MT – Volume 1 – Capítulo 1 – Poderia Ser Este, Outro Mundo?



Parte 1

 

Quando acordei, a primeira coisa que senti foi meus olhos sendo ofuscados.

A luz encheu meus olhos, e eu os estreitei em desconforto.

Quando senti que meus olhos haviam se acostumando com a luminosidade, encontrei uma jovem com cabelos dourados olhando para mim.

Uma garota bonit… Não, uma bela mulher seria mais apropriado.

Quem é?

Ao seu lado, um homem, com idade semelhante, de cabelo castanho me mostrou um pequeno sorriso tenso. Um homem de olhar forte e arrogante. Sem contar que seus músculos eram impressionantes.

Cabelo castanho, olhar arrogante… Com essa aparência dokyun¹, eu deveria ter uma reação de aversão, mas por incrível que pareça, não tive nenhum sentimento desagradável.

Provavelmente é porque seu cabelo não foi tingido. É um cabelo de cor castanho muito bonito.

“—XX—XXXX”

A mulher abriu um sorriso para mim e falou algo.

O que ela está dizendo? Sentindo-me confuso, não ouvi claramente e nem entendi nada.

Será que não é japonesa?

“—XXXXX—XXX,” o homem respondeu com uma expressão gentil.

Sério, o que ele acabou de dizer? Eu não consigo entender nada.

“—XX—XXX”

A voz de uma terceira pessoa veio de algum lugar. Porém, não pude ver onde estava.

Até tentei sentar e perguntar: “Onde é esse lugar e quem são vocês?”. Mesmo sendo um hikikomori, ainda não sou um fracassado na comunicação.

Eu ainda podia fazer algo assim.

 

“Ah. Ah—”

 

Mas o que veio de meus lábios, não sei se foi um gemido ou só uma respiração pesada.

Meu corpo não podia se mover. Sentia as sensações dos meus dedos e pulsos, mas eu não podia mexer o meu corpo.

“XXX—XXXXX”

No final, o homem me levantou.

Isso é uma piada, né? Eu peso mais de 100 kg, para me levantar assim tão fac…

Não, talvez eu estivesse em coma por dezenas de dias, o que ocasionou em uma perda do peso corporal.

A partir de um enorme incidente, a possibilidade de perder um braço ou uma perna é muito alta.

Um destino pior que a morte. Hah…

Esses foram os meus pensamentos naquele dia.

 

Parte 2

 

Um mês se passou.

Só então eu percebi que havia reencarnado como um bebê. Confirmei isso quando me carregaram nos braços e passamos ao lado de um espelho. Só então eu me vi refletido. E não sei porque ainda tenho as minhas memórias antigas. Bom, não é nada mal mantê-las também.

Manter as memórias depois de reencarnar… Qualquer pessoa já deve ter sonhado com isso, no mínimo uma vez.

Mas eu não achava que essa ilusão se tornaria realidade…

O primeiro casal que eu vi quando abri os olhos, pareciam ser meus pais.

Sua idade provavelmente está em torno dos 20. Eles são claramente mais jovens do que eu na minha vida passada.

Do ponto de vista de um homem de 34 anos, chamando-os de os jovens não seria errado.

Ter filhos nesta idade… invejo realmente essas pessoas.

Eu já tinha notado isso desde o início, mas este não parece ser o Japão.

A linguagem é diferente, os rostos dos meus pais não parecem ser de japoneses, e suas roupas parecem de aldeões.

Eu não conseguia ver nada semelhante de um dispositivo eletrônico — já que a pessoa, que vestia um avental de empregada, estava usando um pano para limpar as coisas —, e os utensílios, taças, e móveis são grosseiramente feitos de madeira. É bem provável que não seja um país bem desenvolvido.

É claro, a possibilidade de serem muito pobres e incapazes de pagar a conta de luz ainda existe.

…Talvez, essa possibilidade seja bem alta?

Eu pensei que eles tinham alguma grana, já que havia uma empregada. No entanto, não seria nada estranho se fosse uma irmã dos meus pais. Então, seria algo bem normal para ela estar limpando.

Certamente eu queria começar mais uma vez, mas viver em uma família que não podia nem pagar as contas me deixou muito inquieto.

 

Parte 3

 

Meio ano se passou.

Ouvindo as conversas dos meus pais neste último semestre, comecei a entender as coisas pouco a pouco.

Minhas notas em Inglês não poderiam ser consideradas boas, mas que é verdade aquilo de “você aprende melhor quando cercado de falantes nativos”. Ou será que é a mente deste corpo que é muito boa? Talvez, por conta da pouca idade, acabo lembrando das coisas rapidamente.

E, com esta idade já consigo engatinhar. Ser capaz de se mover é uma coisa maravilhosa. Nunca me senti tão grato por conseguir me mover.

“Se eu tirar os meus olhos dele por um segundo, ele acaba desaparecendo de vista.”

“Não é bom que ele seja agitado? Fiquei mais preocupado quando ele não chorou quando nasceu.”

“Mesmo agora, ele não chora por nada.”

Meus pais tiveram essa conversa quando me viram engatinhando por toda parte.

Afinal, eu estava em uma idade que iria chorar quando estivesse com fome.

Mas, quando se trata de me segurar, não tem jeito, as necessidades de baixo vazam. Então, só deixei a vida seguir o seu curso natural.

 

Mesmo só podendo engatinhar, quando fiz uma vez, passei a entender muitas coisas.

Primeiramente, minha família tem uma boa vida.

A casa tem dois andares e é feita de madeira, tem até mais de 5 quartos. E, temos uma empregada doméstica contratada.

No começo pensei que a empregada era a minha tia ou algo assim, mas a sua atitude respeitosa com os meus pais me fez perceber que ela não é da família.

Este lugar era uma aldeia.

A partir do cenário fora das janelas, eu podia ver uma tranquila paisagem rural.

As outras casas estão espalhadas ao redor e, ao lado, tem um campo de trigo com 2 ou 3 famílias próximas.

Uma completa roça. Fios elétricos, lâmpadas, ou algo semelhante não podiam ser vistos. Talvez não houvesse um gerador nas proximidades.

Embora ouvi que, em países estrangeiros os fios ficam abaixo do solo, se esse for o caso, é estranho que esta casa não tenha energia elétrica.

É muito rural. Foi doloroso para mim, que tinha sido levado pela onda da modernidade. Mesmo que fosse uma reencarnação, eu ainda queria ter um computador pessoal.

 

Este pensamento terminou em uma certa tarde.

Eu, que não tinha nada para fazer, queria admirar as paisagens do campo, então, subi na cadeira, como de costume, olhei pela janela e fiquei chocado.

Meu pai estava balançando uma espada no pátio.

Qu- hã? O que ele está fazendo?

Meu pai ainda balança uma coisa dessas, mesmo nessa idade? Será que tem Chuunibyou?

 

Ah! droga…

Devido ao choque, caí da cadeira.

Meu braço, que ainda não era suficientemente grande, agarrou na cadeira, mas foi incapaz de sustentar meu corpo, e a minha cabeça atingiu o chão.

“Kyaa!”

Eu ouvi um grito, assim quando bati com a cabeça no chão.

As roupas, que foram lavadas, caíram dos braços de minha mãe, e ela colocou as mãos sobre a boca, me olhando com um rosto mortalmente pálido.

“Rudy! Você está bem!?”

Minha mãe correu para mim e me levantou.

Após a troca de olhares, ela colocou a mão no peito, parecendo que estava aliviada.

“…Ufa. Você parece estar bem.”

Senhora é melhor não mover alguém após ter a cabeça batida. Lembrei em meu coração.

Notando pela atitude ansiosa dela, a maneira como eu caí deveria ser bem perigosa.

Poderia ser possível que eu me tornasse um idiota devido à batida na cabeça. Talvez não fizesse diferença.

Sinto uma dor latejante na parte de trás da minha cabeça. Bem, por eu ter conseguido agarrar a cadeira a velocidade reduziu, e o impacto foi menor que seria.

Como a reação da minha mãe não parecia estar pânico, assumi que não havia nenhum sangue. Foi, provavelmente, apenas um inchaço.

Minha mãe deu uma olhada cuidadosa na minha cabeça.

Sua expressão parecia dizer se houvesse uma lesão séria grave. Finalmente, ela colocou a mão na minha cabeça, “Para ser salvo… Deixe o poder de Deus ser convertido em uma colheita abundante, e conceda àqueles que perderam a sua força de vontade mais uma vez— 『CURAR』”

Eu quase interrompi, Ei, ei. Esse é o “beijinho para sarar” deste país?!

Ou será que, além de meu pai com uma espada empunhada, minha mãe também tem chuunibyou?

Um guerreiro casado com uma clériga? Justamente quando eu estava pensando nisso.

A mão da minha mãe emitiu uma luz pálida e, em um instante, minha dor desapareceu.

…Eh?

“Viu, tá tudo bem agora. Afinal, a mamãe era uma renomada aventureira,” minha mãe disse em tom arrogante.

Imediatamente, fiquei mergulhado em confusão.

Espada, guerreiro, aventureira, cura, cântico, clériga. Todas estas palavras ecoaram em minha mente.

Tipo, o que foi aquilo? O que ela acabou de fazer?

“O que aconteceu?” perguntou o meu pai olhando pela janela do lado de fora. Ele veio assim que ouviu o grito da minha mãe.

Ele estava coberto por suor, por estar praticando com a espada.

“Querido, o Rudy subiu na cadeira e quase ficou gravemente ferido.”

“Ora, ora, não é bom que um garoto seja animado?”

Uma mãe um pouco preocupada, e um pai que não trata como uma grande coisa e apazigua ela. Este é um evento comumente visto.

Mas, minha mãe não se afasta de mim, talvez devido à parte de trás da minha cabeça ter batido no chão pela primeira vez.

“Um segundo, querido. Ele não tem nem ao menos um ano. Você devia se preocupar um pouco mais!”

“Mesmo que você diga isso, uma criança é feita para crescer caindo. Dessa forma, ele vai se tornar saudável. Além disso, mesmo se estiver ferido, não é bom ter você para tratar ele.”

“Mas estou realmente preocupada, só de pensar nele se machucando gravemente e não poder de ajudar el…”

“Ele vai ficar bem.”

Meu pai disse e a abraçou com força.

O rosto da minha mãe ficou vermelho.

“Eu estava preocupado quando ele não chorou, mas ele é tão danado, certamente irá ficar bem…”

Meu pai beijou minha mãe.

Ei, ei. Vocês dois estão mostrando isso para mim de propósito?

Logo depois, os dois me deixam no quarto ao lado para dormir, foram para o segundo andar e começaram a tarefa de me dar irmãozinhos.

Mesmo que o dois vão para o segundo andar, ainda consigo ouvir os ruídos de nyan nyan. Malditos sejam os riajuus².

Mas, magia huh…

 

 

Parte 4

 

Mais tarde, comecei a prestar atenção nas conversas entre meus pais e a empregada doméstica.

 

E, então percebi um monte de termos que não existia no meu vocabulário. Especialmente nomes de países, nomes de distrito, e vários nomes de lugares. Alguns nomes próprios que eu nunca ouvi antes.

Este lugar poderia ser… Não, eu tenho certeza disso. Esta não é a Terra, mas algum outro mundo.

 

Um mundo diferente, que tem espadas e magia.

 

Neste momento, eu tive um lampejo de inspiração.

…Se este é um novo mundo, talvez até eu possa conseguir. Se for um mundo de espadas e magia, um mundo que é diferente do senso comum, talvez eu possa mesmo…

Viver como uma pessoa normal. Trabalhar duro como qualquer outra pessoa. Mesmo se eu cair, posso levantar de volta e viver a minha vida completamente.

Eu estava cheio de remorso quando morri na minha vida anterior.

Morrer cheio de inquietação pela minha própria incompetência e pelo fato de que nunca realizei nada.

Porém, para mim, que experimentou tudo isso, retendo o conhecimento e experiências, talvez eu possa realmente conseguir.

Viver a sério.


Tradutor: Araragi

Revisor: Rose Kethen



1 – Donkyun: é um termo depreciativo usado na internet, apontado para os delinquentes, pessoas que não são brilhantes ou que usam de violência, por vezes, também aponta para pessoas que não têm o senso comum ou são simplesmente ignorantes. ⤴

2 – Riajuu significa “quem vive uma vida produtiva”. Essa palavra foi criada pelos otakus, que preferem estar na internet e ter uma vida virtual. Logo, riajuu é usado como um insulto por otakus, então, os riajuus são aquelas pessoas que namoram, trabalham, ajudam amigos, saem bastante etc. “Ria” vem da palavra inglesa “real”, e “Juu” vem de Juujitsu, que significa produtivo. ⤴


Fontes
Cores