GADG – Capítulo 20 – As Flores Em Uma Pintura Não São Comestíveis, Mas Parecem Deliciosas



Bandeiras do Exército do Reino foram levantadas para obstruir a estrada principal de Canaã. No terreno elevado, à esquerda e à direita, foram construídos acampamentos instantâneos, e se o Exército de Libertação fosse atacá-los assim, sofreriam uma grande quantidade de danos.

Ao ver seu acampamento através de uma luneta, Ghamzeh, na sede do acampamento, assentiu – tudo estava indo conforme o planejado. Dispostos em três divisões, o Exército de Libertação havia escolhido alinhar lanceiros na frente, depois arqueiros, e por trás de todos eles estavam a cavalaria. O papel da cavalaria seria envolver e atacar de lado, mas nesta operação atual, eles não foram planejados para serem usados. No máximo, o objetivo principal era atrair a força principal do inimigo.

— Eu sabia; Canaã vai ser difícil. Isso é quase como uma fortaleza natural. Provavelmente seria preciso uma grande quantidade de soldados, todos em um único surto para derrubá-la.

O general que atualmente tomava o comando disse a Ghamzeh. Ele era um homem da facção de Belta e um velho amigo de Ghamzeh. Era popular e se destacava em liderança. O que lhe faltava quando estava no Reino era sorte e conexão com a nobreza. Só por causa disso, seu caminho para a promoção foi encerrado e ele foi enviado para um trabalho de não fazer nada.

— Está correto. Mas nesse estado, o comboio de suprimentos do inimigo também terá dificuldades. Em outras palavras, enquanto pressionamos a estrada principal, eles são como ratos em uma sacola. Em pouco tempo, vão sufocar e morrer em angústia. É quase impossível obterem suprimento local, afinal.

Se a unidade liderada pelo Coronel Hastie derrubasse Cyrus, eles poderiam esperar colocar as mãos na bolsa conhecida como Canaã. Estavam assumindo um risco, mas, mesmo assim, era uma operação que valeria a pena tentar. Foi por esse motivo que Diener também não se opôs a isso.

— Se o ataque surpresa desta vez correr bem, a estrada para a Capital Real será instantaneamente aberta. Se isso acontecer, a posição do Senhor Ghamzeh no Exército de Libertação também se tornará inabalável. Você poderá trabalhar para a Senhora Altura cada vez mais.

— Haha, não, não, isso não importa para mim. Eu luto apenas pela vitória do Exército de Libertação.

Ghamzeh disse modestamente, fazendo um sorriso insincero. Atualmente, as facções mútuas estavam uma contra a outra. Para ganhar a confiança de Altura, ele queria ter sucesso, independentemente do custo.

— Entretanto, se apenas trocamos olhares como esses, eles podem suspeitar que estamos tramando alguma coisa. Acho que já é hora de mandarmos a cavalaria e provocá-los.

O general aconselhou a enviar a cavalaria. Não era uma má ideia ver se funcionava.

— Você está proibido de ir muito longe, e se um ataque acontecer, deve ordenar uma retirada imediata. Se formos temporariamente capazes de fazer o inimigo morder, isso será um bom negócio. Vamos bater neles com força.

— Tudo bem, envie um mensageiro para a unidade de cavalaria!

Quando Ghamzeh concordou, o general atirou instruções para a cavalaria lançar um ataque de desvio. O mensageiro assentiu e saiu do quartel. Quase como se estivessem trocando de lugar, outro mensageiro relatou.

— Senhor Ghamzeh. Contato de um agente escondido no campo inimigo. O General Yalder foi acusado de violar os regulamentos militares, rebaixado e enviado de volta à Capital Real. Ele lidera os soldados derrotados de Antígua e Belta.

— Então o General Yalder também tem dificuldade, huh. Sua fama estabelecida está desmoronando, não é? É como uma mentira que ele já foi conhecido por sua Divisão de Aço. Espero não acabar como ele.

— A esse respeito, foi bastante útil para nós. Graças ao seu descuido, fomos capazes de tomar Antígua.

Um general murmurou como se estivesse simpatizando, e outro general fez uma piada.

— …… Sim.

Depois de ler o relatório, Ghamzeh cruzou os braços. Aquele que estava atualmente realizando a defesa de Canaã era o Marechal-de-Campo Sharov. Ele foi reconhecido e estabelecido por sua profunda prudência e liderança constante. Tal homem realmente decidiria dividir forças valiosas antes de uma batalha defensiva? Um mau pressentimento passou por sua cabeça. Ele deveria continuar a operação? Mas havia poucas razões para parar. Ele julgou que era muito tímido.

— Oficial de Estado-Maior Ghamzeh, qual o problema?

— ….. Não, nada. Só estava pensando um pouco.

— Hahaha, mesmo que você se preocupe, já que é o Coronel Hastie, ele cumprirá sua missão, com certeza. Quando se trata de lutas em colinas e campos, ele é o maior do Exército de Libertação. Até mesmo o Coronel Fynn não pode superá-lo.

— Isso é verdade. Não importa o que for preciso, ele tem que derrubar a Fortaleza de Cyrus. Pela vitória do Exército de Libertação. E também pelo bem dos cidadãos oprimidos.

Ghamzeh acenou com a cabeça fortemente, como se sacudisse as dúvidas que atravessavam sua cabeça. Ele poderia ordenar que a operação fosse descontinuada ali. Mas o tempo, as pessoas e o dinheiro investido iriam todos pelo ralo. Eles também teriam que retirar a grande força diante deles sem razão. Se por acaso fosse apenas medo infundado, ele deixaria a vitória passar bem debaixo do nariz. Parar uma operação depois que ela foi colocada em movimento era mais difícil do que começar.

“Tudo vai correr bem. Com certeza vai dar certo. Não posso parar depois de tudo isso. Isso não ia ao encontro das expectativas de Diener? Eu vou mostrar a ele, eu vou ter sucesso absoluto.”

 

Quartel do Acampamento da Montanha do Primeiro Exército.

Enquanto olhava para os soldados inimigos, Sharov acariciava seu pelo branco. Ele estava convencido de que seu próprio julgamento não estava enganado. Não conseguia sentir do inimigo o espírito de que eles estavam se preparando para atacar essa fortaleza. De seus longos anos de experiência, ele cheirava os vários humores do campo de batalha. Não conseguia explicar com palavras, mas conseguia entender mais ou menos a partir do cheiro. Era uma sensação absolutamente ilógica. Mas Sharov confiava em seu próprio julgamento – seus adversários esperavam por algo. Provavelmente, em algum lugar, não aqui onde estavam se enfrentando. Em algum lugar onde, se esquecido, provavelmente seria fatal para esta área de Canaã.

— Sua Excelência. Uma companhia do inimigo está vindo atacar. Vamos interceptá-los?

— Ignore-os até que entrem no alcance do arco. Se eles se aproximarem ainda mais, afaste-os com lanças. Perseguição é desnecessária. Não há necessidade de ser pego em uma diversão descarada.

— Sua Excelência! Apenas olhar para eles e defender afetará a moral dos soldados. Por favor, dê à minha unidade a ordem para atacar. Permita-me mostrar que vou esmagá-los.

Barbora propôs fortemente a Sharov.

Sua proposta não estava muito errada. Se simplesmente deixassem a provocação do inimigo, os soldados começariam a pensar que o comandante havia perdido a coragem. Em pouco tempo, isso estaria ligado a uma sensação de cansaço de guerra e também poderia se tornar uma causa de colapso. Às vezes, a ousadia de lançar um ataque era necessária para manter a moral.

— …… Barbora. Sua chance virá em breve. Seja paciente até então.

— Não duvido, Sua Excelência. Já entre os soldados, está espalhando um boato que não podemos ignorar! Devemos fazer uma ofensiva assertiva aqui!

Recentemente, um boato começou a se espalhar amplamente entre os soldados.

Por que o Marechal-de-Campo Sharov não estava lutando ativamente contra o Exército de Libertação? Havia algum raciocínio mais profundo? Ou havia um motivo diferente? Eles ouviram que Sharov era um conhecido de longa data do comandante do exército rebelde Behrouz. Eles também ouviram que ele havia sido convidado a se rebelar em muitas ocasiões pelo Comandante Inimigo Supremo, Altura. Dentro do coração do Marechal-de-Campo, talvez ele estivesse considerando isso. Etc.

— Ridículo. Ignore os rumores idiotas. Se formos adiante e lançarmos um ataque tentando dissipar o boato, isso será para a satisfação do inimigo. Se deixarmos isso em paz, acabará sufocado.

Sharov refutou e mais uma vez olhou para o acampamento inimigo.

Depois de mandar as instruções de Yalder dispensado, ele enviou outra ordem — No caso de uma emergência, mova-se de acordo com seu próprio julgamento; não há necessidade de esperar por ordens.

Barbora olhou repugnantemente para as costas de Sharov, sem se incomodar. Ele não conseguiu ter grandes conquistas apenas por defender. Além disso, não sabia se esse boato era autêntico ou não. Sharov e Behrouz terem um relacionamento próximo o suficiente para serem chamados de melhores amigos era uma história famosa. Na luta pela sucessão, Sharov manteve a neutralidade e Behrouz estava do lado perdedor.

Behrouz argumentou que o filho mais velho deveria suceder ao trono, mas depois que Kristoff ganhou, Behrouz foi exilado. Sharov também concordou em particular sobre o filho mais velho, mas não queria se envolver na sucessão, então permaneceu neutro. Assim, chegou à sua posição atual. Se os vencedores tivessem sido revertidos, Behrouz deveria ter sido o único a sentar-se no assento do Marechal-de-Campo.

Com uma expressão que não escondia sua ambição, Barbora cerrou o punho fechado.

“Se o boato é verdadeiro ou não, não me diz respeito. Algum dia, eu vou agarrar você pela cauda e derrubá-lo daquele assento.”

Cume de Golbahar, no meio do caminho.

Enquanto estavam escondidos nas densas árvores, três mil soldados de infantaria ligeira marchavam silenciosamente. O nevoeiro começou a se pôr e o campo de visão estava se estreitando. Havia pessoas que se perderam do grupo principal.

Havia péssimos pontos de apoio e não faltavam pessoas infelizes que escorregavam. Mesmo que eles tenham sido treinados, não teria sentido se eles não pudessem ver. Enquanto caminhavam cuidadosamente no chão, eles continuaram caminhando, avançando e avançando.

De pé na frente da unidade, o Coronel Hastie teve um estranho pressentimento. Eles não estavam no caminho errado. Seu guia contratado também estava concordando que eles estavam se movendo conforme o planejado. O tempo também fazia parte do plano, então eles não estavam muito atrasados. Depois que desceram a cordilheira, correram a toda velocidade em direção a Cyrus; foi isso.

“O que é esse ambiente desagradável? É muito improvável devido ao nevoeiro. É quase como…”

Como criminosos indo para a forca. Esse tipo de visão ridícula flutuou em sua mente. Este deveria ser um caminho para a glória; absolutamente não é um caminho para a ruína. Isso é o que ele tinha dito. Ele estava silenciosamente, empurrando para frente a estrada escura da montanha. Ele ficou intimidado.

“Eu estou pensando muito. Sou um comandante; não posso ficar assustado.”

Ele enxugou o suor da testa e se forçou a acreditar nisso. Olhou de volta para seus subordinados seguindo atrás dele. Todos os rostos estavam caídos e eles estavam marchando enquanto silenciavam a respiração. Eram soldados de elite, pessoas escolhidas que podiam marchar mesmo nas montanhas, mas apesar disso, seus rostos eram um tanto sombrios. Não se pareciam em nada com uma unidade que conduziria um ataque surpresa no futuro. Eram como soldados derrotados. Não foi só ele; eles também estavam sentindo esse ar repulsivo. Avançavam para a frente, como se estivessem tentando se livrar dessa sensação. Se parassem, nunca seriam capazes de se mover novamente.

O guia falou em voz baixa.

— …… É muito raro … para este cume … ficar em silêncio.

— O que você quer dizer?

— Hã. Normalmente, os pássaros cantam, e também há coisas como veados, javalis e outros pequenos animais. Ainda hoje não vi nem um único animal. Pelo contrário, nem ouvi os sons de insetos……. Eles podem ter sido esmagados, por este… frio estranho.

As vozes dos pássaros, as vozes dos insetos e as vozes dos animais – nada podia ser ouvido. Tudo o que podia ser ouvido era o ocasional vento passageiro e apenas os seus próprios passos.

— Existem dias assim, certo? Não diga algo tão ameaçador.

— …… É … é meio estranho, e não parece a mesma montanha.

O guia com uma aparência humilde começou a esfregar seus braços como se estivesse com frio. Este homem tinha sido contratado com uma quantia de dinheiro nada pequena. Ele não estava particularmente ligado ao Reino ou ao Exército de Libertação. Se houvesse maiores benefícios, qualquer lado estava bom. Não só isso, havia dinheiro bem na frente de seus olhos. Por isso, ele aceitou ser seu guia. Mas estava se arrependendo hoje. Se tivesse que sofrer essa atmosfera misteriosa, deveria ter ficado em casa tranquilamente. Ele limpou a nuca com uma toalha. Suor frio honestamente era repugnante.

— ……Coronel. Isso vai … vai dar certo para nós?

Vendo o guia com medo de alguma coisa, um soldado veio perguntar baixinho. Para este homem, que serviu o suficiente na unidade para ser considerado um veterano, ter um certo receio era raro.

Hastie queria falar espontaneamente de sua inquietação, mas resistiu e respondeu:

— Isso vai depender do nosso trabalho. Vamos acabar com isso – esse tipo de entusiasmo é necessário.

— V-Você está certo. Por favor me perdoe.

— Eu entendo sua tensão antes de um ataque surpresa. Mas você é um veterano. Não pode mostrar sua ansiedade. O medo é contagioso.

— S-Sim senhor!

Encorajou Hastie, batendo nas costas do veterano. Se não soltasse essa bravata, sentia que também teria se preocupado. Ele segurou sua espada com força. Enfatizando a agilidade, os soldados estavam armados com espadas ou dardos. Lanças mais longas não foram carregadas, pois dificultariam a marcha. Aqueles equipados com arcos usavam arcos curtos. A retaguarda acompanhada pelo comboio de suprimentos teria suas armas habituais, e as entregariam assim que chegassem. Devido à sua carga, sua velocidade de marcha era lenta, e o grupo de Hastie, atuando como a vanguarda, tinha que derrotar Cyrus.

— …. A noite começará a clarear logo. Guia, estamos quase lá?

— Sim. Só mais um pouco. Será mais fácil a partir de agora. O chão ficando mais nivelado é a prova.

— Bom, por favor, continue seu bom trabalho até terminarmos de descer a montanha. Todos, perseverem um pouco mais.

Hastie inalou e começou a andar novamente.

***

Por volta de quando o céu começou a clarear, os três mil soldados da infantaria haviam finalmente terminado de descer a cordilheira. O nevoeiro já havia se instalado, mascarando as planícies perto de seus pés. Antes de clarear, eles marchavam o máximo que podiam e precisavam se aproximar da Fortaleza de Cyrus.

Hastie sinalizou com a mão, dando a ordem para avançar. Vozes altas não podiam ser usadas. No caso de haver patrulhas, havia o perigo de ser notado pelo inimigo.

Eles marcharam por talvez uma hora. Uma silhueta apareceu no nevoeiro. Uma silhueta humana andando em um cavalo. Uma bandeira negra estava tremulando. Parecia estar se aproximando lentamente deles.

Antes de suspeitar que era um inimigo, ele considerou a possibilidade de ser um aliado. Eles haviam comunicado ao Barão Evjen, que administrava a área ao redor de Cyrus, o caminho de marcha deles e quando chegariam. Talvez tivesse vindo como reforço. Embora estivesse fora de lugar com sua infantaria leve, seria encorajador se pudessem usar a cavalaria. Eles já teriam sido atacados a essa distância se fosse um inimigo. Mas apenas por precaução, fez seus subordinados se prepararem para a batalha.

— Esperem para atacar até que eu avise. No entanto, fiquem preparados.

— Sim senhor.

— Entendido.

A infantaria desembainhou suas espadas e assumiu posições de batalha.

— Nós somos a raposa que cruza o cume. Você é a raposa que está à espera?

Eles não se identificariam como o Exército de Libertação. Várias senhas haviam sido estabelecidas com Evjen antecipadamente. Foi também para evitar fogo amigo depois de tomar o controle de Cyrus. Nenhuma resposta veio da equipe de cavaleiros na frente dele. Eles ainda se aproximavam deles. Suas palavras faladas deveriam tê-los alcançado. Se suas palavras fossem ignoradas, a possibilidade de que fossem do Exército do Reino era alta. A tensão percorreu os soldados. Por um intervalo dentro do nevoeiro onde eles podiam ver, se aproximavam cada vez mais.

Quando decidiu perguntar mais uma vez, por trás, veio um grito.

— Se você não responder, nós atacaremos! Você é a——

— A-Ataque inimigo!! As costas da nossa unidade estão sendo atacadas pela cavalaria inimiga!

— O-O quê?! Então esses caras são!!

Quando Hastie encarou a frente novamente, a figura de uma mulher oficial em um cavalo entrou em sua visão. Uma mulher vestindo uma armadura preta que não combinava com seu corpo, empunhando uma grande foice. Dela saía a maldita sensação que ele sentira antes. Não era sede de sangue e nem de raiva. Era uma presença sombria difícil de descrever. Enquanto naturalmente vestida nessa aura sombria, ela chegou diante dos olhos de Hastie.

Ele fortaleceu seu aperto em sua espada. Suor frio escorria pelas costas.

“Ahh. Aquela sensação ruim que senti foi por causa desse monstro.”

Aquela mulher sorriu ferozmente e, ao mesmo tempo, Hastie sacou a espada, seu crânio foi arrancado por aquela lâmina maligna. Sangue fresco pulverizou no nevoeiro, e um espetáculo muito fantástico nasceu.

A mulher que havia matado Hastie, Schera, começou a balançar silenciosamente sua foice. Com cada balanço, as almas dos soldados do Exército de Libertação eram ceifadas.

A cena de fontes vermelhas jorrando uma após a outra dentro do nevoeiro foi fortemente queimada nas mentes dos soldados do Exército de Libertação. Os humanos da unidade de Hastie que estavam testemunhando isso continuariam a ser atormentados por esse terror no futuro. Haveria pessoas que teriam distúrbios mentais e até mesmo aqueles que ficariam loucos.

Um certo soldado, decidindo deixar um registro dessa bela tragédia, continuou a pintar uma pintura em vermelho e branco. Ele não foi confrontado por ninguém; simplesmente pintou sem parar. Em pouco tempo, terminou e cortou a própria garganta. Em seus momentos finais, depois que assinou com seu próprio sangue, morreu rindo alto.

No nevoeiro mágico, havia uma menina delicadamente colhendo flores com as mãos delgadas. Seu semblante era como um branco mortal. Do chão brotavam fontes vermelhas, encharcando seus pés. Em poças vermelhas foram desenhadas muitas flores vermelhas e crânios brancos, fazendo os observadores sentirem um medo degenerativo. Nos anos futuros, ela seria exibida por alguém que achava lamentável descartá-la e seria altamente avaliada pela nobreza.

—— Esta pintura que modelava e era modelada por Schera, do Exército do Reino, recebeu um nome: Sepultura das Flores de Schera Zade.

Dentro do nevoeiro, a matança unilateral continuou.

No interior, onde a visão era completamente inútil, a Cavalaria de Schera atormentava a infantaria leve. Antes que suas espadas pudessem alcançar os corpos dos cavaleiros, eles foram espetados por lanças e um após o outro desmoronou. Mesmo assim, eles resistiram desesperadamente, e houve até um bravo soldado que puxou um cavaleiro até o chão. Mas sua resistência foi em vão e muitas lanças abriram buracos no corpo do veterano. A unidade de ataque surpresa que havia perdido seu comandante, agora sem líder, decidiu voltar para a cordilheira enquanto induzia pânico.

A névoa gradualmente desapareceu. Uma emboscada do Exército do Reino estava esperando.

— HAHAHA! TODA MINHA INDIGNAÇÃO, SERÁ LIMPADA AQUI! MATEM O EXÉRCITO REBELDE!

— TODAS AS FORÇAS ATAQUEM! AGORA É A HORA DE DISSIPAR TODO NOSSO RANCOR POR BELTA!

— OU-!

Da base do cume, ergueram-se as palavras iradas de Yalder quando começaram o ataque, saltando nos que iam primeiro. Os generais do ex-Quarto Exército também levantaram suas espadas, suas vozes tremiam. Os tambores de guerra explodiam violentamente de toda a área apenas para aumentar suas vozes.

Tendo previsto o caminho de avanço do exército rebelde, Yalder enviou a Cavalaria de Schera para a frente e posicionou sua Legião Unida para o lado como uma emboscada. A Cavalaria de Schera interromperia seu avanço e, ao mesmo tempo em que a neblina se dissipasse, ele os esmagaria. O grupo de Hastie marchara para a própria morte.

A unidade de Hastie entrou em colapso sob ataque severo de quatro lados. Dos seus três mil, dois mil foram mortos e os sobreviventes dispersos, afastados para todas as quatro direções.

Além disso, Yalder, de seu próprio julgamento, decidiu avançar e atravessar a cordilheira. Seu Oficial de Estado-Maior, Sidamo, também aconselhou que eles deveriam aproveitar essa oportunidade. Ele enviou um mensageiro para Sharov. A Cavalaria de Schera foi confiada à defesa de Cyrus, e a Legião Unida começou a subir a cordilheira a toda velocidade.

— DAREMOS A ELES UMA PROVA DE UM ATAQUE MONTANHA A BAIXO, MOSTREM A HABILIDADE DE NOSSA LEGIÃO UNIDA! TODAS AS CONTAS QUE NOS DEVEM, SERÃO ACERTADAS HOJE!

— VIDA LONGA À LEGIÃO UNIDA DE YALDER! VIDA LONGA AO REINO YUZE!

— TODAS AS UNIDADES, ATAQUEM! A REALIZAÇÃO É DE OBTENÇÃO NOSSA-! EM FRENTE!

A retaguarda de cinco mil do Exército de Libertação, tendo sido surpreendidas e atacada em terrenos elevados, foram lançadas em violenta desordem. Eles não tinham compostura para entrar na batalha. Suas armas eram adequadas, mas o movimento da unidade de suprimentos que as acompanhava era lento. Aproveitando o momento da vitória, Yalder não pôde ser parado. Provisões e armas foram jogados fora, e todos começaram a recuar por suas vidas.

A unidade de Yalder apagou os soldados em retirada com uma chuva intensa de flechas e uma chuva de pedras e conseguiram infligir uma grande quantidade de baixas.

O bravo general não parou. A Legião Unida de Yalder desceu do cume enquanto descansava e invadiu a área de Canaã do lado oposto. O confronto na frente da estrada principal de Canaã continuou. Yalder mostrou sinais de atacar a força principal do Exército de Libertação de trinta mil a partir do lado.

Tendo recebido o relatório do mensageiro, Sharov também decidiu atacar.

— Vamos aproveitar isso e lançar uma ofensiva geral. Perseguir o exército rebelde.

Eles decididamente saíram de seu acampamento isolado na montanha, e em uma formação em escama de peixe, enfrentaram o Exército de Libertação. Os dois lados se chocaram nas planícies.

No início, a batalha parecia se desenrolar favoravelmente para o Exército de Libertação com moral superior, mas a situação se inverteu quando a Legião de Yalder os atingiu de lado. Clivando uma lacuna em sua formação, a vanguarda do Primeiro Exército, a Divisão de Barbora, esmagou as unidades de infantaria inimigas. Pegando seus guardas de elite, ele também estava balançando sua lança, inspirando os soldados. A infantaria do Exército de Libertação foi morta em sequência.

— MASSACREM O LIXO DO EXÉRCITO REBELDE-! NÃO DEIXEM NINGUÉM RETORNAR VIVO-!! ELES SÃO UMA MISTURA DE SOLDADINHOS, AFINAL, NÃO HÁ NADA A TEMER!!

Ghamzeh, do Exército de Libertação, julgando mais perigoso, decidiu recuar frouxamente. Um general falou em protesto, dizendo que ainda era cedo para desistir. A situação era desvantajosa, mas eles ainda não haviam sido derrotados. Eles sofreram um ataque violento, mas a formação de três patas ainda estava intacta. Como os soldados inimigos haviam saído de seu acampamento nas montanhas, havia também a opção de resistir e esperar por reforços.

Como os soldados liderados por Altura estavam de prontidão em Belta, recuar aqui teria o mesmo significado que a derrota do Exército de Libertação. Sua moral estava alta em sucessivas vitórias, e eles tramaram com os senhores feudais. Isso teria consequências inevitáveis ​​para suas estratégias futuras também. Mas Ghamzeh calmamente julgou o progresso da batalha, silenciou a objeção do general e ordenou uma retirada.

— Não faz sentido lutarmos mais. Agora que nosso esteio, a travessia da cordilheira, foi impedido, seria melhor recuar. Eu tenho toda a responsabilidade. Gostaria que você seguisse minhas instruções.

Ordenou estritamente Ghamzeh, reprimindo sua raiva fervente. Ter trinta mil aniquilados ali afetaria seu controle de Belta. Eles só precisavam evitar a pior situação. Esse era o dever do Oficial de Estado-Maior que decidiu as estratégias. Fazendo sua cavalaria de retaguarda se esconder como uma emboscada, gradualmente começaram a recuar.

Sharov julgou que qualquer outra busca aumentaria o número de vítimas. Apesar de estarem acabados, eles estavam se retirando enquanto mantinham a disciplina. Se eles fossem tentados e mandassem uma unidade, havia a preocupação de estarem cercados. Rejeitando a opinião de Barbora para uma busca completa, ordenou que recuasse para o acampamento na montanha.

— Por que estamos descontinuando o ataque aqui? Se causarmos danos catastróficos, a recaptura de Belta seria fácil! Droga, Sharov, esqueça suas preocupações! Existe uma oportunidade única na vida diante de seus olhos e você quer deixar ir!!

— No entanto, um relatório de batedores diz que há tropas em emboscada-.

— Seu idiota-! Vamos apenas dar um chute nos derrotados que fazem a emboscada! Aqueles com o poder superior somos nós! Em mais um passo, não podemos levar a força principal do inimigo à aniquilação!?

Barbora agarrou o bastão de comando que tinha na mão. Apesar de pressionado por essa atitude ameaçadora, seu ajudante relatou:

— Senhor Barbora. Nossos aliados estão recuando! Se nós também não mudarmos, isso pode ser visto como uma violação dos regulamentos militares!

— Para meu desgosto, não tenho escolha! Estamos nos retirando! …… Sharov, você é covarde!

Não concordando, Barbora hesitou em se retirar até o último instante, mas finalmente voltou ao acampamento. Amaldiçoando seu oficial superior o tempo todo.

Se Sharov tivesse concordado com o conselho de Barbora aqui e lançado um ataque com todo o exército, certamente havia a possibilidade de o Exército do Reino conseguir a vitória e ganhar uma posição segura em Belta.

Claro, suas forças seriam reduzidas por contra-ataques, suficientes o bastante para causar ansiedade e a defesa de Canaã estaria em risco.

Preferindo ser lento e firme, Sharov optou por defender e foi bem-sucedido em proteger Canaã. Mas o Exército do Reino ainda continuava a ter a inferioridade numérica, já que eles não foram capazes de levar a força principal do Exército de Libertação à destruição.

Qual escolha seria correta não era certo. Mas olhando apenas para o resultado, foi a vitória do Exército do Reino, que havia esmagado o ataque surpresa do inimigo.

Tendo terminado de lutar, a Cavalaria de Schera entrou na Fortaleza de Cyrus conforme as ordens. Ela deixou seus cavalos de batalha descansarem e todos recuperam a resistência.

Enquanto mordiscava pão, Schera dirigiu-se à clínica médica. Estabelecida dentro da fortaleza, era uma clínica para tratar doentes e feridos. Os cavaleiros feridos na batalha cumprimentaram e saudaram seu oficial superior. Entre eles também estavam pessoas em camas espalhando sangue enquanto recebiam tratamento. Eram generais ou nobres, poderiam receber tratamento mágico. Mas para eles, soldados normais, analgésicos receitados eram tudo o que conseguiam. Um homem que sofreu ferimentos graves, dentro de sua consciência nebulosa, estava morrendo. Ele se movia no limiar da vida e da morte.

Schera se aproximou de um soldado médico vestindo um jaleco branco. Quando seus olhos encontraram os dela, ele negou com a cabeça e se dirigiu para a cama onde outro estava esperando. Quando Schera abaixou os olhos, um jovem com o rosto pálido sussurrava alguma coisa enquanto seu corpo estava se contorcendo.

Schera sorriu.

— Você fez bem mais cedo. Graças aos esforços de todos, conseguimos uma vitória esplêndida. Na próxima também, lute comigo para matar o exército rebelde. Ainda há muita luta depois disso.

Quando ela acariciou sua bochecha, ele virou um olhar confiante para Schera. Mas seu olhar estava fora de foco e parecia estar olhando para algum lugar no espaço. A figura de Schera provavelmente não entrou mais em sua visão.

— Ten…. Ten…. Coro…. S…. Schera…. Eu…. Eu…. Eu

Ele violentamente vomitou sangue. Nos lençóis brancos, uma mancha vermelha se espalhava. Ele tinha uma ferida fatal em um de seus órgãos. Fez bem apenas ser capaz de voltar. Por pura tenacidade, iria agir ao lado de seu comandante até o final, por isso havia conseguido voltar para cá. Mas nada poderia ser feito por ele em um lugar como este. Não, provavelmente seria impossível, não importa o quão excelente fosse o médico. O soldado médico lhe dera uma grande quantidade de analgésicos; não havia outros meios para tirar o sofrimento.

Havia apenas uma coisa que Schera poderia fazer. Havia apenas uma coisa que a Morte poderia fazer. Enquanto segurava aquilo na mão esquerda, tinha um doce na mão direita.

— Ei, você está com fome? Tenho um doce gostoso que você conhece. É aquele que a Segunda-Tenente Katarina sempre compartilha comigo. Eu peguei um deles. Compartilharei um com você também. Que sorte a sua.

— Tenen… Coron…. S…. Schera———

Na boca do jovem chamando o nome de Schera com os olhos vazios, Schera jogou o doce branco. Então, gentilmente segurando a boca manchada de vermelho, ela realizou o tratamento final com a outra mão.

— Aquele doce vermelho… parece realmente bom. Mas é algo que eu te dei, então vou me controlar.

Schera fechou os olhos do soldado que já não se mexia e sorriu levemente. Deixando o doce vermelho que tinha saído de sua boca e caído ao lado de seu rosto, ela guardou aquilo que estava em sua mão esquerda na sua cintura. Acenou para os feridos fazendo uma saudação ao redor dela e saiu da clínica médica.

Schera fez um grande esforço e irritou-se com o sol escaldante. Quando olhou para cima da torre principal, ao lado da bandeira do Reino, estava triunfalmente agitando uma bandeira negra ao vento. Alguém da cavalaria montou por conta própria, provavelmente. Rasgando o pão completamente velho em pedaços finos, ela os jogou em sua boca.

Um corvo negro de algum lugar veio até os pés dela. Quando jogou apenas um pouco de migalhas de pão no chão, ele começou a pular, bicando no chão. Ele olhou para Schera e grasnou, como se estivesse querendo alguma coisa.

— Corvo, não tenho mais comida para te dar. Não seja preguiçoso e vá buscar a sua. Afinal, você pode voar livremente no céu.

Sem nada para fazer, Schera se virou e saiu, tendo comido tudo que restava.

O corvo observou-a sair com os olhos inexpressivos. Perdendo o interesse em pouco tempo, voou para longe, indo em direção a um lugar de descanso.

Depois, até que Katarina veio chamá-la, Schera passou o tempo e tirou uma soneca refinada no alto da torre de vigia. Havia uma montanha de coisas para fazer, como enviar um relatório para Sidamo, mas decidindo não se importar, Schera deixou para sua excelente ajudante.

Ao lado dela, obstinadamente, ficou vadiando o corvo que não conseguira obter comida antes.


Tradutor: Apollo  |   Revisor: Apollo



Fontes
Cores