GADG – Capítulo 29 – Estou Um Pouco Cansada, Então Realmente Não Quero Comer Agora



Chiados e gritos dos soldados do Reino ecoaram nas planícies. O aglomerado de carros de boi causou estragos na linha de batalha da divisão de Octavio.

Eles tinham feito muito bem em empurrar de volta com seus escudos. Imediatamente depois, as minas mágicas carregadas explodiram no sinal do feiticeiro de serviço especial para a ignição.

Para aumentar seu poder destrutivo, os carros estavam cheios de grandes quantidades de pólvora e fragmentos de metal afiados. Aqueles espalhados em todas as direções, mutilando os membros dos soldados do Reino ou penetrando em seus corpos, e muitas vidas foram roubadas.

Aqueles que morreram ainda eram contados como sortudos. Soldados atingidos pelos estilhaços de ferro estavam em agonia. Eles foram privados de sua força para lutar, e eles não conseguiam nem morrer, apenas capazes de se contorcer em dor intensa.

As minas mágicas foram obtidas do Império, mas elas não eram particularmente boas em matar ou ferir. Claro, elas tinham um poder destrutivo, mas podiam afastar várias dezenas de homens no máximo. Se o propósito deles era causar perdas nos homens, uma grande quantidade delas precisava ser investida, e o custo e trabalho seriam demais.

Para reduzir os custos com mais ou menos a mesma eficácia, Diener melhorou as armas, que originalmente tinham que ser colocadas, para uso em uma investida.

O papel esperado desses carros de boi era revelar uma representação do inferno e drenar o espírito de luta do inimigo; para revelar tudo muito repugnantemente que, mesmo que os soldados os detivessem, eles morreriam; e para mostrar que, se escapassem, os bois mergulhariam ainda mais profundamente na formação e espalhariam o dano. O objetivo deles era forçar o inimigo em duas alternativas irracionais. Contra os soldados do Reino que tinham baixa moral, esses carros de boi eram armas quase dolorosamente eficazes.

Não havia nenhum soldado do Reino cheio de lealdade e bravura que se oferecesse para ser um escudo, vendo o desastre diante de seus olhos.

Duzentos carros de bois foram enviados para a ala central e esquerda como a primeira onda.

As linhas de batalha do Exército do Reino haviam caído no caos e não havia mais controle algum. Era inconcebível que tanto os generais, Octavio ou Borbon, tivessem a capacidade de liderança para reunir o estado atual. Neste cenário inesperado, eles simplesmente ficaram espantados. E ainda havia muitos mais carros de boi, carregados com armas de abate.

— Se acalmem-!! Não quebrem a formação!! Vocês não podem deixar esses carros de boi passarem!!

— Não fode! Você acha que somos escudos!?

— Você pensa em ir contra as ordens? Se eles atravessarem a formação, explodirão dentro do acampamento aliado! Pare-os aqui e mantenham o dano ao mínimo! Eu não vou perdoar se alguém fugir!

— Como se eu pudesse seguir essa ordem!! Seu retardado-!

— O, o que você-

Derrubando o oficial leal em seu serviço, os soldados do Reino começaram a fugir para salvar suas vidas.

A segunda onda de carros de boi rompeu a guarda avançada e detonou dentro da formação da divisão de Octavio.

— O, o que é isso? Apenas o que diabos está acontecendo! Ajudante, explique!

— Eu não sei! Mas, mas, a este ritmo, nossa divisão será aniquilada! Sua Excelência! Suas ordens!

O Ajudante procurou instruções de Octavio, mas ele estava em pânico e não em posição de dar qualquer.

— E-Espere! Esses bois estão vindo para cá! Se apresse e pare-os! Faça-os parar!!

— Guarda-costas, parem aqueles carros de bois!! Proteja o corpo de Sua Excelência! Por que deixaram eles penetrar tão longe-!!? O que os soldados da linha de frente estão fazendo?

Os guarda-costas em torno de Octavio bloquearam os carros de boi usando seus corpos como escudos. Não importa que tipo de pessoa fosse seu chefe, os guarda-costas tinham que proteger às custas de suas vidas. A corrida dos bois de Colônia foi detida a uma pequena distância da sede da Octavio.

O feiticeiro do Exército de Libertação, observando com uma luneta, deu uma risadinha e mandou o sinal para a detonação.

Metade dos guarda-costas envolvidos na explosão à queima-roupa morreram instantaneamente, e os sobreviventes ​​se contorciam no chão enquanto sustentavam feridas fatais.

As entranhas de seus guarda-costas voaram diante dos olhos de Octavio. A morte chegara tão perto dele. Octavio sentiu um profundo terror.

— E-Esta é a nova arma do inimigo. Tenho que ir ao General Barbora. Senão não receberá as informações direto de mim! G-Guerard, confio o comando a você!

Gritou Octavio tremendo, limpando os pingos de sangue presos a ele. Ele não queria estar nesse tipo de lugar. Por que um general de alto escalão como ele tem que estar em perigo de morte? Na mente de Octavio existia apenas a ideia de deixar este lugar imediatamente.

— Sua Excelência, se Sua Excelência escapar agora, nossos aliados serão eliminados. Temos que reunir nossa posição, de alguma forma, aqui! Eu te imploro, por favor, se contenha e assuma o comando. Isso é algo que só sua Excelência pode fazer!

— C-Cala a boca, silêncio! Não estou fugindo; vou relatar diretamente! Voltarei logo! Eu te dou o comando até então.

— S-S-Sua Excelência. V-Você está nos abandonando?

— Eu deixo contigo, Guerard! Não vou esquecer sua lealdade na minha vida!

Octavio rapidamente montou seu cavalo e começou a ir em direção à sede de Barbora enquanto pegava seus guarda-costas restantes. Deixado para trás o inferno, Guerard murmurou uma frase enquanto seu rosto estava pálido. Desespero, decepção, arrependimento, ele deixou tudo de lado.

— ….. Acabou. Não há… esperança.

O Exército do Reino, essa era a própria fama do Reino Yuze. Carros de boi furiosos estavam se aproximando iminentemente. No final, depois de lembrar de tantas difamações quanto ele poderia pensar contra Octavio, chegou a vez de Guerard.

A divisão de Octavio da ala central desapareceu completamente. Disseram que o comandante havia fugido e que os soldados do Exército do Reino estavam desmoronando, derrotados. Diener soltou bois que não estavam transportando minas mágicas e mandaram que eles voltassem para a infantaria novamente. Os soldados do Reino começaram a fugir com a simples visão deles. O fluxo da batalha foi imediatamente para o Exército de Libertação.

A divisão de Borbon na ala esquerda estava basicamente no mesmo estado. O comandante não fugiu, mas ele não conseguiu dar ordens efetivas. Ele não conseguia nem tomar a decisão de recuar. Este era o carma por ter confiado o comando a ele. Os oficiais não-comissionados, priorizando suas vidas, largaram suas armas e desertaram.

Behrouz, do Exército de Libertação, não deixou passar essa chance, e ele decididamente fez uma ofensiva geral. Ele estava à frente do exército e abriu a ala esquerda em um único golpe. O Major-General Borbon escapou para a retaguarda com as pequenas tropas que ele tinha sob seu comando… com um oficial de estado-maior e guarda-costas arrastando-o pelos dois braços.

***

Quartel General de Barbora, no centro aberto do meio e das alas esquerdas.

Larus, vendo através da natureza da arma do inimigo, imediatamente espalhou os soldados, tentando manter os danos ao mínimo.

Para os carros de boi, ele ordenou que parassem os pés de bois. Embora fosse um plano improvisado, também era o melhor meio nessa situação.

— Joguem suas lanças; parem os pés de boi! Não se apressem, acalmem-se e mirem!!

— Lanceiros, joguem!!

Apesar de estar no pé de trás, os soldados de Larus seguiram as instruções e jogaram suas lanças. Com várias lanças batendo em suas pernas, o equilíbrio dos bois de Colônia foi quebrado e elas tombaram para o lado. A fraqueza dos carros de boi era o peso do vagão. Seu avanço poderia ser interrompido empurrando-o do lado ou atacando as pernas do boi.

De trás da infantaria, protegidos por escudos, os arqueiros atacaram os carros de boi com flechas de fogo. As minas mágicas não explodiriam desde que não recebessem um sinal de poder mágico, mas a pólvora carregada era outra história. Quando elas acendiam, as carroças espalhavam estilhaços de ferro com um estrondo trovejante.

— Diga aos soldados nas linhas de frente para apontar para os pés de bois com suas lanças! Ou tente derrubá-los com um ataque do lado! Não podemos lidar com eles de outra maneira nesta situação! Absolutamente não os detenha de frente; não morram em vão!

— Sim senhor-!

Larus levantou a voz e o mensageiro saudou e se dirigiu para as linhas de frente.

— E pensar que eles deixariam os rebanhos comuns de gado infringirem isso!

“Se definirmos limites, ou talvez cercas de defesa, podemos lidar. Mas não chegaremos a tempo. Merda… a este ritmo…”

Olhando em volta, tudo o que viu foram feridos, oficiais e homens. Olhando para as linhas de frente, seus aliados foram completamente eliminados. O que ele deveria fazer nessa situação? Larus se virou e foi para o quartel general de Barbora com passos rápidos. Agora que suas forças principais haviam desmoronado, o próximo a ser cercado seria seu quartel-general. Eles tinham que tomar uma decisão.

Larus recordou as palavras finais de Sharov e amaldiçoou em sua mente.

“Como o Marechal-de-Campo Sharov disse, eu sabia que não deveríamos ter começado um ataque. Devíamos reforçar nossas defesas e esperar por uma oportunidade. Se estivéssemos nas montanhas, essa situação teria sido impossível!

***

Quartel general.

Mensageiros estavam indo e voltando em uma enxurrada.

Octavio, que fizera uma fuga e veio para cá, estava dando uma explicação frenética para Barbora, que tinha uma veia saliente na cabeça.

Os olhares de desaprovação dos oficiais de estado-maior dispararam até Octavio. Barbora estava segurando a raiva enquanto rangia os dentes.

— Sua Excelência. Essa é a nova arma do inimigo. Ela tem um poder aterrorizante! Eu tive que vir denunciar imediatamente e vim aqui sem olhar para trás, para o perigo. Por favor, por favor entenda! Eu absolutamente não fugi!

— …… E então, o que aconteceu com seus soldados. Você, o comandante de todas as pessoas, abandonou seus soldados e correu para casa sozinho? E você ainda se chama comandante de divisão? Você não tem vergonha como Major-General!!?

— Você está enganado! Eu estava muito preocupado com o bem-estar de Sua Excelência e não pude deixar de me preocupar…

— Cale a boca, seu idiota!! Tenha alguma vergonha!!

O punho de Barbora impactou o rosto de Octavio. Soprando sangue pelo nariz, Octavio se prostrou.

— Me, me, me perdoe

— E isso não é tudo! Seu desgraçado, por que você não seguiu como mandava o plano! O que você estava pensando ao deixar nossa chance escapar?!?

Ele chutou o corpo de Octavio. Isso não diminuiu sua raiva.

— O-O sinal de flare. O sinal não subiu! Toda a culpa é da Coronel Schera! Deveria ter sido impossível para uma menina tão humilde realizar esse importante dever em primeiro lugar!

Proteger-se era mais importante que a vitória ou a derrota. Se ele fosse julgado por violar os regulamentos militares, seria pena de morte. Octavio implorou freneticamente para evitar isso.

— O sinalizador veio de fato da unidade de Schera, e os relatórios dizem que você desconsiderou isso! Octavio, eu vou fazer você compensar essa má conduta com a sua vida!

Barbora estava claramente nos limites de sua paciência. Ele desembainhou a espada e pressionou-a contra o pescoço de Octavio. Assustado, Octavio esfregou a testa no chão como um sinal de remorso até sangrar e pediu desculpas profusamente.

Com lágrimas e muco escorrendo pelo rosto, sua figura enquanto implorava a Barbora por simpatia não era muito parecida com a de um general.

— ….. Sua Excelência Barbora. Nós não temos o luxo de nos preocupar com esse idiota agora. Eu acredito que devemos deixar para lidar com ele depois que isso acabar. A moral dos soldados, que já está baixa o suficiente, cairá ainda mais.

Aconselhou Larus, que havia voltado. Mesmo como uma brincadeira, ele nunca tinha ouvido falar em julgar um homem encarregado de uma divisão inteira durante uma batalha. Seu precioso tempo estava sendo desperdiçado, mesmo agora. Em primeiro lugar, quem foi a pessoa que nomeou esse tolo para o comandante da divisão e deu a ele uma ala inteira? Depois de olhar para Octavio, Larus lançou um olhar frio a Barbora.

— Policiais militares, reprimam este palhaço! Eu vou arrancar essa cabeça imunda outro dia!

— Sua Excelência, perdoe-me. Por favor, tenha misericórdia!! Sua Excelência, Barbora!

— Silêncio-! Policiais, apressem-se e levem-no embora! Eu não suporto olhar para ele!

— Sim senhor-!

Os policiais agarraram o cabelo de Octavio e deixaram o quartel-general. Sua voz chorosa desapareceu na distância.

O lugar ficou em silêncio e Barbora ajustou sua respiração alta. Ele podia ouvir os sons de explosões na distância de vez em quando.

— …. Major-General Larus. Como está a situação?

— A batalha está à beira de ser o pior cenário possível. Já existem fortes indicadores de derrota. Provavelmente não demoraria nem uma hora até que todo o exército fosse eliminado. Iremos lutar até o fim, ou fugiremos? Gostaria de receber instruções de você, comandante do Corpo do Exército.

— ….. Onde, onde, onde erramos? Merda-!! Por quê-!! Não tínhamos a vantagem esmagadora até há pouco tempo!!?

Barbora agitou sua espada em seu pavilhão. Enquanto, sem expressão, o observava, Larus declarou sua opinião.

— Ainda podemos manter a aparência de um exército. A bandeira de Yalder pode ser vista do Planalto das Carnas. Uma retirada é possível agora, e provavelmente poderíamos minimizar os danos. Sua Excelência, sua decisão.

— V-Você está me pedindo para fugir? O destino do Reino está na balança dessa batalha. Você entende isso? Se nós, nos retirarmos, não mais…

Ser derrotado nessa batalha significava perder sua hegemonia na área de Canaã. A tomada da cidade de Canaã e da Fortaleza de Roshanak seria forçada a descer pela garganta deles. Esses lugares ficariam indefesos em território inimigo. Se eles perdessem o controle de Canaã, os portões da Capital Real seriam abertos, e todos os senhores feudais que obstinadamente permaneceram em cima do muro iriam se unir ao Exército de Libertação. – E se isso acontecesse, acabou.

— Não há mais nada que possamos fazer. Você quer que todos morram aqui? Ou recuar, reunir nossas forças e tentar um retorno de alguma forma? Sua Excelência Barbora. Você deve decidir. Este é o seu dever final como comandante do Corpo do Exército.

— …… tsk.

Barbora não poderia fazer isso. Se ele quisesse escolher uma morte orgulhosa, ele deveria lutar bravamente até a morte ali. Mas as vidas de várias dezenas de milhares de homens estavam nas mãos de Barbora. Como comandante, não era a escolha certa salvar mais um soldado? Seu orgulho como guerreiro, ou seu dever como o mais alto comandante. Barbora angustiado, preso entre os dois. Ele não conseguia responder.

— Se você não fizer nada, eu gostaria que você me deixasse retornar à minha unidade. Eu quero morrer junto com meus subordinados, se for para morrer. Desculpe, mas eu não tenho nenhum interesse em ficar com você até nossos últimos momentos.

De coração frio, declarou de forma clara Larus enquanto se virava, mas Barbora deteve-o em urgência.

— …. Eu entendo. Nós vamos nos retirar. Mande o exército inteiro recuar! Não podemos ser totalmente aniquilados aqui!

— Entendido. Eu notificarei o exército inteiro. Também enviarei um mensageiro ao general Yalder, em Carnas…. Com licença então.

Larus saudou e começou os preparativos para o retiro. Barbora cobriu o rosto com as duas mãos e desmoronou no local. Para este homem que assumiu o comando do Primeiro Exército após a morte de Sharov, este foi seu primeiro e maior fracasso, e isso o esmagou.

 ***

Ao mesmo tempo, Planalto de Carnas, acampamento alto.

Podia-se testemunhar muito claramente o estado lastimável do Exército do Reino do alto. Yalder e Sidamo tinham expressões perturbadas.

Quanto a Schera, ela finalmente conseguiu fazer uma refeição satisfatória e ficou alegre. Ela ficou com fome depois de estar ativa.

O almoço de hoje foi carne seca de Colônia retirado do campo inimigo. Ela não sabia por que eles tinham um item tão caro, mas quem se importava, e Schera mastigava bem e saboreava a deliciosa carne.

Quanto mais mastigava, mais o sabor saía, o sabor da carne de alta qualidade do boi de Colônia. Um cavaleiro ao lado dela estava cantarolando. Schera bebeu água de um frasco de bambu, colocou a carne entre duas fatias de pão e mordeu. Se esta carne fosse fresca e consumida apenas ligeiramente grelhada, provavelmente seria extremamente deliciosa. Mas ela não podia ser estragada.

Era uma alegria apenas poder comer.

— Sidamo. Acho que devemos descer do planalto e recuar imediatamente. Nós morreríamos em vão tentando atacar as linhas inimigas agora mesmo.

Yalder deixou de lado qualquer pensamento desejoso e calmamente examinou a situação. Se ele fosse um comandante nas linhas de frente, ele teria atacado, mesmo que tivesse que fazer isso sozinho. O significado desta batalha era imenso. Ele ficaria longe de preferir, vergonhosamente, sobreviver depois de ser derrotado.

Mas, como comandante de divisão agora, ele tinha que levar os soldados para a Capital Real, mantendo os sacrifícios ao mínimo de alguma forma, para a defesa da Capital Real.

— Eu compartilho da mesma opinião. Os soldados gastaram toda a sua energia para tomar este planalto e estão exaustos. Lamentavelmente, nós provavelmente seríamos aniquilados antes de alcançar as linhas inimigas. Até mesmo lutar com força de vontade tem seus limites. Nesse caso, devemos imediatamente mudar de rumo e seguir para Canaã. Ainda podemos repelir as atividades.

— …… Esta situação…. já aconteceu antes. Sidamo, ao mesmo tempo em que nos retiramos, enviamos batedores para Canaã e Roshanak. Peça-lhes que verifiquem se a bandeira do Exército do Reino está hasteada.

Quando Yalder foi derrotado tentando capturar Salvador, Antígua caiu durante sua volta. Esta situação assemelhava-se a isso. Não, esta situação era provavelmente ainda pior. Não seria estranho o inimigo já ter chegado dominado.

— Eles já caíram, ou eles….

— Se lhes dissermos sobre a nossa derrota, o que esses caras em cima do muro vão fazer é evidente. Devemos evitar ser pinçados. Por enquanto, evacuamos. Antes de estarmos cercados.

— Coronel Schera! Nós vamos mudar de rumo! Sua unidade permanecerá como a vanguarda e seguiremos em direção a Canaã! Use sua mobilidade e jogue o inimigo no caos! Faça-os conhecer o terror da Morte!

Sidamo gritou suas instruções com uma voz raivosa rara para ela.

De repente, recebendo uma diretriz, Schera engasgou algumas vezes e depois saudou. A carne seca ficou presa na garganta.

— …… Entendido!

— Deixo todas as decisões para o seu julgamento!

— Coronel, não morra em um lugar como este….. Vamos nos encontrar novamente.

Yalder deu um tapinha no ombro de Schera e saiu para comandar seus soldados.

Vendo Sidamo perseguindo-o em um ritmo rápido, Schera falou com Katarina.

— Nós já passamos tanto tempo guardando esse lugar, mas parece que foi um desperdício de esforço. Então por que nós lutamos, eu me pergunto.

A morte de Konrad e as muitas mortes de seus importantes companheiros. As forças restantes de sua cavalaria, provavelmente eram em torno de mil e quinhentos? Todos os seus sacrifícios para assumir o controle do acampamento elevado equivaliam a: levantar uma bandeira e todos gritarem.

— ……. Coronel.

— Que assim seja. Quando voltarmos, matarei aquele porco do Octavio. De certo modo, ele realmente sentirá isso e nunca esquecerá.

— Sim senhora.

— …. Além disso, eu não vou te perdoar por mover minha cavalaria sem a minha permissão pela segunda vez. Grave isso no seu coração.

Schera olhou para Katarina com os olhos semicerrados. Katarina abaixou a cabeça, envergonhada, enquanto tocava os óculos com as mãos trêmulas.

— Sim senhora. E-Entendido. Por favor, me perdoe, Coronel.

— Eu não quero ser salva se isso significar abandonar meus subordinados. Afinal, eu preferiria estar com todos vocês, meus companheiros que compartilharam uma refeição comigo por tanto tempo. Você precisa me incluir também, e eu nunca deixarei você me deixar de fora.

Com um leve sorriso, Schera tocou afetuosamente o ombro de Katarina.

— S-Sim C-Coronel.

— Tudo bem, vamos. Não vai dar cero se não formos a vanguarda. – A Cavalaria de Schera descerá do Planalto de Carnas e mudará de rumo para Canaã!! Vamos atropelar quem se atrever a entrar no nosso caminho!!

— Entendido-!!

— Cavalaria de Schera, partir!!

A Legião de Yalder e a Cavalaria de Schera desistiram do Planalto de Carnas e se retiraram, com o objetivo de ir a Canaã. Ao mesmo tempo em que repeliam as unidades de perseguição, eles tiveram uma recuada esplendidamente bem-sucedida. Não houve quase nenhum acidente, mas isso foi em última análise, porque os soldados do Exército de Libertação, ao verem Schera, ficaram com os pés frios. Schera era temida a esse nível.

Por outro lado, os soldados remanescentes de Barbora, Larus, Octavio e Borbon foram implacavelmente perseguidos pelo Exército de Libertação e receberam grandes perdas. Toda a vontade de lutar se foi, as pessoas continuaram se rendendo ou desertando, provocando um estado que só poderia ser descrito como uma cena após um desastre.

A cidade de Canaã, sabendo de sua derrota, agiu em um acordo secreto feito anteriormente e mudou de filiação ao Exército de Libertação. Eles se posicionaram para repelir o exército em retirada do Reino. Obviamente, os senhores feudais se protegeriam.

Eles imediatamente persuadiram os guardas e, como resultado de discursos à população, não havia ninguém na oposição, e a cidade de Canaã caiu nas mãos do Exército de Libertação.

As opiniões na Fortaleza de Roshanak estavam divididas. – Eles devem continuar em sua lealdade ao Reino, ou devem se render ao Exército de Libertação?

No final, uma luta até morte irrompeu, e quando os portões foram abertos pelos defensores da capitulação, o Exército de Libertação entrou em ação e a fortaleza caiu, a resistência dos guardas foi em vão.

Tendo perdido a posição crítica que era a Área de Canaã, o Exército do Reino continuou a fugir e se dirigiu para a Capital Real. Os soldados que haviam chegado a cento e cinquenta mil antes da batalha já haviam diminuído para quarenta mil. Apenas vinte mil haviam morrido na perseguição, mas o número de desertores era incomum.

Yalder, que se ofereceu para ser a retaguarda, estendeu uma formação através da estrada estreita que liga Canaã à Capital Real e resistiu resolutamente.

Eles destruíram uma unidade do Exército de Libertação que estava impaciente pelo sucesso, e ele demonstrou tal ordem que os derrotou.

— Hahaha-, isso não é suficiente para superar eu, Yalder! Venha contra mim com pelo menos cem mil! Como eu vou ser facilmente morto por vocês, jovens rebeldes do exército!? Sidamo, levante-a! Deixe-os saber que Yalder está aqui!!

— Sim senhor-!

Ao sinal, Sidamo içou as bandeiras do arruinado Terceiro e Quarto Corpo do Exército. Elas eram símbolos da glória de Yalder e suas falhas, mas também eram seu orgulho por ter lutado e sobrevivido com seus soldados. As bandeiras manchadas de lama e sangue pegaram o vento e bateram, como se estivessem se mostrando ao Exército de Libertação.

— Enquanto eu estiver aqui, o Reino não perecerá. Até o final amargo e absoluto, vou lutar! Hahaha! Sidamo, desculpe, mas você vai me acompanhar até o fim!! Você deve estar arrependido, arrependido de sua própria má sorte!

— Eu me preparei para esse caminho à sua frente. Eu também devo pedir perdão à Sua Excelência, mas vou interrompê-lo um pouco. Envie o sinal para os batedores!!

Quando Sidamo deu sua ordem, seus soldados se voltaram para os penhascos e acenaram bandeiras vermelhas. Conspicuamente, eles usaram seus corpos inteiros para acenar com eles.

Um segundo depois, sons de uma explosão rugiram dos penhascos dos dois lados. E alguns segundos depois, um deslizamento de pedras selou a estrada estreita.

O Exército de Libertação espalhado na frente freneticamente começou a recuar, senão eles provavelmente seriam pegos na avalanche. Eles não conheciam a geografia desta área em detalhes.

Tendo pesquisado a topografia de antemão, Sidamo, assumindo o pior, preparou um plano para impedi-los, um plano para detê-los em suas etapas finais, no pior dos casos, no pior cenário.

— Bom chefe de estado-maior! Mas isso significa que você estava resignado a perder. Eu vou te levar para a corte marcial!

Disse Yalder em uma tentativa de humor, e Sidamo fingiu ignorância com um rosto inocente.

— É difícil determinar o que você quer dizer. De qualquer forma, com isso, conseguimos um curto espaço de tempo. Vamos guarnecer Cyrus e Sayeh e nos prepararmos.

— Tudo bem, então nos movemos! Isto não é fugir! Não se esqueça que isso está mudando de rumo! Hahaha, eu não estou inventando desculpas. Isto é uma bravata vazia!

— Se movam! Vamos sair antes que o inimigo se prepare!

— Você mesmo Sidamo, como sempre. Que homem de confiança. Tudo bem, todos os oficiais de estado-maior, sigam o exemplo dele e estufem o peito! Nós somos a unidade de elite que derrubou o Planalto de Carnas! Nós marchamos; eu pretendo fazer um retorno triunfal!

O riso heroico de Yalder varreu sua formação e eles marcharam.

Ele sabia que a situação se tornaria irrecuperável em breve, mas como um homem militar, lutaria até o fim.

Havia se resolvido há muito tempo. A partir daquele dia em que seu suicídio foi interrompido.

***

Barbora, Borbon e o contido Octavio entraram na Capital Real. Octavio ficaria em casa até a investigação terminar.

A Legião de Yalder entrou na Fortaleza de Sayeh, a divisão de Larus e a Cavalaria de Schera cercaram Cyrus.

Eles tiveram que ganhar tempo nessas duas fortalezas até que o Primeiro Exército pudesse terminar sua reorganização. Tentaram levantar suprimentos das cidades vizinhas, mas os senhores feudais recusaram.

Sua derrota foi amplamente discutida devido ao trabalho de Diener, e os senhores feudais tiveram a forte impressão de que o Reino já estava acabado.

Incapaz de preparar suprimentos suficientes nas duas fortalezas, Cyrus e Sayeh, parecia provável que um cerco estivesse se encaminhando.

Em sua separação, Yalder segurou fortemente as mãos de Schera e falou com ela com um sorriso malicioso – um sorriso perverso como o de um bandido de rosto enrugado.

— Coronel Schera. Vamos nos encontrar novamente na Capital Real. Quando repelirmos o exército rebelde, venha para minha propriedade como prometi há alguns dias. Vou preparar um grande banquete para o seu prazer. Fique ansiosa.

— Entendo, Sua Excelência. Eu irei visitar sem falta.

— Sidamo, diga algo também! Não podemos nos encontrar por um tempo!

— …. Eu só tenho uma coisa para te dizer, Coronel. Eu já disse isso antes, mas se for morrer, morra do lado de fora. É preciso dinheiro e trabalho duro para aumentar a cavalaria. Morrer dentro de um castelo não é nada além de um desperdício…. Você entende??

— A Coronel Schera entende completamente!

— Então, bom……. Vamos nos encontrar novamente.

— Meu Deus, vocês não têm senso de glamour. Bem, provavelmente é bom que permaneçam fieis a si mesmos. Wahahaha!

Lembrando-se da conversa, Schera estava descansando em um dos cômodos de Cyrus.

Ela estava um pouco cansada.

Seu corpo estava enrolado em voltas e mais voltas de curativos. Suas feridas de flechas ainda não haviam cicatrizado. Não seria um problema no campo de batalha, mas seu corpo estava levemente febril. Então, ela poderia se recuperar antes da próxima batalha, ela se isolou em seu quarto assim.

Quando se recostou na cama com a face para cima apenas com suas roupas de baixo, uma grande batida veio à sua porta.

— Coronel, desculpe-me por interromper seu descanso!

— O que foi?

Schera respondeu languidamente.

— Senhora, há um assunto urgente que deve ser transmitido a você e eu vim para informar.

— O que é, eu me pergunto. Eu estou me trocando agora, então você vai me dizer enquanto eu estou nisso?

Schera recebeu a informação mais importante do soldado da cavalaria.

— Os brotos de batatas da Coronel nasceram!

— ….. Brotos de batata?

Muitas batatas-sementes apareceram nas profundezas quentes e enevoadas de sua mente. Os brotos subiam das sementes, um após o outro e, coletivamente, tornavam-se caules tão altos quanto as árvores. O estômago não seria preenchido por brotos ou hastes de batata, mas quando cresciam tão grande, parecia ser uma refeição substancial.

— As batatas que a Coronel plantou! Elas parecem estar crescendo bem e brotos surgiram!

Ouvindo isso, a batata gigante brotada em sua imaginação desapareceu em algum lugar.

— Eu irei imediatamente; espere no campo!

Schera pulou da cama, só para poder dizer mais rápido e respondeu em voz alta.

Se as batatas permaneceriam seguras era extremamente importante. Ela tinha que deliberadamente verificar. Esta não era a hora de estar deitada.

— Entendido. Farei o meu melhor para não deixar os corvos devastá-las!

De trás da porta, os passos do soldado que saía com entusiasmo podiam ser ouvidos.

Schera se levantou, abriu a janela e olhou para o céu – o céu azul, sem uma única nuvem. Contra o vento, balançava a bandeira do Reino e a bandeira da Cavalaria de Schera.

Ao redor delas, corvos estavam circulando. Era talvez porque não tinham comida e estavam procurando por um pouco? Não havia migalhas de pão sobrando lá, no entanto.

Schera fechou a janela. Os corvos olharam para ela, como se exigissem comida.

— …….

“Depois de tudo, estou de volta aqui. Me pergunto se meu lar final é essa fortaleza. Seria legal se eu pudesse comer as batatas que eu mesma plantei.”

A Fortaleza de Cyrus, lar de Schera, já estava se preparando para a batalha. O comandante da Defesa, Larus, estava se esforçando para conseguir suprimentos até que chegasse o momento, e também estava se esforçando para fortificar as muralhas.

Ele se preparou para a guerra de trincheiras inimigas, colocou muitas armadilhas e aprofundou o fosso externo. Fez tudo o que pôde.

Depois que o Exército de Libertação ganhasse o controle total de Canaã, eles atacariam em pouco tempo e iriam para Cyrus e Sayeh. A batalha começaria extremamente em breve, provavelmente.

— Há muitas coisas para fazer, então temos que continuar fazendo o melhor possível, só um pouco mais. Ainda não acabou…. Certo, você não acha? Só um pouquinho mais, vamos dar o nosso melhor.

Só por um momento, Schera olhou por cima do ombro e sorriu, depois se virou e começou a andar.

—Porém, não havia ninguém atrás dela—


Tradutor: Apollo  |   Revisor: Apollo



Fontes
Cores