonhei com isso inúmeras vezes.

No meu sonho, não sou um super-homem e ainda possuo o mesmo nível de uma pessoa mediana. E como uma pessoa comum, era capaz de fazer o que meus limites me permitiam fazer. Poderia viver confiando em mim mesmo.

No entanto, vou acordar desse sonho.

Se der um passo para fora desta casa, posso acordar desse sonho.

E, quando acordar, voltarei a esse momento de desespero.

Naquele instante, quando me afoguei em arrependimentos…

Não, não é só um sonho.

Como pode haver um sonho tão realista assim?

Se você me disser que este é um VRMMORPG², ainda posso até aceitá-lo.

Isto é a realidade.

Continuo me convencendo.

Essa realidade não é um sonho.

Mesmo que entenda que é um fato, não posso dar um passo para fora.

Não importa quanto esforço coloque no meu coração.

Jurei viver sinceramente com meus lábios, mas meu corpo é incapaz de acompanhar.

Eu quero chorar.

 

Parte 2

 

O teste de graduação deve ser realizado fora da vila.

Quando Roxy me disse, soltei um fraco gemido em oposição.

“Fora da vila?”

“Sim. Os cavalos já foram preparados.”

“Não pode ser feito em casa?”

“Não.”

“Não pode…?”

Estou perdido.

Meu coração sabe disso, que tenho que dar um passo fora dos portões de casa. Como posso ser um hikikomori neste mundo?

Mas meu corpo está se recusando. Ele ainda se lembra daquele evento passado.

Naquele fatídico dia da minha vida passada, fui espancado e machucado por delinquentes, cruelmente ridicularizado e, por fim, meu coração ficou com um enorme dano psicológico.

Aquele fatídico dia em que não tive escolha senão me trancar dentro de casa.

“Algo errado?”

“Não… É que… Pode haver alguma criatura mágica lá fora.”

“Nesta área, é quase impossível encontrar criaturas mágicas se você não se aproximar das florestas. Além do que, mesmo que nos deparemos com alguma, posso lidar com isso sozinha já que elas são fracas. Na verdade, até você pode lidar.”

Roxy mostra uma expressão de surpresa quando continuo encontrando todos os tipos de desculpas.

“Ah, acho que já tinha ouvido falar de algo assim antes. Rudy, você nunca saiu de casa?”

“Hmmm… Sim.”

“Você tem medo dele? O cavalo.”

“Não tenho medo de cavalos ou coisas assim.”

Na verdade meio que gosto.

Eu também joguei <<De*by, Corridas de Cavalos³>>>>.

“Haha. Estou aliviada. Você tem áreas que correspondem à sua idade.”

Roxy teve a ideia errada, mas não posso dizer que tenho medo de sair. Isso é algo muito mais embaraçoso do que ter medo de cavalos.

Ainda tenho meu orgulho.

Uma pitada de orgulho.

Não quero ser menosprezado por essa jovem.

“Pois bem, não há o que fazer. Aqui.”

Vendo que não estou disposto a me mover, Roxy de repente me carrega em seus ombros.

“O qu…?”

“Se você apenas se sentar, logo não terá mais medo.”

Não luto.

Meu coração está oscilando também, e estou pensando em deixar isso com ela.

Roxy me joga na parte de trás do cavalo.

Em seguida, ela também sobe e pega as rédeas.

O cavalo avança.

Eu simplesmente saio de casa dessa maneira.

 

Parte 3

 

Esta é a minha primeira vez fora do pátio depois de vir a este mundo.

Roxy está avançando lentamente pela vila. De tempos em tempos, os aldeões nos lançam olhares sem reservas.

De jeito nenhum.

Meu corpo está ficando tenso.

Ainda tenho medo de ser olhado.

Especialmente aqueles olhares zombeteiros e desenfreados.

Não é possível que cortejassem problemas conosco com palavras zombeteiras.

Eles não iriam.

Eles não me reconhecem.

Neste mundo, apenas as pessoas daquela pequena casa me conhecem.

Por que você está olhando para mim?

Pare de olhar, volte ao trabalho…

…Não.

Não sou eu.

Estão olhando para Roxy.

Alguns deles cumprimentam-na.

Ah, isso mesmo.

Sua posição nesta vila já havia sido estabelecida.

Mesmo que a discriminação contra as raças demoníacas seja bastante severa neste país e nesta área rural esse contraste é ainda mais aparente, dentro de um curto período de dois anos, ela se tornou uma figura que todos estão dispostos a cumprimentar.

Quando penso nesse ponto, Roxy é uma figura digna de respeito.

Ela sabe para onde ir e eles a conhecem mutuamente.

Se eu receber qualquer comentário indesejado, ela vai me defender.

Haah, não posso acreditar que essa jovem garota, que espiou os eventos no quarto principal, seja alguém tão confiável.

Assim, a tensão do meu corpo desaparece.

“O humor de Kalajav está muito bom. Está se sentindo feliz que Rudy está montando.”

Kalajav é o nome do cavalo.

Claro, não consigo ler o humor de um cavalo.

“É mesmo.”

Respondi com indiferença quando me inclinei para trás, a parte de trás da minha cabeça bate no peito plano de Roxy.

Quão confortável…

Do que exatamente tenho medo?

Esta é uma vila pacífica. Quem vai me intimidar?

“Você ainda está com medo?”

Sendo questionado, balanço minha cabeça.

Não tenho mais medo dos olhares de outras pessoas.

“Não, já estou bem.”

“Viu? Foi como eu disse.”

Meu coração finalmente tem espaço para respirar.

Os arredores entram na minha vista. Campos e casas, como estrelas no céu, estendem-se no horizonte. A sensação de uma vila.

Posso ver um número considerável de pessoas dentro desse imenso raio. Se estivesse mais lotado, poderia se tornar uma cidade pequena.

Se houvessem moinhos de vento, poderia confundir com Suíça.

Ah, mas vejo moinhos de água.

Depois de relaxar, fico consciente do silêncio por um tempo. Nunca experimentei esse tipo de silêncio quando estava com Roxy antes.

Nunca tentei ficar tão perto dela. Mesmo que não seja insuportável, é embaraçoso.

Então decidi começar uma conversa.

“Professora, o que cultivam nesse campo?”

“O principal é o trigo de Asura, um ingrediente do pão. Há também pequenas quantidades de verduras e flores de Bardius. As flores de Bardius podem ser refinadas em especiarias na capital. O resto são ingredientes para a mesa de jantar.”

“Ah, isso é pimentão verde. A professora não suporta comê-lo.”

“N-Não é que não suporto, apenas não estou acostumada.”

Continuo com pergunta após pergunta.

Hoje, Roxy disse que este é o último teste, ou seja, o trabalho dela como tutora de casa está prestes a terminar.

Roxy é uma pessoa impaciente. Como hoje é o último dia, é possível que ela saia desta casa amanhã.

Como é o último dia, vamos conversar um pouco mais.

Mas não consigo encontrar nada de interessante para falar, só continuo perguntando coisas sobre a vila.

Baseado nas descrições de Roxy, o nome desta vila é Buina e faz parte da região de Fedoa do norte do reino de Asura.

Existem cerca de 30 famílias aqui, principalmente agricultores.

Meu pai, Paul, é o cavaleiro responsável por esta vila.

Seu dever é observar a situação dos agricultores, ser o mediador dos conflitos internos e defender a vila de criaturas mágicas. Esse é o seu trabalho.

Em outras palavras, um reconhecido guarda-costas do reino.

Porém, mesmo que seja o caso, essa vila tem uma rotatividade de jovens encarregados da segurança.

Então, quando Paul termina suas rondas de manhã, ele fica em casa à tarde.

No geral é uma vila pacífica, então não há muito que fazer.

Quando terminamos esses tópicos, os campos ao redor de nós gradualmente diminuíram.

Não tinha mais nada a perguntar e o silêncio continuou por algum tempo.

Mais uma hora se passou.

Não há mais campos ao nosso redor. Chegamos a uma área de pastagem completamente intocada.

 

Parte 4

 

Este é o tipo de pastagem que se estende em direção ao horizonte.

Não, se você olhar com mais cuidado consegue ver alguns indícios de uma área montanhosa.

Pelo menos esse cenário não pode ser visto no Japão.

Me dá a sensação de que há um lugar como este em um livro didático, como os campos da Mongólia.

“Aqui deve estar bom.”

Roxy direciona o cavalo para uma árvore solitária e amarra as rédeas.

Então ela me desce do cavalo. Estamos finalmente cara a cara.

“Vou usar a magia de água de nível santo, Cumulonimbus. Essa técnica é uma magia que cria raios com uma violenta chuva.”

“Sim.”

“Por favor, copie o que vou fazer.”

Usar uma magia de água de nível santo. Então este é o conteúdo do teste final.

Roxy está prestes a usar seu maior feitiço. Se eu for capaz de aprender, ela não terá mais nada para me ensinar.

“Porque estou apenas demonstrando, vou manter o feitiço por um minuto antes de dispersá-lo, e então… Você passa se puder fazer a chuva durar por uma hora.”

“É porque é uma técnica secreta que viemos fazer isso em um local deserto?”

“Não, estava preocupada que as pessoas nas proximidades se machucassem ou que as colheitas fossem danificadas.”

Oh.

É chuva em um nível de desastre natural?

Isso é incrível.

“Estou começando.”

Roxy levanta as mãos para o céu.

“Oh grandioso espírito da água, filho do imperador relâmpago que ascendeu aos céus!! Cumpra meus desejos, banha-nos com suas ferozes bênçãos e mostre a essa minúscula existência sua força! Deixe seu martelo divino bater na bigorna e demonstrar sua autoridade, devorando a terra com água!! Ah, a chuva!! Destrua e lave tudo!!”

『CUMULONIMBUS』

Ela canta cada palavra como uma ária.

Dura mais de um minuto.

Os arredores ficam escuros imediatamente quando o canto termina.

Alguns segundos depois… Uma forte chuva cai do céu.

Ventos violentos surgem ao nosso redor quando um raio aparece no meio das nuvens escuras.

Entre os sons da chuva em forma de cachoeira, raios de luz púrpuros corriam através das nuvens, causando estrondos altos.

A eletricidade nas nuvens lentamente se torna mais forte.

Os relâmpagos continuam a crescer, como se fizesse a luz ficar mais forte… Um raio atinge o solo.

Crash!!

E atinge a árvore.

Meus tímpanos estão zumbindo e meus olhos estão em espirais.

Quase desmaiei.

“Ah!!”

Este é o som que Roxy pronuncia quando comete um erro.

As nuvens se dispersam em um instante.

O raio e a chuva param.

“Uwawa…”

O rosto de Roxy fica verde enquanto corre em direção à árvore.

Olho na mesma direção. O cavalo que nós trouxemos caiu e está com fumaça saindo dele.

Roxy leva a mão para o cavalo e começa a cantar.

“Ó misericordiosa matriarca dos deuses, eu vós imploro, cure as feridas deste e deixe-o recuperar a vitalidade de seu corpo 『EXHEALING』.”

Roxy usa uma magia de cura intermediária em pânico e, depois de um tempo, o cavalo desperta.

Parece que não está morto.

Magia de cura de nível intermediário não pode trazer os mortos de volta à vida.

O cavalo mostra uma expressão assustada e a testa de Roxy começa a suar frio.

“Phew… Isso foi perigoso.”

Este cavalo é o único cavalo que nossa família tem.

Paul toma muito cuidado com ele todos os dias e, às vezes, o levava para o lado de fora com um sorriso…

Mesmo não sendo de uma raça famosa, é o companheiro de longa data de Paul. Pode-se até dizer que seu amor pelo cavalo está logo abaixo de seu amor por Zenith. Tal é a importância dele.

Claro que Roxy, que viveu conosco por 2 anos, sabe disso.

Também sei que Roxy testemunhou Paul estando em transe enquanto cavalgava o cavalo e ficou surpresa.

“Por favor, mantenha o ocorrido em segredo?”

Roxy diz com uma voz meio chorosa.

Ela é um pouco desajeitada, mas trabalha duro. Também sei que fica acordada até tarde da noite para preparar minhas lições. Sei que não quer ser desprezada por causa de sua tenra idade e sempre tenta se apresentar com dignidade.

Realmente gosto dessa aparência.

Se não houvesse uma diferença tão grande na idade, gostaria de me casar com ela.

“Não se preocupe, não vou contar ao pai.”

“Uuuu… Por favor, faça isso.”

Se nos conhecêssemos com a mesma idade.

“Uuu…”

Mesmo estando quase chorando, ela rapidamente balança a cabeça, bate na bochecha e olha para mim com uma expressão solene.

“Então, por favor, vá em frente e tente. Vou cuidar de Kalajav.”

O cavalo ainda mostra uma expressão de medo e está pronto para fugir a qualquer momento, mas Roxy se agarra a ele com força e o segura.

Ainda que eu sinta que ela é incapaz de contê-lo, o cavalo lentamente se acalma. Roxy mantém sua posição e começa a cantar alguma coisa.

E então, os dois são cobertos por paredes de terra. Rapidamente a fortaleza feita de terra é completada.

Esta é a magia de terra avançada, Fortaleza de Terra.

Assim, deve ficar tudo bem, mesmo que caiam raios.

Tudo bem, hora de começar.

Deixe-me refazer o canto…

“Oh grandioso espírito da água, filho do imperador relâmpago que ascendeu aos céus!! Cumpra meus desejos, banha-nos com suas ferozes bênçãos e mostre a essa minúscula existência sua força! Deixe seu martelo divino bater na bigorna e demonstrar sua autoridade, devorando a terra com água!! Ah, a chuva!! Destrua e lave tudo!!”

『CUMULONIMBUS』

Recito tudo de uma só vez.

As nuvens começam a se reunir.

Ao mesmo tempo, compreendi a magia Cumulonimbus.

Criam-se nuvens em algum lugar no meio da estratosfera, junto com movimentos complexos de correntes de ar para formar nuvens de tempestade. Provavelmente é algo do tipo.

Se a mana não for aplicada na formação, as nuvens irão parar de se formar e se dissipar.

 

Não importa a mana necessária, é muito cansativo levantar as mãos por 1 hora…

Não, espere.

Um mago requer um espírito de criatividade e investigação.

Você precisa manter a postura para reunir a Genki por uma hora?

Isso mesmo, é um teste.

Não se trata de manter a mesma posição, mas de usar magia combinada depois de criar as nuvens para sustentá-las.

Quase não consigo pensar nisso. As coisas que aprendi estão prestes a serem usadas.

“Deixe-me pensar… Vi um programa assim antes na televisão. Os processos de como as nuvens se formam…”

Ainda há algumas das nuvens que Roxy fez antes.

É sobre como a evaporação da água se eleva. Para criar um determinado fluxo de ar ascendente, você precisa deixar a parte inferior aquecer ou algo do gênero.

E preciso garantir que a seção superior possa ser rapidamente resfriada…

Ao tentar fazê-lo, metade da minha mana é absorvida.

Contudo, sendo feito dessa forma, deve ser capaz de se manter por mais de uma hora.

Enquanto olhava para a tempestade, entrei na fortaleza feita por Roxy com satisfação.

Roxy estava sentada num canto escuro, com suas mãos segurando as rédeas do cavalo.

Ela me vê e acena com a cabeça.

“Esta fortaleza desaparecerá depois de uma hora, então você pode parar a magia antes disso.”

“OK.”

“Não se preocupe, Kalajav está bem.”

“OK.”

“Pare de dizer ‘Ok’, você precisa controlar as nuvens por uma hora.”

Hmm?

“Preciso controlar?”

“Hm? Eu disse algo estranho?”

“Mas há necessidade de controlá-lo?”

“Claro. Magia de água de nível santo ainda é magia. Se você não a sustentar com mana, o vento dispersará as nuvens.”

“Mas já me encarreguei de que isso não aconteça…”

“Hã? O que…!?”

Roxy, que parece ter notado alguma coisa, corre para fora da fortaleza.

A fortaleza começa a se desfazer.

Ei, ei, você não vai continuar controlando a fortaleza?

O cavalo será enterrado vivo.

“Arara.”

Assumo o controle do forte e caminho para fora.

Roxy olha fixamente para os céus.

“… Entendo, um tornado espiral trará as nuvens para cima…!!”

Os céus estão cheios das nuvens sempre crescentes que criei.

Acho que fiz um ótimo trabalho.

Assisti a um show aleatório no passado que usava a ciência para explicar o processo por trás de enormes tornados.

Mesmo que eu não consiga me lembrar do seu conteúdo.

Apenas tentei confiar no meu instinto e, no final, pareço ter feito muito bem.

“Rudy. Você passou!”

“Eh? Mas não era uma hora?”

“Não há necessidade de esperar se você foi capaz de fazer tudo isso. Mas você pode pará-lo?”

“Ah sim. Embora precise de um pouco de tempo.”

Diminuo a temperatura na parte inferior da tempestade, aumentando a temperatura do topo. Então crio um fluxo de ar em direção ao chão antes de finalmente usar magia de vento para forçar a dispersão das nuvens.

Quando termino, Roxy e eu estamos e encharcados.

“Parabéns. Você é agora um mago de nível Santo d’Água.”

A bishoujo na minha frente com água pingando de sua franja anuncia com um sorriso raramente visto.

 

 

O eu que nunca conseguiu nada na vida finalmente realizou algo.

Uma sensação estranha parece se espalhar pelo meu abdômen.

Conheço essa sensação.

É uma sensação de satisfação.

Finalmente sinto isso neste momento, que este é o meu — Primeiro passo — depois de vir a este mundo.

 

Parte 5

 

No dia seguinte, Roxy, que não mudou nos últimos dois anos, arrumou sua bagagem e estava na frente dos portões.

Meus pais não mudaram muito desde que Roxy veio.

Sou o único que cresceu.

“Roxy, tudo bem se você quiser continuar ficando em nossa casa. Há muitas coisas que eu não cozinhei para você…”

“Isso mesmo. Ainda que seu trabalho como tutora tenha terminado, você fez muitas coisas por nós nesse último ano. As pessoas da vila irão recebê-la por mais tempo.”

Meus pais estão tentando manter Roxy.

Em algum lugar ao longo do caminho, Roxy e meus pais se tornaram próximos.

Bem, ela está sempre livre da tarde até a noite. Se fizesse algo todos os dias, poderia conseguir muitos contatos sem problemas.

Diferente de um protagonista que tem que fazer muitas coisas, senão suas estatísticas não mudam.

“Não. Obrigado por dizer isto, mas esta situação permitiu-me perceber a minha fraqueza. Vou percorrer o mundo e aperfeiçoar minhas habilidades mágicas.”

Ela parece ter recebido um choque depois que alcancei seu nível.

No passado, ela me disse como odiava estudantes que superavam o professor.

“Entendo. Aqui, o que posso dizer? Minhas desculpas, parece que nosso filho fez você perder a confiança.”

Paul, o que diabos você está dizendo?

“Não, esse evento me fez perceber meu excesso de confiança. Sou muito grata.”

“Não há problema em se orgulhar de si mesma se você pode usar magia de água de nível santo.”

“Estou ciente, contudo não é apenas o nível da magia, se não sua criatividade, através disso pode-se chegar a um estágio ainda mais forte.”

Roxy sorri amargamente enquanto acariciava minha cabeça.

“Rudy, mesmo que tenha tentado o meu melhor, não posso te ensinar no meu nível atual.”

“Isso não é verdade. A professora me ajudou em muitas coisas.”

“Estou satisfeita se você o diz… Ah, certo.”

Roxy procura em seu manto com a mão e tira algo amarrado com uma fita.

“Parabéns pela sua formatura. Não tive muito tempo para preparar, mas espero que você goste.”

“Isto é…?”

“Um amuleto de proteção Migurd. Se você se deparar com um demônio hostil, você pode apresentá-lo com o meu nome. Poderá ajudar a chegar a um entendimento… Provavelmente.”

“Vou tratá-lo com cuidado.”

“É apenas uma possibilidade, não acredite muito.”

Roxy sorri no final e sai.

Não sei quando minhas lágrimas começaram a fluir.

Ela me deu muito.

Conhecimento, experiência, técnica…

Se não tivesse a encontrado, ainda poderia estar estudando ineficientemente com um livro na mão. E o mais importante, me trouxe para fora. Para o mundo exterior. Apenas isso.

Roxy me trouxe para fora.

Este evento carrega um significado importante.

Roxy só veio para esta vila por 2 anos.

Roxy, que não sabia se comunicar bem com os outros, como uma pessoa de uma raça demoníaca, havia a chance de não ser bem tratada pelos aldeões.

Mas não foi Paul ou Zenith, se não Roxy que me trouxe para o mundo. A importância desse gesto…

Só fui levado para fora da vila.

No entanto, o pensamento de dar um passo para fora do portão era uma sombra dentro do meu coração. E ela o curou.

Apenas passando pela vila.

Meu coração foi liberado e libertado da escuridão.

Ela não tinha a intenção de me fazer uma pessoa melhor.

Porém, é inegável que foi por sua causa que a sombra em meu coração dissipou.

Dei outro passo para fora dos portões ontem quando nos encharcamos.

Só existe o chão.

O chão normal.

Não estou tremendo.

Posso finalmente andar lá fora.

Ela fez algo que ninguém mais fez.

Nem mesmo meus pais ou irmãos fizeram isso na minha vida passada.

Ela fez.

Assumiu a responsabilidade de me dar coragem sem qualquer repreensão.

Ela não fez isso conscientemente.

Eu entendo isso.

Fez isso por si mesma.

Sei disso.

Mas ainda a respeito.

Respeito essa pequena menina.

Juro em meu coração respeitá-la até que sua figura desapareça.

Minhas mãos estão segurando a varinha e o amuleto que Roxy me deu.

Bem como os vários conhecimentos que me foram ensinados.

De repente me lembro.

A calcinha que peguei de Roxy e não tinha sido lavada, ainda estava no meu quarto.

Eu sinto muito.


Tradutor: Araragi  |   Revisora: Nakiri



1 – Palavra japonesa que denota uma garota ou mulher especialmente bonita. É um termo bem recorrente em animes e mangás.⤴

2 – Termo de ficção científica onde você introduz todos os seus sentidos num jogo on-line em que você pode viver de forma realista.⤴

3 – Referência a um jogo japonês chamado Derby.⤴

4 – Ária, no sentido estrito, é qualquer composição musical escrita para um cantor solista, tendo quase o mesmo significado de canção.⤴

5 – Referência a Genki-Dama, usada pelo Goku em Dragon Ball Z.⤴


Fontes
Cores